Psicose Ambientalista
Cadastre-se

A Assunção Gloriosa de Nossa Senhora

| 15 de agosto de 2012 | 105 Comentários

Texto de apologética provando a assunção de Nossa Senhora aos céus, de corpo e alma.

A Assunção Gloriosa de Nossa Senhora aos Céus.

A Assunção de Nossa Senhora foi transmitida pela tradição escrita e oral da Igreja. Ela não se encontra explicitamente na Sagrada Escritura, mas está implícita.

Os protestantes acreditam que a Mãe de Deus, apesar de ter sido o Tabernáculo vivo da divindade, devia conhecer a podridão do túmulo, a voracidade dos vermes, o esquecimento da morte, o aniquilamento de sua pessoa.

Vamos analisar o fato histórico, segundo é contato pelos primeiros cristãos e transmitido pelos séculos de forma inconteste.

Na ocasião de Pentecostes, Maria Santíssima tinha mais ou menos 47 anos de idade. Depois desse fato, permaneceu Ela ainda 25 anos na terra, para educar e formar, por assim dizer, a Igreja nascente, como outrora ela educara, protegera, e dirigira a infância do Filho de Deus.

Ela terminou sua “carreira mortal” na idade de 72 anos, conforme a opinião mais comum.

A morte de Nossa Senhora foi suave, chamada de “dormição”.

Quis Nosso Senhor dar esta suprema consolação à sua Mãe Santíssima e aos seus apóstolos e discípulos que assistiram a “dormição” de Nossa Senhora, entre os quais se sobressai S. Dionísio Aeropagita, discípulo de S. Paulo e primeiro Bispo de Paris, o qual nos conservou a narração desse fato.

Diversos Santos Padres da Igreja contam que os Apóstolos foram milagrosamente levados para Jerusalém na noite que precedera o desenlace da Bem-aventurada Virgem Maria.

S. João Damasceno, um dos mais ilustres doutores da Igreja Oriental, refere que os fiéis de Jerusalém, ao terem notícia do falecimento de sua Mãe querida, como a chamavam, vieram em multidão prestar-lhe as últimas homenagens e que logo se multiplicaram os milagres em redor da relíquia sagrada de seu corpo.

Três dias depois chegou o Apóstolo S. Tomé, que a Providência divina parecia ter afastado, para melhor manifestar a glória de Nossa Senhora, como dele já se servira para manifestar o fato da ressurreição de Nosso Senhor.

S. Tomé pediu para ver o corpo de Nossa Senhora.

Quando retiraram a pedra, o corpo já não mais se encontrava.

Do túmulo se exalava um perfume de suavidade celestial!

Como o seu Filho e pela virtude de seu Filho, a Virgem Santa ressuscitara ao terceiro dia. Os anjos retiraram o seu corpo imaculado e o transportaram ao céu, onde ele goza de uma glória inefável.

Nada é mais autêntico do que estas antigas tradições da Igreja sobre o mistério da Assunção da Mãe de Deus, encontradas nos escritos dos Santos Padres e Doutores da Igreja, dos primeiros séculos, e relatadas no Concílio geral de Calcedônia, em 451.

Como Nossa Senhora era isenta do ‘pecado original’, ela estava imune à sentença de morte (conseqüência da expulsão do paraíso terrestre). Todavia, por não ter acesso à “árvore da vida” (que ficava no paraíso terrestre), Maria Santíssima teria que passar por uma “morte suave” ou uma “dormição”.

Por um privilégio especial de Deus, acredita-se que Nossa Senhora não precisaria morrer se assim o desejasse, ainda que não tivesse acesso à “árvore da vida”.

Tudo isso, é claro, ainda poderá ser melhor explicado com o tempo, quando a Igreja for explicitando certos mistérios relativos à Santíssima Virgem Maria que até hoje permanecem.

Muito pouco ainda descobrimos sobre a grandeza de Nossa Senhora, como bem disse S. Luiz Maria G. de Montfort em seu livro “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem“.

É certo que Nossa Senhora escolheu passar pela morte, mesmo não tendo necessidade.

Quais foram, então, as razões da escolha da morte por Nossa Senhora?

Pode-se levantar várias hipóteses. O Pe. Júlio Maria (da década de 40) assinala quatro:

1) Para refutar, de antemão, a heresia dos que mais tarde pretenderiam que Maria Santíssima não tivesse sido uma simples criatura como nós, mas pertencesse à natureza angélica.

2) Para em tudo se assemelhar ao seu divino Filho.

3) Para não perder os merecimentos de aceitação resignada da morte.

4) Para nos servir de modelo e ensinar a bem morrer.

Podemos, pois, resumir esta doutrina dizendo que Deus criou o homem mortal. Deus deu a Maria Santíssima não o direito (por não ter acesso à “Árvore da vida”), mas o privilégio, de ser imortal. Ela preferiu ser semelhante ao seu Filho, escolhendo voluntariamente a morte, e não a padecendo como castigo do pecado original que nunca tivera.

Analisemos, agora, a Ressurreição de Maria Santíssima.

Os Apóstolos, ao abrirem o túmulo da Mãe de Deus para satisfazer a piedade de São Tomé e ao desejo deles todos, não encontrando mais ali o corpo de Nossa Senhora, deduziram e perceberam que Ela havia ressuscitado!

Não era preciso ver à ressurreição para crer no fato, era uma dedução lógica decorrente das circunstâncias celestiais de sua morte, de sua santidade, da dignidade de Mãe de Deus, da sua Imaculada Conceição, da sua união com o Redentor, tudo isso constituía uma prova irrefutável da Assunção de Nossa Senhora.

A Assunção difere da ascensão de Nosso Senhor no fato de que, no segundo caso, Nosso Senhor subiu por seu próprio poder, enquanto sua Mãe foi assunta ao Céu pelo poder de Deus.

Ora, há vários argumentos racionais em favor da Assunção de Nossa Senhora. Primeiramente, havendo entrado de modo sobrenatural nesta vida, seria normal que saísse de forma sobrenatural, esse é um princípio de harmonia nos atos de Deus. Se Deus a quis privilegiar com a Imaculada Conceição, tanto mais normal seria completar o ato na morte gloriosa.

Depois, a morte, como diz o ditado latino: “Talis vita, finis ita“, é um eco da vida. Se Deus guardou vários santos da podridão do túmulo, tornando os seus corpos incorruptos, muito mais deveria ter feito pelo corpo que o guardou durante nove meses, pela pele que o revestiu em sua natureza humana, etc.

Nosso Senhor tomou a humanidade do corpo de sua Mãe. Sua carne era a carne de sua Mãe, seu sangue era o sangue de sua Mãe, etc. Como permitir que sua carne, presente na carne de sua santíssima Mãe, fosse corrompida pelos vermes e tragada pela terra? Ele que nasceu das entranhas amorosíssimas de Maria Santíssima permitiria que essas mesmas entranhas sofressem a podridão do túmulo e o esquecimento da morte? Seria tentar contra o amor filial mais perfeito que a terra já conheceu. Seria romper com o quarto mandamento da Lei de Deus, que estabelece “Honrar Pai e Mãe“.

Qual filho, podendo, não preservaria sua Mãe da morte?

A dignidade de Filho de Deus feito homem exigia que não deixasse no túmulo Aquela de quem recebera o seu Corpo sagrado. Nosso Senhor Jesus Cristo, por assim dizer, preservando o corpo de Maria Santíssima, preservava a sua própria carne.

Ainda podemos levantar o argumento da relação imediata da paixão do Filho de Deus e da compaixão da Mãe de Deus, promulgada, de modo enérgico, no Evangelho, pela profecia de S. Simeão falando à própria Mãe: “Eis que este menino está posto para a ressurreição de muitos em Israel, e para ser alvo de contradição. E uma espada transpassará a tua alma” (Luc. 2, 34, 45).

Esta tradução em vernáculo (português, no caso) é larga. O texto latino (em latim) tem uma variante que parece ir além do texto em português. “Et tuam ipsius animam pertransibit glaudius” – o que quer dizer literalmente: o mesmo gládio transpassará a alma dele e a vossa.

Como seria possível que o Filho, tendo sido unido à sua Mãe em toda a sua vida, na sua infância e na sua dor, não se unisse à Ela na sua glória?

Tudo isso se levanta dos Evangelhos.

A Assunção de Maria Santíssima foi sempre ensinada em todas as escolas de teologia e não há voz discordante entre os Doutores. A Assunção é como uma conseqüência da encarnação do Verbo.

Se a Virgem Imaculada recebeu outrora o Salvador Jesus Cristo, é justo que o Salvador, por sua vez, a receba. Não tendo Nosso Senhor desdenhado descer ao seu seio puríssimo, deve elevá-la agora, para partilhar com Ela a sua glória.

Cristo recebeu sua vida terrena das mãos de Maria Santíssima. Natural é que Ela receba a Vida Eterna das mãos de seu divino Filho.

Além de conservar a harmonia em sua própria obra, Deus devia continuar favorecendo a Virgem Imaculada, como Ele o fez, desde a predestinação até a hora de sua morte.

Ora, podendo preservar da corrupção do túmulo a sua santa Mãe, tendo poder para fazê-la ressuscitar e para levá-la ao céu em corpo e alma, Deus devia fazê-lo, pois Ele devia coroar na glória aquela que já coroara na terra… Dessa forma, a Santíssima Mãe de Deus continuava a ser, na glória eterna, o que já fora na terra: “a mãe de Deus e a mãe dos homens“.

Tal se nos mostra Maria na glória celestial, como cantava o Rei de sua Mãe, assim canta Deus de Nossa Senhora: “Sentada à direita de seu Filho querido” (3 Reis, 2, 19), “revestida do sol” (Apoc. 12, 1), cercada de glória “como a glória do Filho único de Deus” (Jo. 1, 14), pois é a mesma glória que envolve o Filho e a Mãe! Ele nos aparece tão belo! E ela como se nos apresenta suave e terna em seu sorriso de Mãe, estendendo-nos os braços, num convite amoroso, para que vamos a Ela e possamos um dia partilhar de sua bem-aventurança!

email

Tags: , , , ,

Categoria: Doutrina Católica

Comentários (105)

Trackback URL | Feed RSS de Comentários

  1. EDMILSON disse:

    OLHA MORAES SEGUIR A IGREJA CATÓLICA É PRECISO RENUNCIAR E CARREGAR A SUA CRUZ.
    JÁ NAS SEITAS PROTESTANTES CADA UM É DONO DA VERDADE
    //
    ELES PROMETE VÁRIOS CASAMENTOS SE VC SE SEPARAR PROTESTANTISMO É UMA EMPRESA DE LUCRO E DE BEL PRAZER.
    //
    É SÓ VOCÊ VÊ OS COMENTÁRIOS DE CADA PEÇA RARA QUE APARECE AQUI!

  2. Moraes disse:

    Sou o autor do texto anterior.

  3. Caros irmãos (nem por isso são meus irmãos de sangue ) è uma pena que muitas pessoas se deixem enganar pelas pregações protentantes, apenas a um homem foi dado por Deus o Direito de criar uma igreja, Jesus Cristo, e o próprio Jesus deu a Pedro a Ad disse:

    Caros irmãos (nem por isso somos irmãos de sangue) è uma pena que muitas pessoas se deixem enganar pelas pregações protentantes, apenas a um homem foi dado por Deus o Direito de criar uma igreja, Jesus Cristo, e o próprio Jesus deu a Pedro a Adiministração dessa igreja na terra, e esse homem ressuscitou ao terceiro dia, não conheço nenhum fundador de igrejas protestantes que ao morrerem tenham ressuscitado depois de morto, é meus irmãos tem muito pastor, missionário, reverendo e bispos se achando que tem as mesmas prerrogativas de Jesus o Cristo de Deus, é uma pena uma arrogância total, nós católicos temos a plena certeza de que e o Espirito Santo sempre orientou a igreja de Cristo e o pobre Lutero não reformou nada apenas criou um bando de nômades com suas pregações de tirinhas que não tem nenhum direcionamento, nem unidade, Maria aceitou a vontade do Pai em toda a sua Plenitude. Amém.

  4. klauss lederman disse:

    Nunca pude ler tanta mentira e apologia louca da ICAR.Nada disso é Biblico,tudo falacia !!!

    klauslederman@gmail.com

    • EDMILSON disse:

      klauss lederman me mostra suas fontes ou você é o mesmo vibrador de nome Renato de carvalho ou um tal de Willian
      vai ser um prazer calar essa sua boca caluniosa.

    • Gustavo disse:

      klauss ledermanm mentira e apologia louca é a tal da SOLA SCRIPTURA que ajudou a gerar mais de 50 mil igrejinhas cheias de crendices.

      É a tal ofensa ao Espírito Santo que não será perdoada.
      A SOLA SCRIPTURA não atendeu à ordem de Jesus: “Sejam um para que o mundo creia”, e nem Atos 4, 32: “A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum”.

      Ou seja, a SOLA SCRIPTURA veio dividir e não ajuntar.

      Se você não é católico que autoridade acha que tem para dizer qualquer coisa?

      • EDMILSON disse:

        A palavra: “irmãos” … aparece mais de 530 vezes na Bíblia.
        //
        A palavra Irmão” …. aparece mais de 350 vezes.
        //
        A palavra irmãos … aparece apenas uma vez, em Números 36:11.
        //
        A palavra Irmã….. aparece mais de 100 vezes.
        //
        ‘E a palavra Irmãs…. aparece mais de 15 vezes na bíblia.
        //
        Eu gostaria que algum protestante viesse para explicar ou mesmo para quem acredita que Maria teve “outros filhos”, simplesmente porque a Bíblia usa a palavra “irmãos” em vários versos.
        //
        1 Crônicas 23:22:
        ” E morreu Eleazar, e não teve filhos, mas filhas : e seus irmãos, os filhos de Kish levaram . ”
        Por favor, explique como as filhas de Eleazar foram levados por seus irmãos de sangue quando Eleazar não teve filhos?
        //
        UM OUTRO PEQUENO EXEMPLO

        Se você ler Gênesis 29:15: “E Labão disse a Jacó: Porque tu és meu irmão no começo você acha que Jacó e Labão eram irmãos de sangue.
        //
        Agora compare Gn 29:5, “.. sabe a Labão, filho de Naor …” Compare Gen 25:21-26, e você vai ver Jacob era o filho de Isaac e Rebeca.
        //
        Labão era o filho de Naor. Eles não eram irmãos de sangue, mas concidadãos. Cristo diz à multidão e os seus discípulos em Mt 23,1-8: “E todos vós sois irmãos.”Ele quis dizer que eles eram todos irmãos de sangue? Claro que não.
        //
        Em 1Cor 15:06, Jesus apareceu a quinhentos “irmãos” de uma só vez. Poderia tudo isso ser irmãos de sangue? Dificilmente.
        //
        Então lá Pedro está falando antes de cento e vinte irmãos em Atos 1:15-16. 1Cr 26:30 nos diz que Hasabias tinha setecentos “irmãos”. Como é que a sua mãe nunca realizar essa façanha?
        //
        AGORA AQUI NOTE QUE…
        Paulo fala de um ‘chamado de irmão “em 1Cor 5:11 e 1 Coríntios 8:11-13. IRMÃOS Paulo pede “, rogai por nós. Saudai a todos os irmãos com ósculo santo “, em 1Ts 5,25-26.
        //
        SIMON é o cananeu Mc 3,18, também chamado de o “zelote” (Zelo’tes), Mt 10:04, Lc 06:15,
        /
        Atos 01:13. Note aqui que Judas, que foi o autor da Epístola de Judas, e diz que é irmão de Tiago em Judas 1:01.
        //
        E mais.. Judas também foi chamado de “Tadeu” em Mt 10:03 e em Mc 3,18. Esta foi para o distingui-lo de Judas Iscariotes.
        /
        Lc 6:16 distingue mais os dois, dizendo: “E Judas (Judas), o irmão de Tiago, e Judas Iscariotes, que foi o traidor.”
        //
        Veja mas refutações:
        Jo 19,26-27: “Quando Jesus viu sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava …” O discípulo era João, o autor do Evangelho de João. “Então disse ao discípulo: Eis aí tua mãe.”
        foi John um filho de Maria e irmão de sangue de Jesus?
        Claro que não
        //
        Agora leia os seguintes versículos para ver …
        Mc 1:19, “… Ele viu Tiago, filho de Zebedeu, e JOÃO, seu irmão.”
        //
        Mc 3,17: “E Tiago, filho de Zebedeu, e JOÃO, irmão de Tiago.”
        //
        Agora note e veja: Que em nenhuma dessas passagens é dito que Jesus viu um irmão de sangue ou até mesmo os reconheceu como os homens que ele conhecia.
        //

        E MAIS VEJA ESSE VERSÍCULO

        Mt 27:56, “Entre as quais estavam Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago (o menor) e Jose (Jose), e a mãe dos filhos de Zebedeu.”
        //
        SÓ AQUI PROVA QUE É DOENÇA MENTAL E UM ANALFABETISMO BÍBLICO MUITO GRANDE AFIRMAR QUE TIAGO E JOSÉ SEREM FILHO DE MARIA.

        MAIS VOU ADIANTE VAMOS LÁ:

        Mt 20:20: “Então, a mãe dos filhos de Zebedeu, aproximaram-se dele, com seus filhos …”
        //
        Mc 15,40: “… entre elas Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago o Menor e de José, e Salomé (a mãe dos filhos de Zebedeu)”.
        //
        E MAIS…
        Lc 24:10: “Foi Maria Madalena … e Maria (” a outra Maria “) a mãe de Tiago (o menor) …”
        //
        Agora veja:
        Uma comparação entre Mt 27,56 e Mc 15,40, que claramente mostra que Zebedeu tinha uma esposa cujo nome era Salomé.
        //
        Ela é chamada de “mãe dos filhos de Zebedeu” em Mt 27,56 e Salomé em Mc 15,40. Eles tiveram dois filhos, João e Tiago, Mc 03:17. João ao pé da cruz, a quem Jesus deu a Sua mãe, não era filho de Maria, a mãe de Jesus, mas de Zebedeu e Salomé.
        ISSO É CLARO E NÍTIDO.
        //
        E mais a própria bíblia diz sobre honrar pai e mãe veja:
        //
        E outra Jesus entregaria a sua mãe aos filhos e assim estaria de acordo com a própria bíblia.

        /
        Agora note que se realmente Jesus tevesse irmãos de sangue, por que então Ele não dar a sua mãe para eles? Pois para quem não sabe? A lei judaica teria exigido isso …
        //
        VEJA:
        GENEALOGIA:
        ________________________________________
        — Zebedeu —— Mt 04:21, Mc 01:19, Mc 03:17 —————-
        +> —— Gerou ——– James e John ————————-
        — Salomé ———— Mt 27:56, Mc 15:40 ——————–
        ________________________________________
        //
        — Cleophas-(Alfeu) – Mt 10:2-3, Jo 19:25, Atos 01:13 ——
        +> —— Gerou —— Tiago (o menor), Joseph (José), e Jude ———
        — Maria —- outra Maria, Mt 27:56,61, 28:1, Jo 19:25 ——
        ________________________________________
        //
        — O ESPÍRITO SANTO —— Lc 01:35-38 ———————-
        +> —— Gerou —— JESUS CRISTO ——————–
        — Mary ——————— Lc 01:30-38 ——————- —-
        ________________________________________
        //
        Esta “Genealogia” mostra quem são os verdadeiros pais do “irmãos” em Marcos 06:03 e Mateus 13:55, ,
        e faz com que a palavra “irmão” um não-argumento.
        //
        “Cristo … era o único filho de Maria,” Agora irmãos “significa realmente ‘primos’ aqui, pois a Sagrada Escritura e os judeus sempre chamam primos irmãos”.
        ________________________________________
        ESSA PEGUENA REFUTAÇÃO ALEXB QUE TI FAÇO E TI DESAFIO FOI USADA COM UMA BÍBLIA PROTESTANTE NA QUAL VOCÊS DAS SEITAS PROTESTANTES ARRANCARAM DE VOCÊS
        O NOME DELA É
        Nome: King James Version of the Bible
        Abreviação: KJV
        Publicação daBíblia completa:
        1611

        Base textual: Texto Massorético AT,Textus Receptus NT

        ///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
        AGORA ALEXB VOU USAR A BÍBLIA CATÓLICA PARA TI DESMASCAR MAS UMA VEZ VAMOS LÁ:

        VEJA COMO VOCÊ É TÃO FÁCILMENTE DESMASCARADO ALEXB FILHO DE LUTERO.
        //

        Note que Judas (tadeu) “irmão” de Jesus era irmão de Tiago, como ele mesmo diz:
        VEJA:
        “Judas, servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago,…” (Judas 1,1)
        //
        Judas era também conhecido como Judas Tadeu, assim se ele é irmão de Tiago Menor,ele é também filho de Alfeu:
        //
        “Filipe e Bartolomeu. Tomé e Mateus, o publicano. Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu.” (Mateus 10, 3)
        //
        EU ME PERGUNTO? É UM ANALFABETISMO BÍBLICO MUITO GRANDE NO MEIO DAS SEITAS PROTESTANTES AO AFIRMAR QUE MARIA TEVE FILHOS!
        //
        PRA QUEM NÃO SABE A IGREJA DEIXOU DE FORA DO CÂNON BÍBLICO MAS DE 5 EVANGELHOS DE TIAGO, MARCOS , LUCAS ETC… QUEM TESTIFICAM QUE MARIA PERMANECEU SEMPRE VIRGEM.
        //
        É CLARISSÍMO A PRÓPRIA BÍBLIA AFIRMA QUE…
        Tanto Tiago quando Judas eram todos filhos de Alfeu (Cleófas), portanto primos de Jesus isso é nítido.
        //
        E OUTRA A BÍBLIA TAMBÉM AFIRMA QUE…
        José também é filho de Maria de Cleófas a mesma mãe de Tiago:
        VEJA:
        “Havia ali também algumas mulheres que de longe olhavam; tinham seguido Jesus desde a Galiléia para o servir. Entre elas se achavam Maria Madalena e Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu.” (Mat 27, 55-56)
        //
        Mais uma vez José é filho de Maria de Cleófas e irmão de Tiago (o suposto irmão carnal de Jesus).
        //
        NÃO RESTA DÚVIDAS

        Simão

        Tiago, José e Judas são todos filhos de Cleófas (Alfeu), a dedução lógica é que ele também é filho de Cleófas.
        AQUI FICA CLARO QUE…
        Todos os supostos “irmãos” de Jesus, são na realidade filhos do Tio dele,
        //
        AGORA ALEXB VOCÊ É PROTESTANTE DE 50 MIL SEITAS
        VOCÊS SÃO DIVIDIDOS E NÃO POSSUEM DOUTRINA VERDADEIRAS E NÃO POSSUEM TRADIÇÃO E POR ISSO USA A FARSA DA SOLA SCRIPTURA USANDO A BÍBLIA QUE A IGREJA CATÓLICA SELECIONOU DE ACORDO COM A SUA DOUTRINA.
        //
        VOCÊ É UM POBRE LEIGO ALEXB NÃO CONHECE PATRÍSTICA A ÚNICA COISA QUE VOCÊ CONHECE SÃO FABULAS INVENTADAS POR SEUS PASTORES DE FUNDO DE QUINTAL
        //
        VEJA O VERDADEIRA SENTIDO SOBRE AS PALAVRAS “IRMÃO” E “PRIMO”, SEGUNDO O GREGO E O HEBRAICO.
        QUE É TESTIFICADO PELOS PADRES DA IGREJA , PELOS PADRES APÓSTOLICOS E NÃO POR MEROS PONTOS DE VISTAS DE PROTESTANTES RACIONALISTAS ADULTERADORES DE TEXTOS.
        //

        Leigo Alexb olha apesar dos Evangelhos nos darem claras provas que os supostos irmãos de Jesus na realidade eram primos, vocês protestantes ainda argumentam que não teria por que eles serem chamados de “irmãos”, já que o Novo Testamento foi escrito em Grego, e no Grego existe a palavra “primo”.
        //
        LEIGO ENTENDA QUE…
        Embora no Grego exista realmente a palavra “primo”, os escritores do NT eram hebreus e falavam Hebraico e Aramaico e escrevendo os evangelhos seguiram a lógica da sua língua materna, pois no hebraico não temos a palavra “primo”, então “Irmão” e “irmã” são usados para designar primos e outros parentes.
        //
        E MAIS LEIGO ALEXB ENTENDA MAS UMA VEZ QUE…
        A palavra hebraica “há”, e a aramaica “aha”, são empregadas para designar irmãos e irmã do mesmo pai, e não da mesma mãe (Gn 37, 16; 42,15; 43,5;
        //
        12,8-14; 39-15), sobrinhos, primos, irmãos (1 Cr 23,21), primos segundos (Lv 10,4) e até parentes em geral (Jó 19,13-14; 42,11).
        //
        Agora Alexb é claro que o Novo testamento foi escrito no Grego e não no Hebraico ou Aramaico (com exceção de Mateus) e no grego temos a palavra primo que é ἀνεψιός que pode também ser traduzida como SOBRINHO.
        //
        Contudo os autores do NT seguindo a lógica judaica usavam a palavra “irmão” (adelphos) para se referir aos primos, prova disso é que a palavra grega “primo” (ἀνεψιός) ocorre apenas 1 vez no Novo Testamento em:
        “Saúda-vos Aristarco, prisioneiro comigo, e Marcos, primo de Barnabé (sobre quem recebestes instruções; se ele for ter convosco, acolhei-o).” (Colossenses 4, 10)
        //
        AGORA LEIGO ALEXB ENTENDA QUE…
        Em outras traduções vem da seguinte forma:
        “Aristarco, que está preso comigo, vos saúda, e Marcos, o sobrinho de Barnabé, acerca do qual já recebestes mandamentos; se ele for ter convosco, recebei-o;”(Colossenses 4, 10)
        //

        Saiba que, não existiu nenhum primo no Novo testamento a ponto da palavra grega correspondente a “primo” ser utilizada somente uma vez, podendo também significar “sobrinho”?
        //
        DEIXA DE SER MANÉ ALEXB SE DUVIDA VAI NAS FONTES E PARE DE LÊ O QUE ESCREVE SUAS SEITAS SATÂNICAS.
        //
        Eu ainda ti provo herege que nenhum autor do Novo Testamento usou a palavra grega ἀνεψιός (primo) para se referir aos primos de Jesus, e sim seguindo a lógica do próprio hebraico usando a palavra “adelphos” (irmão) para designar os seus primos, doutra forma seria colocar a bíblia de cabeça para baixo como fazem os protestantes com sua Tiagomania.
        //////////
        AGORA ALEXB VOU TI DA DE PRESENTE ESCRITOS DE ALGUNS PADRES DA DA IGREJA SOBRE A VIRGINDADE DE MARIA
        //
        ENTENDA MEU CARO QUE…
        O reconhecimento da virgindade de Nossa Senhora sempre foi professado pelos Padres da Igreja, como não poderia faltar seguem as suas menções.
        //
        São Tiago Menor em sua Liturgia:
        “Prestemos homenagem, principalmente, à Nossa Senhora, à Santíssima Imaculada, abençoada acima de todas as criaturas, a gloriosíssima Mãe de Deus, sempre Virgem Maria…” (S. jacob in Liturgia sua).
        //
        São Marcos na liturgia:
        “Lembremo-nos, sobre tudo, da Santíssima, intermerata e bendita Senhora Nossa, a Mãe de Deus e sempre Virgem Maria”.
        //
        Santo Hipólito de Roma (170 — 236):
        “…corpo de Maria toda santa, sempre virgem, por uma concepção imaculada, sem conversão, e se fez homem na natureza, mas em separado da maldade: o mesmo era Deus perfeito, e o mesmo era o homem perfeito, o mesmo foi na natureza em Deus, uma vez perfeito e homem.” (As obras e fragmentos. Fragmento VII)
        //
        Orígenes de Alexandria (185 — 253):
        “Para, se Maria, como aqueles que declaram, com exaltar sua mente sã, não tinha outro filho, mas Jesus, e ainda Jesus diz para sua mãe, “Mulher, eis aí teu filho”, e não “Eis que você tem esse filho também” (Comentário ao Evangelho de João, Livro 1,
        //

        ASSIM ESCREVEU SÃO JUSTINO MARTIR NASCIDO NO ANO 100 E MORTO NO ANO 165 SOBRE MARIA.
        VEJA:

        “E novamente, como Isaías havia expressamente previsto que Ele nasceria de uma virgem, ele declarou o seguinte: ‘Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e seu nome será chamado «Deus-conosco»’.. A frase ‘Eis que uma virgem conceberá’ significa certamente que a virgem iria conceber sem ter relacionamento. Se ela tivesse relacionamento com qualquer um que fosse, ela não poderia ser virgem. Mas o poder de Deus, vindo sobre a Virgem, a encobriu, e a induziu a conceber, EMBORA AINDA PERMANECESSE VIRGEM” (S. Justino Mártir, “Primeira Apologia”, 148-155 dC).
        //
        SAIBA ALEXB QUE É TOTALMENTE SAFADEZA E FARSA DOS PROTESTANTES BESTAS DO APOCALIPSE QUE DIZEM QUE MARIA TEVE OUTROS FILHOS
        E QUE MARIA COMEÇOU A SER PROCLAMADA SANTA DEPOIS DE CONSTANTINO
        ISSO É FARSA MEU CARO HEREGE SAIBA QUE MARIA É REFERENCIA NOS LIVROS CARTAS E EPÍSTOLAS DOS PADRES DA IGREJA DO PRIMEIRO EDO SEGUNDO E DO TERCEIRO SÉCULO DA ERA CRISTÃ SEM SEM
        VEJAM UM POUCO DOS TESTEMUNHOS SOBRE MARIA
        A Virgem Maria e os primeiros cristãos
        Maria amamentando o Menino Jesus, século II, Catacumba de Priscila, Roma
        Os primeiros cristãos veneravam a Virgem Maria?
        VEJA AQUI UM PEQUENO TRECHO DE UMA DAS ORAÇÕES
        mais antiga a Santíssima Virgem Maria que remonta o ano 230 da era cristã
        “À vossa proteção recorremos Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, Ó Virgem gloriosa e bendita!”.
        _________________________________________________________________________
        AGORA VEJA O QUE DIZ SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA NASCIDO NO ANO 35 DA ERA CRISTÃ QUE ESCREVEU UM LIVRO COM 7 CARTAS IMENSAS AOS BISPOS DA IGREJA
        LEMBRANDO SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA FOI DISCÍPULO DE SÃO JOÃO EVANGELISTA
        VEJA
        “E permaneceram ocultos ao príncipe desse mundo a Virgindade de Maria e seu parto, bem como a morte do Senhor: três mistérios de clamor, realizados no silêncio de Deus”
        “A verdade é que o nosso Deus, Jesus, o Ungido, foi concebido de Maria segundo a economia divina; nasceu da estirpe de Daví, mas também do Espírito Santo”.
        “Filho de Deus pelo desejo e poder de Deus, nasceu verdadeiramente de uma Virgem”
        AGORA VEJA O QUE DIZ PAPIAS no Século I:
        “(1) Maria, a mãe do Senhor; (2) Maria, a esposa de Cléofas ou Alfeu, que era mãe de Tiago, bispo e apóstolo, de Simão, de Tadeu e de um dos que se chamavam José; (3) Maria Salomé, esposa de Zebedeu, mãe de João, o evangelista, e Tiago; (4) e Maria Madalena. Estas quatro mulheres são encontradas no Evangelho. Tiago, Judas e José são filhos de uma tia do Senhor. Maria, mãe de Tiago, o menor, e José, esposa de Alfeu, era irmã de Maria, mãe do Senhor, e queJoão liga a Cléofas; eram irmãs por parte de pai, por parte da família do clã ou por outra ligação qualquer. MariaSalomé é chamada simplesmente por Salomé por causa de seu marido ou de seu vilarejo. Alguns afirmam que ela é a mesma pessoa que Maria de Cléofas, já que teria se casado duas vezes.” (Papias, explicações dos oraculos do senhor)
        IRMÃOS E IRMÃS CATÓLICAS AGORA VEJA O QUE DIZ OUTRO PADRE DA IGREJA SOBRE MARIA
        São Justino, Mártir no século II (103–165 d.C)
        “E novamente, como Isaías havia expressamente previsto que Ele nasceria de uma virgem, ele declarou o seguinte: ‘Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e seu nome será chamado “Deus-conosco”‘. A frase ‘Eis que uma virgem conceberá’ significa certamente que a virgem iria conceber ser ter relacionamento. Se ela tivesse relacionamento com qualquer um que fosse, ela não poderia ser virgem. Mas o poder de Deus, vindo sobre a Virgem, a encobriu, e a induziu a conceber, embora ainda permanecesse Virgem”
        “[Jesus] se fez homem por meio da Virgem, de sorte a ser finalizada a desobediência, oriunda da serpente, por ali mesmo onde havia começado. Eva era virgem e incorrupta; concebendo a palavra da serpente, gerou a desobediência e a morte. A Virgem Maria, porém, concebeu fé e alegria quando o anjo Gabriel lhe anunciou a boa nova”.
        ___________________________________________________________________________________
        VEJA AGORA O QUE DIZ SANTO IRENEU
        no tratado contra as heresias, no século II, (por volta de 180-199)
        VEJA
        “A Virgem Maria mostrou-se obediente ao dizer: “Eis aqui tua serva, Senhor; faça-se em mim conforme a tua palavra”. Entretanto, Eva foi desobediente; mesmo enquanto era virgem, ela não obedeceu. Como ela – que ainda era virgem embora tivesse Adão por marido… – foi desobediente, tornou-se a causa da sua própria morte e também de todo gênero humano; então, também Maria, noiva de um homem, mas, apesar disso, ainda virgem, sendo obediente, se tornou a causa de salvação dela própria e de todo o gênero humano… Assim, o problema da desobediência de Eva foi eliminado pela obediência de Maria. O que a virgem Eva causou em sua incredulidade, a Virgem Maria eliminou através da sua fé”
        “Assim como o gênero humano foi levado à morte por uma virgem, foi libertado por uma Virgem”
        “A Virgem Maria, tendo sido obediente à palavra de Deus, recebeu de um anjo a alegre notícia de que iria dar à luz ao próprio Deus”
        “Como por uma virgem desobediente foi o homem ferido, caiu e morreu, assim também por meio de uma virgem obediente à palavra de Deus, o homem recobrou a vida. Era justo e necessário que Adão fosse restaurado em Cristo, e que Eva fosse restaurada em Maria, a fim de que uma virgem feita advogada de uma virgem, apagasse e abolisse por sua obediência virginal a desobediência de uma virgem.”
        ___________________________________________________________________________________
        IRMÃOS E IRMÃS CATÓLICAS AGORA
        VEJA OUTRO TESTEMUNHO DE OUTRO PADRE DA IGREJA NUMA DAS SUAS OBRASVEJA
        Santo Hipólito de Roma (que nasceu em 170 e morreu em 236)
        “O Cristo foi concebido e tomou o seu crescimento de Maria, a Mãe de Deus toda pura [...] Como o Salvador do mundotinha decretado salvar o gênero humano, nasceu da Imaculada Virgem Maria”
        “Deus, o Verbo descendeu à Santa Virgem Maria …” (St. Hippolytus, Contra Noetum, cap. 17; PG 10, 825).
        “Ele (=Jesus) era a arca composta por madeira incorruptível. Com efeito, o seu tabernáculo (=Maria) era isento da podridão e corrupção” (Santo Hipólito de Roma, Orat. Inillud. 220 DC).
        “… corpo de Maria toda santa, sempre Virgem, por uma concepção imaculada, sem conversão, e se fez homem na natureza, mas em separado da maldade: o mesmo era Deus perfeito, e o mesmo era o homem perfeito, o mesmo foi na natureza em Deus, uma vez perfeito e homem.” (As obras e Fragmento VII)
        ___________________________________________________________________________________
        AGORA UM TESTEMUNHO DE SANTO AGOSTINHO
        Santo Agostinho, doutor da Igreja (Tagaste, 13 de novembro de 354 — Hipona, 28 de agosto de 430)
        “Concebeu-O [a Cristo Jesus] sem concupiscência, uma Virgem; como Virgem deu-lhe à luz, Virgem permaneceu” (Sermão sobre a Ressurreição de Cristo, segundo São Marcos, PL XXXVIII, 1104-1107).
        ”Entre todas as mulheres, Maria é a única a ser ao mesmo tempo Virgem e Mãe, não somente segundo o espírito, mas também pelo corpo. Ela é mãe conforme o espírito, não dAquele que é nossa Cabeça, isto é, do Salvador do qual ela nasceu, espiritualmente. Pois todos os que nele creram – e nesse número ela mesma se encontra – são chamados, com razão, filhos do Esposo (filii sponsi) (Mt 9,15). Mas, certamente, ela é mãe de seus membros, segundo o espírito, pois cooperou com sua caridade para que nascessem os fiéis na Igreja – os membros daquela divina Cabeça – da qual ela mesma é, corporalmente, a verdadeira mãe. Convinha, pois, que nossa Cabeça, por insigne milagre, nascesse segundo a carne de uma virgem, dando a entender que seus membros, que somos nós, haviam de nascer segundo o Espírito dessa outra virgem que é a Igreja. Somente Maria, portanto, é mãe e virgem, no espírito e no corpo. É Mãe de Cristo e também Virgem de Cristo.”
        “Maria é Mãe de Deus, feita pela mão de Deus” (S. Agost. in orat. ad heres.).
        “Nem se deve tocar na palavra ‘pecado’ em se tratando de Maria; e isto em respeito Àquele de quem mereceu ser aMãe, que a preservou de todo pecado por sua graça” (Santo Agostinho, Sermão 215,3. 325 DC).
        “Não entregamos Maria ao diabo por condição original pois afirmamos que sua própria condição original se anula pela graça da redenção.” (Santo Agostinho, Contra Juliano 4. 325 DC).”
        “Exceto a Santa Virgem Maria, da qual não quero, por honra do que é devido ao Senhor, suscitar qualquer questão ao se tratar de pecados, pois sabemos que lhe foi concedida a graça para vencer por todos os flancos o pecado, porque mereceu ela conceber e dar à luz a quem não teve pecado algum. Exceto, digo a esta Virgem, se tivéssemos podido congregar todos ossantos e santas que aqui viviam e perguntássemos se jamais tinham pecado, o que teriam respondido? (…) Não é verdade que teriam unanimemente exclamado: ‘Se dissermos que não pecamos, enganamo-nos, e a verdade não está em nós’?” (Santo Agostinho, De Natura et Gratia 36,42. 325 DC).
        “A admirável santidade de Maria é fruto da graça de Deus que a cumulou, em vista de sua missão. A Virgem Mariarepresenta o que de mais digno, puro e inocente poderia oferecer esta nossa terra a DEUS, a fim de que o Filho de Deus se dignasse baixar até ela.”
        “A Santíssima Virgem é o meio de que Nosso Senhor se serviu para vir a nós; e é o meio de que nos devemos servir para ir a ele.” (Santo Agostinho Sermo 113 in Nativit. Domini).
        ___________________________________________________________________________________
        O
        VEJA AGORA O QUE DIZ OUTRO PADRE DA IGREJA
        rígenes (Alexandria, Egipto, c. NASCIDO NO ANO 184 DA ERA CRIST× Cesaréia, ou, mais provavelmente, Tiro, 253)
        “Desposada com José, mas não carnalmente unida. A Mãe deste foi Mãe imaculada, Mãe incorrupta, Mãe intacta. AMãe deste, de qual este? A Mãe do Senhor, Unigênito de Deus, do Rei universal, do Salvador e Redentor de todos.” (Orígenes – homilia inter collectas ex variis locis).
        “Maria é Mãe de Deus, unigênito do Rei e criador de tudo o que existe” (Orig. Hom I, in divers. – Sec. II)
        “Este menino não precisa de Pai na terra, porque tem um pai incorruptível no céu; não precisa de Mãe no Céu, porque tem uma Mãe Imaculada e casta na terra, a Virgem Bem-aventurada, Maria“.
        “Esta Virgem Mãe do Unigênito de Deus chama-se Maria, digna de Deus, imaculada das imaculadas, sem par” (Origines, Homilia 1. 280 DC).
        “Eu considero estar em conformidade com a razão que, com relação à pureza a qual consiste na caridade, Jesus foi o primeiro entre os homens, enquanto Maria foi a primeira entre as mulheres.” (Origen, Commentary on Matthew 10, 17)
        “Maria tem dois filhos, um, homem-Deus e o outro puro homem; de um Maria é Mãe corporal, do outro, Mãeespiritual” (Speculum B.M.V., lect. III art. 1,2º )
        ___________________________________________________________________________________
        O evangelista São Marcos, na Liturgia que deixou às igrejas do Egito:
        “Lembremo-nos, sobretudo, da Santíssima, intemerata e bendita Senhora Nossa, a Mãe de Deus e sempre VirgemMaria“.
        ___________________________________________________________________________________
        VEJAM MAIS TESTEMUNHOS
        O apóstolo Santo André:
        “Maria é Mãe de Deus, resplandecente de tanta pureza, e radiante de tanta beleza, que, abaixo de Deus, é impossível imaginar maior, na terra ou no céu”. (Sto Andreas Apost. in trasitu B. V., apud Amad.)
        “Tendo sido o primeiro homem formado de uma terra imaculada, era necessário que o homem perfeito nascesse de uma Virgem igualmente imaculada, para que o Filho de Deus, que antes formara o homem, reparasse a vida eterna que os homens tinham perdido” (Santo André, Cartas dos Padres de Acaia).
        ___________________________________________________________________________________
        São João Apóstolo:
        “Maria, é verdadeiramente Mãe de Deus, pois concebeu e gerou um verdadeiro Deus, deu a luz, não um simples homem como as outras mães, mas Deus unido a carne humana.” (S. João Apost. Ibid)
        __________________________________________________________________________________
        S. Tiago Menor:
        “Fazemos memória de nossa Santíssima, Imaculada, e gloriosíssima Senhora Maria, Mãe de Deus e sempre Virgem“.
        O santo Apóstolo não se limita a isso, mas torna a sua fé mais expressiva ainda. Após a consagração e umas preces, ele faz dizer ao Celebrante:
        “Prestemos homenagem, principalmente, a Nossa Senhora, a Santíssima, Imaculada, abençoada acima de todas as criaturas, a gloriosíssima Mãe de Deus, sempre Virgem Maria.”
        E os cantores respondem: “É verdadeiramente digno que nós vos proclamemos bem-aventurada e em toda linha irrepreensível, Mãe de Nosso Deus, mais digna que os querubins, mais digna de glória que os serafins; a vós que destes à luz o Verbo divino, sem perder a vossa integridade perfeita, nós glorificamos como Mãe de Deus” (S. jacob in Liturgia sua).
        ___________________________________________________________________________________
        Na Liturgia dos etíopes, de autor desconhecido, mas cuja composição data do primeiro século, encontramos diversas menções explícitas da Imaculada Conceição. Umas das suas orações começa nestes termos:
        ”Alegrai-vos, Rainha, verdadeiramente Imaculada, alegrai-vos, glória de nossos pais.”
        Mais adiante, é pela intercessão da Imaculada Virgem Maria que o Sacerdote invoca a Deus em favor dos fiéis:
        “Pelas preces e a intercessão que faz em nosso favor Nossa Senhora, a Santa e Imaculada Virgem Maria.“
        ___________________________________________________________________________________
        VEJA O QUE DIZ OUTRO PADRE DA IGREJA SOBRE MARIA
        São Dionísio Areopagita morto no ano 96 da era cristã:
        “Maria é feita Mãe de Deus, para a salvação dos infelizes.” (S. Dion. in revel. S. Brigit.)
        “Conheci pessoalmente a Maria mãe de Jesus, e era de uma beleza tal que eu a teria adorado como deusa, se a fé não me dissessse ser ela também criatura”.
        ___________________________________________________________________________________
        Santo Atanásio de Alexandria (*NASCIDO NO ANO 295 [?], em Alexandria – † 2 de maio de 373, em Alexandria)
        “Maria é Mãe de Deus, completamente intacta e impoluta.” (Sto. Ath. Or. in pur. B.V.)
        “Ele (Cristo) tomou-o (o corpo dEle) de uma Virgem pura e imaculada, a qual não conheceu homem.” (On the Incarnation of the Word 8)
        “As Sagradas Escrituras, as quais nos instruem, e a vida de Maria, Mãe de Deus, são suficientes como um ideal de perfeição e da forma de vida celeste.” (De Virginitate, 255)

        Gregório Taumaturgo falecido no ano 268 da era cristã.
        “Para Lucas, nas narrativas dos evangelhos inspirados, oferece um testemunho não apenas para Joseph, mas também para Maria, a Mãe de Deus, e dá este relato com referência à própria família e da casa de Davi” ( Quatro Homilias 1 [AD 262 ]).
        “É nosso dever de apresentar a Deus, como sacrifícios, todos os festivais e celebrações hinário, e em primeiro lugar, [a festa] da Anunciação à santa Mãe de Deus, a saber, a saudação que lhe foi feita pelo anjo ‘Ave, cheia de graça! “(ibid., 2).

        ISSO AQUI ALEXB É SÓ UMA PEQUENA AMOSTRA SAIBAM QUE ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO EXISTE MILHARES DE MILHARES DE TESTEMUNHOS DOS PADRES DA IGREJA QUE PROCLAMA MARIA BEM AVENTURADA UM ABRAÇO

        ISSO AQUI É SÓ UMA PEQUENA AMOSTRA SAIBAM QUE ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO EXISTE MILHARES DE MILHARES DE TESTEMUNHOS DOS PADRES DA IGREJA QUE PROCLAMA MARIA BEM AVENTURADA E QUE PERMANECEU SEMPRE VIRGEM.

  5. jose paulo disse:

    nao disse deixe meu comentario ai seja democratico

    • EDMILSON disse:

      klauss lederman É POR CAUSA DE GENTE COMO VOCÊ
      QUE CADA DIA QUE PASSA O MUNDO SE ESFRIA AS PESSOAS SE ACHAM DONO DA VERDADE
      É SOBRE ESSA TESA QUE AS MAIS DE 50 MIL SEITAS PROTESTANTES AQUI NO BRASIL PEGA CARONA VOCÊ É UM ANALFABETO UM POBRE VIBRADOR ACHO QUE VOCÊ É O RENATO DE CARVALHO NO QUAL EU REFUTEI AQUI NESSE SITE MAS DE 500 VEZES ELE E UM TAL DE WILLIAN
      SEJA BEM VINDO VAI SER UM PRAZER CALAR ESSA SUA BOCA SATÂNICA

  6. EDMILSON disse:

    VOCÊ DELIRA EM BLASFÊMIAS E LOUCURAS RENATO DE CARVALHO!

    RENATO DE CARVALHO VOCÊ ACABA DE GANHAR O TÍTULO DE O PIADA DO SÉCULO QUE VÊ COMO TI REFUTO MAS UMA VEZ !ME MOSTRE AS FONTES DAS SUAS BLASFÊMIAS RENATO DE CARVALHO?
    OLHA EU TI MOSTRO MAIS DE 400 DOCUMENTOS QUE VAI DAS ATAS DOS DOCUMENTOS DOS BISPOS DIÁCONOS E PRESBÍTEROS DOS 3 PRIMEIROS SÉCULOS DA ERA CRISTÃ QUE ERAM ENVIADAS AS IGREJAS.
    ////////////////////////
    E MAIS W. FRANK EU TI MOSTRO AS EXEGESES , AS EPÍSTOLAS, AS CARTAS, OS SERMÕES , OS ESTUDOS, AS DOUTRINAS AS CRONICAS, E OS TESTEMUNHOS DOS PADRES DA IGREJA E DOS PADRES APOSTÓLICOS E DOS MÁRTIRES DOS 3 PRIMEIROS SÉCULOS ANTES DE CONSTANTINO AINDA TER NASCIDO.
    ////////////////////////////

    E MAIS RENATO DE CARVALHO EU TI MOSTRO A ORGANIZAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA JÁ NO PRIMEIRO,NO SEGUNDO E NO TERCEIRO SÉCULO DA ERA CRISTÃ COM RESPALDOS E NOTAS DE RODA PÉ COM REGISTROS ARQUEOLÓGICOS.
    /////////////////////////

    AGORA CHARLATÃO RENATO DE CARVALHO ME MOSTRE FONTES HISTÓRICAS QUE SUSTENTAM SUAS FARSAS? ME MOSTRE, W. FRANK UMA IGREJA ADVENTISTA DA ÉPOCA DOS FATOS? ME MOSTRE W. FRANK ALGUM PADRE DA IGREJA ESCRITOR ECLESIÁSTICO PADRE APOSTÓLICO QUE SUSTENTAM SUAS BLASFÊMIAS FILHO DA PERDIÇÃO?
    /////////////////////////
    SE VOCÊ NÃO COMPROVA AS SUAS HERESIAS…

    POIS NUM DEBATE VOCÊ TEM QUE SUSTENTAR O QUE FALA!
    MAS VOCÊ REPETE E REPETE AS MESMAS HERESIAS MAS NÃO MOSTRA AS FONTES NÃO MOSTRA RESPALDOS HISTÓRICOS.

    • jose paulo disse:

      meus argumentos nao sao meus ,sao da biblia ,jesus disse ninguem vai ao pai senao poir mim,nao disse que era por sua mae terrena visto que ele
      e eterno ,ele estava no principio ver joao capitulo primeiro,as cartas tambem dizem mesma coisa sò existe um medoador entre nos e deus ,qualquer outros argumentos sao diabolicos,nenhum poder foi da da a maria ,paulo disse se descer um anjo do cèu com outro evangelho seja anatema ,seja maldito.portanto adorar a maria ou pedir algo èr pedir a satanaz

      • EDMILSON disse:

        OLHA JOSE PAULO ENTENDA QUE JAMAIS A IGREJA PREGOU DOUTRINAS PARA ADORAR MARIA ISSO NÃO EXISTE E JAMAIS FOI E É PREGADO POR ALGUM PADRE DA IGREJA!
        ////////
        LEMBRE-SE QUE ABRAÃO QUE É CHAMADO DE PAI DA FÉ!

        LEMBRE-SE TAMBÉM QUE A BÍBLIA DIZ QUE TODAS AS GERAÇÕES CHAMARIA MARIA DE BEM AVENTURADA!

        AGORA MEU AMIGO JOSE PAULO VEJA MARIA NAS PROFECIAS DO VELHO TESTAMENTO!

        A Bem-Aventurada Virgem Maria

        A Virgem Maria é a mãe de Jesus Cristo, a mãe de Deus. Em geral, a teologia ea história de Maria, a Mãe de Deus seguir a ordem cronológica das respectivas fontes, ou seja, o Antigo Testamento, o Novo Testamento, as primeiras testemunhas cristãs e judaicas.

        I. MARY profetizado no Antigo Testamento

        O Antigo Testamento refere-se a Nossa Senhora, tanto em suas profecias e suas formas ou figuras.

        Gênesis 3:15

        A primeira profecia referindo-se a Maria é encontrada nos capítulos do Livro do Gênesis (3:15) muito de abertura: “Porei inimizade entre ti ea mulher, ea tua semente ea sua semente; ela esmagará a tua cabeça, e tu mentira te à espera de seu calcanhar “. Esta rendição parece diferir em dois aspectos do texto original hebraico:

        (1) Em primeiro lugar, o texto hebraico emprega o mesmo verbo para as duas representações “, ela deve esmagar” e “tu deverás residir em espera”, a Septuaginta torna o verbo em ambas as vezes por terein, para me armar ciladas; Aquila, Símaco, o siríaco e os tradutores Samaritano, interpretar o verbo hebraico por expressões que significam para esmagar, a contusão, o Itala torna o terein empregada na Septuaginta pelo latim “servare”, a guarda, São Jerônimo [1] afirma que o verbo hebraico tem o significado de “esmagamento” ou “nódoas negras” ao invés de “à espreita”, “guardando”. Ainda em seu próprio trabalho, que se tornou a Vulgata Latina, o santo emprega o verbo “esmagar” (conterere), em primeiro lugar, e “ciladas” (insidiari) no segundo. Daí a punição infligida sobre a serpente e retaliação da serpente são expressas pelo mesmo verbo, mas a ferida da serpente é mortal, uma vez que afeta a cabeça, enquanto a ferida infligida pela serpente não é mortal, sendo infligidos sobre o calcanhar.

        (2) O segundo ponto de diferença entre o texto hebraico e nossa versão diz respeito ao agente que está a infligir o golpe mortal sobre a serpente: a nossa versão concorda com o presente texto Vulgata na leitura de “ela” (IPSA), que refere-se à mulher , enquanto que o texto hebraico lê hu ‘(automóveis, ipse), que refere-se à semente da mulher. De acordo com a nossa versão, ea leitura da Vulgata, a mulher vai ganhar a vitória, de acordo com o texto hebraico, ela será vitoriosa através de sua semente. Neste sentido é que a Bull “Ineffabilis” atribuem a vitória a Nossa Senhora. A leitura de “ela” (IPSA) não é nem uma corrupção intencional do texto original, nem é um erro acidental, é sim uma versão explicativa expressar explicitamente o fato de parte de Nossa Senhora na vitória sobre a serpente, que está contida implicitamente no original hebraico. A força da tradição cristã, como a participação de Maria nesta vitória pode ser inferida a partir da retenção de “ela” na versão de São Jerônimo, apesar de sua familiaridade com o texto original e com a leitura “ele” (ipse) na antiga versão latina.

        Como é bastante comum admitiu que o julgamento divino não é dirigida tanto contra a serpente, contra o originador do pecado, a semente da serpente denota os seguidores da serpente, a “raça de víboras”, a “raça de víboras” , aqueles cujo pai é o diabo, os filhos do mal, imitando, não nascendo (Agostinho). [2] Pode-se ser tentado a entender a semente da mulher em um sentido coletivo similar, abraçando todos os que são nascidos de Deus. Mas semente não só pode denotar uma pessoa em particular, mas não tem um significado tão normalmente, se o contexto o permite. São Paulo (Gálatas 3:16) dá sua explicação sobre a palavra “semente” como ocorre nas promessas patriarcais: “Para Abraão as promessas foram feitas e à sua descendência Ele não diz: E a seus descendentes, como falando de muitos. , mas como de um, e à sua descendência, que é Cristo “. Finalmente, a expressão “a mulher” na cláusula “Porei inimizade entre ti ea mulher” é uma versão literal do texto hebraico. A Gramática Hebraica de Genésio-Kautzsch [3] estabelece a regra: Peculiar ao hebraico é o uso do artigo, a fim de indicar uma pessoa ou coisa, ainda não é conhecido e não para ser mais bem descrito, seja como presente ou como ser levados em conta nas condições contextuais. Desde o nosso artigo indefinido serve este propósito, podemos traduzir: “Porei inimizade entre você e uma mulher”. Daí a profecia promete uma mulher, Nossa Senhora Santíssima, que será o inimigo da serpente para um grau acentuado, além disso, a mesma mulher será vitorioso sobre o diabo, pelo menos através de seus descendentes. A integralidade da vitória é enfatizada pela frase contextual “terra comerás”, o que está de acordo com Winckler [4] uma expressão antiga oriental comum denotando a mais profunda humilhação [5].

        Isaias 7:1-17

        A segunda profecia referindo-se a Maria é encontrado em Isaias 7:1-17. Críticos têm se esforçado para representar esta passagem como uma combinação de ocorrências e ditos da vida do profeta escrito por uma mão desconhecida [6]. A credibilidade do conteúdo não é necessariamente afectada por esta teoria, uma vez que as tradições proféticas pode ser registrado por qualquer escritor sem perder a sua credibilidade. Mas mesmo Duhm considera a teoria como uma aparente tentativa por parte dos críticos para descobrir o que os leitores estão dispostos a suportar pacientemente, ele acredita que é uma verdadeira desgraça para a própria crítica que ele foi encontrado uma mera compilação de uma passagem que assim graficamente descreve o nascimento horas de fé.

        De acordo com 2 Reis 16:1-4 e 2 Crônicas 27:1-8, Acaz, que começou seu reinado 736 aC, idolatria abertamente professada, de modo que Deus lhe deu para as mãos dos reis da Síria e de Israel. Parece que uma aliança tinha sido celebrado entre Peca, rei de Israel, e Rasin, rei de Damasco, a fim de se opor uma barreira às agressões assírios. Acaz, que estimavam assírios tendências, não aderiram à coligação, os aliados invadiram o seu território, com a intenção de substituir a Acaz um governante mais subserviente, um certo filho de Tabeel. Enquanto Rasin foi ocupada em reconquistando a cidade marítima Elath, Phacee sozinho contra Juda “, mas eles não podiam prevalecer”. Depois Elath tinha caído, Rasin juntou suas forças com as de Peca, “vos Síria repousou sobre Efraim”, ao que “seu coração (Acaz ‘) foi transferido, eo coração do seu povo, como as árvores da floresta são movidos com o vento “.Preparação imediata deve ser feita para um cerco prolongado, e está ativamente envolvida Achaz perto da piscina superior a partir do qual a cidade recebeu a maior parte do seu abastecimento de água. Por isso, o Senhor diz a Isaías: “Vá ao encontro Achaz … no fim do aqueduto da piscina superior”. A comissão do profeta é de natureza extremamente consoladora: “Vê tu ficar quieto, não ouvem, nem o teu coração ter medo dos dois pedaços de tição”. O esquema dos inimigos não são bem sucedidos: “ela não subsistirá, e isso não deve ser.” O que é para ser determinado o destino dos inimigos?

        Síria vai ganhar nada, ele permanecerá como tem sido no passado: “a cabeça da Síria é Damasco, eo cabeça de Damasco é Rasin”.

        Efraim também permanecerá no futuro imediato, como tem sido até agora: “a cabeça de Efraim será Samaria, ea cabeça de Samaria o filho de Romelia”, mas depois de 65 anos ele será destruído “, dentro de sessenta e cinco anos Efraim deixará de ser um povo “.

        Acaz tinha abandonado o Senhor por Moloch, e colocou sua confiança em uma aliança com a Assíria, daí a profecia condicional a respeito de Judá, “se você não vai acreditar, você não deve continuar.” O teste de crença segue imediatamente: “pedir-te um sinal de que o Senhor teu Deus, ou até a profundidade do inferno ou até a altura acima”. Acaz hipocritamente responde: “Eu não vou perguntar, e eu não tentarás o Senhor”, recusando-se, assim, para expressar a sua crença em Deus, e preferindo a sua política assíria. O rei prefere Assíria a Deus, e os assírios virão: “o Senhor fará vir sobre ti e sobre o teu povo e sobre a casa de teu pai, dias que não vêm desde o tempo da separação de Efraim de Juda com o rei dos assírios. ” A casa de David tem sido doloroso não apenas aos homens, mas a Deus também por sua incredulidade, pelo que “não deve continuar”, e, por uma ironia do castigo divino, ele será destruído por aqueles mesmos homens a quem ele preferiu Deus .

        Ainda assim, o messiânico promessas feitas para a casa de Davi não podem ser frustrados: “O próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e seu nome será chamado Emmanuel Ele comerá manteiga e mel.. , para que ele saiba rejeitar o mal e escolher o bem. Pois antes que o menino saiba rejeitar o mal e escolher o bem, a terra que te enfadas será desamparada do rosto de seus dois reis “. Sem responder uma série de questões relacionadas com a explicação da profecia, devemos nos limitar aqui a prova de que a virgem nua mencionado pelo profeta é Maria, a Mãe de Cristo. O argumento baseia-se nas premissas de que virgem do profeta é a mãe de Emmanuel, e que Emmanuel é Cristo. A relação da virgem de Emmanuel está claramente expressa nas palavras inspiradas, o mesmo indicar também a identidade de Emmanuel com o Cristo.

        A ligação de Emmanuel com o sinal divino extraordinário que era para ser dado a Acaz predispõe a pessoa a ver o filho em mais do que um menino comum.Em 8:08, o profeta atribui a ele a propriedade da terra de Judá: “a extensão de suas asas encherá a largura da tua terra, ó Emanuel”. Em 9:06, o governo da casa de David está a ser dito sobre os seus ombros, e ele é descrito como sendo dotado com mais de qualidades humanas: “uma criança nasceu para nós, e um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros, eo seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai do Mundo Vindouro, eo Príncipe da Paz “. Finalmente, o profeta chama Emmanuel “um rebento do tronco de Jessé” dotado “o espírito do Senhor … o espírito de sabedoria e de entendimento, espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de piedade “, o seu advento devem ser seguidas pelos sinais gerais da era messiânica, eo resto do povo escolhido deverá ser novamente o povo de Deus (11:1-16).

        Seja qual for obscuridade ou ambiguidade pode haver no texto profético si é removido por St Matthew (1:18-25). Depois de narrar a dúvida de São José e garantia do anjo, “o que nela foi gerado é do Espírito Santo”, o evangelista prossegue: “Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que o Senhor falou pelo profeta: dizendo: Eis que a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel “. Não precisamos repetir a exposição da passagem dada por comentaristas católicos que atender as excepções levantadas contra o significado óbvio de Evangelista. Podemos inferir de tudo isso que Maria é mencionado na profecia de Isaias como mãe de Jesus Cristo, à luz da referência de São Mateus com a profecia, podemos acrescentar que a profecia previu também a virgindade de Maria imaculada pela concepção do Emmanuel [7].

        Miquéias 5:2-3

        A terceira profecia referindo-se a Nossa Senhora está contido em Miquéias 5:2-3: “E tu, Belém Efrata, uma arte um pouco entre os milhares de Judá, de ti é ser vir-vos de mim que é ser o reinar em Israel, e sua saída é desde o princípio, desde os dias da eternidade. Portanto os entregará até o tempo em que ela está de parto darás à luz, eo resto de seus irmãos serão convertidos aos filhos de Israel “. Embora o profeta (cerca de 750-660 aC) foi um contemporâneo de Isaias, a sua actividade profética começou um pouco mais tarde e terminou um pouco mais cedo do que o de Isaias. Não pode haver dúvida de que os judeus consideravam a previsão anterior como referindo-se ao Messias. Segundo São Mateus (02:06), os principais sacerdotes e dos escribas, quando perguntado sobre onde o Messias deveria nascer, respondeu Herodes, nas palavras da profecia: “E tu, Belém, terra de Judá …” De acordo com St. John (07:42), o povo judeu se reuniram em Jerusalém para a celebração da festa fez a pergunta retórica: “Não vê a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi, e de Belém, a cidade onde David foi? ” A paráfrase Caldeu de Miquéias 5:2, confirma a mesma opinião: “Fora de ti sairá para mim o Messias, para que ele possa exercer domínio em Israel”. As próprias palavras da profecia de admitir dificilmente qualquer outra explicação, pois “sua saída é desde o princípio, desde os dias da eternidade”.

        Mas como é que a profecia se referem à Virgem Maria? Nossa Senhora é representada pela frase, “até o momento em que ela está de parto darás à luz”. É verdade que “ela que está de parto” foi encaminhado à Igreja (São Jerônimo, Teodoreto), ou à coleção dos gentios unidos com Cristo (Ribera, Mariana), ou ainda para a Babilônia (Calmet), mas, em De um lado, não há praticamente uma conexão suficiente entre qualquer um desses eventos eo Redentor prometido, por outro lado, a passagem deveria ler “até o momento em que ela é estéril trará” se qualquer um desses eventos foram encaminhados para pelo profeta. Nem pode “, ela que está de parto” ser referido Sion: Sion é falada de valor sem antes e depois da atual passagem de modo que não podemos esperar que o profeta ao lapso de repente em linguagem figurada. Além disso, a profecia, assim, explicado não daria um sentido satisfatório. As frases do contexto “o governante em Israel”, “A sua saída”, que em hebraico significa nascimento, e “seus irmãos” denotar um indivíduo, não uma nação, daí podemos inferir que o trazendo deve referir-se à mesma pessoa. Tem sido demonstrado que a pessoa do governante é o Messias, daí “, ela que está de parto” deve denotar a mãe de Cristo, ou Nossa Senhora. Assim explicou toda a passagem se torna clara: o Messias deve nascer em Belém, uma aldeia insignificante em Juda: sua família deve ser reduzido à pobreza e à obscuridade antes da data de seu nascimento, como isto não pode acontecer se a teocracia permanece intacta, se de David casa continua a florescer “, portanto os entregará até o tempo em que ela está de parto darás à luz” o Messias. [8]

        Jeremias 31:22

        A quarta profecia referindo-se a Maria é encontrada em Jeremias 31:22: “O Senhor criou uma coisa nova na terra: uma mulher protege a um varão.” O texto do profeta Jeremias não oferece pequenas dificuldades para o intérprete científico, que deve seguir a versão Vulgata do original hebraico. Mas mesmo esta prestação tem sido explicada de várias maneiras diferentes: Rosenmuller e vários intérpretes protestantes conservadores defendem o sentido “, uma mulher deve proteger um homem”, mas tal motivo dificilmente induzir os homens de Israel a voltar para Deus. A explicação “uma mulher deve procurar um homem” quase não concorda com o texto, além disso, como uma inversão da ordem natural é apresentado em Isaías 4:1, como um sinal da maior calamidade.Prestação de Ewald, “uma mulher deve se transformar em um homem”, dificilmente é fiel ao texto original. Outros comentaristas vêem na mulher um tipo de sinagoga ou da Igreja, no homem, o tipo de Deus, para que eles explicam a profecia como significado: “Deus vai morar novamente no meio da Sinagoga (do povo de Israel) “ou” a Igreja irá proteger a terra com os seus homens valentes “. Mas o texto hebraico dificilmente sugere tal significado, além disso, tal explicação torna a passagem tautológica: “Israel deve retornar ao seu Deus, Israel vai adorar o seu Deus.” Alguns escritores recentes tornar o original hebraico: “Deus cria uma nova coisa sobre a terra: a mulher (esposa) retorna para o homem (marido)”. De acordo com a antiga lei (Deuteronômio 24:1-4, Jeremias 03:01), o marido não poderia ter de volta a esposa, uma vez repudiada por ele, mas o Senhor vai fazer algo novo, permitindo que a esposa infiel, ou seja, a nação culpada, a voltar à amizade de Deus. Esta explicação repousa sobre uma correção conjectural do texto, além disso, ele não necessariamente ter o sentido messiânico que esperamos na passagem.

        Os Padres gregos geralmente seguem a versão Septuaginta, “O Senhor criou salvação em um novo plantio, os homens devem percorrer cerca de segurança”, mas Santo Atanásio duas vezes [9] combina versão de Áquila “Deus criou uma coisa nova na mulher”, com de que a Septuaginta, dizendo que a nova plantação é Jesus Cristo, e que a nova criatura em mulher é o corpo do Senhor, concebido dentro da virgem sem a cooperação do homem. São Jerônimo também [10] entende o texto profético da virgem conceber o Messias. Este significado da passagem satisfaz o texto eo contexto. Como o Verbo encarnado possuía desde o primeiro momento da sua concepção todas as Suas perfeições exceto aquelas relacionadas com o seu desenvolvimento físico, Sua mãe está bem disse a “bússola um homem”. Não é preciso ressaltar que essa condição de uma criança recém-concebida justamente é chamado de “uma coisa nova sobre a terra”. O contexto da profecia descreve após uma breve introdução geral (30:1-3) liberdade futura de Israel e da restauração em quatro estrofes: 30:4-11, 12-22, 30:23, 31:14, 15-26; o três primeiras estrofes terminam com a esperança do tempo messiânico. A quarta estrofe, também, deve-se esperar para ter um final semelhante. Além disso, a profecia de Jeremias, proferiu cerca de 589 aC e entendida no sentido justo explicou, está de acordo com as expectativas messiânicas contemporânea baseada em Isaias 07:14, 09:06, Miquéias 5:03. De acordo com Jeremias, a mãe de Cristo é a diferem de outras mães no fato de que seu filho, mesmo dentro de seu ventre, deve possuir todas as propriedades que constituem verdadeira masculinidade [11]. O Antigo Testamento refere-se indiretamente a Maria nessas profecias que predizem a Encarnação do Verbo de Deus.

        II. TIPOS do Antigo Testamento e figuras de Maria

        A fim de ter certeza do sentido típico, ele deve ser revelado, ou seja, deve vir até nós através das Escrituras ou tradição. Escritores piedosas individuais desenvolveram analogias copiosas entre certos dados da dados correspondentes do Novo e Velho Testamento, porém engenhosa estes desenvolvimentos possam ser, eles não provam que Deus realmente a intenção de transmitir as verdades correspondentes inspirado no texto do Antigo Testamento. Por outro lado, deve-se ter em mente que nem todas as verdades contidas em qualquer Escritura ou da tradição foram explicitamente propôs aos fiéis como questões de crença pela definição explícita da Igreja.

        De acordo com o princípio “Lex orandi lex est credenti” devemos tratar pelo menos com reverência inumerável sugestões contidas nas orações e liturgias da Igreja. Nesse sentido, devemos considerar muitos dos títulos conferidos em Nossa Senhora em sua ladainha e no “Ave maris stella”. As antífonas e respostas encontradas nos Escritórios recitado sobre as várias festas de Nossa Senhora sugerir uma série de tipos de Mary que dificilmente poderia ter sido levado tão vividamente ao conhecimento dos ministros da Igreja de qualquer outra forma. A terceira antífona das Laudes da Festa da Circuncisão em vê “o arbusto que não foi queimado” (Êxodo 03:02) a figura de Maria conceber seu Filho sem a perda de sua virgindade. A segunda antífona das Laudes do mesmo escritório vê de Gideão lã molhada de orvalho, enquanto todo o terreno ao lado havia permanecido seca (Juízes 6:37-38) um ​​tipo de Maria recebendo em seu ventre o Verbo encarnado [12]. O Escritório de Bem-Aventurada Virgem Maria se aplica a muitas passagens relativas ao cônjuge no Cântico dos Cânticos [13] e também sobre Sabedoria no livro de Provérbios 8:22-31 [14]. O pedido de Maria de um “jardim fechado, uma fonte selada” mencionado em Cânticos 4:12 é apenas um caso particular do que foi dito acima. [15] Além disso, Sara, Débora, Judith, e Esther são utilizados como diversas figuras de Maria, a Arca da Aliança, sobre a qual a presença de Deus se manifestou, é usado como a figura de Maria levando o Deus encarnado no seu seio. Mas, sobretudo Eva, a mãe de todos os viventes (Gênesis 3:20), é considerado como um tipo de Maria, que é a mãe de todos os viventes na ordem da graça [16].

        COMO ME ORGULHO DE SER CATÓLICO.

  7. Eu acostumo comparar a igreja católica como um iceberg. Já viram um iceberg? O que melhor define o iceberg são as duas partes que dele fazem parte.Uma pequena ponta fica avista sobre as águas, mas a maior parte permanece oculta sob as águas. A parte monumental e grandiosa fica encoberta. Assim é a igreja de Cristo. Ela é representada fisicamente no mundo pelos seus pertences e membros, mas a parte majestosa é totalmente invisível. É preciso seguir os conselhos de seu criador para melhor entendê-la. Os olhos são lanternas da alma. Se os olhos são tenebrosos e não conseguem ver de forma correta os preceitos e fundamentos das coisas, é melhor arrancá-los e atirá-los longe. Se não quiseres arrancá-los por dúvida também não será necessário, basta vir aliar-se á igreja do Senhor e procurar ver as coisas sob sua ótica. Lembrem-se são apenas mais de 2000 anos de experiência associados com uma infinidade de experiências transmitidas pelo próprio Mestre, quer mais? Quando se lê as escrituras de forma independente os riscos de deformação dos conceitos se tornam perigosíssimo. E é muito fácil entender porque. As escrituras é um universo de informações transmitidas pelo Espírito Santo em épocas e lugares diferentes, a pessoas diferentes com conceitos e valores diferentes. Tudo bem que o Espírito é o mesmo, mas é preciso entender que o próprio Deus quer que tenhamos mérito nesta edificação. O homem só pelos seus méritos nunca conseguiu formatar sozinho o caminho da perfeição, a começar pelo primeiro homem que de cara introduziu a morte a si e sua descendência. Na verdade as escrituras é para a igreja algo como um plano de aula, em que apenas em sua maior parte somente os tópicos foram escritos. Todo aprendizado ou disciplina deve ser pregado a um aluno de forma que o mesmo possa assimilar de forma totalitária exterminando as dúvidas. O Mestre disse pregai o evangelho, e eles assim o fizeram, como o cristianismo necessitava ainda mais de ganhar as fronteiras do mundo, a sintetização dos conhecimentos e impressão em um livro de fácil divulgação e manuseio em fronteiras distantes, fizeram necessárias. É por isso que se diz que a bíblia foi escrita de católico para católico. Na verdade os primeiros cristãos eram verdadeiras bíblias vivas. Este conhecimento totalitário dos primeiros membros somados a suas atividades exclusivas era conhecida como Tradição Apostólica que permanece até aos dias de hoje. Há que afirme que muitos escritos cristãos antes de chegarem aos seus destinos, caíram em mãos inimigas e estas por acharem que se tratavam de cartas ridículas escritas por loucos, fizeram questão deles mesmos facilitarem os seus destinos, contando que os destinatários ficariam ainda mais loucos. Agora irmão imagine o livro do Apocalipse sendo lido por imperialistas romanos. Deveria ser uma zombaria. Mas acontece que os cristãos conheciam os códigos do que era comum a todos e eles se comunicavam através destes códigos. A exemplo disto, Herodes ficou perturbado com a invasão de reis magos que vieram para a terra santa reverenciar o Rei dos judeus. A tradução ou dedução dos acontecimentos foi desvendada pelos sacerdotes judeus, mas o cristianismo tal com estava evoluindo eles não conheciam. Estes conhecimentos e toda a carga de experiência vividas no decorrer destes séculos estão vivas aos nossos serviços, basta entrarmos em uma de suas frentes de trabalhos da igreja e elas aos poucos se tornarão partes de nossas vidas. Pode-se dizer que as fronteiras da igreja vão tomando conta de nossos seres. Meus irmãos é incrível podem acreditar; o céu é o limite.
    Toda discussão entre católicos e evangélicos acaba em discordância penosa, e em sua maioria acaba por deixar nossos irmãos evangélicos ainda mais irritados. Isto tem um fundamento diabólico, é um erro primário que define bem a diferença entre católicos e protestantes. Os evangélicos por exemplo amam a Deus e somente a Ele eles prestam culto. Esta é a vontade e a determinação escolhidas por eles. Mas Deus na verdade sempre quis interagir com os homens. Eles os evangélicos não seguem ao que está escrito na bíblia que eles dizem seguir, a prova disso está em São lucas, diz a Virgem Maria que doravante todas as gerações me chamarão bem aventurada. Por acaso já viste algum evangélico chamar a nossa Bendita Mãe de Bem aventurada? E não é só isso, pior do que isso, ampliando este assunto podemos ver que eles esqueceram o PRIMEIRO AMOR. Em suas teimosia estão atualmente reduzindo o primeiro mandamento às suas satisfações , não estão amando o irmão como eles mesmos. É fácil entender, mais um erro primário abalam a chamada igreja deles. O amor universal dos homens deve ser estendido em toda sua magnitude universal. Sabemos que Deus em toda sua sabedoria cria cada pessoa com suas potencialidades, os seus propósitos são um mistério. No mundo cada ser humano tem suas virtudes e defeitos, não se sabe porque o Senhor colocou nos homens tantas diferenças. Uns parecem bem servidos no mundo, outros nem tanto. A verdade é que ninguém é igual ao próximo, ou há de ser maior ou menor que o outro. A diferença do amor ao próximo do católico para o evangélico, está na visão de entender o próximo pelo evangélico, sempre como alguém inferior a si. Mas o que fazer dos que são melhores do que nós? Afinal não somos iguais, os evangélicos cultuam o egoísmo e desprezo aos que são melhores do que eles. A prova disso é que o católico presta homenagem aos santos, que como dizia o mestre Cafunga estão na prateleira de cima. Os evangélicos detestam os santos. Existe por acaso, para os santos, pior sacrilégio que os descréditos de seus méritos? Por acaso não seria esta a prostituta que está embriagada com o sangue dos santos? Os evangélicos se acham auto suficientes, esqueceram o primeiro amor, não o cumprem em sua extensão universal.
    Infelizmente Satanás conseguiu se infiltrar na igreja de Cristo, utilizando-se de seus próprios membros, abrindo chagas dolorosas, mas as portas do inferno não prevalecerão sobre ela. Como é doloroso para a Virgem Mãe santíssima ver seus filhos divididos nesses tempos? Infelizmente uma terça parte das estrelas(profetas)não estão a serviço do Senhor. Elas foram arrastadas pela cauda do dragão e arremessadas na terra a serviço do maligno. Passamos por tempos difíceis. Nós católicos, a descendência da Mulher, sofremos as perseguições do dragão que vomitou esse rio(evangélicos) tenebroso com o intuito de afogar-nos em seus preceitos malignos. Mas esperamos em Cristo e o apoio incondicional da Virgem Maria, aliada aos santos e anjos que venceremos esta batalha , tenham fé.

    • Fildo disse:

      Só ficou grande o texto e da uma preguiça danada de ler.

    • jose paulo disse:

      jesus disse q carne e sangue nao herdaria o reino de deus ,portanto
      nenhum dos apostolos que viveram pos cristo ,nao fizeram nenhuma mensão a maria
      jesus disse tambem que ninguem subiu a nao ser aquele que desceu
      portanto maria aguarda a ressureisão dos mortos p subir aos cèus
      o texto de apocalipse 12 nao tem nada haver com maria e texto profetico
      a respeito da igreja ,aquela mulher è a igreja ,o texto fala desde a
      expusão de lucifer dos cèus ate o arrebatamento da igreja ,que findarà
      sua existencia na terra com vitoria sobre lucifer ,a trndade e 3 pai ,
      filho,espirito santo ,maria nao tem nenhuma interferencia no processo de salvaçao ,ela foi simplesmente uma serva,a trindade exizte desde a eternidade.as
      operaçoes de DEUS no velho testamento nao teve pedido de maria ,deus èsoberano

      • EDMILSON disse:

        AMIGO VC DELIRA VOCÊ VEM DIZER QUE

        jose paulo disse:
        5 de junho de 2013 às 11:17
        jesus disse q carne e sangue nao herdaria o reino de deus ,portanto
        nenhum dos apostolos que viveram pos cristo ,nao fizeram nenhuma mensão a maria

        KKKKKKKKKK
        TODO DIA NASCE UMA NOVA CEITA NO MUNDO E COM ELA SEMI ANALFABETOS COM TEORIAS DOENTIAS RSRSRS

  8. moacir disse:

    Parem de brigar por esta ou a quela religião, Deus nos deu seu filho e isso não é o bastante? … Veja as 7 igrejas que Jesus chamou atenção de seus pastores em Apocalipse. E o Espírito Santo te ensinará todo o que preciasas, leia a BLIBLIA.

  9. Ilis disse:

    Não imaginava que entre evangélicos e católicos existia tanto ódio. Sou evangélica e tenhos amigas católicas. Eu as respeito e elas a mim. Não sou melhor que elas e nem elas melhores que eu. Que Deus ajude a todos que aqui enviaram seus comentários, que todos possamos olhar além de nomenclaturas e ver o que Cristo quer de nós: que amemos o próximo como a nós mesmos.

    • EDMILSON disse:

      ILIS SE VOCÊ SOUBESSE DO PODRE DAS SEITAS PROTESTANTES
      SE VOCÊ SOUBESSE DAS MENTIRAS E FALSIFICAÇÕES QUE VOCÊS HEREGES
      ESCREVEM E FAZEM CONTRA A ÚNICA IGREJA FUNDADA POR JESUS CRISTO VOCÊ ENTENDERIA A VERDADE!

      MAIS COMO OS PASTORES E HISTORIADORES PROTESTANTES LUTAM A TODO CUSTO A ESCONDER ESSAS VERDADES ABSOLUTAS VOCÊ CONTINUARÁ ASSIM LEIGA

      • Francisco disse:

        O primeiro mandamento bíblico prescreve: ” Eu sou o Senhor teu Deus! Não farás para ti imagens de escultura, nem semelhança do que há em cima nos Céus… Não te curvarás diante delas nem as servirás” (Êxodo 20:4). No entanto no catolicismo romano as imagens tem prioridade por serem os esteios da Igreja. Os ídolos do paganismo e as estatuetas da Igreja Católica são formas de idolatria que confrontam-se com a Bíblia.
        O culto a Deus deve ser realizado em espírito, sem o auxílio de qualquer objeto ou representação material, pois Deus é Espírito e importa que os que adoram a Deus o adorem em espírito e em verdade (João 4:24). Este é o culto preconizado nas Escrituras, exigido por Deus em todos os tempos.

        As Escrituras condenam o culto por meio de imagens, isto sempre foi abominação a Deus. Porém, contrariando à sua Palavra, a igreja católica romana ensina a adoração de imagens e enche os seus templos de ídolos, conservando os seus adeptos na ignorância ao esconder-lhes a verdade bíblica.

        Não há um só trecho no Novo Testamento que fale em Ter havido na igreja primitiva alguma procissão eucarística e que mostre algum dos apóstolos ou servos do Senhor incensando imagens. A razão porque não há é que o culto às imagens foi decretado pelo II Concílio de Nicéia em 787 dC, e a procissão eucarística teve seu início em 1360 dC.

        O apóstolo Paulo em Atos dos Apóstolos 17:29 faz a seguinte declaração: ” Sendo nós pois geração de Deus, não havemos de cuidar que a divindade seja semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra esculpida por artifício e imaginação dos homens.”

        No entanto existe na Basílica de São Pedro em Roma, uma imagem deste apóstolo feita de bronze, cujo pés se gastaram de tantos beijos dos seus adoradores. O missal da igreja romana manda que se adore a cruz : “vinde e adoremos”. O clero e os leigos adoram a cruz tirando os sapatos, ajoelhando-se e beijando-a . Os fiéis carregam suas imagens em procissão, queimam incenso às imagens e lhes acendem velas . Fazem promessas a inúmeros “santos” e lhes atribuem milagres, não já aos santos mas imagens desses. E a Palavra de Deus adverte: “congregai-vos e vinde; chegai-vos juntos, os que escapastes das nações: NADA SABEM OS QUE CONDUZEM EM PROCISSÃO AS SUAS IMAGENS DE ESCULTURA, feitas de madeira e rogam a um deus que não pode salvar” (Isaías 45:20).

        Observe agora atentamente o Salmos 115 versos de 2 à 8:
        Os romanistas adoram de fato as imagens e isto é pecado de idolatria, condenado por Deus em sua Palavra: “não erreis: nem os devassos, NEM OS IDÓLATRAS… herdarão o reino de Deus” (I Corintios 6.10).

        Devemos buscar a Deus conforme os ensinos de sua Palavra e seguir a orientação que nos dá quanto ao culto que lhe devemos tributar. O culto deve ser tributado tão somente a Deus. Todavia, a igreja romana estabeleceu três espécies de culto:

        O de LATRIA, devido somente a Deus;
        O de HIPERDULIA, que se deve prestar a Maria, e
        O de DULIA, que se deve tributar aos santos e aos anjos. Esta divisão porém, não é bíblica nem lógica.

        Não temos nem um simples exemplo nas Escrituras de adoração a Maria, ou aos santos e anjos. Antes estes, quando os pagãos os queriam adorar, eles os impediam, ensinando-os que só deviam adorar a Deus.

        • EDMILSON disse:

          FRANCISCO VOCÊ NÃO SABE LÊ SUA BÍBLIA PROTESTANTE INCOMPLETA E ADULTERADA
          ME DIGA FRANCISCO DE QUAL DAS 50 MIL SEITAS PROTESTANTES VOCÊ PERTENCE AQUI NO BRASIL A DE HOMOSSEXUAIS DOS MÓRMONS DA ADVENTISTA DA IGREJA DA MACONHA
          VAI ESTUDAR FRANCISCO DEIXA DE LOROTAS

        • EDMILSON disse:

          VEJA SUAS CONTRADIÇÕES ANALFABETO FRANCISCO

          MEUS CAROS PROTESTANTES ESSA SIM É A VERDADEIRA VENERAÇÃO DAS IMAGENS PREGADA PELA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA

          Pois no meio das seitas protestantes não falta quem diga: “

          Os católicos são idólatras”, porque além de fazerem imagens de esculturas, o que a bíblia proíbe absolutamente cf. Ex 20, 4-5.23; Lv 19, 4; 26,1; Dt 4, 16-20; 27, 15; Sl 113 ou 115, 4-8; Is 44, 9-20 … também estão indo atrás de ídolos mudos cf. Is 45, 20; 46, 7; Jr 10, 3-5 …

          Muitos por não conhecerem o contexto bíblico de tais textos e por não conhecerem realmente a doutrina da igreja católica,

          Chegam à conclusão de que a bíblia condena a fabricação e o uso de qualquer tipo de imagens, até mesmo das imagens sagradas dos santos, ou qualquer procissão com imagens e que por conseguinte condena a doutrina e prática da igreja católica.

          E por isso,” por falta de conhecimento bíblico e da doutrina católica, deixam a Igreja católica para participarem de igrejas ou seitas fundadas por homens”.

          Agora por meio deste estudo você verá através da bíblia e da doutrina católica que tais textos não condena a fabricação e muito menos o uso das imagens sagradas pois nem todas procissões religiosas com imagens, e por conseguinte não condena a doutrina e prática católica.

          Vou mostrar aqui as principais objeções, perguntas e dúvidas dos protestantes contra o que “supostamente” imaginam ser a doutrina e prática católica em relação ao assunto, para que você tenha o conhecimento do fundamento bíblico das mesmas, ou seja, para que saiba que a bíblia não as condena.

          Então façamos, antes de tudo, umas distinções básicas entre “Santo” e “imagem”. Santo ou Santa é um homem ou mulher, servos de Deus, os quais são santos exatamente por terem obedecido fielmente a Deus e se tornado assim modelos de vida cristã.

          Maria disse: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim, segundo a vossa Palavra” (Luc 1,38).

          Agora a Imagem é uma representação de um ser, alguém ou alguma coisa em seu aspecto físico, assim imagem é uma fotografia, desenho, estátua, um quadro, etc.

          Uma imagem é só uma imagem, um símbolo, uma lembrança ou um sinal, até o momento em que é adorada, a partir dai então vira ídolo.

          As imagens sagradas são “representações” de Cristo e dos seus santos.

          Agora uma outra distinção fundamental precisa ser feita entre adorar e honrar (venerar). E devemos saber o que significa ídolo e idolatria.

          Adorar é reconhecer alguém como seu Deus e Senhor, e a Ele se submeter em obediência, prestando-lhe culto como Criador do Universo e dono absoluto da nossa vida.

          O culto de adoração somente se pode dar a Deus porque só ele é o criador e Senhor do universo e da nossa vida.

          Venerar é honrar, homenagear, respeitar, louvar … mas não reconhecer aquela pessoa ou objeto como Deus.

          Já Ídolo é uma imagem de um falso deus, de uma falsa divindade, é um falso deus inventado pela fantasia humana, é “tudo” que ocupa o lugar de Deus em nosso coração, é ” tudo” que damos prioridade e amamos igual ou mais do que Deus, por conseguinte, nem todo ídolo é imagem e nem toda imagem é ídolo.

          Agora a Idolatria, etimologicamente, é a composição de duas palavras ídolo + latria, isto é, adoração de ídolo, é o ato de adorar o falso deus.

          Idolatria não é o uso de imagens no culto divino, mas prestar à criatura ou objeto o culto de adoração que devemos exclusivamente a Deus.

          É por isso que são Paulo em Col. 3,5 nos adverte que a avareza é uma idolatria, e como sabemos avareza é um sentimento e não uma imagem, a avareza é idolatria uma vez que o avarento coloca o dinheiro no lugar de Deus, como valor supremo da sua vida,

          idolatrar é colocar alguém ou alguma coisa no lugar de Deus. Por isso podemos então refletir: onde estariam os verdadeiros ídolos e idólatras na sociedade moderna? infelizmente os artistas, os cantores, os jogadores, os times de futebol, os programas de televisão “principalmente as novelas”, o sexo, a beleza física, o dinheiro, o poder, a fama e tantas outras coisas é que ocupam o primeiro lugar do coração e pensamentos de muitos ! A idolatria é o pior e mais grave pecado que se possa fazer !

          Seitas protestantes saibam que a Igreja Católica ensina que devemos adorar somente a Deus! A todas as outras criaturas e às imagens dos santos devemos apenas respeito, honra e veneração.

          Aliás, a Igreja só venera os santos e os honra, porque foram fiéis seguidores de Cristo e por isso se tornaram para nós modelos de vida evangélica.

          Suas imagens tem, para nós a finalidade de lembrar a pessoa e seus bons exemplos em nosso meio;

          Merecem respeito pelo que representam, tal como um retrato de nosso pai ou nossa mãe.

          O que diz mesmo a Bíblia sobre imagens?

          No célebre trecho de Ex 20, 4-5 tão citado por vocês protestantes, vocês deixam de lado o versículo 3: “Não terás outros deuses diante de minha face”.

          Ora, naquela época não havia imagens de Jesus, Maria ou dos Santos, até mesmo porque eles nem existiam ainda.

          O Êxodo foi escrito aproximadamente 1.250 anos antes do nascimento de Jesus.

          São Francisco morreu em 1.226 depois de Cristo, São Benedito em 1563, Santa Teresinha em 1897, então não poderia estar se referindo a eles.

          A Bíblia fala de “deuses”, “ídolos” para substituir o lugar do verdadeiro Deus.

          Agora Isso nunca quiseram os Santos!

          Maria se declarou a “Serva do Senhor” (Luc 1,38) S. Francisco dizia “Meu Deus e meu Tudo”.

          Agora veja uma outra passagem muito usada por vocês protestantes onde está escrito: “Com a sobra faz um deus, um ídolo, diante do qual se prostra para adorar e orar, dizendo: “Salva-me, tu és o meu Deus” (Is 44,17).

          Ora, a própria citação já fala que o que Deus proíbe é fazer imagem na forma de ídolo, de fato leia Dt 4,16, na tradução revista e atualizada no Brasil, SBB, que são considerados como deus em substituição ao Deus único e verdadeiro cf. Ex 20, 3-5. 23; Dt 7, 25; Is 44,17.

          Fala que adorar imagem é considerá-la como deus cf. Ex 32, 4; Is 44,7, ou teologicamente falando, é também valorizá-la igual ou mais de que Deus.

          Ora saibas que nenhum católico(a) “que conhece e obedece a doutrina católica” considera os santos e suas imagens a coisa mais importante de sua vida, menos ainda os (as) considera como Deus,

          Agora afirmar o contrário é mentira e calúnia, que assim como a idolatria, fecha a porta do céu para quem morre com ou em tais pecados.

          Já fala em se prostrar para adorar, o que não é o nosso caso de católicos, diante das imagens. Pois GILMAR MENEZES se ajoelhar-se diante de alguém ou alguma coisa não significa logo, adoração.

          Os noivos que se ajoelham diante dos pais e lhes pedem a bênção, não estão adorando os seus pais!

          Moisés se prostrou diante do seu sogro Jetro (Ex 18, 7); Betsabé se prostrou diante de Davi (1Rs 1,16 ), Josué e todo o povo se ajoelharam diante da arca a qual tinha duas imagens de esculturas de anjos ( Js 7, 6 ) e nem por isso cometeram idolatria, porque não se prostraram em adoração e sim em reverência.

          VEJA AGORA

          no versículo 4-5 de êxodo 20, Deus não está proibindo fazer qualquer espécie de imagem ou com qualquer finalidade, pois se assim fosse, toda humanidade estaria condenada, pois quem é que não tem ou não manda fazer retrato, pintura, escultura, desenho ,

          estaria proibindo a profissão do escultor, desenhista, pintor … Mas está proibindo qualquer tipo de imagem de ídolo e fazer imagem para serem adoradas.

          Todas as vezes que Deus condena as imagens ele se refere à ” idolatria”, na qual se reconhece e considera a imagem como único Deus em substituição ao Deus verdadeiro.

          E a prova de que Deus só proíbe fazer ídolo ou fazer imagens com a finalidade de serem adoradas está no fato de que ; Quando não é para adoração, Deus permiti e manda fazer imagens:

          Por ordem de Deus Moisés fez e colocou duas imagens de esculturas de anjos sobre o propiciatório da arca. “O Senhor disse a Moisés: Farás dois querubins de ouro. Estes querubins

          terão suas asas estendidas para o alto e com as asas protegerão a tampa da Arca da Aliança. E ali eu virei ter contigo”. (Ex 25,18-22 ).

          Agora veja que no templo construído por Salomão foram confeccionadas imagens de querubins de madeira( cf. 1 Rs 6, 23-28); todas as paredes do templo e até as portas foram revestidas de imagens de querubins( cf. 1 Rs 6, 29-35),

          tais obras se fizeram com a ordem do próprio Deus (cf. 1 Crônicas 22, 10. 15-16; 28, 18-19) e com a sua divina aprovação pois vemos que Deus abençoa este templo, porque sabia que as imagens lá não eram ídolos ( deuses ), e sim, imagens sagradas (cf. 1 Rs 9, 3), pois foram feitas por ordem divina, que, já no deserto encheu Bezaleel de seu próprio espírito- espírito de sabedoria, inteligência e ciência- para realizar toda espécie de obras em ouro, prata e bronze … assim como para talhar ( esculpir) a madeira( isto é, fazer imagem de escultura de madeira)

          Confira: Ex 31, 1-5, de fato leia 1 Rs 6, 29 na edição revista e corrigida de João F. de Almeida.

          vê-se assim com que apreço Deus considerava as esculturas de seu templo. Por isso os querubins da arca da aliança( Ex 37, 1. 3-5. 7-9) não eram para serem adorados, mas também não eram simples adorno, eles lembravam que tudo devia convergir para o Deus que fizera aliança com o povo,

          lembravam ainda a mediação “secundária ” dos anjos(cf. Heb 1,14) e integravam os objetos do culto,ou seja, participavam do verdadeiro culto a Deus, de fato, Deus além de pedir a Moisés para fazer essas duas imagens de anjos, diz que é ali, no meio dos querubins, que ele viria dar as suas ordens aos israelitas (cf. ex 25, 22; Num 7, 89) em vista disso a bíblia costuma dizer que Deus está sentado sobre os querubins (cf. 1 Sm 4, 4; 2Sm 6, 2; 2 Rs 19,25; Sl 79(80), 1.

          Isso eram imagens sagradas, abençoadas por Deus ( cf. 1 Rs 9, 3; 8, 10-11 ) e por Moisés ( cf. Ex 39, 42-43 ) – deixando-nos o exemplo de termos nossas imagens abençoadas- por isso eram imagens que conjuntamente com todo o templo do altíssimo, eram reverenciadas,

          Está escrito : “Reverenciareis” meu santuário ( Lv 19, 30 ) e ainda, me prosto -“inclinar-me-ei” – para o teu sagrado templo ( Sl 138 ou 137, 2 )

          O santuário, como é bem sabido, estava cheio de imagens, vemos Josué e todo o povo ajoelhados “prostados” diante da arca da aliança , por conseguinte, diante das duas imagens de querubins que estavam em cima da arca ( Js 7,6 ) e nem por isso estavam cometendo idolatria, adorando tais imagens.

          O templo e tudo que havia nele eram sagrados! portanto, cada objeto de lá, inclusive as imagens, não podiam ser tidos como simples enfeites- eram ornamentos sacros com significados simbólico-religiosos preciosos e por isso respeitados, reverenciados, ou seja, venerados. de fato ,

          AGORA EU PERGUNTO AS SEITAS PROTESTANTES?

          por que uzá morreu fulminado ao tocar na arca da aliança cf. 2 Sm 6, 7; 1 Cro 13,7-14 ?

          E mais e o mar de bronze ou reservatório de água lustral colocado à entrada do palácio de Salomão era sustentado por dois bois de metal ( 1Rs 7, 23-25 ), havia também figuras de leões, touros e querubins ( 1 Rs 7, 29 ),

          Leia ainda Ez 41, 17-22 Quando mostramos estes textos para os protestantes eles respondem imediatamente: mas essas imagens não foram feitas para serem adoradas, pois o propiciatório com os querubins apenas era a figura da ( representava a ) redenção de Cristo ( Heb 9, 5-9 ), cf. manual de apologética cristã, pag. 178, CPAD, os querubins não faziam parte do culto, permaneciam trancados no templo, no lugar santo dos santos, onde só penetrava o sumo sacerdote uma vez por ano, conforme Heb 9, 2-7; Ex 30, 10, e as figuras do templo de Salomão tinha a finalidade única de adornar,

          OLHA AS RESPOSTAS : Para essas simples questãões aqui não é o que as imagens representam, mas se todo e qualquer tipo de imagem são proibidas por Deus ou se a proibição é absoluta,

          Esto é, com qualquer finalidade, mesmo que não seja para adorá-las, a questão estar em saber se é bíblico ou não fazer imagens.

          O fato dos querubins ( de ouro ou madeira ) representar isso ou aquilo, não nega a realidade que eram imagens de anjos em forma de esculturas e figuras que o próprio Deus mandou fazer, por isso não nega a verdade que a proibição divina de fazer imagens não é absoluta, ou seja, que a proibição de fazer e adorar ídolos, não proíbe fazer imagens que não são ídolos e que não são para serem adoradas.

          Pois quando os protestantes dizem que os querubins foram feitos não para serem adorados, não estão fazendo nenhuma objeção à doutrina católica pois a igreja católica e nenhum católico diz que foi, ao contrário, estão aceitando a doutrina e interpretação do catolicismo a respeito do assunto, e rejeitando a dar maior parte do protestantismo que ensina que a proibição divina é absoluta, ou seja, que Deus proíbe fazer todo tipo de imagens e com qualquer finalidade, que proíbe fazer não só para adoração mas até mesmo para veneração! que ensina que Deus proíbe não apenas adorar imagens, mas até mesmo fazer-las,

          E para tentarem provar isso, vocês protestantes vivem citando para os católicos o salmo 115, 4-8 , esquecendo que o texto trata de ídolos (cf. Sl 115, 4) e não de qualquer imagem.

          Pois se as imagens que Deus mandou fazer não foi para serem adoradas, isto implica dizer que :” quando as imagens não são para serem adoradas, Deus as manda e permite fazer-las “. Ora, essa é a pura doutrina e interpretação católica”!

          Quanto a afirmação que os querubins ficavam trancados no templo … cai por terra diante dos textos que apresentam a arca da aliança com os querubins sendo carregados pelo povo de Deus solenemente em procissão religiosa ( cf. 1 Sm 6, 1 .4 – 5. 10 – 18; 2 Sm 6, 12 – 18; Js 6, 4-16; 2 Cr 5, 2-8; Ne 12, 27-43; Nm 10, 33-34 ),

          Agora veja uma dessas procissões em um site de um pastor assembleiano na 4° foto com o nome” queda dos muros de Jericó ” ( http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao5-ldj-aconquistadejerico.htm ),

          Agora quanto a dizer que eram simples ornamentos … já foi respondido a cima. O povo veio a Moisés e disse-lhe: Pecamos, murmurando contra o Senhor e contra ti: Roga ao Senhor que afaste de nós essas serpentes. Moisés intercedeu pelo povo e o Senhor disse a Moisés: “Faze para ti uma serpente ardente(de bronze) e mete-a sobre um poste.

          Todo o que for mordido, olhando para ela será salvo” (Nm 21,7-8). é claro que a serpente não foi feita para ser adorada, considerada como um deus ou deusa, mas para mostrar aos israelitas que Deus tinha mais poder do que todas as enfermidades ou tragédias da terra, e por isso não tinham motivos para não confiar nele ou em Moisés seu escolhido para libertá-los, mais tinha a finalidade de mostrar o perdão e a misericórdia de Deus para os israelitas arrependidos.

          Olha quando associamos Nm 21,8-9 a Jo 3,14; 12,32 entendemos que a serpente levantada no deserto por Moisés era uma prefiguração de Jesus Cristo suspenso na cruz curando e libertando toda humanidade, assim como quem ferido por serpentes olhava para a serpente de Moisés suspensa numa haste era curado das picadas mortíferas, assim também quem ferido pelo pecado olha para Jesus crucificado com os olhos da fé, reconhecendo nele o salvador do mundo, será salvo do pecado e da condenação eterna.

          Enquanto a serpente de bronze era apenas venerada como recordação da cura prodigiosa das venenosas mordidas das serpentes, a mesma era conservada, porém, quando no tempo do reinado de ezequias (721-693 a.C)

          O povo cercou-a com crenças e práticas suspeticiosas com evidente perigo de idolatria, ezequias quebrou essa venerável relíquia da era mosaica (cf. 2 Rs 18,4).

          Muitos protestantes citam o texto da destruição da serpente de bronze cf. 2 Rs 18, 3-4, para tentarem provar que, aprovando a destruição da serpente de bronze,

          Deus estava por isso desaprovando adoração e veneração de imagens, pois ambas são a mesma coisa.

          RESPOSTA : Que fique bem claro : a serpente de bronze foi destruída não porque era uma imagem de escultura que o próprio Deus mandou fazer, mas devido o mau uso que dela o povo começou a fazer, agora isso não anula nem vai contra o princípio que” o mau uso não exclui o bom uso, que o uso incorreto não exclui o uso correto”,

          A prova disso é que, mesmo depois de destruída, cerca de cinco séculos depois, Jesus encontrou valores na serpente de bronze pois ilustrou sua morte através dela (cf. Jo 3, 14),

          Deus aprovando a destruição da serpente de bronze, não estava desaprovando a(as) imagem(ns) que ele mesmo mandou fazer, mas a atitude errada do povo para com ela, da mesma forma Moisés ao quebrar as tábuas da lei não estava desaprovando a lei que o próprio Deus as mandou escrevê-las, mas a desobediência do povo para com ela.

          De fato, enquanto a bíblia mostra Deus aprovando a destruição da imagem da serpente de bronze ( cf.2 Rs 18, 3) porque o povo a transformou de imagem em ídolo, considerando-a como a deusa da magia( Neustã), porque o povo deixou de venerá-la e passou a adorá-la, enquanto mostra Deus mandando destruir as imagens em forma de ídolos (cf. Ex 20, 3-5. 23; 32,20; Dt 4,,16-20; 7,5. 25; Is 31, 7; Mq 1, 7; Ez 6,4-6 … )

          Protestantes saibas que a própria bíblia considera como inimigo de Deus aqueles que destruíram as imagens sagradas do templo cf. levanta os pés para tudo o que ” o inimigo” tem feito de mal no santuário; toda obra entalhada ( imagens de esculturas 1 Rs 6, 29 E mostra Deus abençoando o templo cheio de imagens sagradas ( cf. 1 Rs 8, 10-11; 9, 3 )

          Se Deus abominasse todo tipo de imagem, como se todo tipo de imagem de escultura fosse ídolo, não teria enchido o templo com sua glória e benção garantindo a aprovação de tudo que foi feito.

          Por isso veneração não é e nunca foi o mesmo que adoração !

          Pois o que prova esse texto que eles citam ? Prova: 1)

          Que Moisés fizera de fato uma serpente de bronze; 2) que essa serpente fora conservada pelos judeus durante longo tempo; 3) que eles acabaram por adorá-la ou a prestar-lhe culto indevido; 4) que por isso, Ezequias a quebrou.

          PROTESTANTES agora eu pergunto?

          Teria agido mal Moisés ao fazer a serpente de bronze? É claro que não, pois foi o próprio Deus quem ordenou fazê-la e olhar para ela para que os judeus se curassem.

          Erraram os judeus conservando-a? É evidente que não, porque mostravam gratidão e obediência a Deus. E entre os que conservaram estavam Moisés, Josué, os Juízes, Daví, Salomão. Será que todos eles estavam errados?

          Será que nenhum deles tinha um “Aurélio” – ou um dicionário à mão para saber que adorar, venerar, reverenciar, amar extremamente é tudo a mesma coisa?

          Por que, durante tantos séculos, Deus e seus enviados permitiram que se guardasse a serpente de bronze?

          É evidente que permitiram porque ela não era adorada. Quando a transformaram abusivamente em ídolo, Ezequias a destruiu. Mas fique sabendo, GILMAR MENEZES, que abusus non tolit usum.

          E não pense que isso é lei da Igreja: é um princípio jurídico do Direito Romano. O abuso não tolhe o uso. Se alguém abusa do culto de Dúlia de um santo e de sua imagem, e passa da veneração a idolatria, isso é um abuso condenável que não proíbe nem invalida o culto de Dúlia ( veneração ) — e não de latria — de um santo e de sua imagem.

          Erraram depois os judeus transformando-a em ídolo? Evidente que sim, e, por isso fez bem Ezequias em destruí-la. Portanto, enquanto não se adora uma imagem como se fosse Deus, é lícito tê-la e mesmo “olhar para ela para ser curado” como Deus mandou.

          E nenhum católico de verdade olha para uma imagem de Nossa Senhora e dos santos julgando que sejam Deus e adorando essas imagens.

          Nós as veneramos. em suma: veneração não é o mesmo que adoração. Quando os israelitas veneraram a serpente de bronze, foram curados. Quando posteriormente os israelitas adoraram a mesma serpente, cometeram uma abominação e Deus mandou destruí-la.

          No primeiro caso, o ato curava; no segundo caso, o ato era abominável diante de Deus. No primeiro caso, veneração; no segundo, idolatria, adoração de uma criatura.

          A imagem era sempre a mesma, porém, o ato era diferente! Se veneração fosse o mesmo que adoração, então Deus teria permitido a adoração aos ídolos ainda que somente no antigo testamento, o que é um absurdo.

          A sã doutrina não comporta tal absurdo! Portanto não adianta citar a destruição da serpente de bronze contra a veneração das imagens, pois o texto é claro:

          Deus mandou ou aprovou destruir a serpente de bronze quando os israelitas passaram a adorá-la, mas a mandou fazer e aprovou o povo conservá-la enquanto a veneravam, mostrando claramente a diferença entre veneração permitida e adoração proibida.

          Portanto, se Deus proibiu as imagens para idolatria, para serem adoradas, e essa proibição continua valendo, também continua valendo a permissão às imagens para veneração, para serem veneradas.

          Pode ter certeza disso que estes textos bíblicos associados a outros referentes ao mesmo assunto e que constituem o seu contexto, deixam bem claro que Deus proíbe ter ou fazer imagens para serem adoradas, isto é, para serem consideradas como Deus, criador e senhor absoluto de todas as coisas (cf. Ex 20, 3-5; Is 44, 9-20; Sl 113 ou 115, 4-8 … ),

          Para serem valorizadas igual ou superior a Deus, ” a lei eterna jamais pode ser abrogada e assim será sempre pecaminoso adorá-las “.

          Ensinam que Deus condenou, condena e sempre continuará condenando ídolos;” imagens que ocuparam ou ocupam o lugar de Deus “. Que Deus proíbe a idolatria : substituir o criador em nosso coração por quaisquer coisa ou criatura,

          Vou da alguns exemplo:

          objetos” imagens, taslimã …” , poder, prazer, dinheiro, sexo, esporte, pessoa humana … Ensinam que se alguém substitui Deus por quaisquer coisa ou criatura está cometendo o pior e mais grave pecado “a idolatria, e portanto é idólatra” que caso morra com este pecado-sem ter se arrependido e deixado ele – não se salvará nem entrará no céu ( 1 cor 6, 9-10; Apoc 22, 15 …).

          Ensinam também que quando as imagens não são para serem adoradas Deus permite e as manda fazer como vimos nos textos já mencionados acima. Visto que é impossível haver contradição em Deus, fica claro que a proibição de fazer imagens na bíblia não é absoluta ” com quaisquer finalidade, válidas para sempre e em todas as circunstâncias” , mas relativas ” referente e dependente unicamente da finalidade e circunstância, “intenção e condição ” com a(s) qual é proibida.

          Esta é a interpretação da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Em suma; Deus proíbe fazer imagens para serem adoradas, porém, não proíbe fazer imagem com outra finalidade, como por exemplo, para serem veneradas.

          Deus proíbe fazer ídolos, porém, não proíbe fazer imagem que não são ídolos. Por isso a Igreja católica, que compreende e aceita tudo o que Deus disse na sagrada escritura e que não isola uma frase de outra, mas a todas harmoniza, sempre permitiu o uso de imagens( jamais de ídolos) e sua veneração, mas nunca a sua adoração.

          Infelizmente os protestantes, por preconceito ( talvez até por ódio) da Igreja Católica, por avareza, introduzem seitas e heresias perniciosas no meio do povo ( 2 ped. 2, 1-3), e por falta de conhecimento e má fé deturpam e adulteram a própria palavra de Deus para sua própria perdição ( 2 ped. 3, 16) e apenas com a má fé, com a má e diabólica intenção de difamar, caluniar, criticar a Igreja Católica, dizem e escrevem :

          Basta alguém fazer ou ter imagens para já estar afrontando a lei de Deus, os pretensos retratos do Pai (capela Sistina), do Filho ( crucifixos, etc.), do Espírito Santo (pomba), dos apóstolos, etc. etc. São proibidos por Deus.

          Deus não somente proíbe adorá-los ou venerá-los, mas também fazê-los. ( cf. a idolatria Ora, estamos diante de uma decisão séria: ou aceitamos que a Bíblia se contradiz claro que não por isso É FASLSA E UM ABSURDO A DECLARAÇÃO DE QUE A IGREJA PREGA A IDOLATRIA

          Pois se como os Protestantes explicam: “não farás para ti imagem de escultura, nem figura alguma do que está em cima nos céus ou embaixo sobre a terra… não te prostrarás diante delas…” (Ex 20,4-5) significa que não se pode fazer imagem com qualquer finalidade, exceto adoração, quer dizer que pelos textos acima Deus se contradisse.

          Pois os querubins que Ele mandou fazer são seres que “estão acima nos céus” e a serpente está “embaixo sobre a terra”. Além disso, se considere o fato de que o Templo e a Arca da Aliança eram os lugares mais sagrados para o Povo de Deus.

          O Senhor se manifestava na Arca! Pior ainda a serpente de bronze não só foi feita, mas quem olhasse para ela ficaria curado! Como ainda afirmar com a Bíblia na mão que Deus proíba fazer todo tipo de imagens e com quaisquer finalidade ?

          No Novo Testamento Passaram-se os séculos … O mesmo Senhor que se mantivera invisível, quis tomar corpo humano e viver na terra; quis assim dirigir-se aos homens mediante uma figura (a do Cristo Jesus), que, sem dúvida, devia ser impressionante.

          Em sua pregação, Jesus houve por bem ilustrar as realidades transcendentais (o Reino de Deus, a Misericórdia do Pai, o dinamismo da graça …) mediante imagens inspiradas pelas realidades visíveis; tal foi o significado das parábolas e alegorias utilizadas pelo Divino Mestre, que aludiu aos lírios do campo, à figueira, aos pássaros do céu, ao bom pastor, à videira e a seus ramos, às crianças que brincam na praça pública, à mulher que perdeu sua moeda, ao administrador infiel, aos operários chamados à vinha, em outras palavras :

          O Deus invisível se tornou visível em Jesus. Por isso a Bíblia diz: “Cristo é a imagem de Deus invisível, o primogênito de toda criatura”. (Col. 1,15) A imagem mais sagrada de Deus que temos em nosso meio é o ser humano:

          “Façamos o homem a nossa imagem e semelhança” (Gn 1,26). Já que Deus quis tornar visível o seu ser através de Cristo e do ser humano, isso nos diz que as coisas criadas podem ser um reflexo de sua beleza, de sua bondade e de seu poder.

          Ele quer se manifestar também pelas coisas visíveis. Esse é o sentido da “encarnação” do Filho de Deus. “Quem me vê, vê o Pai” (Jo 14,9) e o que Filipe estava vendo era a face humana de Cristo. Todavia, os cristãos foram percebendo que a proibição de fazer imagens no Antigo Testamento tinha o mesmo papel de pedagogo (condutor de crianças destinado a cumprir as suas funções e retirar-se)

          Que a Lei de Moisés em geral tinha junto ao povo de Israel.

          Por isto o uso das imagens foi-se implantando. As gerações cristãs compreenderam que, segundo o método da pedagogia divina, atualizada na Encarnação, deveriam procurar subir ao Invisível passando pelo visível que Cristo apresentou aos homens; a meditação das fases da vida de Jesus e a representação artística das mesmas se tornaram recursos com que o povo fiel procurou aproximar-se do Filho de Deus.

          Considerem-se os antigos cemitérios cristãos (catacumbas), onde se encontram diversos afrescos geralmente inspirados pelo texto bíblico: Noé salvo das águas do dilúvio, os três jovens cantando na fornalha, Daniel na cova dos leões, os pães e os peixes restantes da multiplicação efetuada por Jesus, o Peixe (Ichthys), que simbolizava o Cristo …

          A Igreja primitiva tinha sim uma grande veneração pelas imagens prova disso são as Imagens contidas nas Catacumbas Romanas dos primeiros séculos. Trago as fotos das Catacumbas dos Primeiros séculos, vejam que os primeiros Cristãos já usavam as imagens e isso é séculos antes de Constantino! confira :

          (http://praelio.blogspot.com.br/2009/02/igreja-primitiva-x-protestantismo.html ).

          Isso prova -se assim que a veneração dos santos e por conseguinte das suas imagens não é uma inovação no cristianismo, pois vem dos primeiros séculos cristãos, da igreja primitiva, nem do romanismo como outros dizem.

          Prova-se assim que a veneração dos santos e das suas imagens é uma doutrina e prática cristã e bíblica,

          Ou seja, mesmo que o culto de veneração aos santos não seja citado “explicitamente” na bíblia, o mesmo já começa nos primeiros séculos do cristianismo, aproximadamente no ano 100 d.C, estando são João ainda vivo e o mesmo não o condenou, A reflexão nos ensinamentos e exemplos de Jesus e dos apóstolos levaram os primeiros cristãos (dos primeiros séculos) a venerarem os mártires, os santos e por conseguinte Maria.

          Veja que os Protestantes também usam imagens de esculturas em seus templos para fins religiosos, confira : http://caiafarsa.wordpress.com/imagens-em-templos-prostestantes/ http://groups.gloog.com.br/answer/pt_br/answer_20100522161156AAsVIW3.html?categoryId=396545163

          Na praça dos reformadores em genebra, os protestantes fizeram 4 imagens de esculturas dos mesmos, para através delas venerá-los. Veja a foto no livro, manual de apologética cristã, pág170, CPAD, na capa da revista ” institutas”; em linguagem simplificadas, livro I, capítulos 7, 8 e 9, no Google buscando imagens, escreva na caixa de pesquisa: praça dos reformadores em genebra.

          Na revista protestante ultimato ” indenominacional” n° 235, págs 52-53, da editora Betânia, está escrito que: ” na America do Norte, Europa, Ásia, Austrália … figuras de Jesus e Maria, além do uso generalizado da cruz não cria menor problema.

          Na coréia do sul é possível encontrar nas fachadas de todos os templos, inclusive das assembléias de Deus, imagens de esculturas em tamanho natural representando pessoas e cenas bíblicas” .

          Que o próprio Martinho Lutero fundador do protestantismo foi a favor do uso de imagens , como se depreende do texto abaixo, datado de 1528: “Tenho como algo deixado à livre escolha as imagens, os sinos, as vestes litúrgicas … e coisas semelhantes. as imagens inspiradas pela Escritura e por histórias edificantes me pareçam muito úteis… Nada tenho em comum com os Iconoclastas” (Da Ceia de Cristo). e mais : Ler

          mais: http://larcatolico.webnode.com.br/doutrina-catolica/ Crie o seu website grátis: http://www.webnode.pt

          Veja em Atos 28 o que fez O Católico São Paulo quando embarcou em um Navio indo Para ROMA

          “Ao termo de três meses, embarcamos num navio de Alexandria, que havia passado o inverno na ilha. Este navio levava por INSÍGNIAS* os DIÓSCUROS*”. (At 28,11)

          *INSÍGNIAS : EMBLEMAS, IMAGENS

          *DIÓSCUROS: A IMAGEM DE CASTOR E PÓLUX, ORNANDO A PROA DO NAVIO

          E MaiS Saibas que os filisteus roubaram a arca da aliança e pagaram muito caro por isso

          Então eles consultaram seus adivinhos e eles disseram essa ordem dada pelo senhor de Israel para colocar

          A arca do SENHOR sobre o carro, como também o cofre com os ratos de ouro e com as imagens das suas hemorroidas.

          Então os filisteus oferecem a Deus pela expiação da culpa, “cinco hemorroidas de ouro e cinco ratos de ouro”.

          Então, disseram: Qual é a expiação da culpa que lhe havemos de oferecer? E disseram: Segundo o número dos príncipes dos filisteus, cinco hemorroidas de ouro e cinco ratos de ouro, porquanto a praga é uma mesma sobre todos vós e sobre todos os vossos príncipes.
          E FOI DEUS QUE DEU A ORDENS PARA ELES FAZEREM VARIAS IMAGENS E DEPOIS DE FEITAS ELES FORAM CURADOS AGORA NÃO ME VENHA COM MEIO TERMO CONDIÇÕES PONTOS DE VISTA E COM EXCEÇÕES POIS DEUS JAMAIS MUDOU SUA LEI SE IMAGENS FOSSE PROIBIDOS SERIA UMA IMENSA CONTRADIÇÃO AQUI!

          AGORA VEJA NO TEMPLO DE SALOMÃO:

          “E no oráculo fez dois querubins de madeira de oliveira, cada um da altura de dez côvados.” (I Reis 6, 23)

          “E revestiu de ouro os querubins. E todas as paredes da casa, em redor, lavrou de esculturas e entalhes de querubins, e de palmas, e de flores abertas, por dentro e por fora.” (I Reis, 6, 28-29)

          “E sobre as cintas que estavam entre as molduras havia leões, bois, e querubins, e sobre as molduras uma base por cima; e debaixo dos leões e dos bois junturas de obra estendida.” (I Reis 7, 29).

          “Para o interior do Santo dos Santos, mandou esculpir dois querubins e os revestiu de ouro.” (II Crônicas 3,10)

          E AGORA PARA REFUTAR OS PROTESTANTES DE UMA VEZ POR TODAS

          SAIBAS QUE era neste mesmo templo que os apóstolos e Jesus iam para orar:

          VEJA

          “Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão.” (João 10,23)

          “Enquanto isso, realizavam-se entre o povo pelas mãos dos apóstolos muitos milagres e prodígios.

          Reuniam-se eles todos unânimes no pórtico de Salomão.”(Atos 5, 12)

          AGORA EU PERGUNTO?

          Estariam Jesus e os apóstolos sendo idólatras ao frequentar um templo repletos de imagens de escultura?Claro que não!

          OLHA AQUI MAIS UMA VEZ

          Fica provado, portanto, que Deus nunca proibiu a fabricação de imagens e sim de ídolos para a adoração, colocando-os no lugar do próprio Deus. Desmascaramos assim mais uma falsa interpretação protestante.

        • EDMILSON disse:

          VEJA SUAS CONTRADIÇÕES ANALFABETO FRANCISCO

          OS EVANGÉLICOS MISTURAM IMAGENS DE ÍDOLOS, (que é proibido),

          COM IMAGENS SACRAS, (que é permitido por Deus)!

          A idolatria é uma palavra formada por dois radicais, ido, que provém de ídolo e latria, que significa culto a uma divindade

          Veja aqui nesse versículo umas das piadas e contradições protestantes!

          E ainda:”Me prostro voltado para o teu sagrado templo” (Sl 138(137),2

          ]…E lá (no teu santuário), ó Senhor, possamos cantar com o Salmista: “Nós nos saciamos com os bens da tua casa, com as coisas sagradas do teu templo”
          (Sl 65(64),5).

          PROTESTANTES CHAME ESSE VERSÍCULO DE IDOLATRIA POIS É ISSO QUE A IGREJA FAZ NOS SEUS TEMPLOS.CONTRADIÇÕES PROTESTANTES

          VEJA

          Por outro lado, eu teria – se possível fosse – um enorme prazer em visitar o Templo de Deus, que Salomão mandou edificar; e no qual a glória de Deus pousou.

          Lugar Sacro em que abundavam inúmeras imagens de animais (touros e leões) – imagens que participavam do Verdadeiro Culto a Deus. Aliás, imagens sagradas e abençoadas e que, portanto, conjuntamente com todo o Templo do Altíssimo, eram reverenciadas. Está escrito: “Reverenciareis meu santuário” (Lv 19,30).

          E AGORA PARA REFUTAR OS PROTESTANTES DE UMA VEZ POR TODAS

          SAIBAS QUE era neste mesmo templo que os apóstolos e Jesus iam para orar:

          VEJA

          “Jesus passeava no templo, no pórtico de Salomão.” (João 10,23)

          “Enquanto isso, realizavam-se entre o povo pelas mãos dos apóstolos muitos milagres e prodígios.

          Reuniam-se eles todos unânimes no pórtico de Salomão.”(Atos 5, 12)

          AGORA EU PEREGUNTO?

          Estariam Jesus e os apóstolos sendo idólatras ao frequentar um templo repletos de imagens de escultura?Clao que não!

          OLHA AQUI MAIS UMA VEZ

          Fica provado, portanto, que Deus nunca proibiu a fabricação de imagens e sim de ídolos para a adoração, colocando-os no lugar do próprio Deus. Desmascaramos assim mais uma falsa interpretação protestante.

          A própria Bíblia as diferenciam, mais são os protestantes que misturam tudo!

          Vou mostrar uma prova bíblica sobre esse tema.

          No livro de Ezequiel, ele próprio cita de que tipo de imagens são ídolos, e os que são proibidos!

          Veja

          Ezequiel 8

          6 E ele me disse: Filho do homem, vês tu o que eles estão fazendo? as grandes abominações que a casa de Israel faz aqui, para que me afaste do meu santuário; Mas verás ainda outras grandes abominações.7 E levou-me à porta do átrio; então olhei, e eis que havia um buraco na parede.8 Então ele me disse: Filho do homem, cava agora na parede. E quando eu tinha cavado na parede, eis que havia uma porta.9 Disse-me ainda: Entra, e vê as ímpias abominações que eles fazem aqui.10 Entrei, pois, e olhei: E eis que toda a forma de répteis, e de animais abomináveis, e todos os ídolos da casa de Israel, estavam pintados na parede em todo o redor.

          No livro de Ezequiel, ídolos são figuras de répteis!

          Agora eu pergunto as seitas protestantes o que as figuras de répteis tem a ver com o catolicismo???

          Agora, vejam no mesmo livro de Ezequiel ele citando as imagens permitidas dentro do templo, e detalhe, TEM ROSTO HUMANO!

          Ezequiel 41

          1 ENTÃO me levou ao templo, e mediu os pilares, seis côvados de largura de um lado, e seis côvados de largura do outro, que era a largura da tenda.(…)17 No espaço em cima da porta, e até na casa, no seu interior e na parte de fora, e até toda a parede em redor, por dentro e por fora, tudo por medida.

          18 E foi feito com querubins e palmeiras, de maneira que cada palmeira estava entre querubim e querubim, e cada querubim tinha dois rostos,

          19 A saber: um rosto de homem olhava para a palmeira de um lado, e um rosto de leãozinho para a palmeira do outro lado; assim foi feito por toda a casa em redor.

          Agora vejam essas outras passagens bíblicas que vai contra toda tese do protestantismo

          Salomão mandou colocar no Santo templo imagens de

          – 2 QUERUBINS no Oráculo (III Reis 6,23-28),

          -mandou colocar no templo

          12 BOIS na bacia de bronze! (III Reis 7,25);

          Mandou colocar no templo

          BOIS e LEOES e QUERUBINS! (III Reis 7,28-29) e

          E ainda “como que figuras de HOMENS EM PÉ”, e

          Mais QUERUBINS e LEÕES (III Reis 7,36);

          Há ainda a estátua que ficou – por um bom período de tempo – na Casa de Deus em Silo: “Eles instalaram para seu uso a imagem que Micas havia esculpido, e ela permaneceu lá todo o tempo em que subsistira a casa de Deus em Silo” (Jz 18,31).

          Haja vista existirem estátuas aceitas no templo (querubins, leões, touros: 1Rs 7,29; além de escultura de guirlandas e palmas: 2 Cron 3,5),afora a estátua da serpente de bronze (cf. Nm 21,8-9) ou dos ratos e tumores (cf. 1Sm 6,11).

          Agora eu me pergunto? Não seria contradição se realmente fosse proibido fazer imagens

          Pois quem abomina quem faz imagens jamais em hipótese alguma daria ordens para fazê-las vocês não acham?

          Pode ter certeza que se fosse proibido fazer imagens

          COMO AS SEITAS PROTESTANTES AFIRMAM A PRÓPRIA BÍBLIA jamais faria referências a imagens

          POIS SE DEUS DIZ NÃO COMETERÁS ADULTÉRIO E NA MESMA BÍBLIA TIVESSE PASSAGENS QUE SE PODE COMETER ADULTÉRIO NÃO SERIA UMA GRANDE CONTRADIÇÃO?

          POR ISSO SE FOSSE PROÍBIDO FAZER IMAGENS OS VERSÍCULOS BÍBLICOS NÃO NOS DARIA MILHARES DE MILHARES DE REFERÊNCIAS SOBRE O TEMA IMAGENS.

          Vamos AGORA ler em Atos 28 Veja o que fez o Católico São Paulo quando embarcou em um Navio indo Para ROMA

          “Ao termo de três meses, embarcamos num navio de Alexandria, que havia passado o inverno na ilha. Este navio levava por INSÍGNIAS* os DIÓSCUROS*”. (At 28,11)

          O NOME INSÍGNIAS : É EMBLEMAS, IMAGENS

          E O NOME DIÓSCUROS: REPRESENTA A IMAGEM DE CASTOR E PÓLUX, ORNANDO A PROA DO NAVIO

          Agora São Paulo, ao embarcar nesse navio cheio de imagens ele não aproveitou a ocasião para condenar aquelas imagens, porque São Paulo era Católico e não um protestante pois ele sabia muito bem distinguir Imagem de Ídolo.

          Agora vamos pensar e raciocinar.

          tanto em Êxodo 20,4, quanto em Deuteronômio 5,8 consta o seguinte

          “לא תעשׁה לך פסל וכל תמונה אשׂר בשׂמים ממעל ואשׂר בארץ מתחת ואשׂר במים מתחת לארץ ”

          A quarta palavra da direita para a esquerda encontramos a palavra “פסל” que se lê “FESEL” que, no hebraico, significa ÍDOLO.

          E mais nas traduções bíblicas encontramos quase sempre “IMAGENS DE ESCULTURA” ou “IMAGENS ESCULPIDAS”.

          Devemos entender que não se trata de qualquer imagem e sim apenas como imagens de ídolos.

          É o que se entende quando lemos com cuidado todo o início do Decálogo em que podemos verificar facilmente que se trata de ídolos.

          Por isso de forma alguma devemos aí incluir toda e qualquer imagem que Deus considera

          Caso Fosse o contrário, então Deus não teria:

          1 – mandado fazê-las (Êxodo 25,18; Números 21,8)

          2 – dado suas ordens ao povo falando do meio dos querubins de ouro (Êxodo 25,22);

          3 – operado milagres através delas (Números 21,9; Êxodo 25,22);

          4 – aprovado tais imagens, quando encheu com sua glória o templo de Salomão (que estava repleto delas “por dentro e por fora”) (Números 21,9; 1 Reis 8, 10-11; Êxodo 25,22);

          5 – permitido que seus amigos o adorassem prostrados à frente delas (Josué 7,6)

          Aqui fica claro que Deus proíbe ídolos se caso não fosse Deus não dirá assim para Moisés

          Veja

          Deus informa a Moisés o seguinte: Eu escolhi Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, dando-lhe destreza, habilidade e plena capacidade artística para (desenhar) e executar trabalhos em ouro, prata e bronze, para talhar e esculpir pedras, para entalhar madeira e executar todo tipo de obra artesanal

          Nesse versículo fica claro que é safadeza protestante e dos seus pastores que fazem lavagem cerebral em pessoas inocentes e leigas que são levadas e enganadas pelo livre exame bíblico

          A conhecida sola scriptura.

          Pois meus irmãos católicos e minhas irmãs católicas

          Saibas que são enormes os erros de tradução de João Ferreira de Almeida sobre a palavra Imagens.

          Saibas que em 1683, o tradutor da Bíblia protestante em língua Portuguesa, João Ferreira de Almeida, passa a adulterar as Sagradas Escrituras, colocando o termo “Imagens de Escultura” no lugar de ÍDOLO.

          Para desmascarar esse farsante é simples!

          Leia Exodo 20 verso 3 e 4, no grego e no hebraico, e pegue a palavra EIDLON e PHESEL, traduze ela e veja

          Que a Bíblia protestante está adulterada, em IMAGENS DE ESCULTURA,

          Vejamos esta frase nos escritos originais!

          “לא תעשׁה לך פסל וכל תמונה אשׂר בשׂמים ממעל ואשׂר בארץ מתחת ואשׂר במים מתחת לארץ

          A palavra “פסל” foi escrita em hebraico e se lê “PESEL” que se traduz no grego por “ÊIDOLON” e em português por ÍDOLO. Confira então algumas falsificações, em (Êxodo 20,4) (Isaías 42, 8) (Isaías 42, 17) (Isaías 44,9) (Isaías 44, 10) (Isaías 44,15) (Isaías 44,17) onde nos originais estão as palavras “ÍDOLOS”.

          Além de enfiar a palavra“imagem de escultura”em sua tradução, João Ferreira de Almeida criminosamente enfia também a palavra “procissão” em (Is 45,20). Assim maldosamente, depois de querer condenar as imagens usa mais um pretexto para negar as procissões Católicas.

          As informações daquela época não diziam se Almeida sabia hebraico, mas há uma certeza de que nunca teve às mãos os originais da Bíblia, e sim, escritos do século XVI de Erasmo de Roterdan.

          Por isso hoje, os erros na tradução de João Ferreira de Almeida, aumentaram, incluindo os de gramática, com frases inteiras erradas, tanto pela fraseologia quanto pela ortografia e sintaxe.

          Os atualizadores das edições contemporâneas são, na maioria, estrangeiros, que mal conhecem a língua portuguesa, e escrevem no nosso idioma palavras e frases tiradas do inglês, pois é comum esses revisores e atualizadores serem norte-americanos.

          Para aqueles que não sabem muito sobre a vida de João Ferreira de Almeida, eis um pequeno comentário!

          Almeida saiu do Catolicismo por volta de 1642, para ingressar no protestantismo com o objetivo de trabalhar na Igreja Reformada Holandesa, tornando-se radicalmente um anti-Católico.

          Tinha deixado Portugal para viver em Málaca na Malásia, mas em 1651 se transferiu para a Batávia e, em 1656, se ordenou pastor. Por volta de 1642 começou a traduzir para o Português uma parte do Novo Testamento e em 1683 completou a tradução do Pentateuco.

          João Ferreira de Almeida nunca foi Padre, mas usava este título para ganhar credibilidade, pois eram assim também chamados os missionários protestantes.

          O protestantismo atual não sabendo destas falsas traduções, aprendeu através de várias gerações a acusar os Católicos de adorar imagens. Muitas vezes conseguiram e ainda conseguem confundir os mais simples.

          Lendo na Bíblia (Ex 20,1-5), percebemos que Deus proíbe severamente a fabricação de ídolos(falsos deuses) para serem colocados no lugar do Deus verdadeiro (criador do universo) mas Ele não proíbe a fabricação de imagens.

          Vou aqui esclarecer melhor:

          O que é Imagem: é a representação de um ser em seu aspecto físico. Assim imagem é

          : é um falso deus, inventado pela fantasia humana (sol, lua, animais, etc.) Os povos vizinhos dos antigos Israelitas adoravam vários deuses e fabricavam vários ídolos. uma fotografia, uma estátua, um quadro, etc.

          O que é Ídolo é um falso deus, inventado pela fantasia humana (sol, lua, animais, etc.) Os povos vizinhos dos antigos Israelitas adoravam vários deuses e fabricavam vários ídolos.

          O que é Adorar: é o ato de considerar Deus como o único criador e senhor do mundo.

          O que é Idolatria: é o ato de adorar o ídolo, o falso deus, ou seja, é considerar o falso deus como criador e senhor do universo.

          O que é Venerar: é imitar, honrar, louvar, homenagear, saudar, etc. Por isso, nós Católicos, veneramos os Anjos, os Santos e Nossa Senhora.

          Por isso é certo que quando as imagens não são para serem colocadas no lugar de Deus, isto é, quando as imagens não são para serem adoradas, então o mesmo Deus as manda fazer, e muitas. Confira em: (Êxodo 25,18-20) (26,1-2; 37,7-9) (1 Reis 6,23-29) (1 Reis 6,32; 7,36; 8,7) (2 Crônicas3,10-14; 5,8) (Ezequiel 41,17-21) (Números 21,8-9) (1 Crônicas 28,18-19) (Números 7,89) (1 Samuel 4,4) (2 Samuel 6,2) (Hebreus 9,5)

          O templo de Deus, construído ricamente pelo rei Salomão, estava cheio de imagens de escultura e Deus se manifestou nesse templo e o encheu de sua glória: (Ezequiel 41,17-20 – 43,4-6). Nesse templo havia até imagens gigantes: (1 Reis 6,23-35) (2 Crônicas 3,10-14) tinha “a serpente de bronze, querubins de ouro, grinaldas de flores, frutos, árvores, leões”, etc. (Números. 21,9) (Êxodo 25,13) (Ezequiel 1,5; 10,20) (1 Reis 6,18,23; 7,36) (Números 8,4).

          Os primeiros Cristãos usavam imagens nos lugares de culto, nos cemitérios e nas catacumbas. Perseguidos, para auxiliar sua fé tão posta à prova, pintavam e esculpiam naqueles subterrâneos, figuras representando Cristo e Sua Mãe Santíssima. O que mostra de passagem que o culto também à Mãe de Cristo é tão antigo quanto o próprio Cristianismo. Desde os inícios da arquitetura sacra as Igrejas foram enriquecidas com imagens tanto a título de instrução dos iletrados.

          Irmãos e irmãs as imagens contribuem para dar aos lugares de culto um aspecto sagrado, e convidam ao recolhimento e à oração (Êxodo 25,22) (1 Reis 6,23-28). Por isso, os querubins da Arca da Aliança não eram simples adornos. Lembravam ainda a mediação secundária dos Anjos (Hebreus 1,14), e integravam os objetos do culto.

          OBS.: Na Vulgata, inclusive, é citada que, no Templo de Jerusalém, a presença de uma imagem de homem:

          Apresentando como que a figura de um homem de pé” (III Reis 7,36)>> [BÍBLIA SAGRADA (Traduzida da Vulgata), 15a.

          Conclusão

          A Bíblia é bem clara ao mostrar que Deus manda fabricar as imagens, e mais uma vez é fácil notar o grave erro cometido por João Ferreira de Almeida adulterando passagens das Sagradas Escrituras.

          Elevando pastores falastrões a ganhar muito dinheiro a custas de pessoas que tem suas mentes deturpadas ao engano e a mentira.

          • Francisco disse:

            Meu caro Edmilson, o texto é claro: Eu sou o Senhor teu Deus! Não farás para ti imagens de escultura, nem semelhança do que há em cima nos Céus… Não te curvarás diante delas nem as servirás” (Êxodo 20:4)

            Me diga apenas um trecho da biblia em que um apostolo, ou profeta tenha rezado para algum outro santo que viveu antes deles.

            Me diga apenas um trecho da biblia em que os apostolos tenham pedido ou rezado a Maria para que intercedesse a seu filho por eles.

            E por ultimo, me fale apenas um versiculo em que Cristo tenha nos ensinado a pedir alguma coisa a ele através de sua Mãe, ou que ele se refira a ela como Mãe de Deus ou Rainha do Céu.

            “Então o que está assentado no trono disse: Eis que eu renovo todas as coisas. Disse ainda: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.

            Novamente me disse: Está pronto! Eu sou o Alfa e o Ômega, o Começo e o Fim. A quem tem sede eu darei gratuitamente de beber da fonte da água viva.

            O vencedor herdará tudo isso; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.

            Os tíbios, os infiéis, os depravados, os homicidas, os impuros, os maléficos, os idólatras e todos os mentirosos terão como quinhão o tanque ardente de fogo e enxofre, a segunda morte.
            Apocalipse 21:5-8″

        • Fildo disse:

          procure na bíblia e também vai achar que Deus mandou fazer imagens e outra voces sempre vem com essa conversinha de que católico adora imagens pra nao assumir a verdade da igreja catolica. entre numa seita evangelica e de cara vai ver um poster grande do silas malafaia e suas bugingangas pra ganhar dinheiro dos pseudos fiéis.

          • EDMILSON disse:

            UM FORTE ABRAÇO FILDO QUAL QUER DUVIDA ME PROCURE

            FILDO PROTESTANTES SÃO UMA PIADA

            OLHA SE FOSSE PROIBIDO FAZER IMAGENS A IGREJA CATÓLICA TERIA ADULTERADO O CÂNON DO NOVO TESTAMENTO

            POIS QUEM SELECIONOU O NOVO TESTAMENTO FORAM OS BISPOS DA IGREJA!

            E ASSIM VAI MEU AMIGO QUE VENHA UM PROTESTANTE ME CONTESTAR ISSO
            QUE VAI GANHAR MILHÕES DE REFUTAÇÕES HISTÓRICAS COM NOTAS DE RODA PÉ COM TESTEMUNHAS OCULARES E REGISTROS COMPROVADOS PELOS PADRES DA IGREJA COMPROVADOS PEGA GEOLOGIA E PELA ARQUEOLOGIA…

          • EDMILSON disse:

            MEU CARO FRANCISCO VOU TI MOSTRAR UM POUCO DA DEVOÇÃO AOS SANTOS NA FASE APOSTÓLICA DA IGREJA CATÓLICA.

            VOCÊ FRANCISCO AO MENOS SABE O QUE É O CULTO DOS SANTOS NA IGREJA PRIMITIVA?
            VAMOS LÁ:

            1 – Sendo os Santos amigos de Deus pela santidade, e nossos, pela sua perfeita caridade, é justo que lhes tributemos os louvores que, sob esse duplo título, merecem; e que nos recomendemos à sua intercessão junto de Deus. É justo, visto que neles também se realiza, embora em grau bem menor, mas bem verdadeiro, o que disse de Si mesma, mas cheia do Espírito Santo, a mais santa que todos os Santos, Maria Santíssima: “Todas as gerações me proclamarão bem-aventurada, porque fez em mim grandes coisas o Todo-Poderoso.” (Lc 1,48-49)
            2 – Vê-se, por essas palavras inspiradas, que o louvor dos Santos redunda em louvor e glória de Deus, pois os Santos são obras-primas da sua sabedoria, bondade e poder. Quando os louvamos, é a seu Autor que louvamos. De fato, sendo “Deus admirável em tudo o que é Santo” (Salmo), e sendo os Santos, principalmente, obra de sua graça, Deus os ama de modo especial. Aliás, no preceito de “amar e honrar a Deus” está incluído o de amar e honrar o que Ele ama e honra; e segundo a ordem com a qual Ele o faz. E Deus ama, de modo especial, os seus Santos: a Jesus Cristo enquanto Homem, depois a Nossa Senhora, depois aos Anjos e a todos os Santos da glória; e às santas almas do Purgatório; e aos que ainda pelejam neste mundo.
            3 – Eis porque, já nos dois primeiros séculos do Cristianismo, encontramos registrada a prática de um culto prestado aos Santos, especialmente aos heróis da fé, os mártires cristãos. É útil conhecer alguns documentos históricos dessa época, que atestam remontar às origens do Cristianismo a prática do culto aos Santos. Já provamos que ela lança raízes no Antigo Testamento.(Cf. Folhetos Católicos, nº 03)
            A – Documentos de autores dessa época
            4 – Bem no começo do 2º século (ano 107), Santo Inácio Mártir, que foi discípulo direto dos Apóstolos e Bispo de Antioquia, quando era levado cativo a Roma, aonde ia ser devorado pelas feras por causa da fé católica, afirma em uma carta que escreveu aos fiéis de Éfeso: “Sou vossa vítima, e me ofereço em sacrifício por vossa Igreja.” (Carta aos efésios, nº 21) É este um testemunho da fé da Igreja no valor do martírio sofrido por causa da fé.
            5 – Uma carta com data do ano 156, enviada pelos fiéis da comunidade cristã de Esmirna à comunidade da Frígia (Filomélia), dá notícia de reuniões religiosas e cultuais dos cristãos de Esmirna, realizada no túmulo (“relíquias mais preciosas que o ouro e pedras preciosas” – diz a carta) de seu Bispo e Mártir, São Policarpo, por ocasião dos aniversários de seu martírio. (Padres Gregos, 5, 1029-1045) É já a prática da Igreja ao festejar oaniversário do triunfo dos Mártires e dos Santos.
            6 – Também Orígenes, que viveu no século II e começo do III, atesta a fé da Igreja Católica na intercessão dos Santos, nesses termos: “O Pontífice não é o único a se unir aos orantes; os Anjos e as almas dos justos também se unem a eles na oração.” (Em “De Oratione”)
            7 – E em outro livro dá Orígenes o fundamento dessa mediação: “Eles conhecem os que são dignos da amizade de Deus, e auxiliam os que querem honrá-lO.” (Em “Contra Celsum”)
            O mesmo ensinamento encontramos em São Cipriano, Bispo de Cartago, martirizado no ano 256. Em carta ao Papa São Cornélio, afirma: “Se um de nós partir primeiro deste mundo, não cessem as nossas orações pelos irmãos.” (Carta 57)
            B – As Atas dos Mártires
            8 – A mesma verdade é atestada pelas Atas autênticas do suplício dos mártires. Assim, Santa Teodósia, em Tiro, pedia aos mártires, na hora em que iam para o suplício, que se lembrassem dela quando tivessem recebido a recompensa. E Santa Pantomina, em Alexandria, na hora de seu próprio martírio, prometeu ao soldado que a conduzia, que ia pedir por ele quando estivesse junto de Deus. (Em “Eusébio”,1.6, c. 2; apud Lúcio Navarro (Monsenhor), “A legítima interpretação da Bíblia, p. 542)
            9 – Também em Tarragona, o Bispo Mártir São Frutuoso, na hora do suplício, vendo que muitos fiéis faziam fila e lhe pediam a mesma graça de que não se esquecesse deles quando estivesse junto de Deus, falou para todos em voz alta: “Sim, eu devo ter em mente toda a Igreja espalhada pelo mundo, do Oriente ao Ocidente.”(Acta Fructuosi, 1,7)
            10 – Fiquemos com esses exemplos, por brevidade. Mas notemos que, transcorrido o tempo das perseguições sangrentas que banharam a terra com o sangue generoso dos heróis da fé, era normal que continuasse a ser lembrada com carinho e espírito de fé, a memória de sua fé e santidade. E especialmente no dia de seu nascimento para a glória, como era chamado o seu “dies natalis” (o dia natalício para a glória), se lhe prestasse culto especial.
            C – Documentos Arqueológicos
            11 – A fé dos cristãos dos três primeiros séculos nessa verdade está também registrada em muitas inscrições gravadas nos túmulos de santos cristãos e mártires da fé. Eis alguns exemplos:
            – No Cemitério de São Pânfilo: “Mártires santos, bons e benditos, ajudai a Ciríaco”;
            – No Cemitério de Aquiléia: “Santos Mártires, lembrai-vos de Maria”;
            – Na Via Salária lemos também esta inscrição: “Genciano, fiel em paz… Que em tuas orações, rogues por nós porque sabemos que estás em Cristo”;
            – No Cemitério de Gordiano esta outra: “Sebácio, doce alma, pede e roga por teus irmãos e companheiros”;
            – E no de São Calixto: “Vicência, pede em Cristo por Febe e seu esposo”.
            – No Cemitério de Priscila: “Anatólio… teu espírito descanse em Deus. Pede por tua mãe”.
            São alguns registros apenas. Ver outros em Lúcio Navarro-Ibidem, pg. 541-542- Recife, PE.
            12 – Foi certamente com base em documentos com esses acima transcritos, e em muitos outros, que o sábio Leibnitz – protestante, mas que estudou com lealdade esse assunto – deixo-nos o seguinte e importante depoimento: “É certo que já no segundo século da Igreja Cristã, eram celebradas as festas dos mártires, e que em seus túmulos se reuniam assembléias religiosas.” (Em “Syst. Theol.”, p. 70)
            13 – Note-se que a expressão “assembléias religiosas” indica as “reuniões cultuais” dos primeiros cristãos para celebrar os Mistérios Eucarísticos, ou Santa Missa, e que na época das perseguições religiosas, era também celebrada sobre os túmulos dos mártires nas catacumbas. Eis a razão da “pedra d´ara” dos nossos altares, que contém relíquia dos mártires, e sobre a qual se celebra a Santa Missa.
            14 – Conclusão: A devoção ou culto dos Santos, como é praticado na Igreja Católica – e não nas superstições espíritas e folclóricas – teve sua origem na Igreja Primitiva ou Apostólica, que era dirigida, ou pelos Apóstolos diretamente, ou pelos santos Bispos que os Apóstolos mesmos estabeleceram para substituí-los, e não tardiamente, no século IV, como falsamente pretendem os protestantes.
            15 – Eis os motivos de garantia da legitimidade da devoção aos Santos. Eis como a única Igreja de Cristo (Mt 16,18), a que unicamente tem a promessa de sua assistência divina (Mt 28,20), explicitou os textos sagrados que contêm a verdade bíblica da intercessão dos Anjos e Santos.

            Ela orientou assim os fiéis a festejar o dia de seus natalícios para o Céu, a pedir-lhes auxílio junto de Deus, e a se esforçarem por imitar-lhes as virtudes cristãs.

      • Ilis disse:

        Edmilson,pra começo de conversa, não sou nenhuma herege. Bem, e sobre podridão, onde tiver gente, ser humano, vai haver sempre alguma podridão, porque somos todos feitos de carne, e carne apodrece. Por isso que temos que sempre estar buscando a Deus, pra que o Espírito sobreponha a carne. Bem, e defeitos todas as istituições tem e terão, por que? Porque são compostas por seres humanos falíveis. Só Deus é perfeito, por isso temos que buscar a santidade, sem a qual ninguém verá o Senhor,conforme está escrito em Sua Palavra.

        • EDMILSON disse:

          MEU CARO ILIS COM CERTEZA NÓS HOMENS SAMOS PECADORES
          MOISÉS ERA O LÍDER DA IGREJA DO SEU TEMPO ERROU

          DAVI TAMBÉM, SALOMÃO, PEDRO E VÁRIOS OUTROS

          MAS AMIGOS ELES ERRARAM EM QUESTÕES ADMINISTRATIVAS

          NUNCA ERRARAM EM DOUTRINAS DE FÉ E ESSA É A GRANDE DIFERENÇA!

          OS HOMENS DA IGREJA CATÓLICA COM CERTEZA ERRARAM MAS NAS QUESTÕES DE ADMINISTRAÇÃO E VAIDADES AGORA EM QUESTÕES DOGMÁTICAS JAMAIS

          ILIS A IGREJA CATÓLICA É A UNICA IGREJA VERDADEIRA FUNDADA POR CRISTO

          JESUS CRISTO SÓ QUIS UMA IGREJA

          LUTERO E SEUS BANDOS POR VAIDADES E INTERESSES É QUE DIVIDIU-SE O PROTESTANTISMO POR CAUSA DELES TEM HOJE SEITAS DE TODOS OS NAIPES

          AGORA EU TI PERGUNTO QUAL DESSAS 50 MIL SEITAS AQUI NO BRASIL É A VERDADEIRA?

          A QUE PREGA QUE JESUS CRISTO NÃO É DEUS? OU A IGREJA DA MACONHA? OU A IGREJA DE HOMOSSEXUAIS? ME DIGA ILIS?

          E NÃO ME VENHA COM LOROTAS TODAS ESSAS DENOMINAÇÕES SÃO PROTESTANTES!

          POIS NASCERAM DO LIVRE EXAME BÍBLICO!

          • EDMILSON disse:

            RENATO DE CARVALHO, você não conhece e não entende os dogmas católicos como a Bíblia ?Ao menos RENATO DE CARVALHO? Você sabe ler a Bíblia ? Vamos ver:

            RENATO DE CARVALHO PIRANDO APÓS LEITURA DA BÍBLIA.

            DIZ O HEREGE RENATO DE CARVALHO

            que religião não serve para nada:

            VAMOS DESMASCARÁ ESSA FARSA:

            VAMOS LÁ:

            Ísaias 42, 1: “Eis meu servo que eu amparo, meu eleito ao qual dou toda a minha afeição, faço repousar sobre ele meu espírito, para que às nações a verdadeira religião.”

            2. Ele não grita, nunca eleva a voz, não clama nas ruas.

            3. Não quebrará o caniço rachado, não extinguirá a mecha que ainda fumega. Anunciará com toda a franqueza a verdadeira religião; não desanimará, nem desfalecerá,

            4. até que tenha estabelecido a verdadeira religião sobre a terra, e até que as ilhas desejem seus ensinamentos.Isaías,42´

            Retomemos Isaias 42, 1 e notemos que o profeta inspirado usa a expressão verdadeira religião.

            Expressão similar e com o mesmo sentido, será usada no Novo Testamento no texto: “A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo. (Tiago 1.27)

            Isto é de pirar a cabeça de um protestante honesto que diz que religião não serve para nada, quando o próprio DEUS vivo fala em religião no velho e no novo testamento.

            Isto é que acontece quando alguém deixa de ouvir a Igreja verdadeira para ouvir o pastor.

            E para não fugir a regra, aqueles que gritam que religião não serve para nada quando criticados gritam: “Está havendo perseguição religiosa ao Povo de DEUS.”

            Mais falta de conhecimento bíblico do que isto é impossível.

            Definitivamente: PROTESTANTE NÃO LÊ A BÍBLIA E QUANDO LÊ NÃO ENTENDE.

            ->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->

            Mas dizem os protestantes ainda que as obras não servem para nada. O importante é “olhar” para Jesus e “aceitar” Jesus em uma seita protestante.

            O protestante diz que o Espírito Santo é quem prepara para as boas obras. Não duvidamos que o Espírito Santo prepare para as boas obras. O Espírito Santo só pode produzir coisas maravilhosas.

            Entretanto, o DEUS amoroso e gentilíssimo sempre nos dá livre escolha. Podemos inclusive optar por pregadores protestantes e suas distorções bíblicas se assim desejarmos.

            Tem gente que escolheu Lutero e Calvino contra a Igreja dos Concílios.

            E tem gente escolhendo os pastores televisivos e ignorando a Igreja dos 2.000 anos.

            O texto de Tiago que vimos acima e que recomenda a visita aos órfãos e viúvas, deixa claro que tudo é uma questão de escolha. Uns escolhem visitar os órfãos e viúvas e outros não.

            Se fosse automático, não precisava ser dito. Naturalmente, o Espírito Santo daria o impulso necessário.

            Não por acaso a bíblia diz: “Fazemos o mal que não queremos e deixamos de fazer o bem que gostaríamos(Rm 7, 19)”

            Escolher fazer as coisas boas é decisão pessoal.

            Jesus Cristo deixa claro que a escolha é nossa. Assim sendo, quem fica “esperando” o Espírito Santo sugerir que façamos algo de bom, em verdade está apenas oferecendo uma desculpa tosca pela sua inércia e indiferença ao sofrimento e necessidades alheias.

            Capítulo 25 de Mateus Porque tive fome, e me destes de comer… (Mat.25:35)

            “Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me. Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” (Mateus 25:35-40)

            Pelo texto acima ficou evidente que as obras são necessárias e aqueles que as executam foram exatamente aqueles que observaram a mensagem evangélica.

            Mateus 12.50 : “Pois quem faz a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

            E a sentença daqueles que ignoram as obras ?

            Continuação de Matheus 25:

            Mateus 25:41 Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. Mateus 25:42 Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber; Mateus 25:43 sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me. Mateus 25:44 E eles lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso e não te assistimos? Mateus 25:45 Então, lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer. Mateus 25:46 E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna.

            Tiago confirma:

            Tiago 2:26: “Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta”.

            Ora, se a fé sem obras é morta, significa que ninguém automáticamente que tem fé começa a fazer as boas obras.

            Tem que haver uma decisão para fazer as boas obras.

            É totalmente falsa a afirmação protestante de que as boas obras surgem automáticamente para quem é renascido.

            Mentira grosseira e vil para enganar os tolos e aqueles que sempre estão sujeitos a todo vento de doutrinas e toda sorte de novidades.

            Finalizando: “Tiago 2″

            18 Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.

            Acima, um texto que ratifica mais uma vez a máxima de que sem obras é impossível ter a fé que agrada a DEUS.

            Quem crê em Jesus, crê em tudo que ele pregou e não apenas em parte.

            Quem crê em Jesus, crê quando ele diz que devemos amar ao próximo e fazer-lhe o bem.

            Quem crê em Jesus faz as obras de Jesus e não somente a obra da denominação ou do pastor.

            Martinho Lutero pai dos protestantes e inventor do Sola Scrpitura disse sobre o texto de Tiago:

            Martinho Lutero sobre a carta de Tiago, expressa no prefácio de sua edição do Novo Testamento de 1522, foi de que ela era uma”carta de palha”.

            Isto explica quase tudo não é ?

            Os filhos de Lutero reproduzem as obras de Lutero e criticam quem faz as boas obras como se crêssemos que as obras unicamente são suficientes para a salvação e a fé em Jesus não tivesse importância alguma.

            Alguém disse e não fui eu: “Atribuem a nós doutrinas que não praticamos(salvação pelas obras) e aquelas que efetivamente praticamos(adesão completa a Jesus), estas são ocultadas por nossos perseguidores protestantes. Dando crédito às fábulas e aos falsos mestres, nunca se firmam na verdade.”

            Culpar o Espírito Santo e sair dizendo por aí: “DEUS não me falou ao coração” ou “A Bíblia não nos autoriza a suprir aos mais necessitados” são desculpas asquerosas para quem é indiferente a tudo e a todos e só está interessado em fazer as obras do pastor e atrás de bênçãos materiais.

            E o pastor corrupto por sua vez, não está interessado em que alguém supra materialmente quem quer que seja. Quanto menos ajuda para os de fora, mais recursos para a denominação.

            Com algumas exceções, justiça seja feita, pois nem todos são maus e uma grande parte critica inclusive os abutres no meio protestante, é no protestantismo que surgem expressões de “apóstolos”, “missionários” e “ungidos” do tipo:

            “…ajudar os pobres é desviar recursos da denominação.”

            E mesmo criticado por seus pares, quando surgem as estatísticas e pesquisas, todos de repente passam a integrar a religião “una” evangélica e todos se consideram “irmãos em Cristo.”

            E assim podemos dizer: Quem não concorda com os vermes, torna-se cúmplice de suas obras quando assumem a condição de irmãos em Cristo de um daqueles.

            Por outro lado, os lobos ocupam-se de apresentar aos inocentes ou talvez aos não tão inocentes assim, a demoníaca teologia da prosperidade.

            Curiosamente, só quem prospera a partir desta “teologia” é o próprio doutrinador.

            ->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->

            Dizem estes protestantes e evangélicos que ninguém deve confessar ao sacerdote:

            Mas o que diz a Bíblia da qual o protestante pensa ser seguidor ?

            “Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados, lhe serão perdoados; aqueles a quem os retiverdes, lhes serão retidos” (Jo 20,22-23).

            Não iremos nos alongar. Desnecessário.

            Jesus dá poderes aos apóstolos para que perdoem e retenham pecados.

            Está claro isto ?

            Como é possível aos apóstolos atenderem as ordens de Jesus se ninguém vier ter com eles ?

            Um apóstolo só pode perdoar pecados ou rete-los se antes alguém lhe confessar estes mesmos pecados.

            Ou será que os protestantes estão sugerindo que os apóstolos foram orientados por Jesus a andar pelas ruas apontando dedo para as pessoas e perdoando e retendo pecados ao bel prazer de cada apóstolo ?

            Jesus deu poderes para que eles advinhassem os pecados de cada um ?

            Jesus lhes deu poderes para que sondassem corações e conhecerem quem estava ou não arrependido ?

            Ou Jesus gentil e que dá ao homem sempre o direito de escolha desejava que cada homem e mulher arrependidos desse um passo de humildade e confessasse suas faltas a outro pecador ?

            E diz o protestante em tom de falsa humildade: “Eu só me confesso a DEUS.”

            ->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->->

            Finalizando, dizem os filhos de Lutero que Maria foi uma mulher como outra qualquer:

            Para começar podemos dizer que os filhos de Lutero são extremamente ingratos e desobedientes.

            Lutero sempre defendeu a perpétua virgindade de Maria e lhe atribuiu toda a sorte de privilégios, se não vejamos:

            Palavras de Lutero – Pai dos protestantes

            “Cristo era o único filho de Maria. Das entranhas de Maria, nenhuma criança além dEle. Os ‘irmãos’ significam realmente ‘primos’ aqui: a Sagrada Escritura e os judeus sempre chamaram os primos de ‘irmãos’.” (Martinho Lutero, Sermões sobre João 1-4, 1534-39) “Cristo, nosso Salvador, foi o fruto real e natural do ventre virginal de Maria. Isto se deu sem a cooperação de um homem, permanecendo virgem depois do parto.” (Martinho Lutero, idem.) “Deus diz: ‘o filho de Maria é meu Filho somente.’ Desta forma, Maria é a Mãe de Deus.” (Martinho Lutero, Ibidem) Na mesma direção caminharam os demais reformadores.

            Calvino, seguido pela maioria das denominações protestantes no Brasil, chamou de loucos sutis aqueles que segundo ele abusavam das Escrituras ao atribuirem a José e Maria filhos carnais além de Jesus Cristo.

            Desnecessário reproduzir tudo que disseram os pais do protestantismo em favor de Maria. Quem quiser e tiver sede da verdade pode procurar em toda a internet. É fácil encontrar. Só não vai achar que não tem interesse em conhecer a verdade.

            Prosseguindo, considerando a máxima protestante dos dias atuais, ou seja, Maria foi uma mulher como outra qualquer, vamos aos textos bíblicos que parecem esclarecer toda a questão:

            Lucas 1, 48: “… porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações…”

            Uma pergunta simples: Onde a profecia bíblia se cumpre ? Em que igreja ?

            Alguém já viu o cumprimento da profecia bíblica em alguma igreja protestante ?

            Quer dizer então que a profecia bíblica não se cumpre exatamente nas igrejas que gritam: “Só a Bíblia” ????

            “… desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, …”

            Eu nunca ouvi tal expressão saindo de uma boca protestante ou evangélica.

            Mas não é só isso.

            O protestante que diz que Maria foi uma mulher qualquer, parece não ter lido Lucas 1, 28:

            28. Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo. O anjo do Altíssimo DEUS reverenciou Maria e disse: “Ave, cheia de graça.”

            E o humilde protestante diz: “Barriga de aluguel.”

            Disse o anjo: “O senhor é contigo.” E diz o protestante: “Maria deusa pagã.”

            Em Lucas 1, 30 o anjo do Senhor acrescenta: “Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus.”

            Maria encontrou graça diante de DEUS, disse o anjo. O sábio e doutor em Bíblia protestante diz: “Mãe de aluguel ou Deusa do catolicismo.”

            Após ter recebido do anjo a revelação de que traria ao mundo o filho do Altíssimo DEUS, Maria em completa humildade e submissão diz:

            “Então disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo afastou-se dela.”

            Humilde também é o Senhor da Glória que não veio para ser servido, mas antes veio para servir.

            Já houve na face da terra alguém com mais condições morais de exigir alguma coisa de DEUS pai ?

            Para relembrar: Jesus Cristo: “Pai, se possível, afasta de mim este cálice. Mas não seja feita a minha, mas sim a tua vontade.(Matheus 26, 39)”

            Belos exemplos de humildade e obediência da Virgem Maria e Jesus Cristo.

            Enquanto isso grita o protestante: “Eu não preciso de Religião. Não preciso de igreja. Não preciso de papa, não preciso de santos, não preciso de Maria, não preciso de Eucaristia, não preciso me confessar, eu mesmo posso ler a Bíblia, eu tenho assistência direta do Espírito Santo.”

            Ufa…

            Mas tem mais: “Eu exijo, eu determino, eu tomo posse da benção, eu declaro vitória, DEUS irá me restituir tudo, eu não aceito derrota, tua palavra me garante vitória, etc…”

            Continuamos,

            Lucas 1, 41: “Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.”

            Isabel ficou cheia do Espírito Santo quando ouviu a saudação de Maria.

            E como fica o protestante quando ouve uma saudação nossa a Maria ? Cheio do Espírito Santo é que ele não fica mesmo.

            Lucas 1, 42: “E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre.”

            Isabel, ainda cheia do Espírito Santo, diz: “…bendita és tu entre as mulheres”. E o protestante diz: “impublicável”

            Lucas 1, 43. Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?

            Isabel, ainda cheia do Espírito Santo exclama: “…donde me vem a esta honra de vir a mim a mãe do meu Senhor.”

            O protestante ficaria honrado como Isabel se recebesse a visita de Maria ? Por certo que não. Ele ficaria cheio de ódio. E para Maria sobrariam deboches, escárnio e apelidos.

            Ainda que Isabel tenha chamado Maria de mãe do meu Senhor e ainda que todos saibam que o Senhor é DEUS, grita o protestante: “Maria não é mãe de DEUS.”

            Lucas 1,44: “ Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio.”

            A criança no ventre de Isabel estremeceu de alegria quando ouviu a vóz de Maria. E se o protestante ouvisse a voz de Maria ??? Ele ficaria também cheio de alegria ???

            Lucas 1, 45: “ Bem-aventurada és tu que creste, pois se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas!”

            Isabel felicita Maria como alguém que creu integralmente no Senhor e colocou-se a sua disposição.

            E sobre esta serva irrepreensível, diz o protestante: “Mulher pecadora e comum.”

            E Jesus em seu sofrimento mais atroz ainda entrega a Maria o discípulo mais amado. Não vou nem falar da maternidade universal de Maria para que os protestantes não pulem de raiva.

            Jesus Cristo: Jo 19, 27 Então disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.

            E o protestante levaria Maria para sua casa como determinou Jesus ? Ou a expulsaria de todo e qualquer lugar onde ela pudesse ser encontrada ?

            Jesus deu a sua mãe o discípulo amado. E deu ao discípulo amado sua própria mãe.

            Diga-se de passagem, nesta hora, os “irmãos” de Jesus inventados pelos protestantes desaparecem.

            E mesmo admitindo que Jesus teve um carinho fraternal de filho com sua mãe, já que não podem suportar a maternidade universal, ainda assim dizem que Jesus Cristo a desprezou na Bodas de Canã quando lhe chamou de mulher.

            Chamou sim. E fez também o milagre ainda que não tivesse chegado sua hora. O primeiro milagre de Jesus foi feito a pedido de Maria.

            E Maria como serva fiel e obediente e que sabe conduzir o povo a Jesus disse para quem tem ouvidos e que deseja ouvir: “Fazei tudo que ele vos disser.”

            A pergunta que não quer calar: Quem não lê a Bíblia ? Ou quem lê e nada entende ?

            Nós seguimos: “…Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade” (1Tim 3,15).”

            Por tudo isto e muito mais se diz: “Fora da Igreja Católica não há salvação.”

            Aceitamos que todo homem ou mulher devem aderir a fé e crenças que lhes pareçam mais adequadas. Limitamos nossas questões ao debate unicamente religioso e condenamos assim ofensas a honra e dignidade das pessoas. Acreditamos na liberdade religiosa e condenamos quem deseja impor aos demais credos ou religiões. Condenamos ainda quem cause embaraço a outro no exercício de sua fé.

            RENATO DE CARVALHO VOCÊ É APENAS UM LEIGO TENHO MILHARES DE ESTUDOS E NOTAS DE RODAPÉ E TENHO 40 MIL VOLUMES DE LIVROS DE PATRÍSTICA E QUE FALAM DE PATRÍSTICA E HISTÓRIA PRIMITIVA E NOTAS DE RODA PÉ DOS ANOS 500 ANTES DE CRISTO AO ANO 850 DA ERA CRISTÃ

            VAMOS ME MOSTRE SEU CONHECIMENTO HEREGE POR QUE ATÉ AGORA VOCÊ SÓ ME MOSTROU CONTRADIÇÕES E LOROTAS

          • Francisco disse:

            Maria e a Bíblia
            Maria, a mãe de Jesus, aparece várias vezes nas Escrituras. Segue uma lista de ocasiões quando Maria é mencionada:

            Ela é alistada na genealogia de Jesus (Mateus 1:16).

            É visitada pelo anjo Gabriel, que anuncia que ela conceberá pelo Espírito Santo e dará à luz um filho (Lucas 1:26-28).

            Visita sua parenta, Isabel, que está grávida de João Batista (Lucas 1:39-56).

            José descobre que ela está grávida e decide divorciar-se em segredo até que Deus fala-lhe em sonho e o convence a se casar com ela (Mateus 1:18-25).

            Ela permanece virgem até que Jesus nasce (Mateus 1:25).

            Dá à luz a Jesus (Lucas 2:1-20).

            Ela e José apresentam Jesus no templo (Lucas 2:21-38).

            Ela está presente quando os Magos visitam Jesus (Mateus 2:11).

            É mencionada no sonho que José teve, instruindo-o a levar o menino e sua mãe para o Egito, para escapar de Herodes (Mateus 2:13).

            É mencionada no sonho de José, instruindo-o a levar o menino e sua mãe de volta para Israel (Mateus 2:20).

            Ela se estabelece com a família em Nazaré, onde Jesus cresce (Lucas 2:39-40).

            Viaja para Jerusalém, para a Páscoa, onde o menino Jesus separa-se dos seus pais e é encontrado ensinando no templo (Lucas 2:41-50).

            A família retorna a Nazaré depois da Páscoa e Jesus continua a amadurecer (Lucas 2:41-50).

            Ela e Jesus assistem a uma boda em Caná e, quando Maria pede a Jesus para fazer alguma coisa quando o vinho se acaba, ele realiza seu primeiro milagre registrado na Bíblia (João 2:3-5).

            Ela sai de Caná com Jesus e seus irmãos e todos passam uns poucos dias em Cafarnaum (João 2:12).

            Enquanto Jesus está pregando, Maria e seus filhos estão preocupados com ele, e vêm falar com ele. Neste ponto, Jesus diz aos seus ouvintes que sua mãe e seus irmãos são aqueles que obedecem a Palavra de seu Pai (Mateus 12:46-50; Marcos 3:21, 31-35; Lucas 8:19-21).

            Ela é mencionada quando os judeus se recusam a crer que Jesus seja o Messias porque eles conhecem sua mãe e seu pai (Mateus 13:54-57; Marcos 6:3; João 6:42).

            É referida quando uma mulher da multidão diz a Jesus: “‘Feliz o ventre que te carregou, e os seios que te amamentaram’, Jesus respondeu: ‘Mais felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática’ (Lucas 11:27-28).

            Está ao pé da cruz, quando Jesus diz ao apóstolo João que se responsabilize pelo cuidado dela (João 19:25-27).

            Depois que Jesus ascendeu ao céu, ela e outros irmãos de Jesus estão com os apóstolos e outros discípulos, na sala superior, devotando-se a oração (Atos 1:14).

            Estas ocasiões são as únicas vezes que Maria é especialmente mencionada ou referida nas Escrituras. Alguns estudiosos, contudo, acreditam que Maria seja a mulher referida no Apocalipse, capítulo 12, mas por causa da linguagem figurativa isto é difícil de se discernir com certeza.

            Depois de ler todos os lugares onde Maria é mencionada nas Escrituras, podemos ver que a Bíblia confirma a doutrina católica segundo a qual Jesus foi concebido milagrosamente através do Espírito Santo e que Maria ainda era virgem quando ele nasceu. Ao mesmo tempo vemos que a Igreja Católica conserva um bom número de crenças sobre a mãe de Jesus que não estão contidas na Bíblia. As Escrituras não fazem menção à Imaculada Conceição, a vida sem pecado de Maria, nem sua ascensão ao céu. Também não há recomendações dadas aos cristãos para orarem a ela ou cantarem cânticos de louvor a ela. Como foi afirmado acima, quando uma mulher da multidão tentou honrar Maria porque ela era a mãe de Jesus, ele disse: “Mais felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática” (Lucas 11:27-28). Esta ocasião foi uma oportunidade para Jesus confirmar que Maria deveria ter um lugar de honra nos corações dos cristãos porque ela era sua mãe, mas ele não quis fazer isso.

            O ensinamento da Igreja Católica que afirma que Maria foi virgem até morrer está diretamente contradito pelas Escrituras. A Bíblia afirma somente que Maria permaneceu virgem até que Jesus nasceu (Mateus 1:25), não até que ela morreu. Conforme a relação acima, três evangelhos mencionam que Jesus tinha irmãos e irmãs. Dois dos evangelhos dizem que os nomes dos irmãos eram Tiago, José, Simão e Judas. No evangelho de João 7:1-10 aprendemos que no começo de seu ministério os irmãos de Jesus não criam nele. Mais tarde, contudo, eles devem ter desenvolvido fé nele, porque vemo-los reunindo-se com os discípulos na sala superior depois da ascensão de Jesus (Atos 1:14).

            Resumo
            Examinando as Escrituras a respeito de Maria, a mãe de Jesus, vemos que a maioria da doutrina da Igreja Católica concernente a Maria não encontra sua origem na Bíblia. As Escrituras não dizem aos cristãos que coloquem Maria numa posição de honra especial na igreja ou no reino de Deus.

        • EDMILSON disse:

          ME REFUTE ISSO RENATO DE CARVALHO

          Hebreus 12-23 à universal assembléia e igreja dos primogênitos inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;
          Assembléia = Igreja
          Universal = Católica
          A Igreja Católica (o termo “católico”, derivado da palavra grega: καθολικός (katholikos), significa “universal” ou “geral”),
          Paulo Efésios 2, 20 :“Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina;”
          Jesus realmente prometeu que o Espírito Santo estaria com Sua Igreja e a ensinaria para sempre (cf. João 14,16-17)!
          Estas coisas te escrevo, mas espero ir visitar-te muito em breve. Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é A IGREJA de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade.”
          1Timóteo 3:14-15
          (Atos dos Apóstolos 20,28)
          Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue.
          VEJA RENATO DE CARVALHO O QUE ENSINA A BÍBLIA SOBRE A IGREJA!
          A Bíblia ensina que Nosso Senhor Jesus Cristo, deu o governo da Igreja aos Santos Apóstolos: “Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e, quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou” (Lc 10, 16). Aqui vemos o testemunho da autoridade dos apóstolos sobre toda a Igreja dada pelo próprio Cristo.
          A Bíblia dá testemunho de que os apóstolos claramente escolheram sucessores que, por sua vez, possuíram a mesma autoridade de ligar e desligar. A substituição de Judas Iscariotes por Matias (cf. At 1,15-26) e a transmissão da autoridade apostólica de Paulo a Timóteo e Tito (cf. 2 Tm 1,6; Tt 1,5) são exemplos de sucessão apostólica.
          Além destes exemplos claros há também os implícitos como o caso de Apolo. Apolo era um Judeu natural de Alexandria que conhece o verdadeiro Evangelho em Éfeso (cf. At 18,24-28). A Bíblia diz que Apolo foi levado aos discípulos de Cristo que se encontravam em Corinto (cf. At 19,1).
          São Paulo ao escrever sua primeira carta aos cristãos de Corinto faz menção de Apolo, vejam:
          “Pois acerca de vós, irmãos meus, fui informado pelos que são da casa de Cloé, que há contendas entre vós. Refiro-me ao fato de que entre vós se usa esta linguagem: ?Eu sou discípulo de Paulo; eu, de Apolo, eu, de Cefas; eu, de Cristo” (1Cor 1,11-12).
          Bem, sabemos de onde surgiu Apolo e que ele foi enviado a Corinto, mas o que ele está fazendo na Igreja de Corinto?
          São Paulo continua: “Pois quem é Apolo E quem é Paulo? Simples servos, por cujo intermédio abraçastes a fé, e isto conforme a medida que o Senhor repartiu a cada um deles: eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem faz crescer” (1 Cor 3,5-6).
          Notaram? São Paulo fundou a Igreja em Corinto, mas quem cuidava desta Igreja era Apolo, era ele que no dizer no Apóstolo, regava, isto é cuidava da Igreja. Apolo era então o Bispo de Corinto, instituído pelos apóstolos.
          Apesar das palavras do apóstolo serem claras, isso explica porque os cristãos dissensores de Corinto, ao criar um partido, escolheram o nome de Apolo, que era o líder daquela comunidade, isto é, o Bispo.
          O episcopado de Apolo fica ainda mais claro, nas seguintes palavras de São Paulo:
          “Portanto, ninguém ponha sua glória nos homens. Tudo é vosso: Paulo, Apolo, Cefas (Pedro), o mundo, a vida, a morte, o presente e o futuro. Tudo é vosso! Mas vós sois de Cristo, e Cristo é de Deus. Que os homens nos considerem, pois, como simples operários de Cristo e administradores dos mistérios de Deus” (1Cor 3,21-22; 4,1).
          Veja como São Paulo coloca o ministério de Apolo em igualdade com o seu próprio. Ver também (1Cor 4,6).
          Vimos que a Sagrada Escritura ao contrário do que ensinam os “entendedores da Bíblia” não nega a existência da Sucessão dos Apóstolos, como meio de perpertuar de forma segura o ministério dos Apóstolos, ao contrário, ela confirma isso.
          Agora Renato de Carvalho veja o que diz a história da Igreja?
          Se estamos falando a verdade, devemos obrigatoriamente encontrar na história da Igreja, provas de que a Sucessão Apostólica realmente existia. Caso contrário estaremos somente especulando sobre o que realmente existia na Igreja primitiva, como faz atualmente o protestantismo.
          Vamos ver agora se encontramos na história da Igreja alguma prova da existência da sucessão dos apóstolos:
          Clemente de Roma, o 4º Bispo de Roma na sucessão de São Pedro, em sua primeira carta aos Coríntios (90 D.C) escreve:
          “42. Os apóstolos receberam do Senhor Jesus Cristo o Evangelho que nos pregaram. Jesus Cristo foi enviado por Deus. Cristo, portanto vem de Deus, e os apóstolos vêm de Cristo. As duas coisas, em ordem, provêm da vontade de Deus. Eles receberam instruções e, repletos de certeza, por causa da ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo, fortificados pela palavra de Deus e com plena certeza dada pelo Espírito Santo, saíram anunciando que o Reino de Deus estava para chegar. Pregavam pelos campos e cidades, e aí produziam suas primícias, provando-as pelo Espírito, a fim de instituir com elas bispos e diáconos dos futuros fiéis. Isso não era algo novo: desde há muito tempo, a Escritura falava dos bispos e dos diáconos. Com efeito, em algum lugar está escrito: ?Estabelecerei seus bispos na justiça e seus diáconos na fé” (Is 60,17)”
          “44. Nossos apóstolos conheciam, da parte do Senhor Jesus Cristo, que haveria disputas por causa da função episcopal. Por esse motivo, prevendo exatamente o futuro, instituíram aqueles de quem falávamos antes, e ordenaram que, por ocasião da morte desses, outros homens provados lhes sucedessem no ministério.”
          Vejam que desde o início do Cristianismo já se sabia que os Bispos da Igreja são os sucessores dos Apóstolos. Temos uma prova clara de que a Sucessão dos Apóstolos tinha como objetivo perpetuar o ministério dos Apóstolos, já que a Igreja deveria permanecer ainda na terra durante séculos.
          Portanto, ninguém pode ser intitular Bispo, se não tiver recebido as sagradas ordens através da legítima sucessão dos Apóstolos; e ninguém pode se intitular pastor da Igreja se não tiver recebido a sagrada ordem pelas mãos de um legítimo Bispo.
          A Igreja Apostólica é como um Rio, que possui sua nascente na sucessão dos Apóstolos. É do Colégio dos Apóstolos que a Igreja possui a sua origem, segundo designo do próprio Cristo.
          A Sucessão dos Apóstolos foi algo tão real na vida da Igreja, que muitas destas sucessões foram registradas por alguns historiadores como Hegesipo e Eusébio de Cesaréia.
          Veremos algumas das sucessões dos apóstolos registradas pelo Bispo Eusébio de Cesaréia (Séc IV), historiador da Igreja, em sua obra ?A História Eclesiástica? (HE):
          Sucessão Apostólica em Roma
          “No atinente a seus outros companheiros, Paulo testemunha ter sido Clemente enviado às Gálias (2Tm 4,10); quanto a Lino, cuja presença junto dele em Roma foi registrada na 2ª carta a Timóteo (2Tm 4,21), depois de Pedro foi o primeiro a obter ali o episcopado” (HE III,4,8).
          “A Vespasiano, depois de ter reinado 10 anos, sucedeu Tito, seu filho, como imperador. No segundo ano de seu reinado, o bispo Lino, depois de ter exercido durante doze anos o ministério da Igreja de Roma, transmitiu-o a Anacleto.” (HE III,13)
          “No décimo segundo ano do mesmo império [de Domiciano, irmão de Tito], Anacleto que foi bispo da Igreja de Roma durante doze anos, foi substituído por Clemente, que o Apóstolo [Paulo], na carta aos Filipenses, informa ter sido seu colaborador, nesses termos: ‘Em companhia de Clemente e dos demais auxiliadores meus, cujos nomes estão no livro da vida’” (Fl 4,3)
          “Relativamente aos bispos de Roma, no terceiro ano do reinado do supracitado imperador [Trajano], Clemente terminou a vida, passando seu múnus a Evaristo. No total, durante nove anos exercera o magistério da palavra de Deus.” (HE III,34)
          “Cerca do duodécimo ano do reinado de Trajano (…) Evaristo completado seu oitavo ano, Alexandre recebeu o episcopado em Roma, sendo o quinto na sucessão de Pedro e Paulo.” (HE IV,1)
          “No terceiro ano do mesmo governo [do imperador Aélio Adriano, sucessor de Trajano], Alexandre, bispo de Roma morreu, tendo completado o décimo ano de sua administração. Teve Xisto como sucessor.” (HE IV,4).
          “Ao atingir o império de Adriano já o duodécimo ano, Xisto, tendo completado o décimo ao de episcopado em Roma, teve Telésforo por sucessor, o sétimo depois dos apóstolos.” (HE IV,5,5)
          “Tendo ele [Aélio Adriano] cumprido sua incumbência, após vinte e um anos de reinado, sucedeu-lhe no governo do império romano Antonino, o Pio. No primeiro ano deste, Telésforo deixou a presente vida, no undécio ano de seu múnus e coube a Higino a herança do episcopado em Roma.” (HE IV,10)
          “Tendo Higino falecido após o quarto ano de episcopado, Pio tomou em mãos o ministério em Roma.” (HE IV,11,6)
          “E na cidade de Roma, tendo morrido Pio no décimo quinto ano de episcopado, Aniceto presidiu aos fiéis desta cidade.” (HE IV,11,7)
          “Já atingira o oitavo ano o império de que tratamos [Antonino Vero], quando Sotero sucedeu a Aniceto, que completara onze anos de episcopado na Igreja de Roma.”(HE IV,19)
          “Sotero, bispo da Igreja de Roma, chegou ao termo de sua vida no decurso do oitavo ano de episcopado. Sucedeu-lhe Eleutério, o décimo segundo a contar dos Apóstolos, no décimo sétimo ano do imperador Antonino Vero” (HE V,Introdução,1)
          “No décimo ano do império de Cômodo, Vítor sucedeu a Eleutério, que havia exercido o episcopado durante treze anos.(…)” (HE V,22)
          Sucessão Apostólica em Jerusalém
          “Após o martírio de Tiago e a destruição de Jerusalém, ocorrida logo depois, conta-se que os sobreviventes dos Apóstolos e discípulos do Senhor vindos de todas as partes se congregaram e com os consangüíneos do Senhor ‘ havia um grande número deles ainda vivos ‘ reuniram-se em conselho para verificar quem julgariam digno de suceder a Tiago. Todos unanimemente consideraram idôneo para ocupar a sede desta Igreja Simeão, filho de Cléofas, de quem se faz memória no livro do Evangelho (Lc 24,18; Jô 19,25). Diz-se que era primo do Salvador. Efetivamente, Hegesipo [historiador antigo] declara que Cléofas era irmão de José.” (HE III,11)
          “Por sua vez, tendo Simeão morrido segundo relatamos, um judeu, chamado Justo, ocupou em Jerusalém a sé episcopal. Havia um grande número de circuncisos que acreditavam em Cristo e ele era deste número.” (HE III,35)
          “Certifiquei-me, contudo, por documentos escritos, que, até o assédio dos judeus sob Adriano, sucederam-se em Jerusalém quinze bispos. Diz-se que eram todos hebreus por origem e terem acolhido genuinamente o conhecimento de Cristo. Em conseqüência, aqueles que ali podiam decidir, julgaram-nos dignos do múnus episcopal. Com efeito, a Igreja toda de Jerusalém se compunha então de hebreus fiéis. Assim sucedeu desde o tempo dos apóstolos até o cerco que sofreram então, quando os judeus se contrapuseram aos romanos e foram aniquilados em fortes guerras.
          Uma vez que terminaram nessa ocasião os bispos oriundos da circuncisão, convém levantar agora sua lista, desde o primeiro. Com efeito, o primeiro foi Tiago, denominado irmão do Senhor, depois dele, o segundo foi Simeão; o terceiro, Justo; o quarto, Zaqueu; o quinto, Tobias; o sexto, Benjamim; o sétimo, João; o oitavo, Matias; o nono Filipe; o décimo, Sêneca, o undécimo, Justo; o duodécimo, Levi; o décimo terceiro, Efrém; o décimo quarto, José; finalmente, o décimo quinto, Judas.
          Estes foram os bispos da cidade de Jerusalém, desde os apóstolos até o tempo a que nos referimos. Todos dentre os circuncisos.” (HE IV, 5,2-4)
          “[Durante a perseguição aos Judeus sob o imperador Adriano] a cidade [de Jerusalém] foi reduzida a ser totalmente desertada pelo povo e a perder seus habitantes de outrora. Foi povoada uma raça estrangeira. A cidade romana que a substitui recebeu outro nome, e foi denominada Aélia, em honra do imperador Aélio Adriano. A Igreja da cidade foi composta também de gentios, e após os da circuncisão o primeiro dos bispos a receber a múnus foi Marcos.” (HE IV,6,4)
          “Nesta época [do imperador Cômodo, sucessor de Antonino Vero], era famoso o bispo da Igreja de Jerusalém Narciso, até hoje muito conhecido. Foi o décimo quinto sucessor, após a guerra judaica, sob Adriano. Mostramos que, desde então, a Igreja local constava de gentios, substitutos dos membros da circuncisão e que Marcos foi o seu primeiro bispo proveniente dos gentios.
          Depois dele, as listas dos sucessivos bispos desta região registram Cassiano; em seguida Públio, depois Máximo; após estes, Juliano, e em seguida Caio; depois dele Símaco, outro Caio, e ainda Juliano, após Capitão, a seguir Valente e Doliguiano; por fim Narciso, o trigésimo a contar dos apóstolos, na sucessão regular dos bispos.” (HE V,12)
          A Sucessão Apostólica em Antioquia
          “Evódio foi o primeiro bispo estabelecido em Antioquia; depois ilustrou-se o segundo, Inácio, nessa mesma ocasião.” (HE III,22)
          “Após [Inácio], Heros foi seu sucessor no episcopado em Antioquia” (HE III,36,15)
          “É sabido que, na Igreja de Antioquia, Teófilo foi sexto bispo a contar dos apóstolos, pois Cornélio foi instalado como quarto depois de Heros, nesta cidade, e após, em quinto lugar, Eros recebeu o episcopado.” (HE IV,20).
          A Sucessão Apostólica em Alexandria
          “No quarto ano de Domiciano, Aniano, o primeiro bispo da Igreja de Alexandria, após vinte e dois anos completos de episcopado, morreu. Seu sucessor, como segundo bispo, foi Abíblio” (HE III,14)
          “Nerva [imperador, sucessor de Domiciano] reinou pouco mais de um ano e Trajano lhe sucedeu. No decurso de seu primeiro ano, Abílio, tendo dirigido por treze anos a Igreja de Alexandria, foi substituído por Cerdão. Se contarmos desde o primeiro, Aniano, este foi o terceiro chefe. Nesta ocasião, Clemente estava à frente da Igreja de Roma, e foi o terceiro a ocupar a sé episcopal, depois de Paulo e de Pedro. Lino foi o primeiro, e em seguida Anacleto.” (HE III,21)
          “Cerca do duodécimo ano do reinado de Trajano, bispo de Alexandria, de que falamos um pouco mais acima [Cerdão], deixou a presente vida. Primo foi o quarto, depois dos apóstolos, a assumir o múnus da Igreja de Alexandria.” (HE IV,1)
          “No terceiro ano do mesmo governo [do imperador Aélio Adriano, sucessor de Trajano] (…) na Igreja de Alexandria, Primo morreu no décimo ano em que presidia e sucedeu-lhe Justo.” (HE IV,4).
          “Decorridos um ano e alguns meses [depois do duodécimo ano do império de Adriano], Eumenes teve a presidência na Igreja de Alexandria, em sexto lugar. Seu predecessor [Justo] permaneceu durante onze anos.” (HE IV,5,5)
          “[durante o tempo de imperador Antonino], em Alexandria, Marcos foi nomeado pastor, depois que Eumenes completou treze anos; e tendo Marcos morrido após dez anos de ministério, Celadião assumiu o múnus da Igreja de Alexandria.” (HE IV,11,6).
          “Já atingira o oitavo ano o império de que tratamos [Antonino Vero] (…) Na Igreja de Alexandria, depois que Celadião a presidira durante catorze anos, Agripino assumiu a sucessão” (HE IV,19).
          “Depois que Antonino esteve dezenove anos no governo, Cômodo obteve o poder. No primeiro ano de seu reinado, Juliano assumiu o episcopado das Igrejas de Alexandria, depois de ter Agripino desempenhado suas funções durante doze anos.” (HE V,9)
          “No décimo ano do império de Cômodo, (…) tendo Juliano completado o décimo ano de seu múnus, Demétrio tomou em mãos o ministério das comunidades de Alexandria (…)” (HE V,22)
          Agora Raquel veja a Sucessão apostólica em outras localidades
          “Não é fácil dizer quantos discípulos houve e quais se tornaram verdadeiramente zelosos a ponto de serem considerados capazes, depois de comprovados, de apascentar as Igrejas fundadas pelos apóstolos, exceto aquelas cujos nomes é possível recolher dos escritos de Paulo.
          (…)Relata-se ter sido Timóteo o primeiro a exercer o episcopado na Igreja de Éfeso (1Tm 1,3), enquanto o primeiro nas Igrejas de Creta foi Tito (Tt 1,5)” (HE III,4,3-5).
          “Acrescente-se que acerca do areopagita, de nome Dionísio, do qual afirma Lucas nos Atos que, em seguida ao discurso de Paulo aos atenienses no Areópago, foi o primeiro a crer (At 17,34), outro Dionísio, um ancião, pastor da Igreja de Corinto, assevera que ele se tornou o primeiro bispo da Igreja de Atenas” (HE III, 4,10).
          “Policarpo, não somente foi discípulo dos apóstolos e conviveu com muitos dos que haviam visto o Senhor, mas ainda foi estabelecido pelos apóstolos bispo da Igreja de Esmirna, na Ásia. Nós o vimos na infância.” (Melitão de Sardes em apologia ao imperador Vero, conforme HE IV,14,3).
          “(..)Havendo Potino consumado sua vida aos 90 anos em companhia dos mártires da Gália, Ireneu recebeu a sucessão no episcopado da comunidade cristã de Lião, que era dirigida por Potino. Tivemos notícia de que na juventude ele [Ireneu] foi ouvinte de Policarpo” (HE V,5,8)
          Enfim, citamos estes poucos casos porque apresentar todos os testemunhos dos antigos sobre a sucessão dos apóstolos seria demasiadamente trabalhoso. Os exemplos aqui transcritos já são suficientes para provar a existência da sucessão dos apóstolos na história da Igreja de Cristo.
          AGORA IREI RESUMIR PRA VOCÊ RAQUEL
          Jesus revestiu aos apóstolos da Sua autoridade. A Bíblia em local algum indica que esta autoridade dentro da Igreja iria cessar com a morte dos apóstolos e em lugar algum diz que uma vez morto o último apóstolo, a Palavra de Deus escrita tornar-se-ia a autoridade final.
          Não há fidelidade à Bíblia, sem fidelidade à Igreja de Cristo. A Igreja sempre foi “a coluna e o fundamento da verdade” (cf. 1Tm 3,15) para os cristãos. Quem conhece a memória cristã sabe, que a Bíblia demorou séculos para ser discernida pela Igreja, e que os ensinamentos sucessores dos apóstolos eram recebidos como ensinamentos dos próprios apóstolos:
          “Impossível enumerar nominalmente todos os que então, desde a primeira sucessão dos Apóstolos, tornaram-se pastores ou evangelistas nas Igrejas pelo mundo. Nominalmente confiamos a um escrito apenas a lembrança daqueles cujas obras agora representam a tradição da doutrina apostólica” (HE III,37,4).
          É exatamente através da sucessão apostólica, que podemos identificar onde está a Igreja de Cristo. O colégio dos apóstolos é o que faz visível a Igreja Espiritual. Sem o ministério dos apóstolos não há Igreja; e a perpetuação deste ministério está no ministério dos sucessores dos apóstolos. Como vimos é isto que ensina a Bíblia e é este o testemunho da história do Cristianismo. E em conformidade com toda a Verdade, este é o ensinamento do Santo Padre o Papa João Paulo II, legítimo sucessão de São Pedro (príncipe e líder dos Apóstolos, cf. Lc 22,31s e Mt. 16,18-19):
          “28. Por último, a Igreja é apostólica enquanto ?continua a ser ensinada, santificada e dirigida pelos Apóstolos até ao regresso de Cristo, graças àqueles que lhes sucedem no ofício pastoral: o Colégio dos Bispos, assistido pelos presbíteros, em união com o Sucessor de Pedro, Pastor supremo da Igreja?. Para suceder aos Apóstolos na missão pastoral é necessário o sacramento da Ordem, graças a uma série ininterrupta, desde as origens, de Ordenações episcopais válidas. Esta sucessão é essencial, para que exista a Igreja em sentido próprio e pleno.”
          OLHA RENATO DE CARVALHO SAIBA QUE EXISTEM OS DOCUMENTOS DAS ATAS DOS BISPOS COMO FRAGMENTOS DAS COPIAS DOS ORIGINAIS ESCRITOS DA ÉPOCA COMO PERGAMINHOS GUARDADOS NO VATICANO E TAMBÉM GUARDADOS EM ACERVOS EM VÁRIOS MUSEUS DO MUNDO DE ESCRITORES ECLESIÁSTICOS DOS ESCRITORES PADRES DA IGREJA ETC…
          VAMOS LÁ
          São Clemente Romano:
          NASCIDO NO ANO 30 da era cristã.
          “Não só pela essência, mas também pela opinião, pelo princípio pela excelência, só há uma Igreja antiga e é a IGREJA CATÓLICA
          SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA NASCIDO NO ANO 35 DA ERA CRISTÃ.
          Onde comparecer o Bispo, aí esteja a multidão, do mesmo modo que, onde estiver Jesus Cristo, aí está a IGREJA CATÓLICA”
          (Epístola aos Esmirnenses c 8, 2).
          No século III, Firmiliano, bispo de Capadócia, diz assim: “Há uma só esposa de Cristo que é a IGREJA CATÓLICA” (Ep. De Firmiliano nº 14).
          São Frutuoso, martirizado no ano 259, diz:
          É necessário que eu tenha em mente a IGREJA CATÓLICA, difundida desde o Oriente até o Ocidente”. (Ruinart. Acta martyrum pág 192 nº 3).
          São Policarpo nascido no ano 69 da era cristã:
          NASCIDO NO ANO 69 DA ERA CRISTÃ.
          VEJA O QUE ELE DIZ EM UMA DE SUAS OBRAS
          “A Igreja de Deus que peregrina em Esmirna à Igreja de Deus que peregrina em Filomélio e a todas as paróquias da IGREJA SANTA E CATÓLICA em todo o mundo”.
          “fez menção de todos quantos em sua vida tiveram trato com ele, pequenos e grandes, ilustres e humildes, e especialmente de toda a IGREJA CATÓLICA, espalhada por toda a terra”
          Cipriano (NASCIDO NO ANO 200 CRISTÃ)
          Veja o que ele diz:
          “atrevem-se estes a dirigir-se à cátedra de Pedro, a esta igreja principal de onde se origina o sacerdócio… esquecidos de que OS ROMANOS NÃO PODEM ERRAR NA FÉ”
          (Epist. 59,n.14, Hartel, 683)
          “Estar em comunhão com o Papa é estar em comunhão com a Igreja Católica.”
          (Epist. 55, n.1, Hartel, 614);
          Veja Raquel a grandeza da igreja católica apostólica romana!
          São Paulo já falava: “Porque eu sou o menor dos apóstolos, e não sou digno de ser chamado apóstolo, porque persegui a Igreja de Deus”(1Cor 15,9).
          Essa igreja que são Paulo afirma é a igreja católica. Você conhece são Dionísio de Areopagita morto no ano 96? Ele testifica ser a igreja católica e esse São Dionísio de Areopagita foi um discípulo pessoal de São Paulo!
          Agora, me diga Raquel ?De qual Igreja fala o Apóstolo São Paulo?
          PARA OS PROTESTANTES QUE NÃO SABE.
          Saiba que dentro da bíblia existem três papas! E todos os padres da igreja como todos os padres apostólicos confirmam isso!
          E mais, existem vastos documentos e escritos que testificam isso.
          Olha, Renato de Carvalho! Só do ano 40 ao ano 269 depois de cristo, ainda antes de Constantino ter nascido, já existia mais de 400 documentos dos primeiros bispos e padres da igreja que testificam isso sem nenhuma sombra de dúvida! Fora os que se perderam com o tempo e muitos outros que foram queimados pelos imperadores em suas perseguições contra os mártires da igreja católica.
          Para vocês protestantes que não sabem, saibam que os primeiros papas foram todos mortos pelas mãos dos imperadores.
          Agora veja Raquel a igreja católica no primeiro século indo para o segundo século:
          SÉCULO I / II: “A Igreja de Deus que peregrina em Esmirna à Igreja de Deus que peregrina em Filomélio e a todas as paróquias da IGREJA SANTA E CATÓLICA em todo o mundo” (Ig. Esmirna a São Policarpo, no seu martírio);
          SÉCULO II: “Não só pela essência, mas também pela opinião, pelo princípio pela excelência, só há uma Igreja antiga e é a IGREJA CATÓLICA. “. (Clem. Alex., deStromata 1.7. c. 15).
          SÉCULO III: São Piônio (morto em 251) se lê que Polemon o interroga:
          “— Como és chamado?
          — Cristão.
          — De que igreja?
          — CATÓLICA” (Ruinart. Acta martyrum pág. 122 nº 9).
          – Agora já Santo Inácio, Bispo de Antioquia (+107 morto aprox.), escrevia: “Onde quer que se apresente o Bispo, ali esteja também a comunidade, assim como a presença de Cristo Jesus nos assegura a presença da Igreja Católica” (Aos Esmirnenses 8,2).
          Vou lhes dar um outro conselho Raquel. Pois vocês protestantes que arrancaram 7 livros da Bíblia e partes de alguns outros, deverão arrancar também algumas passagens que são contrárias ‘ao ensinamento de seu pai Lutero’. Ex. “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo”(Mt 28,20); “Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade”(Jo 16,13)…
          Se somente no século XVI é que surgiu o “ILUMINADO” Lutero para descobrir que a Igreja caminhou 15 séculos nas trevas e no erro,
          Vai por mim Renato de Carvalho vocês protestantes são muito fracos e amadores e cheios de sofismas e papagaiadas
          Agora Renato de Carvalho vou lhe da só uma pequena lista de escritores eclesiásticos e de padres da igreja e dos padres apostólicos que testificam a igreja católica
          Olha Renato de Carvalho todos esses nomes de escritores cronistas e padres da igreja e padres apostólicos são muito antes de Constantino ter nascido e eles já testificam a igreja católica tendo como São Pedro o primeiro bispo!
          Anote aí!
          Metódio de Olimpo (sec.III) padre da igreja

          São Serapião de Antioquia era Patriarca de Antioquia (191-211)

          São Firmiliano (feleceu no ano 268 da era cristã)

          São Gregorio Taumaturgo (faleceu no ano 268 da era cristã)

          São Cornélio (faleceu no ano 253 da era cristã)

          São Dionísio (faleceu no ano 268 da era cristã)

          Novaciano (faleceu no ano 257 da era cristã)

          São Panteno De Alexandria feleceu no ano 200 da era cristã)

          São Clemente de Roma (nasceu no ano 30 e faleceu no ano 102 da era cristã),

          Santo Inácio de Antioquia (nasceu no ano 35 e faleceu no ano 110 da era cristã)

          Aristides de Atenas falecido no ano 130 da era cristã) foi um dos primeiros apologistas cristãos; obra conhecida
          Apologia de Aristides.

          São Policarpo (nasceu em 69 e faleceu no ano 156 da era cristã)

          Hermas (faleceu no ano 160 da era cristã)

          Didaquè (ou Doutrina dos Doze Apóstolos) é como um antigo catecismo, redigido entre os anos 90 e 100, na Síria, na
          Palestina ou em Antioquia. Traz no título o nome dos doze Apóstolos. Os Padres da Igreja mencionaram-na muitas
          vezes em suas obras.

          São Justino (nasceu no ano 100 e faleceu no ano 165 da era cristã)

          Santo Hipólito de Roma (nasceu em 160 e faleceu no ano 235 da era cristã)

          Melitão de Sardes (falecido no ano 177 da era cristã)
          Atenágoras (falecido no ano 180 da era cristã)
          São Teófilo de Antioquia (nasceu no ano 120 e faleceu no ano 180 da era cristã)
          Santo Ireneu de Lyon(nascido no ano 130 e faleceu no ano 202 da era cristã)
          São Clemente de Alexandria (falecido no ano 215 da era cristã)
          Orígenes (nasceu no ano 184 e faleceu no ano 254 da era cristã)
          Tertuliano de Cartago (nasceu no ano 160 e faleceu no ano 220 da era cristã)
          São Cipriano (faleceu no ano 258 da era cristã)
          Zeferino falecido no ano 217 da era cristã)
          Urbano nascido no ano 175 e faleceu no ano 230 da era cristã)
          PAPÍAS nasceu no ano 60 e faleceu no ano 130 da era cristã )
          Abercius San Aberciuo Bispo de Hierapolis falecido no ano 167 da era cristã
          MARCO MINUCIO FELIX nasceu no ano 150 e faleceu no ano 215 da era cristã)
          TACIANO (nasceu no ano 120 e faleceu no ano 180 da era cristã)
          São Dionísio Bispo de Corinto,faleceu ano 171 da era cristã)
          Amônio de Alexandria foi um filósofo cristão que viveu no século III dC.
          Teófilo de Cesareia faleceu no ano 195 da era cristã.) foi- bispo de Cesareia
          São Dionísio de Areopagita morto no ano 96 da era cristã.
          São Piônio (morto no ano 251 da era cristã)
          Teognosto conhecido como o teólogo (nascido no ano 210 e morto no ano 270)

          Aristo ou Aríston de Pella (em grego: Αρίστων; em latim: Aristo Pellaeus) (ca. 100 – 160), foi um apologético e cronista cristão, do século II.

    • EDMILSON disse:

      1ª Prova, bíblica. Que mostra claramente que a cidade de babilônia citada por São Pedro é a cidade de Roma

      VEJA:

      1 Pedro 5, 13. A igreja escolhida de Babilônia saúda-vos, assim como também Marcos, meu filho.

      Está é a principal prova de que Pedro esteve em Roma, visto que Roma era tira como a babilônia na época pela semelhança que tinha com a babilônia (Ap 17,5; 18, 10). Assim, na mente de Pedro, a Roma dos seus dias lembrava a antiga Babilônia em riqueza, luxúria e licenciosidade

      Saúda-vos a igreja que está em Babilônia e Marcos meu filho”. Ora, Marcos nesta época (c. 1-62) não se achava em Babilônia mas em Roma.

      Di-lo abertamente S. Paulo em duas epístolas escritas durante o seu primeiro cativeiro na capital do império. Na epístola aos colossenses, IV, 10, Diz”Saúda-vos Aristarco… e Marcos, primo de Barnabé; na epístola a Filemon v. 24: saúda-te Marcos, etc.”.

      Pois a expressão metafórica de Babilônia mostra claramente que São Pedro estava Roma, pois todos os padres apostólicos afirmam unânimes como também os antigos intérpretes historiadores e escritores da época dos fatos de dentro e de fora da igreja:

      JOSEFO FLÁVIO 38 — ca. 100), veja o que Josefo historiador dos hebreus diz No lugar indicado e que leio? Que Herodes Magno antes da era vulgar depôs a Ananel, sumo pontífice, oriundo dos judeus que haviam sido deportados em massa para Babilônia. Quem duvidou jamais deste fato? Mas que prova ele em favor da existência de uma numerosa colônia judaica em Babilônia

      Irmãos católicos saibas que na época em que S. Pedro escreveu a sua primeira epístola? O próprio FLAVIO, no l. XVIII, c. 9, fala dos tempos de Calígula (estamos, pois, na idade apostólica isso é a patrística e mais…

      Saibam que a cidade de Babilônia da época de São Pedro(Babylon-onis) não passava de uma deserto;Pois na região de babilônia não havia judeus quando S. Pedro escreveu a sua epístola.

      As provas contudentes você pode encontrar em alguns relatos dos historiadores da época dos fatos

      Vejam aqui o nome deles

      Estrabão (em grego: Στράϐων; (63 a.C. ou 64 a.C. — ca. 24) foi um historiador, geógrafo e filósofo grego. Foi o autor da monumental Geographia, e um tratado de 17 livros contendo a história e descrições de povos e locais de todo o mundo que lhe era conhecido à época

      Plínio, o Velho (Gaius Plinius Secundus), Foi um nobre romano, cientista e historiador que morreu na erupção do Vesúvio em 79 d.C.;

      Diodoro Sículo ou Diodoro da Sicília (em grego Διόδωρος ὁ Σικελός; ca. 90 a.C. — 30 a.C.), foi um historiador grego, que viveu no século I a.C

      Luciano de Samósata, 115 d.C foi escritor e historiador romano ETC…

      Pausânias (c. 115 – 180 d.C.) foi um geógrafo e viajante grego, autor da Descrição da Grécia, obra que presta um importante contributo para o conhecimento da Grécia Antiga, graças às suas descrições de localidades da Grécia central e do Peloponeso.

      Irmãos e irmãs católicas saiba que são unânimes os testemunhos históricos dos padres apostólicos e de todos os historiadores e escritores eclesiásticos em seus livros e cartas sermões apologéticas e epístolas que comprovam como verdades absolutas o primado de são Pedro em Roma

      VEJA AQUI ALGUNS TESTEMUNHOS SANTOS E VERDADEIROS

      Agora vejo o que diz o 3 terceiro bispo de Roma após São Pedro de nome São Clemente Romano a nascido no ano 30 da era cristã

      “Lancemos os olhos sobre os excelentes apóstolos: Pedro foi para a glória que lhe era devida; e foi em razão da inveja e da discórdia que Paulo mostrou o preço da paciência: depois de ter ensinado a justiça ao mundo inteiro e ter atingido os confins do Ocidente, deu testemunho perante aqueles que governavam e, desta forma, deixou o mundo e foi para o lugar santo. A esses homens [...] juntou-se grande multidão de eleitos que, em conseqüência da inveja, padeceram muitos ultrajes e torturas, deixando entre nós magnífico exemplo.” (São Clemente Bispo de Roma, ano 96, Carta aos Coríntios, 5,3-7; 6,1). Clemente o 3º Bispo de Roma após Pedro, dá testemunho do belíssimo exemplo que o Apóstolo deixou entre os cidadãos Romanos

      “Assim, Mateus publicou entre os hebreus, na língua deles, o escrito dos Evangelhos, quando Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundavam a Igreja.” (Santo Ireneu Bispo de Lião – Contra as Heresias,III,1,1 – 180 d.C).

      “Sob Cláudio [Imperador], Fílon [quande estoriador judeu] em Roma relacionou-se com Pedro, que então pregava aos seus habitantes.” (Eusébio de Cesaréia – HE II,17,1 – 317 d.C)

      Eusébio de Cesaréia, narrando sobre a primeira sucessão Apostólica em Roma escreve: “Depois do martírio de Pedro e Paulo, o primeiro a obter o episcopado na Igreja de Roma foi Lino. Paulo, ao escrever de Roma a Timóteo, cita-o na saudação final da carta [cf. 2Tm 4,21].” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,III,2 – 317 d.C).

      “[...]quanto a Lino, cuja presença junto dele [do Apóstolo Paulo] em Roma foi registrada na 2ª carta a Timóteo [cf. 2Tm 4,21], depois de Pedro foi o primeiro a obter ali o episcopado, conforme mencionamos mais acima.” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,8 – 317 d.C).

      “[...]Alexandre recebeu o episcopado em Roma, sendo o quinto na sucessão de Pedro e Paulo” (Eusébio Bispo de Cesaréia – HE,IV,1 – 317 d.C).

      Papias (nascido no ano 70 e morto no ano 155 da era cristã ),

      Veja o que diz Papias

      diz-nos que Marcos escreveu seu evangelho (baseado em sermões de Pedro), na cidade de Roma.

      OLHE O QUE DIZ O PAPA ZEFERINO MORTO NO ANO 217 DA ERA CRISTÃ

      EPÍSTOLA DO PAPA ZEFERINO

      Zeferino,
      Bispo da cidade de Roma,
      aos mui queridos irmãos que servem ao Senhor no Egito.

      “Recebemos uma grande responsabilidade do Senhor, fundador desta Santa Sé e da Igreja apostólica, e do bem-aventurado Pedro, chefe dos apóstolos:

      bispo Dionísio de Corinto morto no ano 170 da era cristã,

      Veja o que ele diz num extrato de uma de suas cartas aos romanos (170):

      “Tendo vindo ambos a Corinto, os dois apóstolos Pedro e Paulo nos formaram na doutrina evangélica. A seguir, indo para a Itália, eles vos transmitiram os mesmos ensinamentos e, por fim, sofreram o martírio simultaneamente.”

      Saibam também que os mais antigos testemunhos históricos,também atesta-nos que Marcos escreveu as suas páginas inspiradas em Roma, sintetizando nelas a pregação e os ensinamentos do príncipe dos apóstolos.

      ENTRE ELES ESSES TESTEMUNHOS ESTÃO

      SÃO CLEMENTE ROMANO NASCIDO NO ANO 30 DA ERA CRISTÃ

      SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA NASCIDO NO ANO 35 DA ERA CRISTÃ

      HERMAS MORTO NO ANO 160 DA ERA C RISTÃ

      PAPIAS NASCIDO NO ANO 60 DA ERA CRISTÃ,

      JUSTINO NASCIDO NO ANO 100 DA ERA CRISTÃ,

      IRINEU DE LYON NASCIDO NO ANO 130 DA ERA CRISTÃ

      ORÍGNES NASCIDO NO ANO 180 DA ERA CRISTÃ

      E CLEMENTE DE ALEXANDRIA NASCIDO DO ANO 150 DA ERA CRISTÃ

      TODOS ELES TESTAM UNÂNIMES QUE MARCOS ESCREVEU EM ROMA.

      COMO ME ORGULHO DE SER CATÓLICO.

    • EDMILSON disse:

      Francisco existe milhares de profecias de Maria no velho testamento que você não mencionou!

      e outra estude nas fontes ok.

      vai por mim, você estudar sobre Maria por mãos de protestantes você nunca vai conhecer a verdade pense com carinho!

      Pois a igreja católica tem 2000 mil anos!

      e as seitas protestantes nem 500 anos possui!

      • Francisco disse:

        Meu caro Edmilson, como ja falei as escrituras não fazem menção à Imaculada Conceição, a vida sem pecado de Maria, nem sua ascensão ao céu. Também não há recomendações dadas aos cristãos para orarem a ela ou cantarem cânticos de louvor a ela. Quando uma mulher da multidão tentou honrar Maria porque ela era a mãe de Jesus, ele disse: “Mais felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática” (Lucas 11:27-28). Esta ocasião foi uma oportunidade para Jesus confirmar que Maria deveria ter um lugar de honra nos corações dos cristãos porque ela era sua mãe, mas ele não quis fazer isso, portanto ficar repetindo mil vezes que a igreja tem 2 mil anos não prova nada.

        Maria deve ser lembrada sempre como bem aventurada e exemplo de fé, o que não pode é ser venerada como uma deusa que é o que os fieis fazem mais.

        Agora querer comparar a Igreja Catolica e esse circo das novas igrejas evangelicas realmente não vai chegar a lugar nenhum, porque como voce mesmo fala, são milhares de seitas e a Igreja Catolica so existe uma e mesmo diante de tantas crises, se mantem forte. mas o importante é ficar firme na fé pois todas estas seitas e denominações foram prefetizadas pelo proprio Jesus:

        E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane;
        Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos.
        E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.
        Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.
        Mas todas estas coisas são o princípio de dores.
        Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.
        Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.
        E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.
        E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.
        Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.
        E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.
        Mateus 24:4-14

        • EDMILSON disse:

          Ave Maria, concebida sem pecado

          Romanos 3:23 diz: “Todos pecaram e carecem da glória de Deus.”Primeira João 1:8 acrescenta: “Se alguém diz que não tem pecado é mentiroso ea verdade não está nele.” Estes textos não poderiam ser mais claras para milhões de protestantes:? “Como alguém poderia acreditar que Maria estava livre de todo pecado à luz dessas passagens da Escritura que é mais, a própria Maria disse:” A minha alma se alegra em Deus, meu Salvador ‘em Lucas 1:47 . Compreendia claramente se a ser um pecador se admite precisar de um salvador “.

          A resposta católica

          Não poucos protestantes estão surpresos ao descobrir a Igreja Católica na verdade concorda que Maria foi “salvo”. De fato, Maria precisava de um salvador! No entanto, Maria foi “salvo” do pecado de uma forma mais sublime. Ela foi dada a graça de ser “salva” completamente do pecado, para que ela nunca cometeu a menor transgressão. Os protestantes tendem a enfatizar a “salvação” de Deus quase que exclusivamente para o perdão dos pecados realmente cometidos. No entanto, a Sagrada Escritura indica que a salvação também pode se referir ao homem sendo protegido do pecado antes do fato:

          Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar e apresentar-vos irrepreensíveis diante da presença de sua glória, com alegria, ao único Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade, domínio e poder, antes de todos os tempos e agora e para sempre.(Judas 24-25)

          Seiscentos anos atrás, o grande teólogo franciscano Duns Scotus explicou que a queda no pecado poderia ser comparado a um homem se aproximando desconhecem uma vala profunda. Se ele cai na vala, ele precisa de alguém para baixar uma corda e salvá-lo. Mas se alguém avisá-lo do perigo à frente, impedindo o homem de cair na vala em tudo, ele seria salvo de cair em primeiro lugar. Da mesma forma, Maria foi salva do pecado, recebendo a graça de ser preservada a partir dele.Mas ela ainda foi salva.

          Todos pecaram exceção. . .

          Mas o que dizer “todos pecaram” (Rom. 3:23), e “se alguém diz que não tem pecado é mentiroso ea verdade não está nele” (1 João 1:8)? Não seria “tudo” e “qualquer homem” incluem Mary? Na superfície, isso soa razoável. Mas esta maneira de pensar levada à sua conclusão lógica seria listar Jesus Cristo em companhia dos pecadores bem. Nenhum cristão fiel ousaria dizer isso. No entanto, nenhum cristão pode negar os textos claros da Escritura declarando plena humanidade de Cristo também. Assim, para tomar 1 João 1:08 em um sentido estrito, literal seria aplicar “qualquer homem” a Jesus também.

          A verdade é que Jesus Cristo foi uma exceção a Romanos 3:23 e 1 João 1:8. E a Bíblia nos diz que ele estava em Hebreus 4:15: “Cristo foi tentado em todos os pontos como nós somos e ainda assim ele estava sem pecado.” A questão agora é: Existem outras exceções a esta regra? Sim, milhões deles.

          Tanto Romanos 3:23 e 1 João 1:9 lidar com pessoal ao invés de pecado original. (Romanos 5 trata de pecado original.) E há duas exceções a essa norma bíblica em geral. Mas, por agora, vamos simplesmente lidar com Romanos 3:23 e 1 João 1:8. Primeira João 1:8, obviamente, refere-se ao pecado pessoal porque no próximo verso, João nos diz: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados …” Nós não confessar o pecado original; confessarmos os pecados pessoais.

          O contexto de Romanos 3:23 deixa claro que ele também se refere a pecado pessoal:

          Não há justo, nem sequer um, ninguém entende, ninguém busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram de errado, ninguém faz o bem, nem um sequer. A sua garganta é um sepulcro aberto. Eles usam suas línguas para enganar. O veneno of.asps está nos seus lábios. Sua boca está cheia de maldição e amargura. (Romanos 3:10-14)

          O pecado original não é algo que fazemos, é algo que herdamos.Romanos capítulo três lida com o pecado pessoal porque fala de pecados cometidos pelo pecador. Com isso em mente, considere o seguinte: Tem um bebê no útero ou uma criança de dois anos nunca cometeu um pecado pessoal? Não. Para pecar a pessoa tem que saber o ato que ele está prestes a realizar é pecaminoso enquanto livremente engajar sua vontade em realizá-la. Sem as faculdades adequadas que lhes permitam o pecado, as crianças antes da idade da responsabilidade e quem não tem o uso de seu intelecto e não pode pecar. Assim, existem e foram milhões de exceções a Romanos 3:23 e 1 João 1:8.

          Ainda assim, como sabemos que Maria é uma exceção à norma do “todos pecaram?” E mais especificamente, há apoio bíblico para essa afirmação? Sim, há muito apoio bíblico.

          O nome já diz tudo

          E [o anjo Gabriel] veio a [Maria] e disse: “Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo!” Mas ela ficou perturbada com a palavra, e considerado em sua mente que tipo de saudação seria essa. E o anjo disse-lhe: “Não temas, Maria, pois achaste graça diante de Deus.” (Lucas 1:28-30)

          Muitos protestantes insistirão este texto para ser pouco mais do que uma saudação comum do Arcanjo Gabriel a Maria. “O que isso tem a ver com Maria ser sem pecado?” No entanto, a verdade é que, de acordo com a própria Maria, esta não era uma saudação comum. O texto revela Maria ter sido “muito perturbado no dizer e considerado em sua mente que tipo de saudação seria essa “(Lucas 1:29, ênfase adicionada). O que era sobre esta saudação que era tão incomum para Maria reagir desta maneira? Podemos considerar pelo menos dois key.aspects.

          Primeiro, de acordo com os estudiosos bíblicos (bem como o Papa João Paulo II), o anjo fez mais do que simplesmente cumprimentar Maria. O anjo realmente comunicou um novo nome ou título a ela. (Cf.Redemptoris Mater , 8, 9). Em grego, a saudação foi Kaire, kekaritomene , ou “Ave, cheia de graça”. Geralmente, quando um outro recebidos com Kaire , um nome ou título seria encontrado no contexto imediato. “Salve, rei dos judeus” em João 19:03 e “Claudias Lysias, a Sua Excelência o governador Felix, saudação” (Atos 23:26) são dois exemplos bíblicos deste. O fato de que o anjo substitui o nome de Maria na saudação por “cheia de graça” não era nada comum. Isso seria análogo ao me falar com um dos nossos técnicos no Respostas católicas e dizendo: “Olá, ele que conserta computadores.” Na cultura hebraica, nomes e mudanças de nome nos dizem algo permanente sobre o caráter ea vocação de um chamado. Apenas recordar as mudanças de nome de Abrão para Abraão (de “pai” para “pai das multidões”) em Gênesis 17:05, Saray a Sarah (“minha princesa” para “princesa”), em Gênesis 17:15 e Jacó Israel (“suplantador” para “ele que prevalece com Deus”) em Gênesis 32:28.

          Em cada caso, os nomes revelam algo permanente sobre o nomeado.Abraão e Sara transição de ser um “pai” e “princesa” de uma família para ser “pai” e “princesa” ou “mãe” de todo o povo de Deus (cf. Rom 4:1-18, é 51..: 1-2). Eles se tornam patriarca e matriarca do povo de Deus para sempre. Jacó / Israel se torna patriarca cujo nome, “ele que prevalece com Deus”, continua para sempre na Igreja, que é chamado de “o Israel de Deus” (Gl 6:16). O povo de Deus sempre vai “prevalecer com Deus” na imagem do patriarca Jacob.

          O que há em um nome? Segundo as Escrituras, muito.

          São Lucas usa o particípio passivo perfeito, kekaritomene , como o seu “nome” para Maria. Esta palavra significa literalmente “aquela que foi agraciado” em um sentido completo. Este adjetivo verbal, “agraciada”, não está apenas descrevendo uma ação simples passado. Grega tem outra tenso por isso. O tempo perfeito é usado para indicar que uma ação foi concluída no passado, resultando em um estado atual de ser.”Cheia de graça” é o nome de Maria. Então, o que isso nos diz sobre Maria? Bem, a média cristã não é concluída em graça e em um sentido permanente (ver Phil 3:8-12.). Mas de acordo com o anjo, Maria é.Você e eu pecar, não por causa da graça, mas por causa de uma falta de graça, ou a falta de nossa cooperação com a graça, em nossas vidas. Esta saudação do anjo é uma dica para o caráter único e chamado da Mãe de Deus. Só Mary é dado o nome de “cheia de graça” e no tempo perfeito, indicando que este estado permanente de Maria foi concluído.

          Arca da Aliança (Novo)

          A Arca do Antigo Testamento da Aliança era um verdadeiro ícone do sagrado. Porque continha a presença de Deus simbolizada por três tipos de a vinda do Messias-o maná, os Dez Mandamentos, e Aaron da haste que tinha que ser pura e intocada pelo homem pecador (ver 2 Sam. 6:1-9 e Ex. 25:10 ss; Num 4:15)..

          No Novo Testamento, a nova Arca não é um objeto inanimado, mas uma pessoa: a Mãe de Deus. Quanto mais pura seria a nova Arca ser quando consideramos a velha arca era uma mera “sombra” em relação a ele (ver Hb 10:01).? Esta imagem de Maria como a Arca da Aliança é um indicador de que Maria seria oportunamente ser livre de todo contágio do pecado para ser um vaso digno de levar Deus em seu ventre. E o mais importante, assim como a Arca da Antiga Aliança foi preservada desde o momento em que foi construída com instruções divinas explícitas em Êxodo 25, para a Maria ser puro desde o momento da sua concepção. Deus, em certo sentido, preparado sua própria moradia, tanto no Antigo como no Novo Testamento.

          1. A Arca da Aliança continha três “tipos” de Jesus dentro: maná, a vara de Arão, e os Dez Mandamentos. Em hebraico, mandamento ( dabar ) pode ser traduzida como “palavra”. Compare: Maria carregou a realização de todos esses tipos em seu corpo. Jesus é o “verdadeiro [maná] do céu” (João 6:32), o verdadeiro “sumo sacerdote” (Hb 3:1), e “a palavra se fez carne” (João 1:14).

          2. A nuvem de glória (hebraico Anan ) foi representativa do Espírito Santo, e “ofuscou” a Arca quando Moisés a consagrou em Ex.40:32-33. A palavra grega para “ensombrar” encontrada na Septuaginta é uma forma de episkiasei . Compare: “O Espírito Santo virá sobre ti, eo poder do Altíssimo te encobrirá, por isso a criança que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus” (Lucas 1:35). A palavra grega para “ofuscar” é episkiasei .

          3. David “pulou e dançou” perante a Arca quando estava sendo levada para Jerusalém em procissão em 2 Sam. 6:14-16.Compare: Assim que Isabel ouviu o som de saudação de Maria, João Batista “pulou de alegria” em seu ventre (cf. Lc 1:41-44).

          4. Após a manifestação do poder de Deus trabalhando através da Arca, David exclama: “Como é que a Arca do Senhor, vinde a mim?” Compare: Depois da revelação de Elizabeth sobre a verdadeira vocação de Maria, que estava carregando Deus em seu ventre, Isabel exclama: “Por que me é dado, que a mãe do meu Senhor venha me visitar?” (Lucas 1:43)

          5. A Arca do Senhor “permaneceu na casa de Obede-Edom … três meses” em 2 Sam. 06:11. Compare: “Maria permaneceu com [Elizabeth] por cerca de três meses” (Lucas 01:56).

          O Novo

          É importante para nós lembrar que as realizações da Nova Aliança são sempre mais glorioso e mais perfeito do que os tipos do Antigo Testamento, que são “apenas uma sombra das boas coisas por vir” na Nova Aliança (Hb 10:1). Com isto em mente, vamos considerar a revelação de Maria como a “Nova Eva”. Após a queda de Adão e Eva em Gênesis 3, Deus prometeu o advento de uma outra “mulher” em Gênesis 3:15, ou uma “Nova Eva” que iria se opor Lúcifer, e cuja “semente” iria esmagar a cabeça dele. Esta “mulher” e “a semente” iria reverter a maldição, por assim dizer, que o “homem” original e “mulher” trouxe à humanidade através de sua desobediência.

          É mais importante aqui notar “Adão” e “Eva” são revelados simplesmente como “o homem” e “mulher” antes do nome da mulher foi mudado para “Eva” (hebraico, “mãe dos viventes”) depois da queda (veja Gn 02:21 ss). Quando, em seguida, olhar para a Nova Aliança, Jesus é explicitamente referido como o “último Adão”, ou o “Novo Adão” em 1 Coríntios. 15:45. E o próprio Jesus indica que Maria é o profético “mulher” ou “Nova Eva” de Gênesis 3:15, quando ele se refere à sua mãe como “mulher” em João 02:04 e 19:26. Além disso, São João refere-se a Maria como “mulher” oito vezes em Apocalipse 12. Como a primeira Eva trouxe a morte a todos os seus filhos através da desobediência e atendendo as palavras da antiga serpente, o diabo, a “Nova Eva” do Apocalipse 12 traz vida e salvação a todos os seus filhos através de sua obediência. A mesma “serpente” que enganou a mulher original do Genesis é revelado, em Apocalipse 12, a falhar em sua tentativa de superar esta nova mulher. A Nova Eva vence a serpente e, como resultado, “A serpente está zangado com a mulher, e foi fazer guerra ao resto de sua descendência, aos que guardam os mandamentos de Deus, e dar testemunho de Jesus” (Ap . 12:17).

          Se Maria é a nova Eva e realizações do Novo Testamento são sempre mais gloriosa do que seus antecedentes do Antigo Testamento, seria impensável para Maria a ser concebido em pecado. Se ela fosse, ela seria inferior a Eva que foi criado em um estado perfeito, livre de todo pecado.

        • EDMILSON disse:

          Francisco aprenda primeiro o que é o título de Imaculada Conceição e Assunção
          VAMOS LÁ:

          A Imaculada Conceição
          Francisco é importante você entender o que a doutrina da Imaculada Conceição é e o que não é.
          OK
          ///////////
          Pois vocês protestantes pensam que o termo refere-se a concepção de Cristo no seio de Maria, sem a intervenção de um pai humano, mas que é o nascimento virginal. Outros pensam que a Imaculada Conceição significa que Maria foi concebida “pelo poder do Espírito Santo”, na forma como Jesus foi, mas que, também, está incorreto. A Imaculada Conceição significa que Maria, cuja concepção foi trazido sobre a maneira normal, foi concebida sem pecado original ou a sua mancha-que é o que “imaculada” significa: sem mancha. A essência do pecado original consiste na privação da graça santificante, e sua coloração é uma natureza corrupta. Maria foi preservada de esses defeitos pela graça de Deus, desde o primeiro instante de sua existência, ela estava em estado de graça santificante e estava livre do pecado original natureza corrupta traz.
          /////////////////////////////
          Agora Francisco quando se discute a Imaculada Conceição, uma referência implícita pode ser encontrado em saudação do anjo a Maria. O anjo Gabriel disse: “Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo” (Lc 1:28). A expressão “cheia de graça” é uma tradução da palavra grega kecharitomene . É, portanto, expressa uma qualidade característica de Maria.
          A tradução tradicional, “cheia de graça”, é melhor do que o encontrado em muitas versões recentes do Novo Testamento, que dão algo ao longo das linhas de “filha altamente favorecida”. Mary era de fato uma filha altamente favorecido por Deus, mas o grego significa mais do que isso (e nunca menciona a palavra “filha”). A graça concedida a Maria é ao mesmo tempo permanente e de um tipo único. kecharitomene é um particípio passivo perfeito de charitoo , que significa “encher ou dotar de graça.” Uma vez que esse termo está no pretérito perfeito, indica que Maria foi agraciada no passado, mas com efeitos persistentes no presente. Assim, a graça Mary apreciado não foi resultado da visita do anjo. Na verdade, os católicos segurar, se estendeu por toda a sua vida, para a partir da concepção. Ela estava em um estado de graça santificante desde o primeiro instante de sua existência.
          kkkkkkkkkkkkkkkkkk
          Agora veja Francisco as objeções fundamentalistas
          A principal razão dos fundamentalistas para contestar a Imaculada Conceição e a conseqüente impecabilidade de Maria é que nos é dito que “todos pecaram” (Rom. 3:23). Além disso, dizem eles, Mary disse que seu “espírito se alegra em Deus, meu Salvador” (Lucas 1:47), e somente um pecador precisa de um Salvador.
          ///////////////////////
          Francisco vamos tomar a segunda citação em primeiro lugar. Maria, também, necessário um Salvador. Como todos os outros descendentes de Adão, ela estava sujeita à necessidade de contrair o pecado original. Mas, por uma intervenção especial de Deus, realizada no instante em que ela foi concebida, ela foi preservada da mancha do pecado original e suas conseqüências. Ela foi, portanto, redimida pela graça de Cristo, mas de uma maneira especial, por antecipação.
          Considere uma analogia: Suponha que um homem cai em um poço profundo, e alguém chega até tirá-lo. O homem foi “salvo” do poço.Agora imagine uma mulher caminhando, e ela também está prestes a tombar para a cova, mas no exato momento em que ela está a cair, alguém segura sua volta e impede que ela. Ela também foi salvo da cova, mas de uma forma ainda melhor: Ela não foi simplesmente retirado do poço, ela foi impedida de ficar manchada pela lama, em primeiro lugar. Esta é a ilustração cristãos têm usado por milhares de anos para explicar como Maria foi salva por Cristo. Ao receber a graça de Cristo, na sua concepção, ela teve sua graça aplicado a ela antes que ela foi capaz de tornar-se atolada em pecado original e sua coloração.
          //////////////////////
          AGORA FRANCISCO VEJA O QUE DIZ
          O Catecismo da Igreja Católica afirma que ela estava «redimida de um modo mais sublime, em virtude dos méritos de seu Filho” (CIC 492). Ela tem mais um motivo para chamar a Deus seu Salvador do que nós, porque ele a salvou de uma forma ainda mais glorioso!
          Mas o que dizer de Romanos 3:23, “todos pecaram”? Tenha todas as pessoas cometeram pecados reais? Considere uma criança abaixo da idade da razão. Por definição, ele não pode pecar, pois o pecado requer a capacidade de raciocinar ea capacidade de intenção de pecado. Isso é indicado por Paulo mais tarde na carta aos Romanos, quando ele fala do tempo em que Jacó e Esaú eram bebês em gestação como um momento em que “não tinha feito nada bom ou mau” (Rm 9:11).
          /////////////////////////
          Olha Francisco sabemos, também, de uma outra exceção muito importante para a regra: Jesus (Hb 4:15). Então, se a declaração de Paulo em Romanos 3 inclui uma exceção para o Novo Adão (Jesus), pode-se argumentar que uma exceção para a Nova Eva (Maria) também podem ser feitas.
          //////////////////////////
          O comentário de Paulo parece ter um dos dois significados. Pode ser que ele não se refere a absolutamente todos, mas apenas para a massa da humanidade (o que significa que as crianças e outros casos especiais, como Jesus e Maria, seriam excluídos sem ter que ser escolhido). Se não for isso, então isso significaria que todos, sem exceção, está sujeito ao pecado original, o que é verdade para a criança, para o nascituro, mesmo para Mary, mas ela, embora devido a estar sujeitos a ele, foi preservada pela Deus com ele e sua coloração.
          /////////////////////
          Agora uma outra objeção também levantada é que se Maria fosse sem pecado, ela seria igual a Deus. No princípio, Deus criou Adão, Eva e os anjos sem pecado, mas nenhum era igual a Deus. A maioria dos anjos nunca pecou, e todas as almas no céu estão sem pecado. Isso não diminui a glória de Deus, mas se manifesta pelo trabalho que ele tem feito em santificar a sua criação. O pecado não faz um ser humano. Pelo contrário, é quando o homem estiver sem pecado que ele é mais completamente o que Deus quer que ele seja.
          /////////////////////
          E mas Francisco entenda que a doutrina da Imaculada Conceição foi definido oficialmente pelo Papa Pio IX em 1854. Quando os fundamentalistas afirmam que a doutrina foi “inventado” neste momento, eles não compreendem tanto a história dos dogmas e que impele a Igreja a emitir, ao longo do tempo, os pronunciamentos definitivos sobre fé e moral. Eles estão sob a impressão de que nenhuma doutrina é acreditado até o papa ou um concílio ecumênico questões uma declaração formal sobre o assunto.
          ////////////////////////
          Na verdade, as doutrinas são definidas formalmente apenas quando há uma controvérsia que precisa ser esclarecida, ou quando o magistério (a Igreja em sua posse como professor; cf Mt 28:18-20; 1 Tm 3:15, 4…: 11) pensa que o fiel pode ser ajudado por ênfase particular sendo atraídos para alguma crença já existente. A definição da Imaculada Conceição foi solicitado por este motivo, que não aconteceu porque havia dúvidas generalizadas sobre a doutrina. Na verdade, o Vaticano foi inundado com pedidos de pessoas que desejam a doutrina a ser oficialmente proclamado. O Papa Pio IX, que foi muito dedicado à Virgem Maria, espera que a definição iria inspirar outras pessoas em sua devoção a ela.
          /////////////////////
          A ASSUNÇÃO
          A doutrina da Assunção diz que no final de sua vida na terra, Maria foi assunta em corpo e alma, para o céu, assim como Enoque, Elias, e, talvez, outros tinham sido antes dela. Também é necessário ter em mente que o Assunção não é. Algumas pessoas pensam que os católicos acreditam que Maria “subiu” para o céu. Isso não é correto.Cristo, pelo seu próprio poder, subiu aos céus. Maria foi assunta ou arrebatado ao céu por Deus. Ela não fazê-lo sob seu próprio poder.
          //////////////////////////
          E outra coisa Francisco a Igreja nunca foi formalmente definido se ela morreu ou não, bem como a integridade da doutrina da Assunção não seria prejudicada se ela de fato não morreu, mas o consenso quase universal é que ela tenha morrido. O Papa Pio XII, em Munificentissimus Deus (1950), definiu que Maria, “após o término de sua vida terrena” (observe o silêncio sobre a sua morte) “, foi assunta em corpo e alma à glória do céu”.
          ////////////////////////////////
          A possibilidade de uma assunção corpórea antes da Segunda Vinda é sugerido por Mateus 27:52-53:

          VEJA FRANCISCO!
          “[O] túmulos também se abriram, e muitos corpos de santos que tinham dormido foram ressuscitados, e saindo dos sepulcros, depois sua ressurreição, eles entraram na cidade santa e apareceram a muitos.
          ////////////////////////////
          AGORA EU TI PERGUNTO FRANCISCO?
          ” Será que todos esses santos do Antigo Testamento morrer e tem que ser enterrado mais uma vez? Não há nenhum registro disso, mas é gravada por escritores da Igreja primitiva que estavam assunta ao céu, ou pelo menos em que estado temporário de descanso e felicidade, muitas vezes chamado de “paraíso”, onde os justos do Antigo Testamento era esperado até A ressurreição de Cristo (cf. Lucas 16:22, 23:43, Hb 11:1-40;.. 1 Pe 4:6), após o que foram levados para a bem-aventurança eterna do céu.
          ///////////////////////
          Não Mantem-se
          Francisco há também o que poderia ser chamado de prova histórica negativo para Assunção de Maria. É fácil de documentar que, desde o início, os cristãos deram homenagem aos santos, incluindo muitos de quem agora sabemos pouco ou nada. Cidades disputavam o título do último lugar de descanso dos mais famosos santos. Roma, por exemplo, abriga os túmulos de Pedro e Paulo, o túmulo de Pedro estar sob o altar-mor da Basílica de São Pedro em Roma. Nos primeiros séculos cristãos relíquias de santos foram zelosamente guardados e altamente valorizada. Os ossos dos mártires no Coliseu, por exemplo, foram rapidamente recolhido e preservado há muitas contas deste nas biografias daqueles que deram suas vidas pela fé.
          //////////////////////////////
          Está acordado que Maria terminou sua vida em Jerusalém, ou talvez em Éfeso. No entanto, nem as cidades, nem qualquer outro reivindicou seus restos mortais, embora existam afirmações sobre posse de seu túmulo (temporária). E por que nenhuma cidade afirmam que os ossos de Maria? Aparentemente, porque não havia nenhum osso para reivindicar, e as pessoas sabiam disso. Ali estava Maria, certamente o mais privilegiado de todos os santos, certamente o mais santas, mas não temos nenhum registro de seu corpo continua a ser venerada em qualquer lugar.
          //////////////////////////////////
          Complementar à Imaculada Conceição
          Ao longo dos séculos, os Padres e Doutores da Igreja, falou muitas vezes sobre o fittingness do privilégio da Assunção de Maria. Os motivos especulativos considerados incluem a liberdade de Maria do pecado, a maternidade de Deus, a sua virgindade perpétua, e as teclas de sua união com a obra salvífica de Cristo.
          Agora Francisco o dogma é especialmente adequado quando se examina a honra que foi dada para a arca da aliança. Ele continha o maná (pão do céu), tábuas de pedra dos dez mandamentos (a palavra de Deus), ea vara de Arão (um símbolo do sumo sacerdócio de Israel). Por causa de seu conteúdo, que foi feita de madeira incorruptível, e Salmo 132:8 disse: “Levanta-te, Senhor, e ir ao vosso repouso, tu ea arca da tua força.” Se o navio foi dado tal honra, quanto mais deve ser mantida Maria da corrupção, já que ela é a nova arca, que carregava o verdadeiro pão do céu, a Palavra de Deus, eo sumo sacerdote da Nova Aliança, Jesus Cristo.
          ///////////////////////
          Agora Francisco alguns como você argumentam que a nova arca não é Maria, mas o corpo de Jesus.
          Agora eu ti respondo que mesmo se fosse esse o caso, é importante notar que 1 Crônicas 15:14 registros de que as pessoas que levavam a arca estavam a ser santificado. Não haveria sentido em santificar os homens que carregavam uma caixa, e não santificando o ventre que carregou o próprio Deus! Afinal, a sabedoria não vai morar “em um corpo sob a dívida do pecado” (Sb 01:04 NAB).
          //////////////////////////
          Mas Francisco há mais do que apenas fittingness. Afinal, se Maria é concebido imaculadamente, então se seguiria que ela não iria sofrer a corrupção no sepulcro, que é uma conseqüência do pecado [Gênesis 03:17, 19].

          Agora Francisco veja a cooperação de Maria
          Maria livremente e ativamente cooperou de uma maneira única com o plano de salvação de Deus (Lucas 1:38, Gal 4:04.). Como qualquer mãe, ela nunca foi separado do sofrimento de seu Filho (Lucas 02:35), ea Escritura promete que aqueles que participam nos sofrimentos de Cristo vai compartilhar na sua glória (Rm 8:17). Desde que sofreu um martírio interior único, é conveniente que Jesus iria homenageá-la com uma única glória.
          //////////////////////
          Todos os cristãos acreditam que um dia vamos todos ser levantadas de forma gloriosa e, em seguida, preso e processado imaculado para estar com Jesus para sempre (1 Ts 4:17;. Rev. 21:27). Como a primeira pessoa a dizer “sim” para a boa notícia de Jesus (Lucas 1:38), Maria é, em certo sentido, o cristão protótipo, e recebeu no início as bênçãos que serão dadas todas um dia.
          /////////////////////
          Agora vocês das seitas protestantes Francisco é pregam a sola scriptura o que PE o livre exame da Bíblia?
          Mas entenda que desde a Imaculada Conceição e a Assunção não são explícitas nas Escrituras, os fundamentalistas concluir que as doutrinas são falsas.
          //////////////////////
          Mas Francisco aqui, é claro, que nós entramos em um assunto totalmente separado, a questão da sola scriptura , ou a “Bíblia apenas” teoria protestante.
          Pois não há espaço neste trato considerar essa ideia.
          Mais vamos apenas dizer que se a posição da Igreja Católica é verdadeira, então a noção de sola scriptura é falsa. Há então não há problema com a Igreja definir oficialmente uma doutrina que não é explicitamente nas Escrituras, contanto que não está em contradição com as Escrituras coloca isso na sua cabecinha Francisco.
          Aprenda que a Igreja Católica foi encomendada por Cristo para ensinar todas as nações e ensinar-lhes-guiado infalivelmente, como ele prometeu, através do Espírito Santo até o fim do mundo (João 14:26, 16:13).
          Agora o simples fato de que a Igreja ensina que algo é definitivamente verdade é uma garantia de que ela é verdadeira (cf. Matt. 28:18-20, Lucas 10:16, 1 Tm. 3:15).
          COMO ME ORGULHO DE SER CATÓLICO

  10. Leonardo disse:

    Estava lendo tudo tranquilamente, achei interessantíssimo os primeiros relatos históricos acerca dos primeiros cristãos, muitos eu desconhecia. Aí me deparo com os comentários sempre usados pelos atuais biblicistas (protestantes-evangélicos)em não poderem ter como verdade o relato dos primeiros e outros cristãos ao longo da história, pois são doutrinados a não acreditar na tradição cristã, mas só no que está escrito na Bíblia.

    O próprio Cristo disse “o que fiz não caberia escrito em todas as folhas do mundo”, Ele mesmo deixa claro que sua verdade não se limita ao Evangelho. Eu pergunto, como vocês sabem que seus avós tiveram três filhos, que seus bisavós tiveram tantos filhos, viveram na roça, vieram do nordeste num caminhão??? É mentira, pois não tá na Bíblia ou registrado em cartório? Por favor, sabemos que não!!! O caro “leitor” ali em cima disse que só Jesus foi elevado aos Céus. Elias não foi arrebatado aos Céus numa carruagem de fogo? Este foi de corpo e alma aos Céus (2 Reis 2). Moisés já não foi, tanto que o demônio queria que encontrassem seus restos mortais para serem adorados, e São Migual não deixou. Por que eles não estão “dormindo” como andam pregando os neoprotestantes. Do contrário, Elias e Moisés vieram ter com Jesus no monte Tabô, na transfiguração.

    Tenho certeza que a maioria dos evangélicos surgiu da pregação contra os católicos e contra o catolicismo e não do Cristo verdadeiramente. No Brasil, quando a religião evangélica e a universal do reino de Deus foi crescendo, íam no calcanhar: Tradição e ensinamentos vindos dos primeiros apóstolos e discípulos, Nossa Senhora,imagens, a IURD fazia de uma simples dor de cabeça (coisa que todo mundo tem)um demônio, ou encosto, e inventaram diabo pra tudo. O Edir Macedo tem, saiu essa semana na Forbis uma fortuna de quase 1 bilhão de dólares -DELE, que não faz obra de caridade alguma. A não ser usar uma ferramenta de massa pra dominar a cabeça das pessoa, fazer sua briguinha pessoal com a globo e ficar mais rico ainda. A lista traz outros pastores.

    Engraçado, eu vejo protestantes dando testemunho de milagres aqui e ali realizados na igreja. Opa, é mentira, irmão, não tá na bíblia.
    O irmão não sei quem teve uma revelação assim e assado… será, irmão, não tá na bíblia… Se só o que está na Bíblia é verdade, mais da metade das revelações que seu pastor recebeu é MENTIRA. Não estou dizendo que seja. Mas você sim, pois seu pastor nunca foi citado na Bíblia e nem será, confere? Daí o que ele fala ou faz não é verdade, ou é? O testemunho dele, ou seu, vale mais que o dos grandes doutores e primeiros cristãos? Sim, aqueles que beberam água no “filtro” de Maria, de João, com Jesus, com os seus apóstolos, e outros.

    Outro dia ouvi minha avó, há alguns anos convertida ao protestantismo, dizer do pastor lá das fazendas (grosso que nem uma porta), que ele tem mais é que ter fazenda cara mesmo, a igreja dele recebe muito dinheiro. Fiquei bobo com a ingenuidade e naturalidade em aceitar esse absurdo.

    E sei de pessoas que não tem mais móvel algum em casa, pois vendeu pra dar o dízimo pro Edi Macedo ficar bilhonário.
    Se a igreja evangélica fosse a certa, meus queridos, não precisariam de outras todo dia aparecendo, igual boteco nas esquinas, vendendo o sagrado nome de Cristo.

    Lembro uma colega que estudou comigo dizendo, ah, o pastor da minha igreja não tava se dando bem com o outro e abriu outra igreja. Eu olhei com uma cara meio assustada e perguntei pra ela se ela achava isso natural, era branquinha, ficou vermelha. E é isso, amigos. “Minha esposa peidou, vou arrumar outra (desculpem o termo chulo, mas é isso).” Afinal Deus quer que a gente prospere. Podiam pedir pra prosperar na inteligência e no discernimento que é são dons do Espírito Santo. E não no dinheiro que nos afastam de Deus.

    Li ali em cima, um irmão evangélico dizer que as pessoas estão buscando a igreja evangélica pra se libertar, que tem cede de Deus…poxa, como as pessoas tão se tornando melhores, mais caridosas, né? Tá certo, casou não deu certo, vamos casar melhor. “Mostra-me os frutos que eu te direi da árvore.”

    Irmãos católicos, claro que os pastores (homens,falso profetas, ou seja lá o que forem) vão pregar primeiramente contra Maria, ela é o símbolo da obediência que nos uniu a Deus novamente, é um “bem” do cristão verdadeiro. É o canal do divino com o humano. E contra a tradição ensinada pelos primeiros que testemunharam mais do que nós, eu diria, os mistérios de Deus. Também sabemos que tudo isso era previsto já. E que coisas piores virão. Olhe lá se os perseguidores dos cristãos verdadeiros, no fim dos tempos, não serão essas outras denominações malucas aí.

    Ao longo da história, temos milhares de sinais, de que Maria não está dormindo no caixão esperando Jesus voltar e julgar a todos, olhem os sanos incorruptíveis aí pra quem quiser ver. Maria, sim a mulher da qual disse Deus “e porei rivalidade entre ti e geração da Mulher” está sendo tirada da fé das pessoas, sabiamente pelo inimigo; digo sabiamente, porque tá usando o próprio nome de Deus nas igrejas-comércios pra isso.

    Lembro minha tia dizendo que o Papa era o próprio capeta, a besta do apocalipse. Gente, se ele o fosse, o divórcio na Igreja Católica (na evangélica ocorre a rodo) era liberado, o aborto também era, a família era um oba a oba, o sexo era livre,tudo era permitido … engraçado que não é o que a Igreja prega. Será que o demônio, em pessoa, não iria liberar isso? Por favor!

    Aí eles dizem: mas a bíblia fala em não ter imagem, que é idolatria… Salomão, o homem mais sábio de todos os homems (palavras de Deus, e que falava com ele)tinha em seu templo imagens de querubins e de animais por todos os lugares; a Arca da Aliança tinha dois serafins talhados em cima, a mando de Deus. Eram as imagens que evangelizavam os primeiros cristãos. Que marcavam as histórias, eles eram pobres em sua maioria, não sabiam escrever nem ler. A exemplo, a Igreja tem um quadro de Maria que acredita ter sido pintada por São Lucas. O Santo Sudário traz a imagem de Cristo. Quando comprovarem ser verdadeiro, quero ver o que vão dizer.

    E não para por aí, a beata alemã Anna Katharina Emmerick, que teve a visão da casa de onde Maria passara seus últimos dias, em Éfeso, com João. Sem nunca ter estado na região, depois de diversos estudos, constataram ser verídica. Ela teve várias visões de fatos passados e futuros e várias profecias futuras. Ela é a mesma vidente que teve a visão dos últimos dias de Cristo, do qual se baseou Mel Gibson para o filme a Paixão de Cristo. Ela em uma de suas visões revela ter visto milhares deigreja sendo fundadas, umas muito semelhantes com a de Pedro(a Católica), mas seriam fundadas por homens de carne e muitas delas pelo próprio diabo. E muitas vezes via suas estruturas de igreja, mas sendo conduzidas por vultos negros, os quais reconhecia serem demônios.

    E todo devoto de Maria sabe que ela não é nada sem o Cristo e que ela é sim um instrumento que nos leva a Ele. Nunca soube de um Santo que não tivesse sido devoto fervoroso de Maria e que nem por isso desprezaram o amor pelo Senhor de Tudo e de Todos, você já? E desconheço qualquer evangélico que tenha um testemunho de vida mais santo que esses devotos marianos, e sobretudo de Jesus Cristo.

    Mas todo bom evangélico vai dizer que não está na Bíblia. Será que não?
    Semana passada vi o vídeo de uma pastora super famosa evangélica pregando com um livro sobre a patrística (sim, livro sobre o testemunho dos primeiros cristãos) e que não era o Evangelho, heim. Será que o testemunho dos primeiros cristãos vale menos do que o que é pregado atualmente. Aposto que não. Devem ter até mais veracidade do que as mentiras que as pessoas andam pregando aí igrejas à fora.

    Por fim, sempre uso uma frase que ouvi de um religioso “tudo o que está na Bíblia é verdade, mas nem toda a verdade está na Bíblia.” Acredito que limitar Deus e seus mistérios só ao que está escrito na Bíblia é sim um contratestemunho. É achar Deus capaz de muito pouco.

    • Francisco disse:

      Meu caro, tem toda razão a respeito das igrejas evangelicas. Agora existe um ranking dos pastores mais ricos do Brasil e para ver os absurdos basta assitir pela tv, principalmente na madrugada onde ja vi o Valdemiro dizer: ” Se voce não colaborar com a obra, não se preocupe que Deus vai levantar outro no seu lugar para doar, mas voce irá perder a benção”. Somente quem é muito ingenuo para cair num golpe desses.

      • EDMILSON disse:

        FRANCISCO ENTENDA CRIATURA QUE A IGREJA CATÓLICA SEMPRE PREGOU OS SANTOS POR QUE DESDE SEMPRE OS SANTOS SEMPRE FORAM PREGADOS BIBLICAMENTE DESDE SEMPRE PELOS PROFETAS.

        VEJA:

        Vendo-o, pois, os filhos dos profetas que estavam defronte em Jericó, disseram: O espírito de Elias repousa sobre Eliseu. E vieram-lhe ao encontro, e se prostraram diante dele em terra. (2Re 2:15 ACF)
        OS SANTOS NÃO SÃO E NUNCA SERÃO ÍDOLOS QUANDO ELES SÃO COLOCADOS NO SEU DEVIDO LUGAR!
        OLHA FRANCISCO AQUI NESSE PEQUENO ESTUDO VOU MOSTRAR UM POUCO DA TRADIÇÃO BÍBLICA QUE MOSTRA CLARAMENTE QUE QUEM MORRE E FOR SALVO JÁ ESTÁ NO CÉU VAMOS LÁ!
        Mateus 27:52-53:

        VEJA FRANCISCO!
        “[O] túmulos também se abriram, e muitos corpos de santos que tinham dormido foram ressuscitados, e saindo dos sepulcros, depois sua ressurreição, eles entraram na cidade santa e apareceram a muitos.

        E PARA COMEÇAR VEJA AQUI NESSE VERSÍCULO QUE JÓ JÁ ESTAVA MORTO E ELE JÁ ERA REFERÊNCIA BÍBLICA EM TOBIAS E AINDA É CHAMADO DE SANTO POR TOBIAS
        VEJA:
        Tobias, 2

        12. Deus permitiu que lhe acontecesse essa prova, para que a sua paciência, como a do santo homem Jó, servisse de exemplo à posteridade.
        VIU A PRÓPRIA BÍBLIA CHAMA DE HOMEM SANTO A PESSOA QUE SERVIU A DEUS QUANDO ESSE HOMEM ESTAVA NA CAMINHADA DA VIDA PREGANDO O BEM E SERVINDO DE FÉ EXEMPLO!
        VEJA:

        Terrível é Deus na assembléia dos santos, maior e mais tremendo que todos os que o cercam. (Salmos 88, 8)
        MEUS IRMÃOS E MINHAS IRMÃS AGORA PARA NÃO RESTAR DUVIDAS?
        COMPARE O SALMO 88,8 ).
        COM O VERSÍCULO DE APOCALIPSE 5;8 )
        VEJA:
        IT- PERFUMES – “Quando recebeu o livro, os quatro Animais e os vinte e quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um uma cítara e taças de ouro cheias de perfume (que são as orações dos santos)” (Apocalipse 5,8).
        AGORA EM OUTRA PASSAGEM VEJA QUE MOISÉS MESMO MORTO A MILHARES DE ANOS ELE É REFERÊNCIA BÍBLICA NO NOVO TESTAMENTO QUE AFIRMA QUE ELE ESTÁ VIVO E AINDA JULGA
        VAMOS LÁ:
        IT-APÓSTOLOS – “Orai por nós” (Hb 13,18) itBONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

        IT- BONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

        E PARA NÃO RESTAR NENHUMA DUVIDA COMPARE ESSE VERSÍCULO DO NOVO TESTAMENTO COM O DE TOBIAS DO VELHO TESTAMENTO
        E VEJA QUE OS (PATRIARCAS )
        SÃO CONSIDERADOS SANTOS E VIVOS!
        VEJA:
        Somos filhos dos santos (patriarcas), e esperamos aquela vida que Deus há de dar aos que não perdem jamais a sua confiança nele. (Tobias 2, 18)
        E MAIS NOTE A SINTONIA DESSE VERSÍCULO AÍ DE CIMA QUE FALA DOS PATRIARCAS COM ESSE AQUI DEBAIXO
        VEJA:
        Eu digo a vocês: muitos virão do Oriente e do Ocidente, e se sentarão à mesa no Reino do Céu junto com Abraão, Isaac e Jacó. (Mt 8,11).
        AGORA VEJAM MAS PROVAS CLARAS SOBRE OS SANTOS NO CÉU
        O Senhor disse a Moisés: “Eu sou o Deus de Abraão, Isaac e Jacó..”(Ex 3,6).
        No tempo de Moisés, Abraão, Isaac e Jacó já haviam morrido.
        Como Deus disse que era o “DEUS DELES” ?
        Ora, ele não é Deus dos mortos, mas dos vivos. (Mt 22,31-32).

        O ENGRAÇADO É QUE AINDA TEM PROTESTANTES QUE TENTAM INUTILMENTE REFUTAR A IGREJA CATÓLICA DIZENDO QUE OS SANTOS SÃO INVENÇÃO DA IGREJA CATÓLICA ISSO É O CUMULO!
        AGORA
        VEJA MAIS REFERÊNCIAS AOS SANTOS NO CÉU
        IT-CONHECIMENTO – 2 – “Não sabeis que os Santos julgarão o mundo?”. (1 Cor 6, 2). Ora, o mundo a que São Paulo se referia é o nosso mundo dos vivos. Portanto, Os Santos, para nos julgarem, devem conhecer nossas necessidades, isto é, devem ter contato com nossa realidade.
        DETALHE
        IT-CONHECIMENTO – 3 – Samuel profetizou mesmo depois de morrer: “Depois disso, adormeceu e apareceu ao rei, e lhe mostrou seu fim (próximo); levantou a sua voz do seio da terra para profetizar a destruição da impiedade do povo” (Eclesiástico 46,23)

        AGORA VEJA COMO OS OSSOS DE UM SANTO PROFETA MESMO MORTO FAZ MILAGRES
        IT-ELISEU – “Ora, aconteceu que um grupo de pessoas, estando a enterrar um homem, viu uma turma desses guerrilheiros e jogou o cadáver no túmulo de Eliseu. O morto, ao tocar os ossos de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se de pé. ” (II Reis 13,21)
        RESUMINDO MEUS IRMÃOS E MINHAS IRMÃS
        A IGREJA PROVA PELA PATRÍSTICA E PELA ARQUEOLOGIA QUE A DEVOÇÃO AOS SANTOS JÁ VEM DE NOÉ DE ABRAÃO DE MOISÉS ETC…
        E AOS TEMPOS DOS APOSTÓLOS INDISCUTIVELMENTE.
        VEJA UMA PEQUENA PROVA!
        IT-GRAFITOS – Nas catacumbas de São Sebastião, em Roma, onde foi sepultado este glorioso mártir, há um lugar denominado: “Memória Apostólica de São Sebastião”. Entre os anos 250 e 260, os cristãos aí depositaram os restos mortais de São Pedro e São Paulo. Ao que tudo indica, serviu de refúgio. O violento acirramento da perseguição dos Imperadores Decio e Valeriano trazia o perigo de profanação aos seus túmulos. O Martyriologium Hieronymi, no ano de 258, faz referências à festa de São Pedro, celebrada como hoje, no dia 29 de junho, simultaneamente com a de São Paulo nessas catacumbas e a do 1º Papa também no Vaticano. O corpo de São Sebastião foi colocado nesse cemitério subterrâneo e lhe deu o nome. Nas paredes circunvizinhas ao lugar do sepultamento há 660 grafitos com intercessões aos dois Apóstolos. São redigidos em grego, latim e uma em aramaico, datados em torno do ano de 257. Eis como exemplo: “Pedro e Paulo intercedei pelos pecadores”; “Paulo e Pedro rogai por Vítor”; “Paulo e Pedro rogai por cada um de nós e pelos nossos bens”; “Paulo e Pedro abençoai-nos”. Tais orações são feitas em favor de vivos e mortos por cristãos oriundos de várias partes do orbe, o que se deduz pelos idiomas usados. Esses grafitos – eu os vi recentemente – revelam costume no início da Igreja de os fiéis pedirem a intercessão dos santos junto ao trono de Deus.
        E MAIS
        IT-MORTOS – A Igreja sempre acreditou na intercessão dos que haviam “morrido em Cristo,” isto é, santamente. Daí o culto aos mártires desde o tempo das catacumbas. Veja, … estas inscrições encontradas nas lápides túmulares, nas catacumbas: “Ático, dorme em paz seguro de tua salvação e pede solícito por nossos pecados” (Inscrição em lápide, hoje no Museu Capitolino) “Vicência, pede em Cristo por Febe e por seu esposo” ( Catacumba de São Calixto). “Sabácio, doce alma, PEDE E ROGA PELOS IRMÃOS E COMPANHEIROS TEUS” ( Catacumba de São Gordiano). “Genciano, fiel, em paz, que viveu 21 anos, 8 meses e 16 dias. QUE EM TUAS ORAÇÕES ROGUES POR NÓS, PORQUE TE SABEMOS EM CRISTO” ( Lápide encontrada na via Salária). E veja, …, esta outra inscrição como mostra a crença dos cristãos primitivos no Purgatório: ” Ó Cristo, tem presentes a Marcelino pecador e a Jovino, que sempre vivais em Deus”( Cemitério de São Pedro) [ Todas estas inscrições estão citadas no livro de Lúcio Navarro, Legítima Interpretação da Bíblia,p. 542].

        CONCLUSÃO MEU CARO FRANCISCO A TRADIÇÃO JÁ VEM DESDE O COMEÇO DO POVO DE DEUS DO ANTIGO TESTAMENTO!

        VOU DA UNS EXEMPLOS:

        PELA TRADIÇÃO O CEGO CHAMAVA JESUS DE FILHO DE DAVI!
        MAS JESUS NÃO Ó ADVERTIU E MUITO MENOS CONDENOU OU ADVERTIU O CEGO DE ELE ESTARIA COMETENDO IDOLATRIA POR CHAMAR JESUS DE FILHO DE DAVI! POIS DAVI JÁ ESTAVA MORTO NO TEMPO DE JESUS?
        VEJA:
        Lucas 18
        35 Ao aproximar-se Jesus de Jericó, um homem cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmola.
        36 Quando ouviu a multidão passando, ele perguntou o que estava acontecendo.
        37 Disseram-lhe: “Jesus de Nazaré está passando”.
        38 Então ele se pôs a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
        39 Os que iam adiante o repreendiam para que ficasse quieto, mas ele gritava ainda mais: “Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
        40 Jesus parou e ordenou que o homem lhe fosse trazido. Quando ele chegou perto, Jesus perguntou-lhe:
        41 “O que você quer que eu faça?” “Senhor, eu quero ver”, respondeu ele.
        42 Jesus lhe disse: “Recupere a visão! A sua fé o curou”.
        43 Imediatamente ele recuperou a visão e seguia Jesus glorificando a Deus. Quando todo o povo viu isso, deu louvores a Deus.

        E MAIS ISSO É TRADIÇÃO JÁ PREGADA NO TEMPO DE JESUS
        E MUITO ANTES TAMBÉM PELOS DOUTORES DA LEI PELOS ESCRIBAS
        E TAMBÉM PELOS MESTRE DA LEI E POR TODOS OS ANCIÕES
        AGORA:
        VEJA COMO O POVO COMPARAVA JESUS
        QUEM DIZEIS QUE EU SOU?
        Em Marcos 8:27-29, Jesus abordou os discípulos com duas perguntas: A primeira foi “Quem dizem os homens que sou eu? E muitos comparam jejus e
        Diziam que ele era João Batista, Elias, e algum dos profetas –
        E NOTE AQUI: QUE JESUS NÃO REPREENDEU NENHUM DOS APOSTÓLOS E MUITO MENOS O POVO QUE AFIRMAVA QUE JESUS FOSSE JEREMIS ETC…
        SABE POR QUE? JESUS NÃO ADVERTIA O POVO?
        POR QUE O PRÓPRIO JESUS FAZIA REFERÊNCIAS AOS PATRÍRCAS JÁ MORTOS E ABRAÃO É UM GRANDE EXEMPLO DISSO!
        JESUS DIZIA QUE ANTES DE VIM AO MUNDO ABRAÃO JÁ SORRIA COM SUA CHEGADA!
        JESUS TAMBÉM FALA DE LAZÁRO NO SEIO DE ABRAÃO.

        E A BÍBLIA TAMBÉM DIZ QUE TODAS AS DECENCIAS CHAMARÃO ABRAÃO DE PAI DA FÉ!

        E O ANJO TAMBÉM DIZ QUE TODAS AS DECENDENCIAS CHAMARÃO MARIA DE BEM AVENTUDA.
        VEJAM O QUE DIZ SÃO PAULO
        “2. Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado até o terceiro céu. Se foi no corpo, não sei. Se fora do corpo, também não sei; Deus o sabe. 3. E sei que esse homem – se no corpo ou se fora do corpo, não sei; Deus o sabe – 4. foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que não é permitido a um homem repetir” (II Coríntios capítulo 12)
        AGORA VEJA A LIGAÇÃO DESSE OUTRO VERSÍCULO!
        São Lucas 23:39-43: “E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo hoje que estarás comigo no Paraíso.”
        AGORA VEJA QUE AQUI:
        JESUS FALA DE ABRAÃO NO PARAÍSO E MAIS JESUS SEMPRE USOU A TRADIÇÃO COMO REALIDADE!
        VEJA:
        “22. Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. 23. E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio. 24. Gritou, então: – Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas. 25. Abraão, porém, replicou: – Filho, lembra-te de que recebeste teus bens em vida, mas Lázaro, males; por isso ele agora aqui é consolado, mas tu estás em tormento. 26. Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá”
        ISSO É CLARO QUEM MORRE E ESTÁ SALVO COM CERTEZA ELE ESTÁ NO CÉU
        VEJA UMA OUTRA PROVA DISSO!
        2 Macabeus. 15.12-16 – Onias Sumo Sacerdote e o profeta Jeremias estavam falecido durante séculos, e ainda interagiram com o Judas Macabeus e rezaram pelo o povo santo na terra.

        AGORA PARA NÃO RESTAR DUVIDAS?
        LEIA ESSE VERSÍCULO ” (Col. 1, 3). No evangelho de S. Mateus (20, 30), Jesus Cristo ensina que os “santos são como os anjos de Deus no céu”.

        E MAIS…
        IT-ONIAS – “Tomando então a palavra, disse Onias: “Este é o amigo de seus irmãos aquele que muito ora pelo povo e por toda a cidade santa, Jeremias, o profeta de Deus” (2Mac 15,14).
        ISSO É INTERCESSÃO
        IT-SANTOS – 1 – “A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus. ” (Apocalipse 8,4).

        AGORA AQUI NESSAS PASSAGENS É SÓ MAIS UMA DAS GRANDES AMOSTRAS DE QUE QUANDO MORREMOS JÁ SAMOS JULGADOS

        VEJA:

        JU-PARTICULAR – CADA UM RECEBERÁ O QUE MERECE – “Porque teremos de comparecer diante do tribunal de Cristo. Ali cada um receberá o que mereceu, conforme o bem ou o mal que tiver feito enquanto estava no corpo. ” (II Coríntios 5,10)

        JU-PARTICULAR – DEPOIS DA MORTE – “E como é um fato que os homens devem morrer uma só vez, depois do que vem um julgamento” (Hb 9,27)

        JU-PARTICULAR – DILEMA DE SÃO PAULO – “Sinto-me num dilema: o meu desejo é partir e ir estar com Cristo, pois isso me é muito melhor, mas permanecer na carne é mais necessário por vossa causa” (Fl 1,23-24)

        JU- PARTICULAR – LADRÃO – “Ele [Jesus] respondeu: “em verdade, eu te digo, hoje estarás comigo no Paraíso” (Lc 23,43)

        JU-PARTICULAR – MORAR JUNTO DO SENHOR –
        Sim, estamos cheios de confiança, e preferimos deixar a mansão deste corpo para ir morar junto do Senhor” (2Cor 5,8
        JU-PARTICULAR – RICO AVARENTO E LÁZARO – “Aconteceu que o pobre morreu e foi levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado” (Lc 16,22

        AGORA VEJA A LIGAÇÃO DOS VERSÍCULOS (LC 16,22 )COM MT.17.1-3 E MARCOS 9.4, LUCAS 9.30-31
        VEJA:
        Mt. 17.1-3, Marcos 9.4, Lucas 9.30-31 – Moisés falecido e Elias aparecem na Transfiguração para conversar com Jesus, na presença de Pedro, Tiago e João (que podem ser as duas “testemunhas” João se refere no Ap 11.3). Nada na Bíblia nunca sugere que Deus odeia ou proíba a comunicação entre quem vive no céu e quem vive na terra. Ao contrário, Deus incentiva a comunicação dentro da comunhão dos santos. Aparecimento de Moisés e Elias na terra também nos ensinam que os santos no céu têm recursos que superam nossas limitações na terra.
        E MAIS…
        Mt. 22.30, Jesus diz que seremos “como anjos no céu.” Isso significa que santos humanos (como os santos anjos) podem ser chamados para ajudar as pessoas na terra. Deus permite e incentiva a interação entre os membros de sua família.

        AGORA VOU MOSTRAR UMA PASSAGEM BÍBLICA EM QUE APARECEM 2 HOMENS VESTIDOS DE BRANCO AOS APOSTÓLOS.

        VEJA:

        Atos 1
        9. Depois de dizer isso, Jesus foi levado ao céu à vista deles. E quando uma nuvem o cobriu, eles não puderam vê-lo mais.
        10. Os apóstolos continuavam a olhar para o céu, enquanto Jesus ia embora. Mas, de repente, dois homens vestidos de branco
        11. apareceram a eles e disseram: “Homens da Galiléia, por que vocês estão aí parados, olhando para o céu? Esse Jesus que foi tirado de vocês e levado para o céu, virá do mesmo modo com que vocês o viram partir para o céu.”
        A IGREJA CATÓLICA SEGUE FIELMENTE A DOUTRINA DA BÍBLIA DO NOVO TESTAMENTO SOBRE A DEVOÇÃO AOS SANTOS!

        AGORA NESSE VERSÍCULO NOTE QUE JÓ JÁ MORTO JÁ É REFERÊNCIA BÍBLICA EM TOBIAS E AINDA É CHAMADO DE SANTO POR TOBIAS
        VEJA:
        Tobias, 2

        12. Deus permitiu que lhe acontecesse essa prova, para que a sua paciência, como a do santo homem Jó, servisse de exemplo à posteridade.
        VEJA AGORA NESSA OUTRA PASSAGEM OS SANTOS SALVOS QUE ESTÃO NA ASSEMBLÉIA
        VEJA:

        Terrível é Deus na assembléia dos santos, maior e mais tremendo que todos os que o cercam. (Salmos 88, 8)
        AGORA PARA NÃO RESTAR DUVIDAS?
        COMPARE O SALMO 88,8 )
        COM APOCALIPSE 5;8 )
        VEJA:
        IT-PERFUMES – “Quando recebeu o livro, os quatro Animais e os vinte e quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um uma cítara e taças de ouro cheias de perfume (que são as orações dos santos)” (Apocalipse 5,8).

        AGORA EM OUTRA PASSAGEM VEJA QUE MOISÉS MESMO MORTO A MILHARES DE ANOS ELE É REFERÊNCIA BÍBLICA NO NOVO TESTAMENTO QUE AFIRMA QUE ELE ESTÁ VIVO E AINDA JULGA
        VAMOS LÁ:
        IT-APÓSTOLOS – “Orai por nós” (Hb 13,18) itBONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

        IT-BONS – Quem acusa os maus também os defende os bons – “Não julgueis que vos hei de acusar diante do Pai; há quem vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. ” (São João 5,45)

        VEJA MAIS REFERÊNCIAS AOS SANTOS NO CÉU
        IT-CONHECIMENTO – 2 – “Não sabeis que os Santos julgarão o mundo?”. (1 Cor 6, 2). Ora, o mundo a que São Paulo se referia é o nosso mundo dos vivos. Portanto, Os Santos, para nos julgarem, devem conhecer nossas necessidades, isto é, devem ter contato com nossa realidade.
        AGORA UM DETALHE
        IT-CONHECIMENTO – 3 – Samuel profetizou mesmo depois de morrer: “Depois disso, adormeceu e apareceu ao rei, e lhe mostrou seu fim (próximo); levantou a sua voz do seio da terra para profetizar a destruição da impiedade do povo” (Eclesiástico 46,23)

        VEJA COMO OS OSSOS DE UM SANTO PROFETA MESMO MORTO FAZ MILAGRES
        IT-ELISEU – “Ora, aconteceu que um grupo de pessoas, estando a enterrar um homem, viu uma turma desses guerrilheiros e jogou o cadáver no túmulo de Eliseu. O morto, ao tocar os ossos de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se de pé. ” (II Reis 13,21)
        RESUMINDO A IGREJA PROVA PELA BÍBLIA E TAMBÉM PELA PATRÍSTICA E PELA ARQUEOLOGIA QUE A DEVOÇÃO AOS SANTOS JÁ VEM DOS APOSTÓLOS
        VEJA UMA PEQUENA PROVA!
        IT-GRAFITOS – Nas catacumbas de São Sebastião, em Roma, onde foi sepultado este glorioso mártir, há um lugar denominado: “Memória Apostólica de São Sebastião”. Entre os anos 250 e 260, os cristãos aí depositaram os restos mortais de São Pedro e São Paulo. Ao que tudo indica, serviu de refúgio. O violento acirramento da perseguição dos Imperadores Decio e Valeriano trazia o perigo de profanação aos seus túmulos. O Martyriologium Hieronymi, no ano de 258, faz referências à festa de São Pedro, celebrada como hoje, no dia 29 de junho, simultaneamente com a de São Paulo nessas catacumbas e a do 1º Papa também no Vaticano. O corpo de São Sebastião foi colocado nesse cemitério subterrâneo e lhe deu o nome. Nas paredes circunvizinhas ao lugar do sepultamento há 660 grafitos com intercessões aos dois Apóstolos. São redigidos em grego, latim e uma em aramaico, datados em torno do ano de 257. Eis como exemplo: “Pedro e Paulo intercedei pelos pecadores”; “Paulo e Pedro rogai por Vítor”; “Paulo e Pedro rogai por cada um de nós e pelos nossos bens”; “Paulo e Pedro abençoai-nos”. Tais orações são feitas em favor de vivos e mortos por cristãos oriundos de várias partes do orbe, o que se deduz pelos idiomas usados. Esses grafitos – eu os vi recentemente – revelam costume no início da Igreja de os fiéis pedirem a intercessão dos santos junto ao trono de Deus.
        E MAIS
        IT-MORTOS – A Igreja sempre acreditou na intercessão dos que haviam “morrido em Cristo,” isto é, santamente. Daí o culto aos mártires desde o tempo das catacumbas. Veja, … estas inscrições encontradas nas lápides túmulares, nas catacumbas: “Ático, dorme em paz seguro de tua salvação e pede solícito por nossos pecados” (Inscrição em lápide, hoje no Museu Capitolino) “Vicência, pede em Cristo por Febe e por seu esposo” ( Catacumba de São Calixto). “Sabácio, doce alma, PEDE E ROGA PELOS IRMÃOS E COMPANHEIROS TEUS” ( Catacumba de São Gordiano). “Genciano, fiel, em paz, que viveu 21 anos, 8 meses e 16 dias. QUE EM TUAS ORAÇÕES ROGUES POR NÓS, PORQUE TE SABEMOS EM CRISTO” ( Lápide encontrada na via Salária). E veja, …, esta outra inscrição como mostra a crença dos cristãos primitivos no Purgatório: ” Ó Cristo, tem presentes a Marcelino pecador e a Jovino, que sempre vivais em Deus”( Cemitério de São Pedro) [ Todas estas inscrições estão citadas no livro de Lúcio Navarro, Legítima Interpretação da Bíblia,p. 542].

        CONCLUSÃO A TRADIÇÃO JÁ VEM DESDE O COMEÇO DO POVO DE DEUS DO ANTIGO TESTAMENTO!

        VOU DA UNS EXEMPLOS:

        PELA TRADIÇÃO O CEGO CHAMAVA JESUS DE FILHO DE DAVI!
        MAS JESUS NÃO ADVERTIU O CEGO E MUITO MENOS CONDENOU O CEGO DE ELE ESTÁ COMETENDO IDOLATRIA POR CHAMAR JESUS DE FILHO DE DAVI! POIS DAVI JÁ ESTAVA A MORTO NO TEMPO DE JESUS?
        VEJA:
        Lucas 18
        35 Ao aproximar-se Jesus de Jericó, um homem cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmola.
        36 Quando ouviu a multidão passando, ele perguntou o que estava acontecendo.
        37 Disseram-lhe: “Jesus de Nazaré está passando”.
        38 Então ele se pôs a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
        39 Os que iam adiante o repreendiam para que ficasse quieto, mas ele gritava ainda mais: “Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”
        40 Jesus parou e ordenou que o homem lhe fosse trazido. Quando ele chegou perto, Jesus perguntou-lhe:
        41 “O que você quer que eu faça?” “Senhor, eu quero ver”, respondeu ele.
        42 Jesus lhe disse: “Recupere a visão! A sua fé o curou”.
        43 Imediatamente ele recuperou a visão e seguia Jesus glorificando a Deus. Quando todo o povo viu isso, deu louvores a Deus.

        E MAIS ISSO É TRADIÇÃO JÁ PREGADA NO TEMPO DE JESUS E MUITO ANTES TAMBÉM PELOS DOUTORES E MESTRE DA LEI E POR TODOS OS ANCIÕES.

        VEJA COMO O POVO JÁ COMPARAVA JESUS
        Quem Dizeis Que Eu Sou?
        Em Marcos 8:27-29, Jesus abordou os discípulos com duas perguntas: A primeira foi “Quem dizem os homens que sou eu? E muitos comparam jejus e
        Diziam que ele era João Batista, Elias, e algum dos profetas –
        E NOTE AQUI QUE JESUS NÃO REPREENDEU NENHUM DOS APOSTÓLOS E MUITO MENOS O POVO QUE AFIRMAVA QUE JESUS FOSSE JEREMIS ETC…
        AGORA SABE POR QUE? JESUS NÃO ADVERTIU O POVO?
        POR QUE O PRÓPRIO JESUS JÁ FAZIA REFERÊNCIAS AOS PATRÍRCAS COMO A TODOS OS PROFETAS.
        JESUS DIZIA QUE ANTES DE VIM AO MUNDO ABRAÃO JÁ SORRIA COM SUA CHEGADA!
        JESUS FALA DE LAZÁRO NO SEIO DE ABRAÃO.

        E A BÍBLIA DIZ QUE TODAS AS DECENCIAS CHAMARÃO ABRAÃO DE PAI DA FÉ!

        E O ANJO DIZ QUE TODAS AS DECENDENCIAS CHAMARÃO MARIA DE BEM AVENTUDA ISSO É BÍBLICO .
        VEJA MAIS REFERÊNCIAS BÍBLICAS SOBRE SANTOS
        2 Macabeus. 15.12-16 – Onias Sumo Sacerdote e o profeta Jeremias estavam falecido durante séculos, e ainda interagiram com o Judas Macabeus e rezaram pelo o povo santo na terra.

        E PARA NÃO RESTAR DUVIDAS?
        LEIA ESSE VERSÍCULO ” (Col. 1, 3). No evangelho de S. Mateus (20, 30), Jesus Cristo ensina que os “santos são como os anjos de Deus no céu”.
        IT-ONIAS – “Tomando então a palavra, disse Onias: “Este é o amigo de seus irmãos aquele que muito ora pelo povo e por toda a cidade santa, Jeremias, o profeta de Deus” (2Mac 15,14).
        IT-SANTOS – 1 – “A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo com as orações dos santos, diante de Deus. ” (Apocalipse 8,4).

        AGORA PARA FINALIZAR FRANCISCO MEDITE ESSES VERSICULOS

        “O homem espiritual, ao contrário, julga todas as coisas e não é julgado por ninguém” (I Coríntios 2,15)
        “Não sabeis que os santos julgarão o mundo?… ” (1 Coríntios 6,2

        “Vi também tronos, sobre os quais se assentaram aqueles que RECEBERAM O PODER DE JULGAR…” (Apocalipse 20,4
        Mt. 26.53 – Jesus diz que Ele pode invocar a ajuda de doze legiões de anjos. Se Jesus disse que Ele poderia pedir a ajuda dos santos anjos, então nós também podemos, que são chamados a imitar Jesus em palavras e atos. E, de Mt. 22.30, Jesus diz que seremos “como anjos no céu.” Isso significa que santos humanos (como os santos anjos) podem ser chamados para ajudar as pessoas na terra. Deus permite e incentiva a interação entre os membros de sua família.

    • Maria do Carmo disse:

      Peninha de você, meu querido! Quanta falta de conhecimento!
      “Errais por não conheceres as Escrituras.” Disse Jesus.
      Que Nosso Senhor Jesus Cristo, o único mediador entre Deus e o homem, te dê entendimento para que sejas alcançado pela Sua salvação maravilhosa e graciosa.

    • Francisco disse:

      No decorrer dos séculos medievais, a Bíblia sofreu por parte do catolicismo acerbíssimas perseguições. Em 1211, por exemplo, o bispo de Metz se lamentava ao papa Inocêncio III pelo fato da existência de círculos de leigos que, à revelia das autoridades eclesiásticas, liam as Escrituras. Em 1229, o Sínodo de Toulouse proibiu a leitura de suas traduções. Em 1234, o Sínodo de Tarragona ordenou confiscarem-se todas as traduções espanholas e lançá-las à fogueira.
      Dentre milhares de interdições e casos de violências contra a Bíblia, a filosofia escolástica foi o maior empreendimento para se distanciar o clero e, em conseqüência, o povo europeu do seu exame. Referindo-se a esta obra nefasta de Tomás de Aquino, o sistematizador da escolástica, o teólogo católico, Van Iersel declara: Desenvolveu-se assim um sistema, por vezes autônomo, de posições teológicas que muitas vezes só muito a custo atingiram a realidade da fé, enquanto o sistema como tal perdia progressivamente o contato visível e detectável com a Escritura. Resultou dai… que se começou a pregar sistemas em vez de ser o partir da Palavra Viva da Escritura.(Igreja, Fé e Missão — Temas Conciliares – Lisboa – 1966, vol V, pág.16).
      No fim da Idade Média, porém, influenciadas por cristãos genuínos, algumas áreas do catolicismo começa­ram buscar nas Escrituras esclarecimentos para a sua fé. Nesta conjuntura, invocou-se a Tradição consubstandada na Patrística como fonte suprema de Revelação Divina.
      No conceito católico, a Patrística é o conjunto dos escritores da antiga literatura católica. É o período do pensamento tido como cristão que se seguiu à época neotestamentária e que chegou até ao começo da filosofia escolástica.
      Impingiu-se, então, a tese de que o consenso (harmonia, acordo) unânime dos santos padres, ou esses escritores antigos, se constituía em legitima revelação.
      É evidente que os cristãos não se conformavam e nem se submetiam. Bradavam os seus protestos!
      O catolicismo romano, que já conseguira criar o seu hierarca supremo na pessoa do bispo de Roma, via-se em palpos de aranha para poder ajeitar o consenso ou a concordância entre os santos padres.
      Cada dia, nos mosteiros surgia novas obras patrísticas. E cada vez mais discordantes entre si.
      Quando os cristãos, com ousadia e decisão, resolveram elevar no conceito da Europa a Bíblia como única Regra de Fé e Prática, de acordo mesmo com essa Fonte de Revelação, sentiu-se o catolicismo romano na emergência de terçar todas as suas armas no sentido de estabelecer o mencionado consenso entre os santos padres, imprescindível à sua sobrevivência.
      Constatou, porém, que só numa coisa eles concordavam: — é que discordavam em tudo.
      Como fazer?
      Forjar a necessária concordância unânime!
      Com esse propósito, o papa Leão X, em 28 de Abril de 1515, como produto da 10a Sessão do 5o Concilio de Latrão, emitiu a Bula «Inter Multiplices», estabelecendo os índices Expurgatórios, cujo objetivo consistia em exa­minar todas ás obras literárias consideradas até então no conjunto da patrística.
      No afã de se lograr a mencionada e ansiosamente almejada harmonia entre os santos padres em todos os pontos doutrinários católicos, decidiu-se estabelecer uma balisa entre eles, considerando-se Isidoro, bispo na Espanha e morto em 636, o último escritor eclesiástico agregado à patrística, no Ocidente. E João Damasceno, falecido em 749, no Oriente.
      Assim como os cristãos aceitam haver se encerrado a Revelação Divina com a morte de João, o Apóstolo, os teólogos católicos se submeteram àquela demarcação da sua patrística.
      Isso, porém, não bastava. Necessitou-se de um trabalho de expurgo. Por isso, muitas obras dos seis primeiros séculos foram repudiadas.
      Mesmo assim com esse trabalho de peneira, o pretendido consenso ou harmonia unânime não foi consegui­do. Apelou-se para a tesoura e para o enxerto. E trechos inteiros contrários às pretensões romanistas foram extraídos. Muitas frases e palavras foram interpoladas no intuito de se transformar o significado dos textos ao sabor das interpretações desejadas!
      Enquanto essa tarefa criminosa era consumada nos bastidores da cúria romana, explodiu na Alemanha a Reforma Protestante.
      Sentia-se o catolicismo romano ruirem-se-lhes as bases falsas. Entricheiroü-se na atitude de Contra-Reforma e convocou o Concilio de Trento, cuja finalidade foi firmar em dogmas as suas doutrinas contestadas à luz da Bíblia, impondo-as com ameaças de anátemas e excomunhões aos seus fiéis imbecilizados e narcotizados pelas suas superstições cretinizadoras.
      Mas, onde estruturar a sua dogmática?
      Não na pureza da Bíblia por ser-lhe incompatível e, por isso, proibia sua versão nas línguas vernáculas.
      Valeu-se, por conseguinte da Tradição consubstanciada na Patrística. E confirmou na 4a Sessão do Concílio de Trento aos 8 de Abril de 1546, o trabalho de «expurgo» anteriormente estabelecido pelo mundano Leão X no 5o Concilio de Latrão.
      Na esfera religiosa européia, a Idade Moderna surgiu empunhando a Bíblia. Nessa conjuntura, o catolicismo resolveu arvorar-se em seu único e legítimo intérprete. Então, nessa sua mesma 4a Sessão estabeleceu que, em matéria de fé e costumes, ninguém ousasse interpretar a Sagrada Escritura em sentido contrário ao inexistente e utópico consenso unânime dos padres. «.. descernit, ut nemo… in rebus fidei et morum… contra unanimem consensum patrum, ipsam Scripturam sacram interpretari audeat».
      É a Tradição consubstanciada em norma suprema da interpretação das Escrituras!
      O teólogo católico Van Iersel, em seu artigo: «O uso da Bíblia na igreja católica», inserido no vol. V, de Temas Conciliares (página 17), confessa: «… Em oposição à Reforma deu-se um lugar à Tradição ao lado da Escritura, o que tornava muito relativo o valor da Bíblia».
      Vamos repetir e frisar bem a constatação de Van Iersel: «… EM OPOSIÇÃO Á REFORMA DEU-SE UM LUGAR À TRADIÇÃO AO LADO DA ESCRITURA, O QUE TORNAVA MUITO RELATIVO O VALOR DA BIBLIA».
      Tornava? Não!!! Porque a Tradição ainda vige e com muito mais intensidade depois deste último Concilio Ecumênico! E ficam por ai certos protestantes católicizados a promover manifestações públicas no Dia da Bíblia de parceria com os embatinados!
      Evidentemente que o Concilio Tridentino não podia fundamentar em nenhuma passagem bíblica, o estabelecimento de sua patrística como órgão da Tradição. E os teólogos católicos não se pejam de apresentar como defesa da tese tridentina, o seguinte argumento de cabo de esquadra: — À TRADIÇÃO INFALÍVEL DA IGREJA CATÓLI­CA COMPETEM AS MATËRIAS DE FÉ E COSTUMES.
      ORA, O CONSENSO UNÂNIME DOS SANTOS PA­DRES EM MATÉRIA DE FÉ E COSTUMES, DE SI MESMO, REFLETE A MENCIONADA TRADIÇÃO.
      PORTANTO, ÊSTE CONSENSO CERTO É O AR­GUMENTO DA VERDADE DIVINA. Os reverendos teólogos, na mais das aberrantes interpretações, firmam a maior do seu silogismo falso nos versículos 19 e 20 do capitulo 28 de Mateus: «Portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século».
      A maior do argumento é antilógica! A perícope neotestamentária nem de teve lhe fornece base!
      A menor demonstra os paroxismos da estupidez.
      E todo o silogismo é um grosseiro sofisma!
      A par deste esforço por sistematizar a Tradição no intento de conseguir harmonia, ao menos moral, entre os santos padres em favor das teses católicas inteiramente opostas ou alheias às Sagradas Escrituras, generaliza­ram-se após a Reforma as medidas antes tomadas acidentalmente para proibir ou pelo menos limitar ao mínimo o uso da Bíblia nas línguas vulgares. É verdade que o Concilio de Trento, depois de longas discussões, não proibiu a tradução da Bíblia. Em 1559, todavia, já se encontrava a seguinte cláusula, junto à menção de vá­rias edições da Bíblia, no INDEX DOS LIVROS PROIBI­DOS promulgada por Paulo V: (Não se pode ler, imprimir-se ou possuir-se sem licença do Santo Oficio as edições da Bíblia em língua vulgar). Esta cláusula foi re­produzida de diferentes maneiras nas edições ulteriores até que, em 1664, a lista dos livros proibidos refere simplesmente: (Qualquer Bíblia traduzida em vernáculo).
      Estas informações não fomos colhe-las em nenhuma obra polêmica de lavra protestante.
      Fomos buscá-las numa revista católica, ANGELI­CUM, uma das mais importantes editadas em Roma, que, em 1947, XXIV, nas páginas 147-158, trouxe o artigo:
      «La chiesa e la versione della Scritura in lingua volgare» de autoria do P. G. Duncker.
      O catolicismo empenhava-se sobremodo por conservar o Livro Santo inteiramente fechado para o povo. Quem quisesse que estudasse latim para ler a Vulgata.
      Outro documento comprobatório desta assertiva é a carta «Magno et Acerbo», de três de Setembro de 1816, em que o seu autor, o papa Pio VII ataca violentamente as traduções vernáculas da Bíblia.
      E para completar o cúmulo de tanto pavor, Leão XII, na Encíclica “Ubi Primum”, de cinco de Maio de 1824, chama de «PESTE» as Sociedades Bíblicas por divulgarem aquelas versões indesejáveis aos embustes católicos.
      O catecismo de Gand, largamente difundido pelos paises de origem latina, como reflexo desse pavor, em sua forma clássica de pedagogia catequética, perguntava e respondia: «Ë proibido ler a Bíblia? Sim, é proibido aos simples fiéis lê-la sem autorização na sua própria língua. É a Escritura suficientemente clara e pode cada um compreendê-la? Não, é muito obscura em muitas passagens; em conseqüência é muito perigoso para as pessoas sem cultura lê-la.
      Conjugaram-se todas as energias nestes dois objetivos: dificultar o acesso à Bíblia por parte do povo e organizar a patrística para demonstrar uma harmonia in­terna como lastro suficiente das teses católicas.
      Com sua dogmática firmada na patrística, como órgão de sua Tradição, o catolicismo empreendeu esforços descomunais no sentido de apresentar uma coleção de todas as obras dos escritores de sua literatura antiga por ele mesmo selecionados, objetivando fundamentar os seus dogmas na pretendida concordância entre elas.
      O trabalho foi gigantesco em quase todos os mosteiros da Europa em vista mesmo da contingência de se obter o sonhado consenso unânime nos moldes da bula (Inter Multíplices). E somente um século após o Concilio Tridentino, o sínodo da Contra-Reforma e da apologia da Tradição, é que surgiu a primeira grande coleção dos escritores eclesiásticos antigos, elaborada por Margarin de la Bigne, cônego de Bayeux, em 9 volumes in folio e intitulada «Bibliotheca Sactorum Patrum», contendo o texto de mais de 200 autores da antiguidade.
      Esta obra não podia satisfazer à necessidade de se comprovar com informes da Tradição todos os dogmas. Precisou, então, ser ampliada e poucos anos depois já se cognominara de «Maxima Bibliotheca Vaterum Patrunv>> por abranger 27 volumes in folio, tornando-se mais apta para estudos mais largos.
      Apesar de grandiosa não agradava ainda por não cumprir integralmente o seu objetivo. Além de ser incompleta, reconheceram-se outros defeitos, sobretudo o de manifestar a carência da almejada concordância.
      O Concilio de Trento fora terminante: «Para reprimir a petulância a fim de que ninguém, movido pela sua própria competência nas coisas relativas à fé e aos costumes pertencentes à edificação da doutrina cristã, torça para o seu modo de entender a Sagrada Escritura, contrariando o sentido aceito pela santa madre igreja, a quem cabe julgar o verdadeiro sentido e a verdadeira interpretação das Sagradas Escrituras ou contrariando o unânime consenso dos padres» (Sessão IV, de 8 de Abril de 1546).
      Era preciso, pois, redobrar os esforços por se conseguir uma coleção satisfatória às exigências das teses católicas.
      Ainda, para se safar desta enrascada porque, apesar dos grandes polemistas especializados em sofismas, como cardeal Belarmino, Jesuíta (?!), a Bíblia continuava, mesmo amordaçada, a ameaçar as bases daquelas teses, fizeram-se novas tentativas e apareceram outras coleções: a do frade dominicano Combéfis, concluída em 1672; a do helenista francês João Batista Cotolier, concluída em 1683 e intitulada «monumenta ecclesiae grae­cae»; a do monge beneditino francês, Bernardo de Montfaucon, em 1706; e a do oratoriano, André Gallandi, concluída em 1788 e superior a todas as anteriores.
      Todas estas coleções, entretanto, redundaram em no­vos fracassos. Não puderam satisfazer a necessidade de consenso unânime na patrística. Além disso, não foram capazes de desfazer as incertezas sobre os santos padres dos dois primeiros séculos.
      Nos meados do século passado, de 1844 a 1860, aconteceu a derradeira arrancada para se lograr o desenrasque desse intrincado problema. Coube ao fundador do jornal católico, «Univers», de Paris, Jaime Paulo Mígne, publicar a coleção mais completa de todas. Intitulada «Patrologiae Cursus Completus», consta de duas séries: a dos padres latinos e a dos gregos. A primeira consta de 217 volumes e a dos gregos, de 162.
      Mesmo considerada a mais completa, os seus defeitos, outrossim, são reconhecidos.
      Não serviu para suprir a necessidade mais premente da contra-Reforma. Mas, foi útil para lotar as prateleiras das bibliotecas dos mosteiros e servir de pasto para os insetos.
      Infrutíferos todos os esforços por se alcançar uma coleção completa. Recrudesceram as dificuldades dos polemistas católicos. Esta própria coleção de Migne, com­posta de 379 volumes in folio, se constituiu em motivo de irrisão.

      Fonte:Anibal Pereira dos Reis

      • EDMILSON disse:

        Francisco vai estudar piadista você trazer aqui um mentiroso e herege que já foi desmascarado mil vezes por cris Macabeus esse tal Anibal Pereira dos Reis isso é uma doença no meio das 50 mil seitas protestantes

        traga esse cara eu aposto com você ou com ele 50 mil reais com assinatura em cartório que ele não passa de um piadista e a você piadista Francisco toma vergonha na cara e vai estudar

        mas estude nas fontes para de mandar sofismas lorotas falsificado isso é feio e tinha que da cadeia a vagabundos como você e esse piadista de nome Anibal Pereira dos Reis depois ti passo o site e o link em que esse vagabundo pilantra foi humilhado teologicamente

        • Francisco disse:

          Meu caro, seu desespero chega a ser deprimente quando confronta a verdade.

          Enquanto você se dedicar ao estudo da Patristica, vai continuar sendo um cego, cheio de tradições que não quer enxergar a verdade.

          Leia os evangelhos, ou você é do tempo que so o padre pode ler a biblia em latim? Na verdade, você não lê a biblia para que não caia por terra, os absurdos que defende com tanta ira e odio.

          Ate o momento em todos os seus comentarios, você manda a todos estudarem, mas se comporta como um desiquilibrado, xingando as pessoas com palavras de baixo nivel. Só falta você defender a inquisição…

    • EDMILSON disse:

      Qual é o significado do nome “Fátima”?

      Pergunta completa
      Qual é o significado do nome “Fátima”? Eu li que Maomé, fundador do Islã, com o nome de sua filha Fátima.

      Responder
      O nome de Fátima significa “aquele que brilha” e é de fato o nome da filha favorita de Maomé, Fátima Zahra. Em alguns círculos muçulmanos, Fatima Zahra é em alguns aspectos considerados uma contrapartida muçulmana a Maria, Mãe de Jesus, como o modelo ideal para todas as mulheres. Ela é reverenciado por sua pureza e para a maternidade de um mártir muçulmano.

      Como apropriado, então, que a Bem-Aventurada Virgem Maria escolheu a aparecer em 1917, em Fátima, uma cidade em Portugal apelidado como um homônimo de Fatima Zahra que se converteu do islamismo para o cristianismo, e que o milagre dado a confirmar aparições de Maria havia um milagre envolvendo a sol. Em seu livro sobre a Santíssima Virgem, intitulado Primeiro amor do mundo , Fulton Sheen especulou que, assim como Judith, Esther, e outras mulheres heróicas do Antigo Testamento eram tipos pré-cristãs de Maria, Fátima Zahra pode muito bem ter sido um tipo de pós-cristã de Maria.

  11. CONVERSA DE BÊBADOS.

    Certo dia eu voltava de um bairro distante em M. Claros e para pegar o ônibus que me levaria até o centro da cidade, parei num ponto de lotação frente a um boteco, onde dois bêbados conversavam. Limitei-me apenas a escutá-los, pois não os conhecia e falavam de religião. Enquanto esperava meu ônibus, encostei-me à porta e passei a escutar o debate.

    -Oh! sô, Maria foi apenas uma muié que Deus usô prá mandar Jesus à terra. Tanto é verdade que a bíblia fala muito pouco dela. Toda vez que Jesus se dirigiu a ela foi prá cortá-la. Foi assim quando procuravam por ele aos 12 anos e ele se encontrava no templo. Nas bodas de Caná em que ele recusava se envolver no episódio da falta de vinho,.Quando ele pregava ao povo e ela com seus irmãos estavam lá fora e mandavam chamá-Lo. Por fim quando caminhava para o Calvário e Ele se trocou por João Evangelista, para que este se virasse prá tomá conta dela.
    O outro bêbado menos agressivo disse:
    -Óia Silvo, pelo que eu já li escutei o padre falando, Apesar de ter poucas referências na bíblia sobre Maria, eu acho ela uma muié porreta. Porque será que Deus veio ao mundo através de uma mulher, se Ele poderia ter vindo de uma infinidade de formas diferentes? Quem é essa que faz o Próprio Deus ser-lhe obediente enquanto moço? Que dizer da mulher que usando da prerrogativa de mãe exige que o Deus vivo adiante a sua hora para realizar o milagre da transformação de água em vinho? Como essa mulher saberia que seria ela referenciada como bem aventurada posteriormente pelas gerações seguintes? Que mulher porreta é essa cara! Que depois desse tempo todo por diversas vezes, ao longo dos séculos, se intrometeu na vida dos homens dizendo que seu coração misericordioso triunfará? Quando na corrida de cavalos alguém vai apostar, o cavalo que ganha uma corrida é azarão. Se o mesmo ganha duas corridas, o cavalo passa a ser uma grande opção. Se o cavalo ganha três corridas, é melhor apostar no cavalo. Eu já decidi tomar essa mulher por advogada, Mediante a corte que iremos um dia enfrentar, não abro mão de alguém prá me defender, não sei que perguntas eles me farão. Será que estarei pronto prá respondê-las? Na dúvida quero que ela responda por mim.
    Tão logo já chegava o meu ônibus e não pude ver e ouvir o resto da conversa. Fui para casa refletindo o assunto. “Até nos esgotos imundos, também nascem rosas”.

    • Adriano disse:

      A MULHER VESTIDA DE PÚRPURA E ESCARLATE.

      “4. A mulher estava vestida de púrpura e escarlate, adornada de ouro, pedras preciosas e pérolas. Tinha na mão uma taça de ouro, cheia de abominação e de imundície de sua prostituição” (Apocalipse capítulo 17)
      “12. carregamento de ouro e prata, pedras preciosas e pérolas, linho e púrpura, seda e escarlate, bem como de toda espécie de madeira odorífera, objetos de marfim e madeira preciosa; de bronze, ferro e mármore” (Apocalipse capítulo 18)
      “16. Ai, ai da grande cidade, que se revestia de linho, púrpura e escarlate, toda ornada de ouro, pedras preciosas e pérolas” (Apocalipse capítulo 18)
      A mulher vestida de púrpura e escarlate, mais um grande absurdo na interpretação deturpada do Apocalipse Protestante, segundo os hereges, essa mulher se trata da Igreja Católica porque as vestes dos Cardeais Católicos são da cor púrpura e escarlate, mas existe uma contradição nessa interpretação, pois os mesmos dizem ser o papado a Besta, sendo assim, a veste do Santo Padre deveria ser da cor púrpura e escarlate e não as vestes dos cardeais. Lendo os textos do Apocalipse referentes a tais características, podemos observar no versículo quatro do capítulo dezessete que uma mulher estava vertida de púrpura e escarlate, já no versículo dezesseis do capítulo dezoito observamos que essa mulher era a (Grande Cidade).
      Eu poderia acabar aqui com a interpretação maluca que esses protestantes fizeram no Apocalipse, pois a mulher vestida de púrpura e escarlate era uma (Grande Cidade) e não uma (Igreja), como eu já expliquei em outros artigos, a única cidade do mundo tratada como (Mulher) e (Grande Cidade) é Jerusalém e não Roma ou a Igreja Católica.
      A cidade tratada como mulher prostituta = (Jerusalém).
      “2. filho do homem, mostra a Jerusalém os seus crimes abomináveis…. 32. Tens sido mulher adúltera que acolhe os estranhos em lugar do esposo. 33. A todas as prostitutas se dão presentes, mas tu fizeste brindes a todos os teus amantes, procedeste com largueza para que de todos os lados viessem prostituir-se contigo” (Ezequiel capítulo 16)
      A cidade tratada como Grande Cidade = (Jerusalém).
      “1. Eis o que me diz o Senhor: Desce ao palácio do rei de Judá, e lá pronunciarás este oráculo:…8. Muitos pagãos, ao passarem perto desta cidade, uns aos outros hão de dizer: Por que assim tratou o Senhor esta grande cidade?” (Jeremias capítulo 22)
      Bem meus irmãos, sabendo que Jerusalém é a única cidade bíblica tratada como mulher, prostituta e Grande Cidade; agora falta identificar se a mesma também é tratada como a cidade vestida de púrpura e escarlate.
      Primeiramente vamos entender o real significado de púrpura e escarlate.
      Púrpura = Cor vermelha a tirar para o roxo.
      Escarlate = Cor vermelha viva e rutilante; tecido que tem essa cor.
      Segundo o dicionário no qual todos os protestantes costumam usar, o púrpura e escarlate são cores simples e normais, porém, na Bíblia Sagrada, o púrpura e escarlate possui um significado a mais do que vemos no dicionário Aurélio; segundo o Profeta Isaias, o púrpura e escarlate tem o significado das faltas cometidas pela cidade de Jerusalém.
      “1. Profecia de Isaías, filho de Amós, a respeito de Judá e Jerusalém no tempo de Ozias, de Joatão, de Acaz e de Ezequias, rei de Judá…..18. Pois bem, justifiquemo-nos, diz o Senhor. Se vossos pecados forem escarlates, tornar-se-ão brancos como a neve! Se forem vermelhos como a púrpura, ficarão brancos como a lã! 21…. Como se prostituiu a cidade fiel, Sião, cheia de retidão? A justiça habitava nela, e agora são os homicidas” (Isaias capítulo 1)
      Isaias diz: Jerusalém está manchada de púrpura e escarlate por causa de suas prostituições e seus crimes abomináveis.
      Agora eu vou mostrar para todos os leitores, que a púrpura e escarlate está mais ligada a Jerusalém do que todos os protestantes imaginam.
      Tudo começa com o próprio tabernáculo de Moises, nele é colocado cortinas de púrpura e escarlate, além das esculturas e todas as artes na cor púrpura e escarlate.
      “1. Farás o tabernáculo com dez cortinas de linho fino retorcido de púrpura violeta, púrpura escarlate e de carmesim, sobre as quais alguns querubins serão artisticamente bordados” (Êxodo capítulo 26)
      “35. Dotou-os de talento para executar toda sorte de obras de escultura e de arte, de bordados em estofo de púrpura violeta e escarlate, de carmesim e de linho fino, e para a execução assim como o projeto de toda espécie de trabalhos” (Êxodo capítulo 35)
      Do mesmo modo, as vestes sacerdotais na cor púrpura e escarlate não eram as vestes Católicas e sim as vestes dos sacerdotes Levitas.
      “1. Com a púrpura violeta, a púrpura escarlate e o carmesim, fizeram-se as vestes de cerimônia para o serviço do santuário, e os ornamentos sagrados para Aarão, como o Senhor havia ordenado a Moisés” (Êxodo capítulo 39)
      Além dos sacerdotes, todos os Israelitas possuíam em suas vestes um cordão na cor púrpura.
      “38. Dize aos israelitas que façam para eles e seus descendentes borlas nas extremidades de suas vestes, pondo na borla de cada canto um cordão de púrpura violeta” (Números capítulo 20)
      No famoso canto fúnebre de Davi ao rei Saul e seu filho Jonatas, Davi diz que Saul vestia de púrpura os Israelitas.
      “24. Filhas de Israel, chorai por Saul, que vos vestia de púrpura suntuosa, e ornava de ouro vossos vestidos. 25. Como caíram os heróis? Em pleno combate Jônatas tombou sobre as tuas colinas” (II Samuel capítulo 1)
      O Rei Salomão filho de Davi, construiu o famoso Templo de Salomão, o mesmo que fora destruído por Nabucodonosor, Antioco Epifanes e Tito Flavius; porém nesse Templo que se tornou referencia para os Judeus, o Rei Salomão não deixou de colocar suas cortinas na cor Púrpura.
      “1. Salomão começou a construção do templo do Senhor, em Jerusalém, no monte Mória, para isso designado por Davi, seu pai, no mesmo lugar que Davi preparara, na eira de Ornã, o jebuseu….. 14. O rei mandou fazer uma cortina em púrpura violeta, carmesim e linho fino, e nela mandou bordar querubins” (II Livro das crônicas capítulo 3)
      O grande livro de Eclesiástico, o mesmo retirado do cânon protestante pela mutilação satânica, o autor cita novamente as vestes sacerdotais Levitas; nelas contem a cor púrpura e escarlate.
      “7. Exaltou seu irmão Aarão, semelhante a ele, da tribo de Levi…. 12. Deu-lhe uma túnica santa, tecida de ouro, de pedras preciosas e de púrpura, obra de um homem sábio, dotado de juízo e de verdade. 13. Era uma obra de artista, de fio de escarlate, com doze pedras preciosas engastadas no ouro, gravadas pelo trabalho do lapidador, em memória das doze tribos de Israel” (Eclesiástico capítulo 45)
      Na parábola do Rico e do Lazaro, São Lucas conta a história de um personagem Rico miserável e condenado por causa de seus pecados, esse rico nunca teve o amor ao próximo, o mais interessante é que São Lucas diz que o personagem Rico estava vestido de púrpura, ou seja, igual a Israel e seus crimes abomináveis.
      “19. Havia um homem rico que se vestia de púrpura e linho finíssimo, e que todos os dias se banqueteava e se regalava. 20. Havia também um mendigo, por nome Lázaro, todo coberto de chagas, que estava deitado à porta do rico. 21. Ele avidamente desejava matar a fome com as migalhas que caíam da mesa do rico… Até os cães iam lamber-lhe as chagas” (Lucas capítulo 16)
      Para terminar, eu vou colocar aqui as explicações de Flavio Josefo sobre os significados dessas duas cores nas vestes sacerdotais Levita. (Provas de que essas duas cores eram referencias significativas para o povo Hebreu e não para Igreja Católica).
      “Os doze pães da proposição significam os doze meses do ano. Os véus, tecidos de quatro cores, indicam os quatro elementos, pois o linho refere-se à terra, que o produz, e é da mesma cor; a púrpura significa o mar, pois é tingida com o sangue de um certo peixe; o escarlate representa o fogo (a túnica do sumo sacerdote significa também a terra); o jacinto, que tende para a cor do azul, representa o céu; as sementes de romã, os relâmpagos; o som das campainhas, os trovões” (Flavio Josefo história dos Hebreus livro terceiro capítulo 8)
      O Judeu Flavio Josefo explica que cada cor das vestes sacerdotais possui um significado, no caso o linho, a púrpura, o escarlate e o jacinto representam os quatro elementos da terra, ou seja, terra, água, fogo e ar; sendo assim, ele diz que:
      Púrpura significa = Água, no caso o mar.
      Escarlate significa = fogo.
      Assim conseguimos entender a importância dessas duas cores para o povo Hebreu, o mesmo não ocorre para cidade de Roma.
      Com esses textos bíblicos e os textos de Falvio Josefo, sabemos quem é a mulher vestida de púrpura e escarlate, mas para os protestantes que ainda insistem na tese maligna de que Apocalipse se refere a Igreja Católica, me mostrem um texto bíblico onde o autor trata Roma como a cidade vestida de púrpura e escarlate. Assim eu termino mais um artigo.
      Mais uma mentira cai por terra.
      Autor: Cris Macabeus.
      Referencias bibliográficas:
      Bíblia versão dos Monges de Maredsous (Bélgica) editora Ave Maria.
      Flavio Josefo livro História dos Hebreus.

  12. EDMILSON disse:

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.66

    Livro I – A Igreja Católica

    Capítulo I – S. PEDRO, PRIMEIRO PAPA

    § 3.- São Pedro em Roma

    SUMÁRIO – Tese católica. Prova: Testemunhos do século terceiro; do século segundo; do século primeiro; De S. Pedro. Argumento arqueológico. – S. Pedro, primeiro bispo de Roma. – Objeções do Sr. Carlos Pereira:: Silêncio de S. Lucas; de S. Paulo. – Conclusão.

    Libertado de sua prisão em Jerusalém partiu pouco depois o príncipe dos apóstolos para a capital do Império onde fixou a sua sede episcopal.

    Sobre e evidência deste fato histórico não pairou em toda a antiguidade cristã a menor sombra de dúvida. Foi MARSÍLIO DE PÁDUA (séc. XIV), empenhado em defender Luís de Baviera contra o papa João XXII (notai como a negação da verdade tem sempre a sua origem nos estos de uma paixão em luta), quem primeiro lhe pôs um ponto de interrogação. Os protestantes converteram para logo a dúvida em negação formal. Não foram eles protestantes se não lançassem mão de quanta arma, boa ou má, lhes estivesse ao alcance para impugnar o odiado “papismo”.

    CARLOS PEREIRA navega no esteira dos seus antepassados em protestar. O estabelecimento da sede episcopal de S. Pedro em Roma é, na sua argumentação, o terceiro elo da corrente “que deve prender a metafórica barca de S. Pedro aos cais de uma instituição divina”, p. 215. Ora, “a alta crítica moderna de abalizados historiadores tem mostrado à saciedade o nulo fundamento de tão generalizada tradição”, p. 265.

    Receio muito que esta “alta crítica moderna” tão pomposamente assoalhada seja apenas um velho preconceito de partido e que os “abalizados historiadores”, tão confiadamente invocados, não passem de sectários tendenciosos que tentaram dobrar a realidade objetiva dos fatos ao aprioismo dos seus caprichos.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.67

    Consultemos com serena imparcialidade os documentos, analisemos-lhes o valor probativo e deslindemos as dificuldades protestantes.

    No exame dos antigos testemunhos seguiremos o métodos regressivo, remontando do século III aos tempos apostólicos. Desses testemunhos alguns são omitidos, outros criticados pelo Sr. CARLOS PEREIRA, que, porém confessa abertamente não os conhecer de primeira mão. Os subsídios do seu estudo foi ele haurir “nos amplos mananciais da obra prodigiosa” (p. 278) de GREENOOD, Cathedra Petri, História política do grande patriarcado latino. Nem era mister que o declarasse. A quem quer que tenha ligeira notícia dos antigos documentos, as páginas do Sr. CARLOS PEREIRA revelam para logo um autor de todo ponto profano e peregrino no conhecimento direto das fontes históricas primitivas do Cristianismo. Não obstante, com o só auxílio de textos insulados, bebidos em segunda ou terceira derivação, abalança-se o intrépido gramático ao exame do importante debate. Não temos, pois, pela frente um historiador que no estudo direto das fontes antigas se tenha formado uma convicção pessoal. Combatemos apenas um sectário que transcreve citações e observações alheias só por lhe irem ao sabor dos preconceitos individuais.
    Aos documentos.

    Século III. – Em meados do terceiro século CIPRIANO (M.258), bispo de Cartago e primaz da África, numa epístola a Antoniano diz-nos: “Vagando a sede de Fabiano, isto é, a sede de Pedro e da dignidade da cátedra sacerdotal, foi Cornélio criado bispo. 92

    ORÍGENES (m.254), o maior luminar da escola de Alexandria, refere-nos que Pedro ao ser martirizado em Roma, pediu e obteve fosse crucificado de cabeça para baixo.93

    CLEMENTE ALEXANDRINO (c. 150-215), mestre e predecessor de Orígenes, atesta-nos que S. Marcos escreveu o seu Evangelho a pedido dos romanos que ouviram a pregação de S. Pedro. 94

    ___

    92. “Factus est Cornelius, com Fabiani locux, ind est, locus Petri et gradus catyhedrae sacerdotalis vacaret”. Epist. X ad Antonianum (ML, iii. 770, 773).

    93. Comment, in Genes, t. 3 (MG, XII, 91). Cfr. EUSÉB., Hist. Eccles., III, ‘ (MG, XX, 216).

    94. “Cum Petrus in urbe Roma verbum Dei publice praedicasset et Spirutu Sancto afflatus Evangelium promulgasset, multi qui aderant Marcum Adhortati sunt… ut quae ab apostolo praedicata erantu conscribaret”. A´EUSÉB., Hist. Eccles., VI, 14 (MG, XX, 551).

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.68

    Destas palavras confessa o Sr. CARLOS PEREIRA que “se poderá inferir a presença do pessoal de S. Pedro em Roma” p. 219, inferência, porém, que “não é muito segura diante do verbo grego traduzido – proclamar -, visto que o termo original significa proclamar como arauto, e não implica necessariamente a presença do proclamador”. p. 291. – Engana-se: proclamar como arauto exige a presença do proclamador. Aliás basta ler o contexto para ver que esta é a única interpretação aceitável.

    O autor do Carmen adversus Marcionem, falsamente atribuido a Tertuliano, cantou:

    Hac cathedra, Petrus qua sederat ipse, locatum

    Maxima Roma Linum primum considere jussit;

    e pouco abaixo:

    Constabat pietate vigens Ecclesia Romae
    Composita a Petro cujus sucessor et ipse
    Jamque loco nono cathdram suscepti Hygynus95.

    O autor da obra Philosophumena, que muito provavelmente é S. HIPÓLITO e certamente floresceu no primeiro quartel do terceiro século, não destoa da voz comum. “S. Pedro, diz-nos ele, resistiu em Roma aos artifícios de Simão Magno que, com os seus prestígios, tentara ilaquear a fé dos romanos”.96

    Por último TERTULIANO (m. c. 222), que, pelos fins do segundo século, viveu longos anos na capital do Império, mais de uma vez faz menção da estada de S. Pedro em Roma. “Nero foi o primeiro a banhar no sangue o berço da fé. Pedro, então, segundo a promessa de Cristo, foi por outrem cingido quando o suspenderam na cruz”. – “Oh! Igreja feliz [Roma], à qual deram os apóstolos com o seu sangue o tesouro de sua doutrina, onde Pedro se assemelhou ao mestre no gênero de morte, etc.”. Em outra obra diz-nos ainda que Pedro batizou no Tibre como o Batista no Jordão.97 Escrevendo
    ___

    95. ML, II, 1077.

    96. Philosophumena, VI, 20 (MG, XVI, 3226).

    97. “Orientem fidem Roame primus Nero cruentavit. Tunc Pedtrus ab altero cingitur, cum cruci adstringitur.” Scorpac., c. 15 (ML, II, 151). “Habes Romam… Ista quam felix Ecclesia, cui totam doctrinam apostoli cum sanguine suo profuderunt; ubi Petrus passioni dominicae adeaquatur” De Praescriptione, c. 36 (MG, II, 49) – “Nec quidquam refert inter eos quos joannes in Jordano et Petrus in Tiberi tinxit” De Baptismo, c. 4 (ML, I, 1023) – Clemente Alexandrino, o autor do Carmen contra Marcionem e Tertuliano, de fato são autoridades que remontam ao segundo século, em que floresceram. Só pela data de sua morte os nomeamos entre os do século seguinte.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.69

    contra os hereges, o vigorosa polemista apela para a estada de Pedro na

    Cidade eterna, sem o mínimo receio de ser nisto desmentido.

    Excetuando o de Clemente Alexandrino, por cima de todos estes testemunhos passa o Sr. Carlos Pereira com prudentíssimo silêncio. Talvez o Sr. Greenwood não os tenha mencionado na “sua obra prodigiosa”.

    Nas fronteiras do III com o II século depara-nos a história o testemunho de CAIO, presbítero que floresceu no tempo do papa Zeferino e compôs um livro contra o catafrígio Proclo. Desta obra, hoje perdida, conservou-nos Eusébio o seguinte fragmento: “Posso mostrar-te os troféus dos apóstolos. Quer vás ao Vaticano, quer à via Ostiense, encontrarás os troféus (memórias) dos fundadores desta Igreja [Roma]“.98

    Existiam, pois, em Roma nos fins do séc. II dois monumentos que lembravam aos fiéis o lugar do martírio dos dois apóstolos. A quando remontavam? Diz-nos o Liber Pontificalis que Anacleto (ou Cleto), segundo sucessor de S. Pedro, “memoriam beati Petri construxit et composuit”; De fato, as recentes escavações arqueológicas permitem determinar com suficiente rigor a situação destes antigos monumentos. O sepulcro de S. Pedro achava-se juntamente com outras sepulturas e com um columbário pagão à direita da Via Cornélia que margeava o circo de Nero, no Vaticano.99

    Século II. – Entre os autores desta época merece especial atenção S. IRINEU (M. 202). Educado na escola de POLICARPO, que, por sua vez, fora imediatamente formado pelo discípulo predileto, só uma geração o separa da era apostólica. Passou a juventude no Oriente; criado mais tarde bispo de Lião conheceu a tradição das Gálias; durante o seu episcopado empreendeu uma viagem a Roma para estudar as origens e doutrinas da grande Igreja. O Oriente e o OcIdente falam, pois, pela boca autorizada de Irineu. Ora, na sua grande obra Contra as heresias, repetidas vezes fala-nos ele da presença de S. Pedro em Roma. Lembremos um só texto: “Mateus, achando-se entre os hebreus, escreveu o Evangelho na língua
    ___

    98. “Ego vero, inquit, apostolorum trophea possum ostendere. Nam sive in Vaticanum si ad Otiensem viam pergere libet, occurrent tibi trophaea eorum qui ecclesiam illam fundaverunt”. Ap. EUSÉB., Hist. Eccl., II, c. 25 (MG, XX, 210).

    99. Cfr. H. GRISAR, Roma Alla fine del mondo antico (2), Roma, 1908, pp. 225-6.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.70

    deles enquanto Pedro e Paulo evangelizavam em Roma e aí fundavam a Igreja.100

    A este testemunho faz o Sr. CARLOS PEREIRA algumas observações. Diz-nos que “apenas autoriza a vaga inferência da presença de S. Pedro em Roma”, p. 289. Vaga, por que? Será possível falar mais claro que dizer que S. Pedro e S. Paulo evangelizaram em Roma? Mas com óculos esfumaçados até os esplendores do meio-dia parecem penumbras de crepúsculo. Continua o crítico: mas o testemunho de Irineu é contrário à ideia do seu [de Pedro] episcopado transferido a seu pseudo-sucessor”, p. 289. Sobre este ponto voltaremos logo. Não convém baralhar as questões. Por ora só pretendemos por em seguro o fato histórico da presença de S. Pedro na capital do Império. E para este fim basta o citado testemunho de Irineu revestido de tantas e tais condições de veracidade que ele só bastaria à crítica mais razoavelmente severa.

    Pelo ano 170 temos outra prova no fragmento de uma carta escrita por DIONÍSIO ao papa Sotero (166-174). O bispo de Corinto, um dos homens mais célebres do seu tempo, recorda a viagem a Roma de Pedro e Paulo e compara as igrejas de Corinto e de Roma a uma seara plantada pelos dois apóstolos: “[Pedro e Paulo] assim como vieram à cidade de Corinto plantando a nossa Igreja com os seus ensinamentos, assim igualmente se foram a Itália onde vos doutrinaram e sofreram o martírio no mesmo tempo”.101

    Às apostilas do Sr. Carlos Pereira.

    1.º Primeiro confessa que “a presença de Pedro em Roma é única inferência legítima deste documento fragmentário”, mas que “nada aproveita à tradição papal visto que associa S. Paulo à fundação da Igreja de Roma prejudicando a idéia de um episcopado exclusivo de Paulo (erro de imprensa: deve ser S. Pedro)” página 281. – Aproveita, Sr., em primeiro lugar porque estabelece a presença de Pedro em Roma contra “a mais alta crítica moderna”. Aproveita ainda porque nada obsta que S. Pedro tivesse sido o
    ___

    100. “Matheusin hebraeisipsorum lingua Scripturam edidit Evangelii cum Petrus et Paulus Romae evangelizarent et fundarent Ecclsiam”. Adv. Haer. L. III, c. 1, n. 1 MG, VII, 844). Cfr. também L. III, c. 3, n. 2 (MG, vii, 848); EUSÉB., Hist. Eccles., 1, V, c. 6 (MG,xx, 446).

    101. “Ambo eninm illi in urbem nostram Corintum ingressi sparso evangelicae doctrinae semine nos instituerunt et in Italiam profcti cum vos similiter instituissent eodem tempore martyium pertulerunt”. Ap. EUSÉB., Hist. Eccles., 1, V, c. 6 (MG, xx, 446).

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.71

    primeiro bispo de Roma ainda que Pedro e Paulo a tivessem fundado.102 A igreja de Jerusalém foi fundada por todos os apóstolos e só Tiago foi o seu primeiro bispo. A razão é simples. A primazia da igreja de Roma não é consequência do fato material de a haver fundado Pedro, mas sim dos títulos ao primado que só Pedro possuía e não Paulo. A Pedro e não a Paulo dissera Cristo: tu és pedra fundamental da minha Igreja; apascenta o meu rebanho. Um general com seus oficiais fundam uma colônia. Quem transmite o supremo poder: Todos os fundadores? Não, só o general que o possui.

    2.º “O trecho é confuso e os termos vagos: grande divergência tem provocado a sua tradução do original grego”, p. 281. Quanto à confusão, julgue-a o leitor: “Como Pedro e Paulo ensinaram em Corinto assim estiveram em Roma onde padeceram o martírio ao mesmo tempo”. Há frase mais clara? – As divergências a que alude o adversário deixam intacto o valor do testemunho na presente questão, versam apenas sobre diferentes lições gregas de outros termos.103

    3.º “Pedro é aí considerado como fundador da igreja de Corinto quando sabemos pelos Atos dos apóstolos (XVIII-II) que São Paulo é o seu exclusivo fundador”, p. 281.

    Fundador, sim, diz o lugar citado; exclusivo, não; enxertou-o por sua conta e risco, o Sr. CARLOS PEREIRA. Aliás DIONÍSIO afirma apenas que S. Pedro ensinou aos coríntios do mesmo modo (ομοιωs) não no mesmo tempo que S. Paulo. Contra este testemunho de tanto peso quem poderá provar que o príncipe dos apóstolos na sua viagem a Roma não tenha pregado e doutrinado em Corinto? E nesse caso quem melhor o poderia afirmar que o próprio bispo coríntio que conservava os arquivos e dípticos de sua Igreja e, na sua juventude, conhecera os contemporâneos dos apóstolos?
    ___

    102. Pedro e Paulo são chamados fundadores da igreja de Roma porque ambos trabalharam na sua formação, ambos nela selaram a fé com o martírio. Cronologicamente, porém, Pedro chegou antes a Roma: S. Paulo só mais tarde quando ali já medrava uma florescente cristandade, como ele próprio diz na sua epístola aos romanos.

    103. Discutiu-se sobre se se devera ler Φοιτήσαντες ou Φυτεΰσαντες. Com PEARSON e Stenglein se atêm os modernos críticos à segunda versão que diz mais naturalmente com o contexto e é a lição de todos os códigos gregos e da antiquíssima versão siríaca. Mas que tem que ver esta questão de crítica textual com a substância do depoimento? EUSÉBIO que, parece, sabia grego e possuía a obra de DIONÍSIO, cita o seu testemunho sem a menor hesitação em apoio do martírio dos dois apóstolos em Roma. A observação do Sr. Carlos Pereira só se explica pelo intuito de lançar poeira nos olhos dos leitores ingênuos.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.72

    4.º “As vagas expressões do bispo de Corinto não nos dizem se os dois apóstolos foram plantadores das duas igrejas pelo ensino falado ou escrito, pela palavra pregada ou escrita em suas imortais epístolas”, p. 282. – Mesquinha escapatória! Se se trata de simples ensino escrito, Pedro e Paulo seriam fundadores de todas as igrejas apostólicas. Por que, então, só associá-los na fundação da igreja de Roma? E por que só Pedro e Paulo? Por que motivo não encontramos em nenhum escritor que João, Mateus e Lucas foram fundadores da igreja de Roma por seus escritos “que incontestavelmente circulavam em todas as igrejas apostólicas?”, p. 282. E se não basta, leia o Sr. CARLOS PEREIRA pela 2.ª vez o testemunho de DIONÍSIO: “Os dois apóstolos assim como estiveram em Corinto assim se foram para a Itália onde ensinaram a fé e por ela deram o sangue”. Em última análise, lógica ou gramatical, se podem entender semelhantes termos de suas cartas e não de duas pessoas? Por último, diz o bispo de Corinto que os dois apóstolos padeceram juntos o martírio na Itália. Foi, porventura por meio “da palavra escrita em suas imortais epístolas” que Pedro e Paulo morreram mártires ao mesmo tempo?

    “Disto concluímos que o testemunho de Dionísio, bispo de Corinto, não oferece base segura para afirmarmos a presença pessoa de Pedro em Roma”, p.283. – Disto concluímos que a uma crítica reduzida à senilidade de semelhantes observações não resta senão pedir aposentadoria científica.

    Mais chegado ainda aos tempos apostólicos é o testemunho de PAPIAS, bispo de Hierápolis, e discípulo imediato de S. João. Tocamos já a era apostólica. Ora, PAPIAS, como nos refere EUSÉBIO, atesta abertamente que S. Marcos escreveu o seu evangelho em Roma, aprovando-o S. Pedro, e que desta cidade datou o príncipe dos apóstolos a sua primeira epístola.105

    Da autoridade de PAPIAS descarta-se o Sr. CARLOS PEREIRA com dizer que “seus escritos se perderam” e que, segundo Eusébio, “ele pareceu ter sido um homem de fraca inteligência”, p. 277, – Ponhamos os pontos no ii. Que os escrito de PAPIAS se tenham perdido pouco importa à questão. EUSÉBIO que os possuía na íntegra transcreve-nos a sua afirmação e isto basta. “Homem de pouco engenho”, chamou-o uma vez o autor da História Eclesiástica por haver interpretado em sentido material alguns símbolos e metáforas dos Profetas e do Apocalipse. Mas não é mister grande cabedal de
    ___

    104. EUSÉB., Hist. Ecclesiást. II, 15 (MG, XX, 171)

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.73

    talento para saber e afirmar um fato histórico tão simples como a estada de um apóstolo em Roma. Que em matéria histórica PAPIAS fosse autoridade digna de fé, mostra-o o próprio EUSÉBIO que o cita frequentes vezes em apoio de suas asserções. A pouca perspicácia do exegeta não desvirtua a veracidade do historiador.

    Façamos um alto aqui e lancemos um olhar retrospectivo. Se não tivéramos outras provas da presença de S. Pedro em Roma, só por si, o depoimento concorde dos autores citados bastaria para estabelecê-la com toda a certeza. Por uma série ininterrupta de testemunhos ascendemos dos meados do séculos III aos primeiros anos do século II. Não encontramos uma só voz discorde. Em Cartago e em Corinto, em Alexandria e em Roma, nas Gálias como na África, no Oriente como no Ocidente, a viagem do príncipe dos apóstolos à cidade dos Césares é afirmada unanimemente sem hesitação alguma, como fato sobre o qual não pairou nunca a mínima suspeição de dúvida. TERTULIANO e IRINEU, CIPRIANO e EUSÉBIO, ORÍGENES e CLEMENTE ALEXANDRINO são pela crítica moderna reconhecidos como autoridades dignas de toda a fé. Próximos ao acontecimento narrado, dispondo de inumeráveis documentos, hoje, para nós perdidos, quem melhor que eles poderia verificar a existência do fato e confutá-lo se não fosse autêntico? A impossibilidade moral de erro em homens tão eruditos quão virtuosos cresce ainda de ponto se considerarmos a natureza do acontecimento atestado. A permanência de S. Pedro em Roma era um fato público e notório; seu martírio, sob Nero, deveria repercutir logo em toda a cristandade como notícia de primeira importância. A autoridade, a supremacia, que, como veremos no capítulo seguinte, começou logo a exercer a igreja de Roma sobre todas as demais tinha como fundamento histórico a sua fundação por Pedro. Suposto falso esse fundamento, como explicar o silêncio conivente das igrejas do Oriente, das Gálias e da África, que, sem uma voz de protesto, se submetiam à sua jurisdição? Como conceber ainda que, se Pedro houvera sido martirizado em qualquer outra igreja, permitiria ela em silêncio que a despojassem de seus títulos de glória sem reivindicar com todos os esforços para o estema nobiliárquico de sua origem a honra singular de haver sido ‘pupureada com o sangue do grande apóstolo?105
    ___

    105. A universidade desta tradição impôs-se até à heresia. Todos os apócrifos ebionitas e gnósticos (os principais são: Evangelium Petri, Acta Petri, Praedicatio Petri e os escritos falsamente atribuídos a S. Clemente: Recongnitiones, Homeliae, Constitutiones apostolicae) que inventaram mil lendas sobre S. Pedro concordam todos em assentar em Roma a sede do seu episcopado.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.74

    Mas se, em face dos princípios da crítica histórica mais desapaixonadamente exigente, essas provas já seriam de si plenamente demonstrativas, não são, todavia as únicas que podemos produzir. Com PAPIAS tocamos os primórdios do século II; INÁCIO DE ANTIOQUIA e CLEMENTE ROMANO levam-nos à era apostólica. Achamo-nos assim na presença de testemunhas coevas.

    INÁCIO (m. 107 ou 117), bispo de Antioquia, conviveu longos anos com os apóstolos. Condenado por TRAJANO nos princípios do século II, de viagem para Roma, onde foi supliciado, escreveu várias epístolas a diferentes igrejas, confortando-as na fé e na obediência aos superiores hierárquicos. Numa destas cartas dirigidas aos romanos, depois de lhes pedir instantemente não quisessem, com suas orações, privá-lo da palma do martírio, diz: “Tudo isto não vos ordeno como Pedro e Paulo;106 eles eram apóstolos, eu, um condenado; eles livres, eu servo”.107 Nestas palavras INÁCIO supõe como fato conhecido de todos que Pedro e Paulo exerceram a sua autoridade entre os romanos.

    Não, contesta o nosso gramático, “onde chegaram as epístolas destes dois representantes do Apostolado aí foram eles realmente mestres, sem haver em rigor necessidade da presença pessoal deles”, p. 278. – Sempre o mesmo subterfúgio ridiculamente mesquinho. Semelhante interpretação, se é que se lhe pode dar este nome, está em irredutível antagonismo com o contexto desta epístola e o de todas as outras do glorioso mártir. INÁCIO não fala de doutrina, mas de jurisdição (διατάσσομαι) exercida pelos apóstolos entre os romanos. Mais. O magistério epistolar de Pedro e Paulo foi comum a todas as igrejas; por que, pois INÁCIO escrevendo aos efésios, aos tralianos, aos magnésios, não une estes dois nomes que só associa a propósito de Roma? Por que nomeia ao mesmo tempo Pedro e Paulo senão porque ambos estiveram em Roma? Por que falar em Pedro se este nenhum relação teve com os romanos? De fato, se não esteve em Roma, como aos romanos não escreveu coisa alguma, nada mais de particular tinha com eles, nada mais lhes ordenara do que Tiago, Judas e João.
    ___

    106. Carlos Pereira substitui erroneamente a verdadeira tradução por esta outra: “não sou vosso mestre como Pedro e Paulo”. Λιατάσσομαι não é ser mestre, mas exercer jurisdição.

    107. “Non ut Petrus et Paulus vobis praecipio. Illi apostoli, ego condemnatus; illi liberi, ego usque nunca servus. Ad Rom., c. 4; FUNK, I (2) 219.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.75

    É pois evidente que INÁCIO sabia da viagem de Pedro a Roma.108 Veja o ilustre gramático como é arriscado aventurar-se a criticar documentos que não se conhecem senão em retalhos de empréstimo.

    CLEMENTE ROMANO (m. c. 101) foi o terceiro sucessor de Pedro, conheceu-o pessoalmente em Roma e, com muito probabilidade, foi testemunha presencial do seu martírio. É, pois, uma autoridade de valor excepcional. Citemos, apesar de longo, todo o lance da sua epístola ao coríntios, na qual alude ao martírio de S. Pedro. E para que melhor se veja a força do seu testemunho ponhamos, lado a lado, o trecho que traduzo imediatamente do original grego e a versão deturpada e mutilada do gramático paulista:

    ___

    108. Cfr. A. HILGENFELD, Historisch-Kritische in dz N. T., Leipzig, 1875, p. 621. O autor é protestante, outrora professor de teologia em Iena. Dele são as últimas considerações acima.

    109. I Cor., c. 5, 6 (F. I (2) 67-69)

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.76

    A referência à perseguição de Nero, em que juntamente com Pedro e Paulo foi martirizado grande número de cristãos, é manifesta. Clemente abrira a sua epístola com estas palavras: “as repentinas desgraças e calamidades que nos saltearam impediram-me de acudir mais cedo às vossas divergências”.111 Diante deste testemunho, que faz o Sr. CARLOS PEREIRA ou o autor de quem o transcreveu cegamente? Mutila o texto, suprimindo-lhe o primeiro e o último período e depois conclui ovante: “Ao martírio de Pedro é vaga a alusão e até parece não coincidir ele com o de Paulo. Tirar, pois, deste tópico… a conclusão de que Pedro e Paulo moraram e morreram juntos em Roma é levar a conclusão muito além das premissas”, p. 276. – Sem dúvida, com semelhante crítica de tesoura não há prova nem documento que resista. Mas a ciência deixou sempre estes recursos inconfessáveis a folhetinistas falseadores ou foliculários inconscientes.112

    Testemunho de S. Pedro. – Fechemos a série destas provas com o testemunho do próprio S. Pedro, que remata a sua primeira epístola com estas palavras: “sauda-vos a igreja eleita que está em Babilônia e Marcos meu filho”, I Petr. V, 18 – Que neste passo com

    ___

    110. S. Clemente escrevia de Roma e em toda a epístola opõe sempre a nós – romanos, ao vós – coríntios.

    111. Note-se de passagem a solicitude pastoral que da igreja de Corinto mostra o sucessor de S. Pedro.

    112. Ouça-se o grande historiador PAULO MONCEAUX: “De ce texte célèbre on doit tirer trois indications précieuses: 1º Clement considérait Pierre et Paulo comme les apôtres de l’Église romaine; 2º il admettait le martyre de Pierre à Roma; 3º il praçait ce martyre au temps de la persécution de Néron. – Or, la lettre a été écrite à Roma vers 95, trente ans après le martyres des duex apôtres, par un homme qui les avait surement connus. Il faut être bien exigeant pour ne pas reconnaitre dans de texte, un témoignage de premier ordre”, Revue de histoire et littérature religieuse, mai-juin 1910, p. 227.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.77

    a expressão metafórica de Babilônia indique S. Pedro a Roma, afirmam unânimes todos os antigos intérpretes: PAPIAS, EUSÉBIO, CLEMENTE ALEXANDRINO, S. JERÔNIMO, etc., nem um só há que assim o entenda.113 Não foram, pois, “os teólogos do papado”, p. 266, que inventaram a interpretação como recurso de polêmica. Foram os protestantes que naturalmente acharam uma nova exegese. Babilônia não designa a capital corrupta do império, mas outra cidade; Qual? Não no-la sabem dizer ao certo. Quem aventou Babilônia do Egito; mas esta não passava então de um simples presídio militar cuja população se reduzia a um manípulo de legionários. Quem alvitrou Babilônia da Assíria; mas esta, naquele tempo, como nos atestam ESTRABÃO, PLÍNIO, DEODORO SÍCULO, LUCIANO e PAUSÂNIAS, quase de todo destruída, era pouco mais que um deserto.114

    Os que votam por Babilônia do Egito acham inconsistentes as provas em favor de sua homônima da Mesopotâmia. Aos que preferem Babilônia de Assíria os argumentos em pró da outra parecem evidentemente nulos. É de ver aqui a força tenaz do preconceito. Rejeitam os adversários a estada de S. Pedro em Roma afirmada por uma série inumerável de irrecusáveis autoridades e abraçam sem hesitar uma opinião que não tem por si um só testemunho. Sim, não há um só autor antigo que nos fale desta viagem de S. Pedro. A igreja de Babilônia que só muito mais tarde apareceu na história do cristianismo, mas ainda assim teve pretensão a origens apostólicas, nunca reclamou o nome de Pedro como fundador. E quão fácil seria? Não tinha ela , consoante a hermenêutica protestante, a prova mais irrefragável desta origem nas páginas inspiradas?

    O Sr. CARLOS PEREIRA, entretanto, para tornar mais plausível a sua interpretação copia a SMITH no seu Dictionary of the Bible: “Em apoio da opinião de que Babilônia designa tropicamente Roma
    ___

    113. “De Babylone dissidente veteres et novi interpretes. Veteres Roman interpretantur ubi Petrum fuisse nome verus christianus dubitavit; novi Babylonem in Caldaca. Ego veteribus asssentior”. HUGO GREGÓRIO, in I Petri, Opera theologica, Basilese 1732, t. III p. 1112.

    114. “Nunc Babylone haec (Seleucia) major est. Illa magna ex parte deserta, ut intrepide de ea usurati possit quod de Megalopoli Arcadiae quidam dixit comicus: “Magna urbs, magnum desertum”. STRABO, Geographia, l. XVIII, c. 1. “Ipsius Babylonis exigua quaedam portio nunc habitatur maximaque inter muros pars agrorum cultui est exposita”. DEODORO SÍCULO, l, II, c.9. “Babylon chaldaicarum gentium captu diu summam claritatem conditae a Nicatore intra nonagesimum lapidem in confluente Euphatis”. PLÍNIO, Hist., Nat. l, VI, c. 30 Cfr. LUCIANO, Charonte, 23; Philopatris, 29, PAUSÂNIAS, Arcadica, l, VIII, c. 23: Οΰδέυ έτι ήν ει μή τείχος.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.78

    (1 Pet., V, 13) citam uma tradição narrada por Eusébio (H. E., II, 15) com a autoridade de Papias e Clemente de Alexandria, para mostrar que a I Pedro foi escrita em Roma. Oecumenius e Jerônimo afirmam que Roma era figurada por Babilônia”. Esta opinião , diz ele, deve ser “rejeitada”, e poucas linhas adiante afirma que Babilônia de Assíria “nesse tempo era largamente habitada por judeus”, p. 267, citando entre parêntesis a autoridade de Josefo, Ant., XV, 3, §1, e Filo, De Virt., p. 1023, de Franc. 1691.

    Dificilmente em tão poucas linhas se poderiam amontoar mais falsidades e falsificações. Antes de tudo SMITH afirma precisamente o contrário do que lhe afivela o pastor brasileiro. Copio e traduzo, apesar de longo, quase todo o artigo de SMITH, na palavra Babilônia: “… restam a considerar duas opiniões: 1.ª que Babilônia significa Roma. Em apoio desta opinião cita-se a tradição recordada por Eusébio (H. 1. II, 15), firmado na autoridade de Papias e de Clemente de Alexandria, para provar que I Ptr. foi escrita em Roma. Oecumenius e Jerônimo asseveram que Roma é figuradamente designada por Babilônia. A tradição uniforme e constante dos antigos escritores cristãos é que Babilônia neste passo é nome conhecido de Roma, quartel general das influências anticristãs. Esta opinião sufragada por Grocius, Lardnen, Cave, Whitby, Macnight, Hales e outros é hoje geralmente adotada, is th opinion generally adopted now (cf. Speaker’s Comm, anda Burger in Strack u. Loeckler’s Kgf. Komm. em loco). A suposição muito natural que por Babilônia se designe a velha Babilônia de Assíria deve sua origem a Calvino “to whom it was a “stronhod o popery” e foi defendida por Lithfott e Bentley. Mas Babilônia apesar de largamente habitada por judeus em tempos anteriores a Calígula achava-se nos fins do governo deste imperador (c. A. D. 40) quase de todo despovoada de sua colônia judaica (Jos. Ant., XVIII, 9, § 9) e é difícil supor que uma igreja cristã composta de hebreus convertidos nela se tenha podido estabelecer em menos de um quarto de século depois da catástrofe”.
    ___

    115. WILLIAM SMITH, D. C. L.,. L. L. D., and J. M. FULLER, M. A., A dictionary of th Biblie (2), Londron 1893, Vol.I, p. 332. Não posso acabar de me convencer que o pastor brasileira tenha truncado conscientemente a citação do seu correligionário. Só me resta uma explicação que abraço sem hesitar: ou o Sr. Carlos Pereira possui outra edição do famoso dicionário ou encontrou a sua citação em outro artigo. O fato encerra, porém, uma lição memorável. As opiniões históricas de certos protestantes variam com as edições de seus dicionários ou os preconceitos dos autores de diferentes artigos. Como se vê estamos bem longe de uma verdade conquistada “pela alta crítica moderna”. – E já que o Sr. Calos Pereira mostra tão acentuada preferência pela erudição fácil das enciclopédias, consulte ainda T. K. CHEYNE anda J. SUTHERLAND BLACK, encyclopedia Bíblica, Londres 1902, Vol., III, col.3681; JAMES HASTINGS, A dictyionary of the Bible, Edimburgh 1898. Vol.,I, p. 213, onde se diz que a evidência interna e externa militam em favor da interpretação tradicional. A outra foi introduzido por Calvino “por motivos polêmicos”.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.79

    Abro JOSEFO FLÁVIO no lugar indicado e que leio? Que Herodes Magno antes da era vulgar depôs a Ananel, sumo pontífice, oriundo dos judeus que haviam sido deportados em massa para Babilônia. Quem duvidou jamais deste fato? Mas que prova ele em favor da existência de uma numerosa colônia judaica em Babilônia na época em que S. Pedro escreveu a sua primeira epístola? O próprio FLAVIO, no l. XVIII, c. 9, falando dos tempos de Calígula (estamos, pois, na idade apostólica) conta-nos como os judeus, que habitavam na Mesopotâmia e em Babilônia, acossados pelos idólatras fugiram, a princípio, para Selêucia, mas também aí alcançado pelo ódio homicida dos seus perseguidores, pereceram quase todos em horrenda carnificina. Outros foram dizimados pela peste. (Cf. RENAN, L’Antichrist2 Paris 1873, p. 122, nota). O testemunho de Josefo, portanto, longe de contradizer, confirma o dos outros autores que já referimos.

    E FILO? Na obra citada pelo Sr. CARLOS PEREIRA diz-nos que Petrônio (preside romano na Síria em tempos de Calígula) vira com os próprios olhos que os judeus habitavam em Babilônia e possuíam muitas outras satrapias. Para que não pareça haver contradição como o que afirma FLÁVIO basta ler três páginas adiante. Referindo-se a tempo posterior diz: “excetuada parte de Babilônia e de outras prefeituras, todas as cidades circundadas de campos férteis são habitadas por judeus”.116

    A expulsão dos israelitas de Babilônia, referida por FLÁVIO, coloca-se naturalmente entre as duas afirmações de Filo, concordando-as. Os dois autores judeus não discordam dos pagãos: PLÍNIO, LUCIANO, PAUSÂNIAS, etc. Conclusão: a cidade de Babilônia (Babylon-onis) não passava de uma deserto; na região babilônia não havia judeus quando S. Pedro escreveu a sua epístola. Aí está o em que dá o repetir papagaiamente o que disseram outros. A singular prerrogativa do crítico paulista de citar autores que não conhece expõe-no frequentes vezes ao desmancha-prazeres destas desagradáveis surpresas.
    ___

    116. “ΠάΠάσαι γάρ, έξω μέρους, βραχεος Βαβυλων, και των αλλων σατρσπειων αί άρετωσαν έχουσιν οικήτας”.PHILO, Opera, , Berolini 1915, t. VI, PO. 207. A outra citação, p. 4. Na edição de Leipzig, 1829, t. VI, p. 131.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.80

    Passemos às razões intrínsecas.

    Não deixam de ser interessantes as condições do nosso crítico em abono de sua mal parada exegese. Numa carta, diz ele, não está bem uma locação figurada. “Não é crível que no estilo epistolar que se distingue pela simplicidade e singeleza didática, empregasse Pedro uma figura…”, p. 267. – Não sei que ojeriza lhe veio ao ilustre gramático com as metáforas. Não se usam metáforas no estilo epistolar? Mas é inaudito! Aponte-me o Sr. CARLOS PEREIRA qualquer epistolário, sagrado ou profano, de PAULO ou de CÍCERO, de Mme. de SEGIGNÉ ou de VIEIRA, e eu las colherei a mãos cheias. Mas nem é necessário sair da epístola que examinamos. Cinco versículos acima pinta-nos S. Pedro o demônio que “tamquam leo rugiens cicuit quaerens quem devoret”. Que bela metáfora: Ademais, se o ensino de Pedro tem a forma de carta, o seu estilo conserva-se sempre nas eminências de uma nobreza e dignidade onde não só não descabem, mas são até ornamento natural as locuções figuradas. E que mais viva metáfora que chamar Babilônia à cidade da qual mais tarde, na majestade tuliana do seu estilo, dirá S. LEÃO MAGNO que: “cum penes omnibus dominaretur gentibus onium gentiom serviebat erroribus et magnam sibi videbatur assupsisse religionem quia nullam respuebat falsitatem?”.117 – E não haveria perigo de erro ou equívoco da parte dos leitores, como parece temer o Sr. CARLOS PEREIRA? Não havia. Entre os judeus era uso corrente apelidar Babilônia a cidade dos Césares. Entre cristãos não o era menos.118 Qualquer dúvida que ainda pudesse pairar no espírito dissipá-la-ia Silvano, portador da carta.

    A segunda consideração do ilustre pastor é simplesmente digna de lástima. “Só quarenta e tantos anos mais tarde é que a figura recebeu a sanção do N.T. com a publicação do Apocalipse… Antes do Apocalipse não consta, segundo observa Eliot, que escritor algum chamasse Roma de Babilônia”, p. 267. – O que vale tanto como dizer: na epístola de S. Pedro não se deve encontrar a metáfora Roma-Babilônia porque só aparece pelo primeira vez no Apocalipse. E a metáfora aparece pela primeira vez no Apocalipse porque não a
    ___

    117. LEO MAGNUS, Sermo 1 in Nativ. Petri et Pauli (ML, LIV. 423).

    118. Dos judeus em particular escreve CHR. SCHOETTGEN: “Judaeis solemne erat Romam Babylonem vocare, quia eo modo quo babylonii judaeis sub templo primo vexarunt tandem totam regionem cum templo devastarunt, sic romani fecerunt templo secundo”. Horae hebraicae et talmudicae, Lipsiae 1733, t. I, p. 1050. Cfr. ibid. p. 1125 vários textos de antigos rabinos em apoio desta asserção.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.81

    usara ainda Pedro. Aí têm os professores de filosofia elementar um exemplo típico de círculo vicioso para propor aos seus estudantinhos a lógica.

    Deixemos estas infantilidades e concluamos. Tão naturalmente se impõe aos espíritos sensatos a interpretação católica que em nossos dias, serenados os furores anti-romanos, os mais ilustres entre os críticos protestantes, de conserva com os racionalistas, a ela vão aderindo em número de dia a dia drescente. HOFFMANN, THIERSCH, WIESINGER, EWALD, BAUR, SCHWEGLER, ZAHN, HARNACE, ZELLER, RENAM e outros muitos já não discordam da interpretação tradicional.119

    Vem ainda confirmá-la o inciso que imediatamente se segue às palavras que comentamos: “Saúda-vos a igreja que está em Babilônia e Marcos meu filho”. Ora, Marcos nesta época (c. 1-62) não se achava em Babilônia mas em Roma. Di-lo abertamente S. Paulo em duas epístolas escritas durante o seu primeiro cativeiro na capital do império. Na epístola aos colossenses, IV, 10, “Saúda-vos Aristarco… e Marcos, primo de Barnabé; na epístola a Filemon v. 24: saúda-te Marcos, etc.”. Nem é tudo. O exame interno do nosso segundo evangelho, em admirável consonância com os mais antigos testemunhos históricos, atesta-nos que Marcos escreveu as suas páginas inspiradas em Roma, sintetizando nelas a pregação e os ensinamentos do príncipe dos apóstolos. PAPIAS, JUSTINO, IRINEU, ORÍGNES CLEMENTE ALEXANDRINO depõem contestes em favor desta verdade.120

    ___

    119. HOFFMANN, Schriftbeweiss, 1855, II, 641; II, THIERSCH, Kritik der newtestamentichen Schrften, Erlangen1845 p.110; WIESINGER, Der erste Bief des Apostels Petrus, Koerningsberg 1856, p. 339: EWALD, Sieben Sendschreiben, Goettinghen 1870, p. 2; F. CHR. BAUR. Paulus, der Apostel Jesu Christi (2), Leipzig, 1867, I, p. 245; A. SCHWEGLER, Das nac-apostolische Zeitalter, Tubingen 1845, II, 18 ss.;ZAHN, Einleitung in das N. T., Lepzig 1899, II(2), 17;HARNACK, Die Chronologie der altchristlichen Litteratur, Leipzig 1897, I, 455; E. ZELLER, Zeitschrift fuer wissenschaffl, Theologie, de Hildenfeld, 1876, pp. 34-35; RENAN, L’Antichist (2), Paris 1875, p. 122: “afin de dépister les soupons de la police, Pierre choisit pour désigner Rome le nom de l’ntique capitale de l’impiété asiatique, nom dont la signification symbolique n’échappait à personnne”. Citemos ainda PH. SCHAFRF, tantas vezes escolhido como seguro mentor pelo novo gramático: “Todas estas dificuldades [expulsão dos judeus de Babilônia, falta de documentos positivos, presença de S. Marcos em Roma no ano 61-3] obrigam-nos a voltar à primitiva exegese, única seguida na antiguidade, segundo a qual Babilônia designa Roma” Geschiichte der apololischen Kerche(2), Leipzig 1864, p. 368. Nesta e nas páginas precedentes encontrará o Sr. Carlos Pereira diluídos pelo seu correligionário todos os argumentos que enxertou tão sem crítica no seu “estudo dogmático-histórico”.

    120. PAPIAS, apud EUSÉB., H. E., 1, III, c. 39 (MG, XX, 299);IRINEU, Adv. Haer., 1, III, c. 1, n. 1 (MG, VII 845); ORÍGNES, ap. EUSÉB., H. E., 1, VI, 14, (MG, XX, 551), Cfr. FOUARD, Saint-Pierre(1), Paris, Lecoffre, 1903, c. XX, pp. 440-457.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.82

    À vista de tudo isto podemos deixar ao crítico paulista a consolação de entoar triunfante o seu hino de vitória: “assim se desfaz como o pó diante do vento a melhor prova que os defensores do Papado possuem da estada de S. Pedro em Roma”, p.267.

    S. Pedro, bispo de Roma. – Depois de havermos longamente provado a estada de S. Pedro em Roma, não há por que nos detenhamos em demonstrar que o apóstolo foi outrossim bispo dessa cidade. Nega o Sr. CARLOS PEREIRA, mas com a mesma sem-razão com que recusara admitir a primeira parte da tese. O testemunho histórico tem o mesmo valor aqui como lá. Não abusaremos da paciência do leitor aduzindo nova e interminável lista de autoridade. Basta observar que IRINEU, CAIO, o autor anônimo do Carmen adversus Marcionem, S. CIPRIANO, S. OPTATO, S. AGOSTINHO, S. JERÔNIMO, SULPÍCIO SEVERO 121 etc. atestam unânimes o episcopado romano do príncipe dos apóstolos. Basta lembrar que, sem exceção de um só, todos os catálogos dos bispos de Roma, organizados a mais acurada diligência sobre os documentos primitivos pelos antigos escritores, assim do Ocedente como do Oriente, colocam invariavelmente o nome do Pedro à frente de todos; com ele abrem a lista nunca interrompida da sucessão episcopal de Roma.122

    Não posso deixar de insistir sobre o testemunho de IRINEU e de EUSÉBIO de novo falseados pelo Sr. CARLOS PEREIRA. diz o texto de Irineu: “Fudantes igitur et instuentes123 beati apostoli ) Petrus et Paulus] ecclesiam, Lino epscopatum tradiderent… Succedit autem ei Anacletus. Post eu tertio locam ab apostolis
    ___

    121. CAIO, do papa Vitctorm diz: “Tertius ac decimus a Petro fuit Romae episcopus”. Ap. EUSÉB., H. E., 1 V, c. 28 (MG, XX, 511). S. JERÔNIMO, “Simon Petrus… Romam pergit ibique 25 annis cathedram sacerdotalem tenuit”. De vir., Illust., c. 1 (ML, XXIII, 607). S. AGOSTINHO: “Petro enim successit Linus” Epist., 53 (165) c. ‘, c. 2 Ad Generosum )ML, XXXIII, 196). “Cathedra tibi quid fecit Ecclesiae romanae in qua nunc Anasthasius sedit”. Contra literas Petiliani, 1. II, c. 51 (ML, XLIII, 300). SULPPÍCIO SEVERO, falando do tempo de Nero: “Eo tempore divina apud urbem Romam religio invaluerat, Petro ibi episcopatum gerente”. Hist. Sacra,1. II, n. 28 (MG, XX, 145). Os outros testemunhos já foram citados. Cfr. Apêndice.

    122. Quem quiser verificar a asserção poderá consultar 19 destes catálogos organizado por antigos escritores latinos, gregos, siríacos, árabes, etc., apud DE SMEDT, Dissert. in primam aetatem Hist. Eccles., Gand 1876, apêndice K, pp. 83-96.

    123. A propósito deste inciso pondera o nosso crítico: “Lino, segundo Irineu, foi ordenado bispo não só por S. Pedro, mas também por S. Paulo. Portanto se por este fato é ele sucessor de S. Pedro, o é também de S. Paulo”, p. 287. – Não é por este fato, não, Sr. O bispo de Roma pode ser ordenado por qualquer bispo. A sucessão no primado lhe advém dos títulos divinos que só Pedro e não Paulo possuía; já o dissemos.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.83

    episcopatum sortitur Clemens”.124 EUSÉBIO na História Eclesiástica: “Linus primus post Petrum… ecclesiae romaneae epicopatu adeptus est”.125

    Adulterando visivelmente o significado dos textos acima, afirma o Sr. CARLOS PEREIRA que “Lino é considerado o primeiro bispo tanto por Irineu como por Euzébio” para logo concluir: “a exclusão que fazem estes dois eminentes doutores da antiguidade cristã do nome de Pedro da lista dos primeiros bispos de Roma dá em terra com as pretensões destes”, p. 288. – Onde a exclusão? Onde a afirmação absoluta que Lino foi o primeiro bispo de Roma? O primeiro depois de Pedro, depois dos apóstolos, post Petrum, ab apostolis, isso sim, afirmam IRINEU e EUZÉBIO. Só o não vê quem tem os olhos vendados. Na sucessão episcopal de Roma os dois escritores dão a Pedro um lugar de distinção, de honra, como a apóstolo e fundador da dinastia espiritual dos pontífices, mas de modo algum o excluem do episcopado. Se Lino foi bispo de Roma e sucedeu a Pedro, Pedro foi outrossim bispo de Roma, que isto quer dizer suceder. Quem diz: SCHELING foi depois HEGEL o primeiro professor de filosofia em Berlim, nega, porventura que também HEGEL, ensinasse filosofia na capital da Prússia? Quem escreve: FELIPE V foi depois dos Habsburgos o primeiro rei da Espanha, exclui talvez Habsburgos do trono espanhol? Irineu e Eusébio, portanto, não discordam em ponto algum do consenso dos outros escritores que já deixamos citados.126
    Mas, neste ponto não se demora o Sr. CARLOS PEREIRA em analisar documentos. Ao fato histórico e real opõe teorias. Pedro não foi bispo de Roma porque não o podia ser; e não o podia ser por duas razões: 1) Porque os apóstolos eram bispos universais e não podiam prender-se a igrejas particulares: “Absurdo é, portanto, ser Pedro… bispo universal… e ser ao mesmo tempo bispo local ou particular de Roma. O mesmo fora dizer que o presidente federal poderia ser simultaneamente governador do Estado de S. Paulo”, p.273-4. – Por que, porém, seja absurdo não se dignou declarar-nos. Talvez por incompatibilidade essencial? Mas o Papa não foi
    ___

    124. Adv. Haer., III, 3 (MG, VII, 849).

    125. Hist. Eccles., l. III, c. 4 (MG, XX, 222).

    126. Aliás, EUSÉBIO no seu Chronicon, em texto prudentemente calado pelo Sr. Carlos Pereira, se exprime com uma clareza insofismável: “Petrus apostolus cum primum antiochenam ecclesiam fundasset, Romam mittitur, ibique evangelium praedicans XXV anis eusdem urbis episcopus perseverat… Post Petrum, primum romanam ecclesiam tenuit Linus”. Chronicon, l. II (MG, XIX, 539, 543). À perspicácia do gramático paulista o inventar uma nova tortura crítica que o desembarace deste texto importuno.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.84

    sempre e ainda hoje bispo de Roma e bispo de toda a Igreja? Porventura por ser Pedro apóstolo? Mas esqueceu o Sr. CARLOS PEREIRA que dez páginas antes (p. 262) havia chamado – e acertadamente – a Tiago, bispo de Jerusalém? A comparação aduzida prova apenas que o adversário não está habituado a analisar o valor lógico de seus argumentos. A incompatibilidade entre a presidência da república e a de um Estado particular resulta, não da natureza das coisas (e para haver absurdo é mister antilogia nos elementos essenciais de uma ideia mas de uma simples disposição positiva de nossa carta constitucional. Em outra constituição os dois cargos poderiam coexistir harmoniosamente numa só pessoa como uma só e mesma pessoa poderá ser chefe de sua família e presidente de sua nação, rei de Prússia e imperador da confederação germânica.

    2) A segunda razão é que “não havia ainda nos tempos apostólicos episcopado no sentido técnico e restrito da palavra, no governo hierárquico da igreja”, p. 273. Se o nosso autor, deixando o seu comodíssimo método de asserir sem provas, se desse ao trabalho de corroborar esta afirmação com documentos históricos de valor, veria, ao pôr mãos à obras, toda a impossibilidade da empresa. Nada mais exuberantemente atestado pelos antigos monumentos que a origem apostólica do episcopado. S. Tiago foi bispo de Jerusalém no sentido técnico e restrito da palavra. S. João, no Apocalipse, dirige-se a 7 bispos da Ásia Menor que o eram no sentido técnico e restrito da palavra. S. INÁCIO DE ANTIOQUIA, contemporâneo dos apóstolos, fala-nos frequentemente da hierarquia eclesiástica: “Sem bispo, sem sacerdotes e sem diáconos não há igreja”.127 Em cada igreja local o bispo é o intérprete autorizado da doutrina apostólica, é o representante de Deus. A instituição divina do episcopado é claramente afirmada na dedicatória da epístola aos filadelfos: “O bispo, os sacerdotes e os diáconos foram designados no pensamento de Jesus Cristo, que segundo a sua vontade os estabeleceu e confirmou pelo Espírito Santo”.128 HERMAS, SÃO CLEMENTE ROMANO, S. DIONÍSIO DE CORINTO, S. IRINEU,
    ___

    127. Ad Trall., III 1-2 (F. I(2), 205).

    128. Cfr. Ad. Ephes., II, 2; III, 2; IV, 1 (F., 1(2), 175, 177, 179); Ad Magnes., II; III, 1; XIII, 1 (F., I(2), 193, 201);; Ad Trall., III, 1; VII, 1-2 (F, I(2), 205, 207-9); Ad Philad., I, 1; III, 2; IV; VII, 1; (F I(2), 225, 227, 259); Ad Smyrn., VIII, 1 (F, I(2), 241).

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.85

    TERTULIANO, ORÍGENES,129 escritores do primeiro e segundo século (e princípio do terceiro) afirmam como verdade notória e indiscutível a origem apostólica do episcopado. Mais. Todos os catálogos e listas episcopais organizadas por HEGÉSIPO, IRINEU, EUSÉBIO para as igrejas de Roma, Antioquia, Alexandria e Jerusalém mostram-nos uma série ininterrupta de bispos cujo primeiro termo é um apóstolo ou discípulo imediato dos apóstolos.130 Mas não há porque insistirmos em coisa tão evidente. LEIBNIZ, pondo a verdade acima dos preconceitos de seita, escreveu: “De discrimine episcopi et prebiteri utrum et quatenus a jure divino proficiscatur in Ecclesia quidem nulla magnopere dubitatio aut obscuritas est, protestantes vero non solum contra ecclesiam contendunt sed et inter se”.131
    Outro protestante, o barão VON STARCK reconheceu formalmente que: “em favor da primazia do episcopado de S. Pedro em Roma temos o testemunho de toda a antiguidade cristã desde PAPIAS e IRINEU que viveram ambos no segundo século e dos quais o primeiro era discípulo de S. João… Afirma BASNAGE que nenhuma tradição tem por si maior número de testemunhas: pô-la em dúvida é destruir toda a certeza histórica. Assegura PARSON que nenhum dos antigos pôs em controvérsia a fundação da igreja romana por S. Pedro e a sucessão dos papas a este apóstolo… PUFFENDERF na sua Monarchia Pontifices romani… GRÓCIO nas suas Cartas exprimem-se declaradamente em favor da primazia da igreja Romana, de sua hierarquia e de sua sucessão episcopal… verdade, aliás, tão incontestável que nem LUTERO nem CALVINO, nem os Centuriadores de Magdeburgo ousaram impugná-la.132
    ___

    129. HERMAS, Pastor, Vis. III, 5, 1, (F. I(2), 361); CLEM. ROM., I cor., XLII-XLIV, (F, I (2), 1134-115); DIONÍS. Cor., ap. EUSÉB., Hist. Eccles., III, 4 (MG, XX, 222); IRINEU, Adv. Haeres. III, 3, n. 4 (MG, VII, 872); TERTUL., De Praescript., XXXII (ML, II, 44); ORÍGENES, Comment, in epist. ad Rom., X, 41 (MG, XIV, 1289). CLEM. ALEX., ap. EUSÉB., Hist. Eccles., III, 33 (MG, XX, 258).

    130. Para a igreja de Roma, Cfr. IRINEU, adv. Haer., III, 3 (MG, VII, 849-52); HEGÉSIPO, ap. EUSÉB., Hist. Eccles., IV 22 (MG, XX, 378); EUSÉB., Hist. Eccl., II, 24 (MG, XX, 206. IV 4; V, 12 (MG, XX, 310,459).

    131. LEIBNIZ, Systm der Theologie, Mainz 1825, p. 302. Toda esta obra poder considerar-se como a abjuração deste grande gênio que só interesses de ordem mateiral retiveram no protestantismo.

    132. VON STARCK, Theoduis Gastmahl oder ueber die Vereinigung der erschiedelnen christichen Religons-Societaetens. Francfurt a. M. 1821, pp. 25-27. (O livro é anômino).

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.86

    Só para a escola crítica do gramático paulista não havia ainda nos tempos apostólicos episcopado propriamente dito no governo da Igreja.133

    Mas se, mutilando, torturando e falseando textos é possível amordaçar as testemunhas mais irrefragáveis, não se pode impor silêncio às pedra: lapides clamabunt. Aí está a arqueologia a bradar na mudez eloquente de seus monumentos. Em Roma, os bronzes, os mármores, as pedras, os afrescos, tudo fala de S. Pedro. O túmulo do apóstolo na colina Vaticana, o célebre medalhão de bronze descoberto no cemitério de Domitila, a cathedra Petri do cemitério de Priscila na Via Salaria e mil outros monumentos explicados por antiquíssimas tradições locais demonstram irrefutavelmente o episcopado do príncipe dos apóstolos na Cidade Eterna.134
    É uma evidência plástica, “uma evidência monumental” na frase enérgica de RODOLFO LANCIANI, o mais autorizado conhecedor moderno da topografia de Roma antiga. “Para o arqueólogo, diz ele, a presença e o martírio de S. Pedro e de S. Paulo são fatos estabelecidos sem a menor sombra de dúvida por simples evidência monumental”.135 Unam-se agora os testemunhos escritos com os arqueólogos e concluir-se-á com J. B. DE ROSSI, o Colombo de Roma subterrânea: “queste belle armonie della storia scritta com i monumenti non sono effetti del caso, na pegni della veritá dell’una e degli altri”.136
    ___

    133. Quem desejar mais amplo desenvolvimento da questão pode consultar VON DANIN-BORKOWSKI, Die neuren Forschungem ueber die Antaenge des Episcopats, Freib. en Br. 1900; MICHIELS, Les arigines de l’Episcopat, Ouvain, 1900; BATIFFOL, L’Église naissante et le catholicisme, Paris, 1909; BRUDERS, Die Verfassung der Kirche von den ersten Jahrzehnten der apotolischen Wieksamket an bis zum Jahre 170 nach Chr.,Mainz 1904; Dietionnaire apoligétique de la foi catholique, de D’ALÉS, ad v. Evêques.

    134. Das inumeráveis memórias de S. Pedro conservadas em Roma algumas são certamente autênticas, outras de autenticidade provável, outras ainda certamente lendárias. A natureza deste escrito nos permite a longa digressão arqueológica necessário ao estudo minucioso de cada monumento em particular. Nosso argumento firma-se no conjunto deles. Para o exame crédito e o valor probativo de cada memória, Cfr. H. GRISAR, Roma alia fine del mondo antico (2), Roma 1908.

    135. R. LANCIANI, Pagan and Christian Rome, Londrona Macmillan, 1892, p. 123. No mesmo lugar diz ainda LANCIANI: “Houve tempo que autores pertencentes a credos diferentes faziam quase um caso de consciência o afirmar ou negar a priori estes fatos consoante aceitavam ou rejeitavam a tradição de uma igreja particular. Hoje é esta uma mentalidade já superada ao menos por aqueles que seguem os progressos das novas descobertas e da literatura crítica”, Oiyci audabte a o, 125: “Não há acontecimento da época imperial ou de Roma imperial atestado por tantos monumentos convergentes todos para a mesmo conclusão – a presença e o martírio dos apóstolos na capital do império”.

    136. Bollettino de archeologia cristiana, 1864, p. 86. As escavações e descobertas posteriores só vieram reforçar as conclusões do genial arqueólogo romano. Quase meio século depois escreve MONCEAUX: “Les faits archéologiques, comme les témoignages irrécusables de Clément et Caius, s’accordent avec cette tradition romaine, si constante, se ancienne, si vraissemblable en elle-même, à laquelle on n’oppose que des légendes tardives, sans valeur e sans portée, des gloses de fantaisie e des hypothèses san consistance” Revue d’histoire et de littérature religeuse, 1910, p. 238.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.87

    Objeções do Sr. Carlos Pereira. – Até aqui construímos. Construímos como os operários que trabalhavam no templo de Jerusalém, com a trolha num das mãos e a espada na outra, edificando e combatendo.
    É tempo de provarmos mais de propósito a têmpera das armas adversárias.
    Para rejeitar tanto multidão e tanto peso de testemunhos são de esperar provas invencíveis, esmagadoras. E, no entanto, quem tal crera? Não podem os protestantes alegar um só documento positivo em favor de sua tese. Todos os argumentos que trazem à praça são negativos, são argumentos deduzidos ex silentio. Ora, advertem todos os críticos que o argumento ex silentio é de uso delicadíssimo. Para empregá-lo com êxito é mister demonstrar não só que o autor conhecia o fato por ele calado, mas que o devia mencionar expressamente. Semelhante demonstração exige que se conheçam por miúdo todas as circunstâncias de tempo, lugar, pessoas, que acompanharam o seu escrito. Preenche a prova protestante estas condições? É o que nos resta a ver.

    Silêncio de S. Lucas. – S. Lucas, dizem, nos Atos dos Apóstolos, não menciona a viagem de S. Pedro. – Que importa? Quis ele dar-nos uma história completa da igreja pimitiva? De modo nenhum. Sua narração abrange apenas os primeiros fatos ocorridos em Jerusalém para restringir-se pouco depois às excursões S. Paulo de que foi o fidus Achates. Nem mesmo de S. Paulo nos conta ele todo o ministério evangelizador. Muitas viagens fez o apóstolos das gentes que só conhecemos pelas suas epístolas. Ora, de S. Pedro que nos dizem os Atos? Que libertado do cárcere em que o encerrara o rei Agrippa abiit in alim locum (XII, 17). Para onde, não no-lo determina. A frase de Lucas deixa, pois, toda a sua força aos nossos argumento positivos. A própria expressão indeterminada in alium locum parece indicar que se trata de uma viagem extraordinária. Quando Pedro ia de uma lugar para outro da Palestina ou da Ásia Menor, Lucas menciona-o sempre expressamente. Aqui, silencia. Talvez motivos de conveniência hoje a nós desconhecidos (provavelmente, a perseguição de Nero que já

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.88

    negrejava no horizonte quando forma escritos os Atos) lhe aconselhavam a reticência.

    – Narra-nos ainda S. Lucas (XXVIII, 15) que em chegando S. Paulo a Roma lhe saíram os irmãos ao encontro na Via Ápia, sem mencionar entre eles S. Pedro. Não declina explicitamente nome algum. Aqui uma simples ausência temporária explica o silêncio do autor. Não pretendemos absolutamente que S. Pedro de tal modo fixasse a sua residência em Roma que dela nunca se apartasse em longas ou breves excursões apostólicas, deixando em seu lugar homem de reconhecida prudência e santidade.
    – No mesmo cap. XXVIII, v. 23, conta o autor dos Atos que, convocados os principais dentre os judeus de Roma, pediram a Paulo lhes dissesse o que sentia acerca da nova religião, porque, acrescentavam, “o que sabemos desta seita é que em toda a parte a impugnam”. E CARLOS PEREIRA logo de concluir: não é absolutamente crível que sendo S. Pedro bispo naquela cidade desde o ano 41… tivesse deixado os representantes da colônia judaica na completa ignorância sobre a seita dos Nazarenos, isto é, sobre o Evangelho de Jesus Cristo”, p. 268. – Se houvera melhor atendido às circunstâncias do tempo e às disposições psicológicas dos israelitas dispersos não veria de certo esta absoluta incredibilidade do fato. Chegando a Roma, S. Pedro muito provavelmente começou a pregar o Evangelho entre os seus compatriotas nas numerosas sinagogas que então existiam na capital do Império. Alguns abraçaram o Evangelho, outros, a maior parte, repeliram-no. Depois de inúteis tentativas o apóstolo volveu-se para os pagãos, onde mais abundante se lhe afigurava a colheita de almas. No fim de alguns anos a cristandade romana era composta principalmente de gentios convertidos; e tão depressa medrara a nova igreja que a sua fama já se havia espalhado por todo o mundo, como no diz o próprio S. Paulo escrevendo aos Romano (I, 8), os obdurados filhos de Israel ficaram em boa parte parte alheios ao grande movimento religioso da cidade dos Césares. Ademais, quer parecer-nos que os judeus não falaram a Paulo com sinceridade e lisura. Calaram talvez o muito mais que sabiam sobre a nova religião para exprimir o que manifestava o seu desprezo pela “seita”. Depois dos tumultos excitados em Roma, no tempo de Cláudio, 137 procuraram os fiéis da Sinagoga extremar-se dos novos prosélitos a fim de não ser envolvidos
    ___

    137. Cfr. Suetônio, CLAUD., C. 25.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.89

    a mesmo perseguição. A chegada de Paulo despertou a curiosidade deste soberbos próceres do judaísmo que haviam menosprezado a pregação do humilde pescador da Galiléia. O nome do antigo discípulo de Gamaliel, a qualidade de Fariseu e doutor da lei, celebrizado já nas sinagogas da Diáspora pelo ardor das suas pregações, atraíram novamente os principais da colônia judaica, que o quiseram ouvir. Mas Paulo não foi mais feliz que Pedro. Fora alguns poucos fiéis à graça, os outros endureceram na sua obstinação. O apóstolo repreendeu-os asperamente e dirigiu-se aos gentios: “Notum ergo sit vobis, quoniam gentilibus missum est hocsalutare Deis et ipsi audente”.138
    Nenhuma maravilha, pois , que numa cidade em que os judeus se contavam aos milhares, alguns, induzidos pelos motivos acima, houvessem podido desprezar os cristãos e dizer, sincera ou fingidamente, a Paulo que pouco sabiam da nova “seita”.
    Nulo é pois o argumento tirado do silêncio de Lucas. Vamos ao

    Silêncio de S. Paulo. – Na sua epístola aos Romanos o grande apóstolo saúda nominalmente mais de vinte irmãos. Ora, “absolutamente é incompreensível que fossem saudadas as ovelhas e não o pastor”, p. 264. – Não é tal. S. Paulo escreve aos Efésios e não saúda a Timóteo que lhes deixara como bispo; escreve aos coríntios, aos gálatas, aos tessalonicenses aos colossenses, ao hebreus e não lhes saúda os pastores. É possível que os portadores destas epístolas levassem especiais recomendações para os superiores hierárquicos. Não convinha englobar o nome do príncipe dos apóstolos numa multidão de humildes fiéis. Mais. Sabia S. Paulo que naquela ocasião se achava S. Pedro em Roma? Era talvez prudente nomeá-lo numa epístola pública que podia ver às mãos dos infiéis? Aí estão muitas razões que explicam o silêncio de Paulo e o tornam “absolutamente compreensível”, sem de modo algum constranger-nos a rejeitar os documentos positivos já estudados.

    – Mas, insiste o adversário, S. Paulo tinha por princípio “não edificar sobre fundamento alheio” como ele o declara nesta mesma epístola.139 “Se S. Pedro ali tivesse a sede de seu episcopado, S. Paulo não invadiria anarquicamente diocese alheia”, p. 264.
    ___

    138. Act., XXVIII, 28; cfr. ibid., 23-28.

    139. Ad Rom., XV, 20.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.90

    Passe o cru da expressão. Antes de tudo, o princípio aqui enunciado por S. Paulo não é universal nem foi por ele sempre observado com inquebrantável rigidez. É sabido que o apóstolo das gentes pregou nas igrejas de Damasco, Antioquia e Jerusalém que não haviam sido por ele fundadas. Além disso, porém, o argumento aduzido, se algo prova, prova justamente o contrário do que se pretende.Leia-se todo o capítulo XV. Aí declara Paulo que não costumava pregar o Evangelho onde Cristo já fora anunciado a fim de não edificar sobre fundamento alheio. “Por isso, continua ele, também me via embaraçado muitas vezes para vos ir ver e não o tenho podido fazer até agora. Entretanto, não tendo já motivo para me demorar mais nestas terras e desejando desde muitos anos ir ver-vos, quando me puser a caminho para a Espanha espero que de passagem vos verei”.140 Como se vê, o contexto funda uma conclusão oposta à que pretende o gramático brasileiro. Paulo comunica que, tencionando ir à Espanha, verá de passagem os romanos com os quais, de há muito, desejava entrar em relação. Não se deterá porém, porque não costuma edificar sobre fundamento alheio. É a afirmação implícita de que outro edificara antes dele. Já o dissera no princípio da epístola: “vossa fé é conhecida em todo o mundo”141 Já confessara que “os romanos estavam cheios de caridade, cheios de toda a ciência”.142 Pouco depois dirá que eram tão submissos aos seus superiores eclesiásticos que “a obediência deles era notória em toda a parte”.143
    Antes pois da vinda de S. Paulo, já havia em Roma uma cristandade florescente, cuja existência e virtude eram conhecidas em todo o mundo cristão. Quem a fundara? Pedro, respondem todos os documentos. Negando a viagem de Pedro a Roma, os protestantes puseram-se à cata de novo fundador. As hipóteses, como era de esperar, enxamearam, qual a qual mais cerebrina. A menos inverossímil para CARLOS PEREIRA é que “tendo essa igreja o seu início mui provavelmente nos forasteiros convertidos por S. Pedro no dia de Pentecostes em Jerusalém, o nome deste apóstolo ficou indelevelmente ligado à nova comunidade, de que ele fora indiretamente o fundador”, p. 285.

    ___

    140. Ad Rom., XV, 22-24

    141. Ad Rom., 1, 8.

    142. Ad Rom., XV, 14.

    143. Ad Rom., XVI, 19.

    LIVRO I – CAPÍTULO I – SÃO PEDRO EM ROMA – Pg.91

    Não lhe peço provas históricas desta ficção poética, porque não seria capaz de me aduzir uma só. Considero a hipótese em si mesma. É admissível que os apóstol

  13. A DOLOROSA AFIRMAÇÃO DE UM CATÓLICO.

    Quando era criança, o velho Zeca, meu pai de criação me dizia como era difícil ser católico. Claro eu era criança e nada compreendia do que ele falava. Sabia apenas que ele as vezes varava noites estudando o catolicismo. Tenho ainda até hoje para quem quiser conhecer uma pequena biblioteca de livros interessantíssimos, uns mil e duzentos livros, entre eles muitos naturalistas, existencialistas, livros de autores estrangeiros , escrito em inglês, francês,etc. E algumas preciosidades que ele adquiriu em algumas décadas. Para mim bastava ir a igreja, assistir a missa e já estava tudo certo, eu era um verdadeiro católico.
    Só agora depois de ter peregrinado tanto, é que pude entender o que é ser católico, a bíblia é muito pouco. É preciso conhecer muito de história, é preciso conhecer a ideologia de cada um dos povos antigos. É preciso entender bem a mutação da linguagem que predominou durante os séculos que se passaram. É preciso ter a sensibilidade de rever a filosofia e a razão que levaram a tantos homens a se tornarem pais da igreja. É preciso conhecê-los na íntegra. É preciso entender as razões que levaram a muitos se rebelarem contra a igreja(naturalmente a única, católica). A história é feita por homens, e assim Deus quis se interagir no meio deles, para que o mérito fosse dividido entre eles para a glória do próprio Deus. O próprio Deus vivo, O Senhor jesus quis precisar de uma mulher para vir ao mundo e resgatar a mulher além de estabelecer diretrizes básicas para a salvação. È preciso entender que o Senhor é que é dono da história e a sua vontade Dele é preterida pela vontade de muitos. Outra coisa é entender que amor é verbo transitivo na sua dimensão total de que todo indivíduo tem que ver o próximo de duas maneiras; como menor, e sua disposição em ter que ajudá-lo, e como maior, ter que amá-lo como fonte de inspiração para seu crescimento. A isso se dá o nome de comunhão dos santos. Ser católico é ter que conhecer pelo menos sete vezes mais que qualquer protestante, para não ser aliciado e enganado por eles. ser católico deve seguir os estatutos da igreja, usando seus 2000 mil anos de experiência para não ser ludibriado pelo maligno. É preciso entender que a igreja tem como finalidade manter o individuo nos caminhos já trilhados pelo sangue de nossos antepassados, para que cada um entenda as ligações que já foram feitas e desfeitas entre o céu e a terra, para que nenhum deles se perca. Certo dia um evangélico me pediu para citar uma ligação que a igreja fez entre céu e terra, e eu respondi e vou dizê-la aqui de novo. Quando o Senhor se foi, Ele deixou uma comunidade pequena instituída, a saber um responsável pelos destinos e vários colaboradores que teriam que expandir os conhecimentos ao mundo e mais um esteio que testemunharia e que abrigaria todos os passos dados por ele e seus comandados. O Senhor sabia que esta comunidade haveria de crescer e ganhar o mundo. O tempo fez a igreja criar cargos específicos para comandar um número maior de fiéis e esta igreja nascente teve que se transferir para o até então centro do mundo(Roma). Viu aí, foi ligado entre céu e terra uma nova realidade, isto é uma nova realidade das coisas que o Senhor certamente previu que aconteceria. Até os erros cometidos, trouxe consequências graves que fazem chorar o santo padre e sofrer a doce Virgem Maria; os protestantes. Infelizmente a santa doutrina já não satisfaz a muitos que se iludem em discussões e estudos prolongados que levam somente a seus interesses e satisfações pessoais. Eu conheci dos amigos que tiveram sortes diferentes, um ficou rico e o outro pobre depois de grandes dificuldades. Ao que ficou rico e entregou na época tudo que tinha para os pastores em nome de Jesus, eles disseram que ele teve fé. Ao outro que também fez o mesmo, se tornou miserável eles condenaram dizendo que ele não teve fé, será? É preciso entender que nem sempre as hipóteses justificam os fatos e muitos acabam aceitando o infortúnio como justificativa dos acusadores. Os acusadores acabam acreditando em seus próprios raciocínios como proféticos, moral da história , vitória de Satanás. Se as portas do inferno não prevalecerão sobre a santa igreja, ela torna-se a única mediadora dos conhecimentos sagrados.

    • EDMILSON disse:

      IRMÃOS E IRMÃS CATÓLICAS SAIBAS QUE É TOTALMENTE SAFADEZA E FARSA DOS PROTESTANTES BESTAS DO APOCALIPSE QUE DIZEM QUE MARIA TEVE FILHOS

      E QUE MARIA COMEÇOU A SER PROCLAMADA SANTA DEPOIS DE CONSTANTINO

      ISSO É FARSA VOU MOSTRAR PARA VOCÊS AQUI NESSE PEQUENO ESTUDO

      QUE MARIA É REFERENCIA NOS LIVROS CARTAS E EPÍSTOLAS DOS PADRES DA IGREJA DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO DA ERA CRISTÃ
      VEJAM UM POUCO DOS TESTEMUNHOS SOBRE MARIA

      A Virgem Maria e os primeiros cristãos

      Maria amamentando o Menino Jesus, século II, Catacumba de Priscila, Roma

      Os primeiros cristãos veneravam a Virgem Maria?
      VEJA AQUI UM PEQUENO TRECHO DE UMA DAS ORAÇÕES

      mais antiga a Santíssima Virgem Maria que remonta o ano 230 da era cristã
      “À vossa proteção recorremos Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, Ó Virgem gloriosa e bendita!”.
      _________________________________________________________________________
      AGORA VEJA O QUE DIZ SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA NASCIDO NO ANO 35 DA ERA CRISTÃ QUE ESCREVEU UM LIVRO COM 7 CARTAS IMENSAS AOS BISPOS DA IGREJA
      LEMBRANDO SANTO INÁCIO DE ANTIOQUIA FOI DISCÍPULO DE SÃO JOÃO EVANGELISTA
      VEJA
      “E permaneceram ocultos ao príncipe desse mundo a Virgindade de Maria e seu parto, bem como a morte do Senhor: três mistérios de clamor, realizados no silêncio de Deus”
      “A verdade é que o nosso Deus, Jesus, o Ungido, foi concebido de Maria segundo a economia divina; nasceu da estirpe de Daví, mas também do Espírito Santo”.
      “Filho de Deus pelo desejo e poder de Deus, nasceu verdadeiramente de uma Virgem”

      AGORA VEJA O QUE DIZ PAPIAS no Século I:

      “(1) Maria, a mãe do Senhor; (2) Maria, a esposa de Cléofas ou Alfeu, que era mãe de Tiago, bispo e apóstolo, de Simão, de Tadeu e de um dos que se chamavam José; (3) Maria Salomé, esposa de Zebedeu, mãe de João, o evangelista, e Tiago; (4) e Maria Madalena. Estas quatro mulheres são encontradas no Evangelho. Tiago, Judas e José são filhos de uma tia do Senhor. Maria, mãe de Tiago, o menor, e José, esposa de Alfeu, era irmã de Maria, mãe do Senhor, e que João liga a Cléofas; eram irmãs por parte de pai, por parte da família do clã ou por outra ligação qualquer. Maria Salomé é chamada simplesmente por Salomé por causa de seu marido ou de seu vilarejo. Alguns afirmam que ela é a mesma pessoa que Maria de Cléofas, já que teria se casado duas vezes.” (Papias, explicações dos oraculos do senhor)

      IRMÃOS E IRMÃS CATÓLICAS AGORA VEJA O QUE DIZ OUTRO PADRE DA IGREJA SOBRE MARIA
      São Justino, Mártir no século II (103–165 d.C)
      “E novamente, como Isaías havia expressamente previsto que Ele nasceria de uma virgem, ele declarou o seguinte: ‘Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e seu nome será chamado “Deus-conosco”‘. A frase ‘Eis que uma virgem conceberá’ significa certamente que a virgem iria conceber ser ter relacionamento. Se ela tivesse relacionamento com qualquer um que fosse, ela não poderia ser virgem. Mas o poder de Deus, vindo sobre a Virgem, a encobriu, e a induziu a conceber, embora ainda permanecesse Virgem”
      “[Jesus] se fez homem por meio da Virgem, de sorte a ser finalizada a desobediência, oriunda da serpente, por ali mesmo onde havia começado. Eva era virgem e incorrupta; concebendo a palavra da serpente, gerou a desobediência e a morte. A Virgem Maria, porém, concebeu fé e alegria quando o anjo Gabriel lhe anunciou a boa nova”.
      ___________________________________________________________________________________
      VEJA AGORA O QUE DIZ SANTO IRENEU
      no tratado contra as heresias, no século II, (por volta de 180-199)
      VEJA
      “A Virgem Maria mostrou-se obediente ao dizer: “Eis aqui tua serva, Senhor; faça-se em mim conforme a tua palavra”. Entretanto, Eva foi desobediente; mesmo enquanto era virgem, ela não obedeceu. Como ela – que ainda era virgem embora tivesse Adão por marido… – foi desobediente, tornou-se a causa da sua própria morte e também de todo gênero humano; então, também Maria, noiva de um homem, mas, apesar disso, ainda virgem, sendo obediente, se tornou a causa de salvação dela própria e de todo o gênero humano… Assim, o problema da desobediência de Eva foi eliminado pela obediência de Maria. O que a virgem Eva causou em sua incredulidade, a Virgem Maria eliminou através da sua fé”
      “Assim como o gênero humano foi levado à morte por uma virgem, foi libertado por uma Virgem”
      “A Virgem Maria, tendo sido obediente à palavra de Deus, recebeu de um anjo a alegre notícia de que iria dar à luz ao próprio Deus”
      “Como por uma virgem desobediente foi o homem ferido, caiu e morreu, assim também por meio de uma virgem obediente à palavra de Deus, o homem recobrou a vida. Era justo e necessário que Adão fosse restaurado em Cristo, e que Eva fosse restaurada em Maria, a fim de que uma virgem feita advogada de uma virgem, apagasse e abolisse por sua obediência virginal a desobediência de uma virgem.”
      ___________________________________________________________________________________
      IRMÃOS E IRMÃS CATÓLICAS AGORA
      VEJA OUTRO TESTEMUNHO DE OUTRO PADRE DA IGREJA NUMA DAS SUAS OBRASVEJA
      Santo Hipólito de Roma (que nasceu em 170 e morreu em 236)
      “O Cristo foi concebido e tomou o seu crescimento de Maria, a Mãe de Deus toda pura [...] Como o Salvador do mundo tinha decretado salvar o gênero humano, nasceu da Imaculada Virgem Maria”
      “Deus, o Verbo descendeu à Santa Virgem Maria …” (St. Hippolytus, Contra Noetum, cap. 17; PG 10, 825).
      “Ele (=Jesus) era a arca composta por madeira incorruptível. Com efeito, o seu tabernáculo (=Maria) era isento da podridão e corrupção” (Santo Hipólito de Roma, Orat. Inillud. 220 DC).
      “… corpo de Maria toda santa, sempre Virgem, por uma concepção imaculada, sem conversão, e se fez homem na natureza, mas em separado da maldade: o mesmo era Deus perfeito, e o mesmo era o homem perfeito, o mesmo foi na natureza em Deus, uma vez perfeito e homem.” (As obras e Fragmento VII)
      ___________________________________________________________________________________
      AGORA UM TESTEMUNHO DE SANTO AGOSTINHO
      Santo Agostinho, doutor da Igreja (Tagaste, 13 de novembro de 354 — Hipona, 28 de agosto de 430)
      “Concebeu-O [a Cristo Jesus] sem concupiscência, uma Virgem; como Virgem deu-lhe à luz, Virgem permaneceu” (Sermão sobre a Ressurreição de Cristo, segundo São Marcos, PL XXXVIII, 1104-1107).
      ”Entre todas as mulheres, Maria é a única a ser ao mesmo tempo Virgem e Mãe, não somente segundo o espírito, mas também pelo corpo. Ela é mãe conforme o espírito, não dAquele que é nossa Cabeça, isto é, do Salvador do qual ela nasceu, espiritualmente. Pois todos os que nele creram – e nesse número ela mesma se encontra – são chamados, com razão, filhos do Esposo (filii sponsi) (Mt 9,15). Mas, certamente, ela é mãe de seus membros, segundo o espírito, pois cooperou com sua caridade para que nascessem os fiéis na Igreja – os membros daquela divina Cabeça – da qual ela mesma é, corporalmente, a verdadeira mãe. Convinha, pois, que nossa Cabeça, por insigne milagre, nascesse segundo a carne de uma virgem, dando a entender que seus membros, que somos nós, haviam de nascer segundo o Espírito dessa outra virgem que é a Igreja. Somente Maria, portanto, é mãe e virgem, no espírito e no corpo. É Mãe de Cristo e também Virgem de Cristo.”
      “Maria é Mãe de Deus, feita pela mão de Deus” (S. Agost. in orat. ad heres.).
      “Nem se deve tocar na palavra ‘pecado’ em se tratando de Maria; e isto em respeito Àquele de quem mereceu ser a Mãe, que a preservou de todo pecado por sua graça” (Santo Agostinho, Sermão 215,3. 325 DC).
      “Não entregamos Maria ao diabo por condição original pois afirmamos que sua própria condição original se anula pela graça da redenção.” (Santo Agostinho, Contra Juliano 4. 325 DC).”
      “Exceto a Santa Virgem Maria, da qual não quero, por honra do que é devido ao Senhor, suscitar qualquer questão ao se tratar de pecados, pois sabemos que lhe foi concedida a graça para vencer por todos os flancos o pecado, porque mereceu ela conceber e dar à luz a quem não teve pecado algum. Exceto, digo a esta Virgem, se tivéssemos podido congregar todos ossantos e santas que aqui viviam e perguntássemos se jamais tinham pecado, o que teriam respondido? (…) Não é verdade que teriam unanimemente exclamado: ‘Se dissermos que não pecamos, enganamo-nos, e a verdade não está em nós’?” (Santo Agostinho, De Natura et Gratia 36,42. 325 DC).
      “A admirável santidade de Maria é fruto da graça de Deus que a cumulou, em vista de sua missão. A Virgem Maria representa o que de mais digno, puro e inocente poderia oferecer esta nossa terra a DEUS, a fim de que o Filho de Deus se dignasse baixar até ela.”
      “A Santíssima Virgem é o meio de que Nosso Senhor se serviu para vir a nós; e é o meio de que nos devemos servir para ir a ele.” (Santo Agostinho Sermo 113 in Nativit. Domini).
      ___________________________________________________________________________________
      O
      VEJA AGORA O QUE DIZ OUTRO PADRE DA IGREJA
      rígenes (Alexandria, Egipto, c. NASCIDO NO ANO 184 DA ERA CRIST× Cesaréia, ou, mais provavelmente, Tiro, 253)
      “Desposada com José, mas não carnalmente unida. A Mãe deste foi Mãe imaculada, Mãe incorrupta, Mãe intacta. A Mãe deste, de qual este? A Mãe do Senhor, Unigênito de Deus, do Rei universal, do Salvador e Redentor de todos.” (Orígenes – homilia inter collectas ex variis locis).
      “Maria é Mãe de Deus, unigênito do Rei e criador de tudo o que existe” (Orig. Hom I, in divers. – Sec. II)
      “Este menino não precisa de Pai na terra, porque tem um pai incorruptível no céu; não precisa de Mãe no Céu, porque tem uma Mãe Imaculada e casta na terra, a Virgem Bem-aventurada, Maria“.
      “Esta Virgem Mãe do Unigênito de Deus chama-se Maria, digna de Deus, imaculada das imaculadas, sem par” (Origines, Homilia 1. 280 DC).
      “Eu considero estar em conformidade com a razão que, com relação à pureza a qual consiste na caridade, Jesus foi o primeiro entre os homens, enquanto Maria foi a primeira entre as mulheres.” (Origen, Commentary on Matthew 10, 17)
      “Maria tem dois filhos, um, homem-Deus e o outro puro homem; de um Maria é Mãe corporal, do outro, Mãe espiritual” (Speculum B.M.V., lect. III art. 1,2º )
      ___________________________________________________________________________________
      O evangelista São Marcos, na Liturgia que deixou às igrejas do Egito:
      “Lembremo-nos, sobretudo, da Santíssima, intemerata e bendita Senhora Nossa, a Mãe de Deus e sempre Virgem Maria“.
      ___________________________________________________________________________________
      VEJAM MAIS TESTEMUNHOS
      O apóstolo Santo André:
      “Maria é Mãe de Deus, resplandecente de tanta pureza, e radiante de tanta beleza, que, abaixo de Deus, é impossível imaginar maior, na terra ou no céu”. (Sto Andreas Apost. in trasitu B. V., apud Amad.)
      “Tendo sido o primeiro homem formado de uma terra imaculada, era necessário que o homem perfeito nascesse de uma Virgem igualmente imaculada, para que o Filho de Deus, que antes formara o homem, reparasse a vida eterna que os homens tinham perdido” (Santo André, Cartas dos Padres de Acaia).
      ___________________________________________________________________________________
      São João Apóstolo:
      “Maria, é verdadeiramente Mãe de Deus, pois concebeu e gerou um verdadeiro Deus, deu a luz, não um simples homem como as outras mães, mas Deus unido a carne humana.” (S. João Apost. Ibid)
      __________________________________________________________________________________
      S. Tiago Menor:
      “Fazemos memória de nossa Santíssima, Imaculada, e gloriosíssima Senhora Maria, Mãe de Deus e sempre Virgem“.
      O santo Apóstolo não se limita a isso, mas torna a sua fé mais expressiva ainda. Após a consagração e umas preces, ele faz dizer ao Celebrante:
      “Prestemos homenagem, principalmente, a Nossa Senhora, a Santíssima, Imaculada, abençoada acima de todas as criaturas, a gloriosíssima Mãe de Deus, sempre Virgem Maria.”
      E os cantores respondem: “É verdadeiramente digno que nós vos proclamemos bem-aventurada e em toda linha irrepreensível, Mãe de Nosso Deus, mais digna que os querubins, mais digna de glória que os serafins; a vós que destes à luz o Verbo divino, sem perder a vossa integridade perfeita, nós glorificamos como Mãe de Deus” (S. jacob in Liturgia sua).
      ___________________________________________________________________________________
      Na Liturgia dos etíopes, de autor desconhecido, mas cuja composição data do primeiro século, encontramos diversas menções explícitas da Imaculada Conceição. Umas das suas orações começa nestes termos:
      ”Alegrai-vos, Rainha, verdadeiramente Imaculada, alegrai-vos, glória de nossos pais.”
      Mais adiante, é pela intercessão da Imaculada Virgem Maria que o Sacerdote invoca a Deus em favor dos fiéis:
      “Pelas preces e a intercessão que faz em nosso favor Nossa Senhora, a Santa e Imaculada Virgem Maria.“
      ___________________________________________________________________________________
      VEJA O QUE DIZ OUTRO PADRE DA IGREJA SOBRE MARIA
      São Dionísio Areopagita morto no ano 96 da era cristã:
      “Maria é feita Mãe de Deus, para a salvação dos infelizes.” (S. Dion. in revel. S. Brigit.)
      “Conheci pessoalmente a Maria mãe de Jesus, e era de uma beleza tal que eu a teria adorado como deusa, se a fé não me dissessse ser ela também criatura”.
      ___________________________________________________________________________________
      Santo Atanásio de Alexandria (*NASCIDO NO ANO 295 [?], em Alexandria – † 2 de maio de 373, em Alexandria)
      “Maria é Mãe de Deus, completamente intacta e impoluta.” (Sto. Ath. Or. in pur. B.V.)
      “Ele (Cristo) tomou-o (o corpo dEle) de uma Virgem pura e imaculada, a qual não conheceu homem.” (On the Incarnation of the Word 8)
      “As Sagradas Escrituras, as quais nos instruem, e a vida de Maria, Mãe de Deus, são suficientes como um ideal de perfeição e da forma de vida celeste.” (De Virginitate, 255)

      ISSO AQUI É SÓ UMA PEQUENA AMOSTRA SAIBAM QUE ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO EXISTE MILHARES DE MILHARES DE TESTEMUNHOS DOS PADRES DA IGREJA QUE PROCLAMA MARIA BEM AVENTURADA UM ABRAÇO

      • EDMILSON disse:

        FRANCISCO VOCÊ É UM BLASFEMADOR AO AFIRMAR QUE JESUS CRISTO PROFETIZOU OUTRAS IGREJAS!

        SE CONVERTA DESSA BLASFÊMIA HEREGE!

        VOU TI DA SÓ ALGUNS EXEMPLOS DENTRO DA BÍBLIA TEM 3 PAPAS!
        TEM O NO NOME DA IGREJA CATÓLICA!

        POSSUI AINDA OS NOMES DOS BISPOS DOS PRESBÍTEROS E DOS DIÁCONOS!

        DENTRO DA BÍBLIA MOSTRA CLARAMENTE A ORGANIZAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA!
        QUE AINDA É APOIADO PELOS MILHARES DE DOCUMENTOS DAS ATAS DOS BISPOS E DOS MILHARES DE DOCUMENTOS LIVROS E CARTAS DOS PADRES DA IGREJA ETC…

        FRANCISCO SE JESUS CRISTO QUISESSE NOVAS IGREJAS ELE NÃO PREGARIA UMA SÓ IGREJA E OUTRA!

        TODOS OS PRIMEIROS PAPAS DO PRIMEIRO SÉCULO FORAM MORTOS POR MÃOS DE IMPERADORES.

        E OUTRA OS MILHARES DE MÁRTIRES MORRERAM PELA IGREJA!

        E OUTRA FRANCISCO JESUS CRISTO JAMAIS ACEITARIA DOUTRINAS PROTESTANTES ONDE SE TEM SEITAS DE TODOS OS NAIPES ACORDA FRANCISCO.

        A BÍBLIA QUE VOCÊ LÊ ERRADA PERTENCE A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA
        POIS FOI ELA QUE DETERMINOU O QUE IRIA FAZER PARTE DO CÂNON

        OLHA FICARAM DE FORA VÁRIAS CARTAS DE SÃO PEDRO E DE OUTROS APÓSTOLOS
        E OUTRA TIAGO ESCREVEU 2 LIVROS E FORAM OS BISPOS DA IGREJA QUE TIROU ALGUNS TRECHOS DO LIVRO DOS ATOS.

        E MAIS SÃO MARCOS TAMBÉM ESCREVEU MUITO E FORAM OS BISPOS DA IGREJA QUE DECIDIU O QUE IRIA FAZER PARTE DO LIVRO DE SÃO MARCOS AO CÂNON BÍBLICO

        VAI ESTUDAR A PATRÍSTICA NAS FONTES MEU CARO FRANCISCO.

        VOCÊ ESTÁ LENDO MUITO FANTASIAS PROTESTANTES CUIDADO!

    • EDMILSON disse:

      O Processo de virgindade perpétua de Maria

      Aqueles que negam a virgindade perpétua de Maria mais comumente se referem a dois textos:

      · Mateus 13:55-56: Não é este o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria? E não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? E não são todas as suas irmãs com a gente?

      · Mateus 1:24-25: E José, levantando-se do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu sua esposa. E ele não a conheceu até que deu à luz seu primogênito (gr. prototokon ) filho, e chamou o seu nome Jesus. (Douay-Rheims)

      Uma leitura de superfície dessas passagens parece problemático. Se Jesus teve “irmãos” e “irmãs”, não seria Maria tiveram outros filhos? Se Jesus era de Maria “primogênito”, não haveria pelo menos um segundo filho? E se “ele não a conheceu até que,” ele fez não, então “conhecê-la” em algum momento? Vamos começar com Mateus 13:55-56.

      Oh, irmão!
      Em primeiro lugar, devemos entender que o termo irmão tem uma vasta gama semântica nas Escrituras. Pode significar um irmão uterino, uma relação prolongada, ou mesmo um irmão espiritual. Em Gênesis 13:08 e 14:12, lemos sobre um exemplo do irmão que está sendo usado para descrever uma relação prolongada: Abraão e Lot. Embora fossem, na verdade, tio e sobrinho, eles chamaram um ao outro de “irmão”. Além disso, no Novo Testamento, Jesus nos disse para chamar uns aos outros “irmãos” em Mateus 23:08. A passagem, obviamente, não quero sugerir que todos os cristãos têm a mesma mãe física.

      Em segundo lugar, se examinarmos mais de perto o exemplo de James, um destes quatro “irmãos do Senhor” mencionado em Mateus 13:55, descobrimos que ele é um primo ou algum outro parente de Jesus, em vez de um irmão uterino. Por exemplo, Gálatas 1:18-19 nos informa: “Então, depois de três anos eu [Paulo] subiu a Jerusalém para visitar a Cefas, e fiquei com ele quinze dias, mas não vi nenhum dos outros apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor.. ”

      Aviso, o “James” de quem Paulo estava falando era ao mesmo tempo um “irmão do Senhor” e um “apóstolo”. Há dois apóstolos chamados Tiago entre os 12. O primeiro James é revelado para ser um “filho de Zebedeu”. Ele provavelmente não seria o “James”, referido porque de acordo com Atos 12:1-2 ele foi martirizado muito cedo. Mesmo que fosse ele, seu pai foi nomeado Zebedeu, não Joseph.

      Paul mais provável é referente ao segundo James que era um apóstolo, de acordo com Lucas 6:15-16. Esse James é revelado para ter um pai chamado Alfeu, e não Joseph. Assim, Tiago, o apóstolo e Jesus não eram irmãos uterinos. Bastante fácil. Alguns argumentam, no entanto, que este “James” não era um apóstolo ou que ele não era um dos 12 originais. Embora esta é uma possibilidade-os-outros no Novo Testamento, como Barnabé em Atos 14, são referidos como “apóstolos” em um sentido mais solto-o argumento da Escritura é fraco. Quando Paulo escreveu sobre ir “para Jerusalém” para ver a Pedro, ele estava escrevendo sobre um evento que ocorreu muitos anos antes, logo depois que ele havia se convertido. Ele foi basicamente vai até os apóstolos a receber aprovação para que ele “deveria estar correndo ou não tivesse corrido em vão.” Seria mais provável que ele teria sido aqui falando de “apóstolos” (adequado), ou “os doze”.

      Mas para aqueles inclinados a discutir o ponto, o Catecismo da Igreja Católica usa outra linha de raciocínio:

      A Igreja sempre entendeu que essas passagens não se referindo a outros filhos da Virgem Maria. Na verdade, Tiago e José, “irmãos de Jesus”, são os filhos de outra Maria, um discípulo de Cristo, a quem chama de St. Matthew significativamente “a outra Maria”. Eles são parentes próximos de Jesus, segundo uma expressão do Antigo Testamento. (CIC 500)

      O Catecismo aqui se refere ao fato de que 14 capítulos depois, encontramos os “irmãos” do Senhor listado como “Tiago, José, Simão e Judas,” encontramos “James e Joseph” mencionado novamente, mas desta vez a mãe revela-se como sendo chamada Maria, mas não Maria, a Mãe de Jesus. Podemos concluir que “Tiago e José” são “irmãos” de Jesus, mas eles não são irmãos uterinos.

      Mas o que dizer de Mateus 1:24-25, ea afirmação de Jesus era “filho primogênito” de Maria e que José “não a conheceu até que” Cristo nasceu? Será que Matthew aqui ensinam que Maria teve outros filhos?

      Êxodo 13:1-2 revela algo muito importante sobre o primogênito de Israel: “O Senhor disse a Moisés:” consagrar-me todo o primogênito, o que é o primeiro a abrir a madre, entre os filhos de Israel, tanto de homens e animais , é meu. ”

      O “primogênito” não receberam o título porque havia uma “segunda-nascido.” Eles foram chamados de “primogênito” no nascimento. Jesus é “primogênito” não exige que mais irmãos nascer depois dele.

      Até então
      Declaração da Escritura que José “conheceu [Maria] não até que ela deu à luz seu primogênito” não significa necessariamente que eles fizeram “conhecer” o outro depois que ela deu à luz Jesus. Até que é muitas vezes usado nas Escrituras como parte de uma expressão idiomática semelhante ao nosso uso em Inglês. Posso dizer-lhe: “Até que nos encontremos novamente, Deus te abençoe.” Isso quer dizer que, necessariamente, depois de nos encontrarmos de novo, Deus amaldiçoe você? De maneira nenhuma. Uma frase como esta é usada para enfatizar o que está sendo descrito antes a até que seja cumprido. Não se pretende dizer nada sobre o futuro para além desse ponto. Aqui estão alguns exemplos bíblicos:

      · 2 Samuel 6:23: E Mical, filha de Saul não teve filhos, para ( até ) no dia de sua morte. (Será que isso significa que ela teve filhos depois que ela morreu?)

      · 1 Timóteo 4:13: até que eu venha, assistir à leitura pública da Escritura, à exortação, ao ensino. (Será que isso significa Timóteo deveria parar de ensino depois de Paulo vem?)

      · 1 Coríntios 15:25: Porque ele (Cristo) deve reinar até que tenha posto todos os inimigos debaixo de seus pés. (Isso significa que o reinado de Cristo vai acabar? De maneira nenhuma! Lucas 01:33 diz: “ele reinará sobre a casa de Jacob eternamente eo seu reino não terá fim. “)

      Nos últimos anos, alguns têm argumentado que, como Mateus 1:25 usa a palavra grega HEOS hou para “até”, enquanto que os textos que eu mencionei acima do Novo Testamento uso HEOS sozinho, há uma diferença de significado. O argumento é que Heos hou indica a ação da primeira cláusula de não continuar. Assim, Maria e José “não ter vindo junto” teria terminado depois que Jesus nasceu.

      Os problemas com esta teoria começa com o fato de que não concurs bolsas disponíveis com ele. De facto, a evidência demonstra o contrário. Heos hou e HEOS são utilizados indiferentemente e possuem o mesmo significado. Atos 25:21 deveria ser suficiente para esclarecer o assunto: “Mas, quando Paul tinha apelado a ser mantido em custódia para a decisão do imperador, mandei que ser realizada até (gr. HEOS hou ) Eu poderia enviá-lo a César. ”

      Será que este texto significa que Paul não seria mantido sob custódia depois que ele foi “enviado” para César? Não de acordo com o relato bíblico. Ele seria mantido sob custódia, enquanto em trânsito (veja Atos 27:1), e depois que ele chegou em Roma por um tempo (veja Atos 29:16). A ação do caput não cessaram com HEOS hou .

      O argumento Afirmativa
      Agora vamos olhar para algumas razões para acreditar na virgindade perpétua de Maria. Entre os muitos que poderíamos examinar, vamos considerar brevemente três:

      1. Em Lucas 1:34, quando Maria foi informada pelo anjo Gabriel de que ela foi escolhida para ser a Mãe do Messias, ela fez a pergunta, traduzido literalmente do grego, “Como se fará isso se eu não conheço homem?” Essa pergunta não faz sentido, a menos que Maria teve um voto de virgindade.

      Quando consideramos que Maria e José já estavam “desposada”, de acordo com o versículo 27 do mesmo capítulo, entendemos Maria e José já tem o que seria semelhante a um casamento ratificado na Nova Aliança. Casaram-se. Isso significaria que Joseph teria tido o direito de o leito conjugal. Normalmente, após a adoção do marido sair e preparar a casa para a sua nova noiva e depois vem recebê-la em sua casa, onde a união será consumada. É precisamente por isso Joseph a intenção de “deixá-la silenciosamente” (Mt 1:19), quando mais tarde ele descobriu que ela estava grávida.

      Este fundo é importante porque uma mulher recém-casado não fazer a pergunta “Como se fará isso?” Ela saberia, a menos, claro, que a mulher tinha feito um voto de virgindade. Maria acreditou na mensagem, mas queria saber como isso ia ser realizado. Isso indica que ela não estava planejando o curso normal dos eventos para o seu futuro com Joseph.

      2. Em João 19:26, Jesus deu a sua Mãe aos cuidados de João, embora por lei o próximo irmão mais velho teria a responsabilidade de cuidar dela. É impensável que Jesus levaria sua mãe para longe de sua família em desobediência à lei.

      Alguns afirmam que Jesus fez isso porque os seus irmãos e irmãs não estavam lá. Eles o tinha deixado. Assim, Jesus entregou sua mãe a João, que era fiel e presente ao pé da cruz. Esta afirmação revela uma cristologia muito baixo e anti-bíblica. Como João nos diz: Jesus “sabia todos os homens” (cf. Jo 2:25). Se James fosse seu irmão uterino, Jesus teria sabido que ele seria fiel, juntamente com seu “irmão” Jude.O fato é que Jesus não tinha irmãos e irmãs, então ele teve a responsabilidade, em um nível humano, para cuidar de sua mãe.

      3. Maria é representada como a esposa do Espírito Santo nas Escrituras. Em Lucas 1:34, quando Maria pergunta ao anjo como ela vai conceber um filho, o anjo responde: “O Espírito Santo virá sobre ti, eo poder do Altíssimo te encobrirá, por isso a criança que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus “.

      Esta é uma linguagem nupcial que remete para Ruth 3:08, onde Ruth disse a Boaz “espalhar a sua saia em cima de mim”, quando ela revelou-lhe o dever de se casar com ela de acordo com a lei de Deuteronômio 25. Quando Maria ficou grávida, Joseph teria sido obrigado a divorciar-se dela, porque ela seria, então pertencem a outro (ver Dt 24:1-4, Jr 3:1). Mas quando Joseph descobriu que “o outro” era o Espírito Santo, a idéia de ele ter relações conjugais com Maria não foi levado em consideração.

      Protector de Maria
      Uma pergunta óbvia permanece: Por que St. Joseph, em seguida, “tomar [Maria] sua esposa”, de acordo com Mateus 01:24, se ela pertencia ao Espírito Santo?

      O Espírito Santo é esposo de Maria, mas Joseph era seu marido e protetor sobre a terra por pelo menos duas razões óbvias. Primeiro, como Matthew aponta em sua genealogia no capítulo 1, Joseph estava na fila para ser um sucessor de David como rei de Israel. Assim, se Jesus era para ser o verdadeiro “filho de Davi”, e rei de Israel (ver 2 Sm 7:14, Hb 1:05, Ap 19:16, 22:16), ele precisava ser o filho de Joseph.Como o único filho de Joseph, embora adotado, ele teria sido na linha para o trono.

      Além disso, em uma cultura que não demorou muito gentilmente para mulheres abraçavam engravidar por alguém que não seja seu cônjuge, Maria teria sido em perigo mortal. Então José se tornou esposa terrena de Maria e protetor, bem como o protetor do menino Jesus.

  14. Celia Regina Pinheiro disse:

    Graça e Paz,mais uma vez vou deixar aqui meu comentário para os protestantes:1ª espistola de Joao 2:19 que fala: Sairam de nós mas não eram de nós, porque se fossem de nós ficariam conosco!!falar o que para esses hereges protestantes a epistola já diz tudo!!Nasci CATÓLICA,morrerei católica,defenderei e proclamarei A VIRGEM MARIA, ABENÇÔADA!! POR TODOS OS DIAS DA MINHA VIDA!!”Oh! Maria! Se eu fosse Rainha do Céu e Tu fosses Teresa, eu queria ser Teresa a fim de que tu fosses a Rainha do Céu.A PAZ DO SENHOR JESUS CRISTO.

    • Francisco disse:

      minha cara, usar pequenas passagens da biblia para justificar tradições sem base é que eu chamo de heresia. Maria em toda sua vida, pelo menos o que esta escrito é que ela foi bendita entre as mulheres e pura. No mundo inteiro, Deus escolheu ela para ser a mãe de nosso senhor e não acho que ninguem nessa terra foi tão agraciada o quanto ela. creio que Maria realmente junto de nosso senhor e que ela possa ouvir as nossas presses e interceder por nos. não sou protestante, mas não sou cego para ver que pelo menos no Brasil, o nome de Maria é sempre mais exaltado do que o de Jesus, é so voce mesmo examinar o que escreveu.

      “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.
      Mateus 6:24″

      • Celia Regina Pinheiro disse:

        Graça e paz Francisco,usar um trecho biblico é heresia?entao como eu teria que justificar?da minha propria mente?O texto é claro meu caro,saíram de nós,o protestantismo saiu da igreja católica e nao nós saimos deles!E tbm nao sirvo a dois Deuses,eu sirvo somente a Deus Pai todo Poderoso!e procuro seguir o exemplo de Maria abençoada,bendita entre as mulheres,a frase que citei é de Santa tereza e é uma frase que me sustenta, como exemplo daquela que só foi amor nessa terra,vc nao encontrará uma única passagem biblica em que Maria nao tenha sido exemplo de virtude!Peço te imensas desculpas se entro aqui na linha de julgamento ,nao é esta a intençao mas parece que vc esta mais para o protestantismo do que para os ensinos e tradiçao da igreja católica,reveja seus conceitos!que fique bem claro eu sirvo a Deus e nao julgue a minha fé,se nao foi lhe dado o poder de construir tbm nao foi lhe dado o de destruir!A Paz De Jesus Cristo!

      • EDMILSON disse:

        HEREGE FRANCISCO COLOCA NA SUA CABEÇA A IGREJA CATÓLICA NÃO PERDE FIEIS ]

        ISSO É FURADA HEREGE

        A IGREJA NÃO PERDE FIEIS

        OLHA FRANCISCO HEREGE COLOCA NA SUA POBRE CABEÇA QUE A MÍDIA PROTESTANTE

        DA MILHÕES DE LUCROS PARA TV ABERTAS

        QUE UM EXEMPLO SÓ A REDE RECORD DESSE TAL EDI MACEDO

        OS PASTORES PAGAM POR ANO 480 MILHÕES DE REAIS PARA COLOCAR SUAS HERESIAS NO AR

        E MAIS FRANCISCO

        HOJE TEM MUITOS CANAIS DE TV ABERTA QUE FINANCIAM CARO

        ENTÃO OS PASTORES PAGAM COM O DINHEIRO DOS FIEIS E FAZEM A FESTA CONTRA IGREJA CATÓLICA METE O PAU ISSO TINHA QUE SER PROIBIDO

        POIS FRANCISCO QUEM É OFENDIDO TEM QUE TER O DIREITO DE RESPOSTA

        FINALIZANDO AMIGO FRANCISCO FALASTRÃO

        SAIU A LISTA DE CATÓLICOS PELO MUNDO E MOSTRA INCRIVELMENTE QUE OS CATÓLICOS CRESCEU MUITO

        EM 2012 SAIU A NOVA LISTA E OS CATÓLICOS JÁ SOMAM 1 BILHÃO E 600 MILHÕES DE FIEIS SEM CONTAR A IGREJA ORTODOXA QUE É LEGITIMAMENTE CATÓLICA

        AGORA FRANCISCO HEREGE

        OS PROTESTANTES COM SUAS 50 MIL CEITAS NO BRASIL

        E SUAS 300 MIL CEITAS NOS ESTADOS UNIDOS
        SOMANDO TODAS ESSAS SEITAS PROTESTANTES PELO MUNDO SOMAM 555 MILHÕES

        NÃO CONVERSE ASNEIRAS MENTIROSO

    • EDMILSON disse:

      PARABÉNS AMIGA CELIA REGINA PINHEIRO

      ME PROCURE DEIXE SEU MAIL QUE TI PASSO MILHARES DE ESTUDOS E ESCRITOS DOS PRIMEIROS SECULOS QUE FAZEM REFERÊNCIAS SOBRE MARIA MÃE DE JESUS CRISTO

      • Celia Regina Pinheiro disse:

        Graça e Paz Edmilson,será um prazer receber estudos sobre MARIA MÃE DE JESUS CRISTO,como posso deixar te meu email?se preferir me procure no facebook Celia Regina Miguel Pinheiro e dps deixo lá em off meu endereço de email.desde ja deixo aqui a admiraçao por esse estudo e defesa que faz da igreja Católica. A Paz de Jesus Cristo!

        • EDMILSON disse:

          amiga faz assim fale comigo nesse meu mail edmilson01234@hotmail.com

          fale comigo que eu ti mostrarei o que é dogma de nossa senhora o que é veneração e o que nossa senhora representa para a igreja católica apostólica romana

          e ti mostrei que UM PADRE APOSTÓLICO DE NOME papias nascido no ano 69 da era cristã escreveu sobre Maria

          SÃO POLICARPO SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA SÃO JUSTINO
          O PASTOR HERMAS O QUARTO PAPA DA IGREJA CATÓLICA DE NOME SÃO CLEMENTE ROMANO NASCIDO NO ANO 30 DA ERA CRISTÃ TAMBÉM RECITA A VIRGEM MARIA MÃE DE JESUS CRISTO

          SÃO MILHARES DE TESTEMUNHOS COM TESTEMUNHAS OCULARES COM FATOS VERÍDICOS E TESTIFICADOS POR TODOS OS ESCRITORES

          E MAIS CELIA REGINA PINHEIRO O APÓSTOLO DE JESUS CRISTO DE NOME SÃO MARCOS E O DE NOME SANTO ANDRÉ TAMBÉM ESCREVEU SOBRE MARIA

          OLHA ANTES DE CONSTANTINO TER NASCIDO OS TESTEMUNHOS SOBRE MARIA SÃO IMENSOS SEM CONTRADIÇÕES

          VOU DA SÓ OUTRO EXEMPLO SANTO IRINEU DE LIÃO NASCEU NO ANO 130 DA ERA CRISTÃ

          E ESCREVEU MILHARES DE MILHARES DE CARTAS ESTUDOS E EPÍSTOLAS SOBRE NOSSA SENHORA QUE TOCA A NOSSA ALMA PROFUNDAMENTE

          UM ABRAÇO AMIGO DIVULGUE MARIA PARA SUAS PAROQUIAS SITES E TAMBÉM PASSA O ENDEREÇO DESSE SITE PARA AMIGOS E AMIGAS QUE VOCÊ TEM

    • EDMILSON disse:

      Renato aprenda uma coia a Igreja Católica pronunciou “Céu e Inferno” como dogma de fé, pois assim evita qualquer tipo de heresia dentro do próprio Catolicismo a respeito dessa crença, e como diz Santa Faustina “A maioria das Almas que estão no inferno são daqueles que não acreditavam na existência dele”.

      Porém Renato“Céu e Inferno” são reais.
      O que realmente é complicado nessa crença Renato são os termos usados na Bíblia como (Sheol morada dos mortos) e (Seio de Abraão) que por algumas vezes são mencionados nas Escrituras canônicas e apócrifas tanto pelos Hebreus quanto pelos Cristãos.

      Então vou tentar nesse tópico Renato esclarecer esses termos da melhor forma possível.

      Vamos começar com a “Morada dos Mortos”.
      Esse termo começou a ser usado pelos Hebreus primitivos, temos que entender o fato de que o povo Hebreu ainda estava sofrendo uma formação religiosa, ou seja, a Religião segundo o Deus de Abraão estava em seu inicio onde vários conceitos ainda precisavam de informações e interpretações,

      Renato também devemos lembrar que o povo Hebreu ainda estava influenciado por um conceito material fora dos laços espirituais; Uma das primeiras vezes que o termo “Morada dos Mortos” foi usado pelos Hebreus foi nessa passagem.

      “32. e, abrindo sua boca, os devorou com toda a sua família, todos os seus bens e todos os homens de Coré. 33. Desceram vivos à morada dos mortos, eles e tudo o que possuíam; cobriu-os a terra, e desapareceram da assembléia. 34.

      Todo o Israel que estava ao redor deles, ouvindo o grito que soltaram, fugiu, dizendo: Cuidemos que a terra não nos engula também a nós!” (Número capítulo 16)

      Renato vamos então entender a visão daquele povo se formando para uma religião segundo Moisés, eles viram a terra se fendendo e engolindo os homens de Coré, aquilo ficou gravado na mente daquele povo.
      Então nasceu a doutrina da “Morada dos Mortos” que consiste na crença de um lugar subterrâneo onde tanto o justo como o ímpio seriam tragados após se desencarnar, devemos entender que por muitos séculos entre os Hebreus a morte era vista como algo totalmente mórbido e deprimente, em varias situações eles acreditavam que a morte tanto para o justo como para o ímpio era um castigo divino, ou seja, uma morte por enfermidade crônica, em batalha ou inesperada acontecia por desobediência a Deus.

      Esse era o entendimento da morte naquele momento, jamais podemos julgar isso como algo errôneo no conceito doutrinal, pois os conceitos divinos foram se formando e sendo conhecidas ao longo dos séculos e nesse longo tempo muitas coisas que não eram conhecidas foram sendo reveladas aos poucos, sendo que a visão do destino da Alma após a morte ainda era algo meio que obscuro para os Hebreus até aquele momento, por causa disso havia tais conceito errôneos sobre “Morada dos Mortos”, porém Deus não leva em consideração o tempo da ignorância.

      Renato eu vou apresentar uma imagem que retrata totalmente a visão dos Hebreus a respeito do “Sheol” até aquele momento posterior a saída do Egito.

      Observando essa ilustração conseguimos entender qual era a visão dos Hebreus a respeito da morte, por essa razão é muito fácil encontrar textos no (AT) onde o autor escreve “não é na morada dos mortos que de louvarei senhor”.
      Exemplo:
      “18. Com efeito, não é a morada dos mortos que vos louvará, nem a morte que vos celebrará. O que desce à sepultura não espera mais em vossa bondade. 19. Quem está vivo, somente quem está vivo pode louvar-vos, como eu o faço hoje. O pai dá a conhecer a seus filhos vossa fidelidade, diante da casa do Senhor” (Isaias capítulo 38)

      Observem as palavras e a visão sobre a morte.
      Esse texto se refere a uma enfermidade do Rei Ezequias profetizada por Isaias no qual Ezequias iria durar pouco tempo de vida, então após ele ter clamado, Deus lhe concedeu mais 15 anos em sua vida, então Ezequias faz essa oração onde ele agradece a Deus e nessa oração ele diz:
      Não é na “Morada dos Mortos” que eu te louvarei.

      Renato devemos entender que o ato de louvar também se refere ao ato de agradecer, ou seja, o Rei Ezequias estava agradecendo a Deus louvando-o por ter lhe concedido mais 15 anos de vida e não o deixado morrer enfermo, Ezequias não falou que na morada dos mortos ele não louvaria a Deus por não existir e sim por que a morte dele seria por meio de uma enfermidade (no qual para eles era um castigo divino).

      Como alguém pode louvar a Deus pelo fato de ter morrido enfermo sem a graça divina? (segundo a concepção deles na época). Na verdade Ezequias estaria lamentando na morada dos mortos o fato ocorrido.
      Bem essa visão sobre a “Morada dos Mortos” se estendeu até o Exílio Babilônico com algumas interpretações contraditórias, porém todas com o mesmo conceito que passou a mudar durante o Exílio Babilônico onde se adquiriu o conhecimento de que jamais o Justo e o Ímpio teriam a mesma sorte na vida espiritual (Após a Morte).

      Olha Renato muitos estudiosos admitem que fora nesse período que o Livro de (Jó) foi aceito pelos Hebreus reformulando muitos conceitos sobre a vida espiritual, conceitos ainda desconhecido, porém revelados a Humanidade.

      Prestem à atenção nas palavras desse texto do Livro de (Jó).
      “13. Passam os dias na alegria, e descem tranqüilamente à região dos mortos” (JÓ capítulo 21)

      Observem como o Livro de (Jó) traz uma visão menos tenebrosa sobre a “Morada dos Mortos” em que o Justo teria como sorte um lugar de paz dentro da Morada dos Mortos.

      Quando os Hebreus voltam do Exílio Babilônico eles já voltam com novo conhecimento, então surge a revelação sobre o “Seio de Abraão”.
      O “Seio de Abraão” é a crença e um lugar fora do Paraíso de Deus (pois o paraíso ficou fechado até a redenção da Cruz), porém fora do tormento infernal, é um lugar onde as Almas dos Justos encontravam o repouso divino e também esperavam a redenção de Jesus Cristo na Cruz para assim entrar no Paraíso de Deus. (pois a sorte do justo não poderia ser a mesma sorte do ímpio). Também é revelado que a “Morada dos Mortos” passa a ser um plano espiritual totalmente fora do plano material como eles acreditavam
      anteriormente (que a morada dos mortos ficavam no subterrâneo da terra).

      Renato devemos lembrar que o Paraíso de Deus fora fechado depois da queda de Adão e guardado com Querubins armados no Reino de Deus.
      Paraíso Fechado:

      Gênesis 3
      “23. O Senhor Deus expulsou-o do jardim do Éden, para que ele cultivasse a terra donde tinha sido tirado. 24. E expulsou-o; e colocou ao oriente do jardim do Éden querubins armados de uma espada flamejante, para guardar o caminho da árvore da vida” (Gênesis capítulo 3)

      Nessa nova visão foi também formada a ideia dos três céus no qual São Paulo diz ter sido arrebatado e visto o Paraíso de Deus elevado no terceiro céu.

      Veja Renato
      Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado até o terceiro céu. Se foi no corpo, não sei. Se fora do corpo, também não sei; Deus o sabe. 3. E sei que esse homem – se no corpo ou se fora do corpo, não sei; Deus o sabe – 4. foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que não é permitido a um homem repetir” (II Coríntios capítulo 12)
      Então a crença estava formada e a Visão era:

      Primeiro Céu: A atmosfera terrestre.
      Segundo Céu: Onde se encontrava o Seio de Abraão.
      Terceiro Céu: Onde fora elevado o Paraíso de Deus.

      Renato todos esses conceitos separados por um Abismo do chamamos de inferno (onde se encontra a Alma dos ímpios). Esse conceito foi totalmente retratado por Jesus Cristo na parábola do Rico e do Lazaro.
      “22. Ora, aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico e foi sepultado. 23. E estando ele nos tormentos do inferno, levantou os olhos e viu, ao longe, Abraão e Lázaro no seu seio. 24. Gritou, então: – Pai Abraão, compadece-te de mim e manda Lázaro que molhe em água a ponta de seu dedo, a fim de me refrescar a língua, pois sou cruelmente atormentado nestas chamas. 25. Abraão, porém, replicou: – Filho, lembra-te de que recebeste teus bens em vida, mas Lázaro, males; por isso ele agora aqui é consolado, mas tu estás em tormento. 26. Além de tudo, há entre nós e vós um grande abismo, de maneira que, os que querem passar daqui para vós, não o podem, nem os de lá passar para cá” (Lucas capítulo 16)

      Renato olha essa visão totalmente ilustrada nessa imagem.

      Em nenhum desses estados espirituais se encontra a doutrina herética da “Mortalidade da Alma”, em todos os casos a Alma se encontra viva e bem consciente de seu estado.

      Com a Revelação do “Seio de Abraão” os homens de Deus passaram a pregar e transmitir que o Ímpio teria como sorte depois da morte o inferno, o Justo seria recebido pelos patriarcas Hebreus (Abraão, Isaque e Jacó) em um lugar de paz fora do Paraíso aguardando a redenção de Jesus Cristo na Cruz, os dois lugares separados por um abismo.
      Observem como os Livros posteriores ao Exílio Babilônico nos transmite essa Ideia.
      “7. antes que a poeira retorne à terra para se tornar o que era; e antes que o sopro de vida retorne a Deus que o deu” (Eclesiastes capítulo 12)

      1. Mas as almas dos justos estão na mão de Deus, e nenhum tormento os tocará. 2. Aparentemente estão mortos aos olhos dos insensatos: seu desenlace é julgado como uma desgraça. 3. E sua morte como uma destruição, quando na verdade estão na paz! 4. Se aos olhos dos homens suportaram uma correção, a esperança deles era portadora de imortalidade” (Sabedoria capítulo 3)

      17 depois de nossa morte Abraão, Isaac e Jacó vai receber-nos, e todos os nossos antepassados nos louvarei” (IV Macabeus capítulo 13)

      Meu caro amigo Renato olha Flavio Josefo confirma a doutrina da imortalidade da Alma e a visão do Seio de Abraão, local onde o povo de Deus era recebido pelos patriarcas depois de sua morte física;

      o grande historiador Judeu se utiliza do Livro dos Macabeus e a história dos sete irmãos martirizados junto de sua mãe.

      Segundo Flavio Josefo, os sete irmãos Macabeus martirizados junto com sua mãe, após seus martírios foram recebidos pelos patriarcas e vivem com Deus.

      Pois que tendes, meus filhos, a mesma fé, mostrai a mesma resolução. Como tendo diante dos olhos tais objetos, vossa piedade poderia não sair vitoriosa dos tormentos que vos são preparados? Tais as palavras dessa mulher forte que ninguém jamais poderia deixar de louvar; e elas (palavras) fizeram tal impressão no espírito desses sete irmãos, tão dignos de tê-la por mãe, que, tendo todos morrido para não faltar ao que deviam a Deus, vivem agora com ele, na companhia de Abraão, de Isaque, de jacó e dos outros patriarcas”

      (Flavio Josefo História dos Hebreus, Livro único capítulo 14)
      Agora vem a pergunta: o que aconteceu com o “Seio de Abraão”?
      Resposta: Após a redenção da Cruz Jesus Cristo ele também foi pregar aos mortos.

      Eles darão conta àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos. 6. Pois para isto foi o Evangelho pregado também aos mortos; para que, embora sejam condenados em sua humanidade de carne, vivam segundo Deus quanto ao espírito” (I Pedro capítulo 4)

      Isso é levou com sigo todos Justos que aguardavam no “Seio de Abraão” a redenção da Cruz e a abertura do caminho no Paraíso de Deus.
      Existem alguns hereges pregando por ai que o inferno não é literal, e que o tormento da Alma é deixar de Existir.

      Agora Renato vamos ver o que Jesus Cristo diz a respeito disso:
      “28. Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena” (Mateus capítulo 10)

      Observem que nem Deus se colocar a disposição de aniquilar a Alma, até por que toda Alma é um germe divino, ele joga essa Alma no fogo do inferno a deixando apenas em Ruínas e não a Destruído inteiramente.

      Se o teu olho for para ti ocasião de queda, arranca-o; melhor te é entrares com um olho de menos no Reino de Deus do que, tendo dois olhos, seres lançado à geena do fogo, 48. onde o seu verme não morre e o fogo não se apaga. 49. Porque todo homem será salgado pelo fogo” (Marcos capítulo 9)

      Observe que o ímpio será jogado no inferno em um fogo que não se apaga e onde nem os vermes morrem, ainda será salgado pelo fogo, ou seja, o sal é um elemento que preservar um alimento da corrupção, sendo assim Jesus Cristo está afirmando que a Alma no inferno jamais deixará de existir.
      Devemos relatar também que Isaias deixa bem claro que o inferno fica no mais profundo do Abismo na morada dos mortos.

      Subirei sobre as nuvens mais altas e me tornarei igual ao Altíssimo. 15. E, entretanto, eis que foste precipitado à morada dos mortos, ao mais profundo abismo” (Isaias capítulo 14)

      Bem Renato eu terminarei essa matéria com uma pequena pergunta aos hereges que não acreditam na existência da Morada dos Mortos, Seio de Abraão,Purgatório Reino dos Céus e principalmente no Inferno. (Pois acreditam que tudo seja apenas uma ficção).

      O que será jogado eternamente no lago de fogo após o Juízo Final?
      “14. A morte e a morada subterrânea foram lançadas no tanque de fogo. A segunda morte é esta: o tanque de fogo. 15. Todo o que não foi encontrado inscrito no livro da vida foi lançado ao fogo” (Apocalipse capítulo 20)
      Será jogado algo que não existe?

  15. Francisco disse:

    percebem o odio a que o Sr Eduardo se refere as outras pessoas? ” hereges, amaldiçoados…” e acha que esta fazendo um bem a igreja. se nossa salvação dependesse das igrejas evangelicas e catolica estavamos todos condenados ao inferno. tudo que jesus pregou é distorcido para que se adapte as nossa vontades. igreja evangelica fala de deus como se falasse de uma agencia de milagres, que é so pagar e receber a graça. quanto a igreja catolica da qual eu faço parte, eu acredito sim que maria interceda por nos, e por que não, os santos, mas as escrituras, realmente não colocam maria na posição que ela tem na igreja. queira ou não, os evangelicos tem razão em dizer que maria é mais reverenciada que o proprio jesus ou igualmente.

    Matheus 7:21- 23“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.”

    os evangelhos são claros,

    • EDMILSON disse:

      Francisco você diz que Igreja Católica perdendo membros?
      A igreja jamais perderá seus VERDADEIROS FIÉIS,o que você( você sem cedilha) chama de membros não passavam de católicos do IBGE,já foram tarde.Não fazem nem uma falta para nós,é Jesus separando o joio do trigo.

      Quanto ao ler a bíblia,desde quando vocês leem a bíblia? Só o que vocês sabem fazer é grifar meia dúzia de versículos isolados que o seu pastor manda e decora-los.

      Agora me diga caro leitor da bíblia,qual bíblia está certa:

      A bíblia do Jesus rico da prosperidade do Malafaia?

      A bíblia dos Luteranos que batiza criança?

      A bíblia dos Batistas que não batiza criança?

      A bíblia que ensina a entrevistar o Diabo, e é a favor do aborto da Universal?

      A bíblia que ordena mulheres da Renascer?

      A bíblia que ordena pastores gays das igrejas inclusivas?

      A bíblia dos adventistas que ensina à guardar o sábado?

      A bíblia da Mundial que ensina que Jesus não é Deus?

      Contra contradição ,todos com a mesma bíblia.

      .Ei Poderia me responder? Eu vou responder pra você ( você SEM CEDILHA )

      O dia que você começar a ler a bíblia e a patrísticas( se você não sabe o que é,vou te ensinar,são escritos dos Pais da Igreja),você abandona toda essa contradição.

      • Francisco disse:

        Edmilson fariseu hipocrita… voce fala que o que os protestantes fazem é grifar versiculos da biblia, mas voce faz a mesma coisa.

        concordo quando voce fala de igrejas de gays, mas esquece dos milhares de padres pedofilos e gays e to falando apenas nos casos reconhecidos.

        fala de malafaias e valdemiros??? o que dizer das indulgencias e da vergonha da inquisição?

        O numero de seitas aumenta a cada dia, devido a busca de Deus, o homem precisa de Deus e se desvia porque não encontra a verdade no catolicismo.

    • EDMILSON disse:

      Francisco olha eu mim divirto com esses protestas e doentes analfabetos como você kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Igreja perdendo fiéis, realmente você tem razão, sair da igreja católica para ir ao protestantes e sua divisão satânica é um perdição mesmo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Ainda bem que ele reconhece, no mais, eu do graça a Deus todos os dias pelo protestantismo, ele tirou toda a carniça da igreja católica.

      Sobre ler a bíblia, vocês leem tanto a bíblia que conseguiram encontrar 50 mil Jesuises diferente dentro delas kkkkkkkkkk mas sua resposta está na bíblia mesmo , pena que o desgraçado do seu pastor não leu isso para você.

      POR QUE A IGREJA PERDE INFIÉIS?

      II Tímotio 4
      3. Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a SÃ doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão MESTRES para si.

      SOBRE A AUTO INTERPRETAÇÃO SATÂNICA.

      II Pedro 3
      15. Reconhecei que a longa paciência de nosso Senhor vos é salutar, como também vosso caríssimo irmão Paulo vos escreveu, segundo o dom de sabedoria que lhe foi dado. 16. É o que ele faz em todas as suas cartas, nas quais fala nestes assuntos. Nelas há algumas passagens difíceis de entender, cujo sentido os espíritos ignorantes ou pouco fortalecidos deturpam, para a sua própria ruína, como o fazem também com as demais Escrituras.

      FRANCISCO A DESGRAÇA PROTESTANTE FOI PROFETIZADA 1500 ANOS ANTES DELE APARECER.

      • Francisco disse:

        Meu caro, Galileu Galilei foi um dos mais famosos exemplos da perseguição da Inquisição que acabou não sendo condenado, mas suas teorias foram questionadas fortemente por eles. Joana D’arc foi outro exemplo conhecido mas que não teve a mesma “sorte” de Galileu e acabou sendo queimada.

        Além de seres humanos, a Inquisição também queimou muitos livros e publicações que manifestavam doutrinas contrárias à Igreja Católica em suas famosas fogueiras.

        O ato de queimar os hereges e as suas publicações heréticas tinham significados e simbolismos representados. Como o fogo é a representação de purificação para o Cristão e também como condenação, simbolicamente dizia-se que estava sendo purificada dos pecados e também condenados pelo inferno sendo representado pelo fogo.

        foi assim que a igreja conseguiu pemanecer por 2 mil anos…

        esse texto abaixo foi tirado do site frente universitaria lepando em noticias silenciadas:

        “Há, entretanto, outro fator preponderante para a consternação dos nossos; é o fato de os católicos estarem abandonando a Igreja por causa de uma força centrífuga autodemolidora, instalada no próprio seio d’Ela, conforme já apontou o Papa Paulo VI em dezembro de 1968.

        Nossa Santa Religião está encharcada de elementos que a desfiguram inescrupulosamente vinte e quatro horas por dia, propulsionando assim, direta ou indiretamente, para a apostasia, as almas que buscam a autêntica espiritualidade da Igreja Católica.

        Frustradas dentro da Igreja, decepcionadas com uma quantidade não pequena de pastores mal orientados, sentindo-se repelidas por suas apetências coerentes com a Fé, acabam se excluindo, cheias de perplexidades, em razão de sua consciência duramente violentada. Não as justificamos, estamos apenas descrevendo o fenômeno. Caberia permanecer na Igreja em estado de resistência contra os maus católicos. Mas é inegável que essas almas têm essas atenuantes.

        Basta viajar pelo interior do Brasil para deparar com uma quantidade incontável de escândalos morais, litúrgicos e doutrinários que transudam numa incontável quantidade de paróquias. Fiéis perplexos, desorientados, vazios, se dispersam, como ovelhas desgarradas pelos campos, à mercê dos lobos espertos que logo as acediam com suas charlatanices, heresias e marketing pseudoreligioso.”

        concordo plenamente…

  16. CARVALHO disse:

    EVANGÉLICOS CONTRA A VIRGEM MARIA, CONTRA A HISTÓRIA, CONTRA TUDO E CONTRA TODOS

    Aceitamos que todo homem ou mulher tem o direito de professar a fé que lhe pareça mais adequada. Reconhecemos que todos são livres para fazerem suas escolhas. Repudiamos toda e qualquer tentativa de cerceamento no livre exercício da fé e crenças de quem quer que seja.

    1)Protestantes atuais(evangélicos): “Meu pastor me disse que os católicos adoram Maria como deusa.”
    Catecismo da Igreja Católica: §2096 A adoração é o primeiro ato da virtude da religião. Adorar a Deus é reconhecê-lo como Deus, como o Criador e o Salvador, o Senhor é o Dono de tudo o que existe, o Amor infinito e misericordioso. “Adorarás o Senhor, teu Deus, e só a Ele prestarás culto” (Lc 4,8), diz Jesus, citando o Deuteronômio (6,13).
    §1418 Visto que Cristo mesmo está presente no Sacramento do altar, é preciso honrar-lo com um culto de adoração. “A visita ao Santíssimo Sacramento é uma prova de gratidão, um sinal de amor e um dever de adoração para com Cristo, nosso Senhor.
    §2083 Jesus resumiu os deveres do homem para com Deus com estas palavras: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o coração, de toda a alma e de todo o entendimento” (Mt 22,37); Estas palavras são um eco imediato do apelo solene: “Escuta; Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único” (Dt 6,4-5).
    2097. Adorar a Deus é reconhecer, com respeito e submissão absoluta, o «nada da criatura», que só por Deus existe. Adorar a Deus é, como Maria no Magnificat, louvá-Lo, exaltá-Lo e humilhar-se, confessando com gratidão que Ele fez grandes coisas e que o seu Nome é santo (10). A adoração do Deus único liberta o homem de se fechar sobre si próprio, da escravidão do pecado e da idolatria do mundo.
    2)Protestantes atuais(evangélicos): “Na denominação que eu frequento dizem que na Igreja Católica Maria é a quarta pessoa da trindade.”
    Catecismo da Igreja Católica: §253 A Trindade é Una. Não professamos três deuses, mas só Deus em três pessoas: “a Trindade consubstancial”. As pessoas divinas não dividem entre si a única divindade, mas cada uma delas é Deus por inteiro: “O Pai é aquilo que é o Filho, o Filho é aquilo que é o Pai, O Espírito Santo é aquilo que são o Pai e o Filho, isto é, um só Deus por natureza”. “Cada uma das três pessoas é esta realidade, isto é, a substância, a essência ou a natureza divina”
    Onde o “sábio” protestante aprendeu que Maria é tida como DEUSA para os católicos ? Quem é seu genial “pregador” ? Três pessoas significam três pessoas e não quatro. Trindade nos remete a três e não a quatro pessoas.

    3)Protestantes atuais(evangélicos): “Meu pastor que é homem de DEUS disse que os católicos consideram Maria mais importante do que Jesus.”
    Catecismo da Igreja Católica: 481. Jesus Cristo tem duas naturezas, a divina e a humana, não confundidas, mas unidas na única Pessoa do Filho de Deus.
    482. Verdadeiro Deus e verdadeiro homem, Cristo tem uma inteligência e uma vontade humanas em perfeito acordo e submissão à inteligência e vontade divinas, que Ele tem em comum com o Pai e o Espírito Santo.
    483. A encarnação é, pois, o mistério da união admirável da natureza divina e da natureza humana, na única Pessoa do Verbo.
    449. Ao atribuir a Jesus o título divino de Senhor, as primeiras confissões de fé da Igreja afirmam, desde o princípio, que o poder, a honra e a glória, devidos a Deus Pai, também são devidos a Jesus, porque Ele é «de condição divina» (Fl 2, 6) e o Pai manifestou esta soberania de Jesus ressuscitando-O de entre os mortos e exaltando-O na sua glória.
    451. A oração cristã é marcada pelo título de «Senhor», quer no convite à oração: «O Senhor esteja convosco», quer na conclusão da mesma: «Por nosso Senhor Jesus Cristo», quer ainda pelo grito cheio de confiança e de esperança: «Maran atha» («O Senhor vem!») ou «Maranatha» («Vem, Senhor!») (1 Cor 16, 22): «Amen, vem, Senhor Jesus!» (Ap 22, 20).
    Onde o “mestre e doutor Bíblia” evangélico aprendeu que no catolicismo coloca-se Maria na mesma condição ou acima de Jesus ?

    4)Protestantes atuais(evangélicos): “Meu pastor que é uma benção disse que na Igreja Católica Maria também é mediadora para salvação.”

    Catecismo da Igreja Católica: “432. O nome de Jesus significa que o próprio nome de Deus está presente na pessoa do seu Filho feito homem para a redenção universal e definitiva dos pecados. Ele é o único nome divino que traz a salvação e pode desde agora ser invocado por todos, pois a todos os homens Se uniu pela Encarnação, de tal modo que não existe debaixo do céu outro nome, dado aos homens, pelo qual possamos ser salvos» (Act 4, l2) (17).
    480. Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem, na unidade da sua Pessoa divina; por essa razão, Ele é o único mediador entre Deus e os homens.
    Com quem, quando e onde, o “teólogo e professor” evangélico aprendeu que se ensina na Igreja Católica que existem outros mediadores para salvação além de Jesus ?

    5)Protestantes atuais(evangélicos): “Meu pastor ungido diz que a Missa Católica não é Cristocêntrica e sim um culto a Maria e aos Santos deles.
    Catecismo da Igreja Católica: 450. Desde o princípio da história cristã, a afirmação do senhorio de Jesus sobre o mundo e sobre a história significa também o reconhecimento de que o homem não deve submeter a sua liberdade pessoal, de modo absoluto, a nenhum poder terreno, mas somente a Deus Pai e ao Senhor Jesus Cristo: César não é o «Senhor» «A Igreja crê… que a chave, o centro e o fim de toda a história humana se encontra no seu Senhor e Mestre».
    “1348. Todos se reúnem. Os cristãos acorrem a um mesmo lugar para a assembleia eucarística. A sua cabeça está o próprio Cristo, que é o actor principal da Eucaristia. Ele é o Sumo-Sacerdote da Nova Aliança. É Ele próprio que preside invisivelmente a toda a celebração eucarística. E é em representação d’Ele (agindo «in persona Christi capitis – na pessoa de Cristo-Cabeça»), que o bispo ou o presbítero preside à assembleia, toma a palavra depois das leituras, recebe as oferendas e diz a oração eucarística. Todos têm a sua parte activa na celebração, cada qual a seu modo: os leitores, os que trazem as oferendas, os que distribuem a comunhão e todo o povo cujo Ámen manifesta a participação.
    1350. A apresentação das oferendas (ofertório): traz-se então para o altar, por vezes processionalmente, o pão e o vinho que vão ser oferecidos pelo sacerdote em nome de Cristo no sacrifício eucarístico, no qual se tornarão o seu corpo e o seu sangue. É precisamente o mesmo gesto que Cristo fez na última ceia, «tomando o pão e o cálice». «Só a Igreja oferece esta oblação pura ao Criador, oferecendo-Lhe em acção de graças o que provém da sua criação» (181). A apresentação das oferendas no altar assume o gesto de Melquisedec e põe os dons do Criador nas mãos de Cristo. É Ele que, no seu sacrifício, leva à perfeição todas as tentativas humanas de oferecer sacrifícios.
    1354. na anamnese que se segue, a Igreja faz memória da paixão, ressurreição e regresso glorioso de Cristo Jesus: e apresenta ao Pai a oferenda do seu Filho, que nos reconcilia com Ele: nas intercessões, a Igreja manifesta que a Eucaristia é celebrada em comunhão com toda a Igreja do céu e da terra, dos vivos e dos defuntos, e na comunhão com os pastores da Igreja: o Papa, o bispo da diocese, o seu presbitério e os seus diáconos, e todos os bispos do mundo inteiro com as suas Igrejas.
    1355. Na comunhão, precedida da Oração do Senhor e da fracção do pão, os fiéis recebem «o pão do céu» e «o cálice da salvação», o corpo e o sangue de Cristo, que Se entregou «para a vida do mundo» (Jo 6, 51):
    Quem será o doutrinador do incrédulo evangélico ? Será que é o pastor que disse que o Papa João Paulo II era a besta do apocalipse ? Ou será um daqueles que vivem marcando data e hora para volta de Jesus ? Qual deles é “mestre” do protestante moderno ?

    6)Protestantes atuais(evangélicos): “Maria é uma deusa pagã. Os antigos doutores da Igreja tinham outra visão sobre Maria. A Igreja Católica corrompeu-se e começou a inventar os Dogmas Marianos. Meu pastor escreveu um artigo na internet sobre isto.”
    .São Thomás de Aquino – Comentário: “…Os Anjos participam da própria luz divina em mais perfeita plenitude. Pode-se enumerar os soldados de Deus, diz Jó (25, 3) e haverá algum sobre quem não se levante a sua luz? Por isso os Anjos aparecem sempre luminosos. Mas os homens participam também desta luz, porém com parcimônia e como num claro-escuro. Por conseguinte, não convinha ao Anjo inclinar-se diante do homem, até, o dia em que apareceu urna criatura humana que sobrepujava os Anjos por sua plenitude de graças (cf n° 5 a 10), por sua familiaridade com Deus (cf. n° 10) e por sua dignidade.Esta criatura humana foi a bem-aventurada Virgem Maria. Para reconhecer esta superioridade, o Anjo lhe testemunhou sua veneração por esta palavra: Ave.”
    .Santo Agostinho: “Entre todas as mulheres, Maria é a única a ser ao mesmo tempo Virgem e Mãe, não somente segundo o espírito, mas também pelo corpo. Ela é mãe conforme o espírito, não dAquele que é nossa Cabeça, isto é, do Salvador do qual ela nasceu, espiritualmente. Pois todos os que nele creram – e nesse número ela mesma se encontra – são chamados, com razão, filhos do Esposo (filii sponsi) (Mt 9,15). Mas, certamente, ela é mãe de seus membros, segundo o espírito, pois cooperou com sua caridade para que nascessem os fiéis na Igreja – os membros daquela divina Cabeça – da qual ela mesma é, corporalmente, a verdadeira mãe. Convinha, pois, que nossa Cabeça, por insigne milagre, nascesse segundo a carne de uma virgem, dando a entender que seus membros, que somos nós, haviam de nascer segundo o Espírito dessa outra virgem que é a Igreja. Somente Maria, portanto, é mãe e virgem, no espírito e no corpo. É Mãe de Cristo e também Virgem de Cristo.
    .Santo Ambrósio:

    “Que porta é esta, senão Maria, que permanece fechada por ser virgem? Portanto esta porta foi Maria, através da qual Cristo veio a este mundo graças a um parto virginal, sem romper os claustros fecundos da pureza. Permaneceu íntegro em seu pudor e se conservaram intactos os selos da virgindade, enquanto nascia Cristo de uma virgem cuja grandeza não podia sutentar o mundo inteiro. Esta porta, disse o Senhor, há de permanecer fechada e não se abrirá. Bela porta!, Maria, que sempre se manteve fechada e não a abriu! Passou Cristo através dela, mas não abriu”(DA formação da Virgem, 52-53).”

    “Iria escolher nosso Senhor Jesus para ser sua Mãe a quem se atrevesse a profanar o seio celeste com a intervenção de um varão, ou uma mulher incapaz de guardar intacto o pudor virginal? Aquela com cujo exemplo estimula as demais virgens ao amor da integridade…”(Da formação da Virgem, 44-45).”

    Em Maria, jamais se viu algum movimento indecoroso, um andar descomposto, ou voz presumida. Pelo contrário, via-se em sua compostura a pureza interior da alma.” “Com razão só Ela é chamada cheia de graça, porque só Ela conseguiu a graça que nenhuma outra merecera, a de ser cheia do Auto da graça.”

    .São Francisco de Assis: “Saudação à Virgem Maria – Salve, ó Senhora Santa, Rainha Santíssima,Mãe de Deus, ó Maria, que sois Virgem feita igreja,eleita pelo Santíssimo Pai celestial,que vós consagrou por seu Santíssimo edilecto Filho e o Espírito Santo Paráclito.Em vós residiu e reside toda plenitude da graça e todo o bem. Salve, ó palácio do Senhor!Salve, ó tabernáculo do Senhor!Salve, ó morada do Senhor!Salve, ó manto do Senhor!Salve, ó serva do Senhor!Salve, ó mãe do Senhor!E salve vós todas, ó santas virtudes derramadas,pela graça e iluminação do Espírito Santo,os corações dos fiéis, transformando-os de infiéis em fiéis servos de Deus!

    Doutora da Igreja Santa Teresinha de Lisieux: “Sou filha de Maria. A Virgem Santíssima é mais Mãe que Rainha.” “A Santíssima Virgem teve menos que nós, porque não teve uma Santíssima Virgem para amar!” “Ó Mãe bem-amada, apesar da minha pequenez, como a Senhora, possuo em mim o Onipotente.” “A Santíssima Virgem nunca estará escondida para mim, porque a amo muito.”
    São Luís Maria Grignion de Montfort: “Deus Pai ajuntou todas as águas e denominou-as Mar; reuniu todas as Suas Graças e chamou-as MARIA”
    “Nossa Senhora impede seus devotos de soçobrar no mar agitado deste mundo, onde tantas pessoas naufragam por não se firmarem nesta âncora inabalável. Foi a Ela que os Santos mais se agarraram e prenderam os outros, com o fito de perseverar na virtude. Felizes, mil vezes felizes os cristãos que agora se apegam fiel e inteiramente a Ela, como a uma âncora firme”

    7)Protestantes atuais(evangélicos): “Mas a Bíblia não fala nada sobre Maria. Maria foi a primeira barriga de aluguel da história(risos e escárnio).”

    Isabel parente de Maria: “Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança se agitou no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo(Lucas 1, versículo 41). A Bíblia diz: “…Isabel ficou cheia do Espirito Santo.” E o protestante como fica ? Fica cheio do Espírito Santo ?

    João Batista filho de Isabel: “Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança se agitou no seu ventre…(Lucas 1, versículo 41). A Bíblia diz que João Batista estremeceu no ventre de Isabel. Algum protestante ousa dizer que não foi de alegria que João Batista estremeceu ?
    E o protestante ? Ele estremece de alegria como João Batista ou cerra dentes e punhos ?

    Ainda segundo Lucas 1, versículo 43: “Como posso merecer que a mãe do meu Senhor venha me visitar ?” Mãe do meu Senhor. E o Senhor é DEUS. Então Maria mãe de DEUS. Maria que serviu para ser mãe de Jesus e que na visão dos protestantes não serve para ser mãe deles.

    Importante notar que Isabel ainda estava cheia do Espírito Santo quando disse mãe do meu Senhor. Isabel parente de Maria, possivelmente íntimas, naquele momento, verdadeiramente inspirada pelo Espírito Santo, sentindo-se honrada com a presença de Maria exclama: “Como posso merecer que a mãe do meu Senhor venha me visitar ? E o evangélico como fica diante de Maria ?

    Ainda Isabel: Lucas 1, versículo 42: Ainda cheia do Espírito Santo, Isabel em alto e bom som: “Você é bendita entre as mulheres…”

    Isabel cheia do Espírito Santo diz: Você é bendita entre as mulheres. E o protestante sem o Espírito Santo diz: Maria “mulher como outra qualquer.”

    Em Lc 1, 48 “Doravante todas as gerações me chamarão bem aventurada”. Em que igreja se cumpre a profecia bíblica ?

    Quem está certo ? A Igreja que faz cumprir a profecia bíblica ou a Igreja que chuta a Santa ?

    8)Protestantes atuais(evangélicos): “Maria não é nada diante de DEUS.”

    E quem disse que Maria é comparável a DEUS ? Não foi da Igreja católica que você ouviu, mas sim de pastor protestante que atribui a nós doutrinas que não praticamos.

    Para que ninguém tenha a ousadia infame de dizer que Maria é deusa do catolicismo:

    Tratado da Verdadeira Devoção da Santíssima Virgem por São Luís Maria Grignion de Montfort:

    “…14 Confesso com toda a Igreja que Maria é uma pura criatura saída das mãos do Altíssimo. Comparada, portanto, à Majestade infinita ela é menos que um átomo, é, antes, um nada, pois que só ele é “Aquele que é” (Ex 3, 14) e, por conseguinte, este grande Senhor, sempre independente e bastando-se a si mesmo, não tem nem teve jamais necessidade da Santíssima Virgem para a realização de suas vontades e a manifestação de sua glória. Basta-lhe querer para tudo fazer.

    “Confesso com toda Igreja.” Toda Igreja ! Entendeu Sr.Teólogo evangélico ? O teu pastor te ensinou errado e você creu.

    15. Digo, entretanto, que, supostas as coisas como são, já que Deus quis começar e acabar suas maiores obras por meio da Santíssima Virgem, depois que a formou, é de crer que não mudará de conduta nos séculos dos séculos, pois é Deus, imutável em sua conduta e em seus sentimentos.” Em outras palavras: Evangélicos, vocês vão ter que aturar. Maria menos que um átomo diante de DEUS, grandiosa diante dos homens, se não vejamos:

    DEUS Pai: “O anjo entrou onde ela estava, e disse: Alegra-te, cheia de graça! O Senhor está com você ! (Lucas 1, versículo 28).”

    Segundo o anjo do Altíssimo DEUS, Maria é cheia de graça. E o Senhor Altíssimo DEUS estava com ela(DEUS está com você).

    Protestantes atuais(evangélicos): “Jesus desprezou Maria chamando-a de mulher nas Bodas de Caná”

    DEUS Filho: Jesus realiza o milagre das Bodas de Canã pela intercessão de sua mãe. Primeiro eles nos deixa uma pergunta: “Mulher , que existe entre nós ? (João 2, versículo 4)” Depois acrescenta que sua hora não chegou, ou seja não era hora para milagres: “…Minha hora não chegou(João 2, versículo 4).” Maria insiste e diz: “Façam o que ele mandar(João 1, versículo 5).” Jesus transforma a água em vinho(João 2, versículo 9) Jesus fez o seu primeiro milagre pela intercessão da Santíssima Virgem.

    E agora podemos responder àquela pergunta que Jesus fez inicialmente: “Mulher, que existe entre nós ?”

    João 19, versículos 26 e 27: “Jesus viu a mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava. Então disse à mãe: “Mulher, eis aí o seu filho.” Depois disse ao discípulo: “Eis aí a sua mãe”. E dessa hora em diante, o discípulo a recebeu em sua casa.

    Os protestantes sabem optar pelas interpretações literais quando lhes interessam. Assim nos cobram doutrinas professadas pela Igreja e fingem não saber que não estamos obrigados ao “Sola Scriptura” de Lutero. Cobram de nós o Purgatório ou o Batismo infantil clamando por textos claros. Quando lhes mostramos os textos claros que recomendam a Confissão dos pecados, a Recitação do Pai Nosso e a Eucaristia, eles deixam de lado o critério que antes lhes servia e partem para os achismos e “revelações” de seus “ungidos”.

    Se fossem literais do começo ao fim, como os protestantes deveriam interpretar a passagem descrita acima(João 19, versículos 26 e 27) ?

    Jesus primeiro fala a Maria. Não se trata apenas de cuidado de filho. Se fosse mero cuidado ele teria falado primeiro ao discípulo para que cuidasse de sua mãe. O texto confirma que Jesus viu primeiro a mãe e, ao lado dela, o discípulo. E assim, primeiro Jesus fala a Maria. “Eis o seu filho.” Ele sabe que ela lhe é submissa até o fim. Não há chance de Maria recusar a maternidade que Jesus lhe entrega.

    O texto ainda explica que João era o discípulo que ele amava. Que presente mereceria o discípulo amado se não a própria mãe de DEUS ? Maria serviu para ser mãe de João, o amado discípulo de Jesus. Mas para o protestante ela não lhe serve como mãe.

    E tem mais. Jesus separa o discípulo amado e este mesmo é entregue a Maria como filho. Não é qualquer discípulo. É o discípulo amado que Jesus entrega a Maria. E o protestante diz que Jesus desprezava Maria.

    O texto finaliza nos mostrando que João a levou para a casa. E não apenas naquele dia. O texto fala “..dessa hora em diante.” João, o amado discípulo de Jesus, levou Maria para a casa e para sempre.

    Fosse mero carinho de Jesus por sua mãe, conforme dizem os protestantes, ainda assim, como alguém pode imaginar que Jesus despreza Maria se em seu sofrimento mais atroz ele ainda teria se ocupado de designar um amado discípulo que supostamente deveria pregar o evangelho, para tão e somente cuidar de sua mãe ?

    Mesmo sem explicação para o conceito que lhe condena, repete o evangélico: “Maria é uma mulher pecadora. Jesus a desprezava”

    Se Jesus é bom filho e certamente é o melhor entre todos, será que ele cumpre os mandamentos de seu Pai do Céu e assim honra pai e mãe na Terra ? O que o protestante “profeta”, “ungido”, “teólogo”, “infalível” e seguidor de pastor acha ?

    Protestantes atuais(evangélicos): “Mas o Missionário líder da minha abençoada igreja disse que Maria não pode nada.”

    DEUS ESPÍRITO Santo: “…o anjo respondeu: O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a cobrirá com sua sombra(Lucas 1, versículo 35)” “Por isso, o santo que irá nascer de você será chamado de filho de DEUS(Lucas 1, versículo 35

    O filho que irá nascer de Maria, será chamado de Filho de DEUS. Quem nós conhecemos que gerou o filho de DEUS se não Maria ?

    E o anjo disse: “…irá nascer de você.” Se Maria não pode nada, quem é que pode na Terra mais do que ela ?

    9)Protestantes atuais(evangélicos): “Meu pastor que é teólogo e doutor em Bíblia disse que a Igreja Católica inventou o culto a Maria nos últimos dois séculos. Meu pastor me disse que na antiguidade ninguém considerava Maria.”

    O concílio de Latrão
    Definição como dogma no ano de 649, no Concílio Regional de Latrão(não ecumênico):
    “ Se alguém, segundo os Santos Padres, não confessa que própria e verdadeiramente é Mãe de Deus a santa e sempre virgem e imaculada Maria, já que concebeu nos últimos tempos sem sêmen, do Espírito Santo, o próprio Deus-Verbo (…) e que deu à luz sem corrupção, permanecendo a sua virgindade indissolúvel mesmo depois do parto, seja anátema”.
    São Cirilo de Alexandria no Concílio de Éfeso: “Salve, ó Maria, Mãe de Deus, virgem e mãe, estrela e vaso de eleição! Salve, Maria, virgem, mãe e serva: virgem, na verdade, por virtude daquele que nasceu de ti; mãe, por virtude que cobriste com panos e nutriste em teu seio; serva, por aquele tomou de servo a forma! Como Rei, quis entrar em tua cidade, em teu seio, e saiu quando lhe aprouve, cerrando para sempre sua porta, porque concebesse sem concurso de varão, e foi divino teu parto.”
    “Salve Maria, templo santo, como o chama o profeta Daví, quando diz: “O teu templo é santo e admirável em sua justiça” (SlLXIV, 6)
    “Salve Maria, criatura mais preciosa da criação; salve, Maria, puríssima pomba; salve, Maria, lâmpada inextinguível; salve, porque de ti nasceu o sol de justiça”.
    “Salve, Maria, morada da infinitude, que encerraste em teu seio o Deus infinito, o Verbo unigênito, produzindo sem arado e sem semente a espiga incorruptível!”
    “Salve, Maria, mãe de Deus, aclamada pelos profetas, bendita pelos pastores, quando, com os anjos, cantaram o sublime hino de Belém: “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens de boa vontade” (Lc. II, 14).
    Salve, Maria, Mãe de Deus, alegria dos anjos, júbilo dos arcanjos que te glorificam no céu!”
    “Salve, Maria, Mãe de Deus: por ti adoraram a Cristo os Magos guiados pela estrela do Oriente; salve, Maria, Mãe de Deus, honra dos apóstolos!”
    Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem João Batista, ainda que no seio de sua mãe, exultou de alegria, adorando como luzeiro a perene luz!”
    “Salve, Maria, Mãe de Deus, que trouxesse ao mundo graça inefável, da qual diz São Paulo: “apareceu a todos os homens a graça de Deus salvador” (Tt. II, 1).
    “Salve, Maria, Mãe de Deus, que fizesse brilhar no mundo aquele que é luz verdadeira, a nosso Senhor Jesus Cristo, que diz em seu Evangelho: “Eu sou a luz do mundo” (Jo. VIII, 12).
    “Deus te salve, Mãe de Deus, que alumiaste aos que estavam nas trevas e sombras de morte; porque o povo que jazia nas trevas viu uma grande luz (Is. IX,2), uma luz não outra senão Jesus Cristo, nosso Senhor, luz verdadeira que ilumina todo homem que vem a esse mundo (Jo. I, 9).
    “Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem se apregoa no evangelho: “bendito que vem em nome do Senhor” (Mt. XXI, 9), por quem se encheram de igrejas nossas cidades, campos e vilas ortodoxas!”
    “Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem veio ao mundo o vencedor da morte e o destruidor do inferno!”
    “Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem veio ao mundo o autor da criação e o restaurador das criaturas, o Rei dos Céus!”
    “Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem floresceu e refulgiu o brilho da ressurreição!”
    “Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem luziu o sublime batismo da santidade no Jordão!”
    “Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem o Jordão e o batista foram santificados e o demônio foi destronado!”
    “Salve, Maria, Mãe de Deus, por quem é salvo todo espírito fiel!”

    10)Protestantes atuais(evangélicos): “Mas o apóstolo da minha igreja disse que Maria teve outros filhos”

    Ezequiel 44,1-3: “Então me fez voltar para o caminho da porta do santuário exterior, que olha para o oriente, a qual estava fechada. Disse-me o Senhor: ‘Esta porta estará fechada, não se abrirá; ninguém entrará por ela. Porque o Senhor Deus de Israel entrou por ela, estará fechada. Quanto ao príncipe, ele ali se assentará como príncipe, para comer o pão diante do Senhor; pelo caminho do vestíbulo da porta entrará, e por esse mesmo caminho sairá”.

    Mas diz o evangélico em tom terminativo: “Acontece que somos protestantes. Não nos curvamos diante de homens. Não precisamos de Igreja, intercessores, sacramentos, confissão, indulgências, santos ou Maria. Vocês católicos são idólatras que adoram uma mulher pecadora, uma barriga de aluguel. Por isto é que Lutero e Calvino foram necessários. Eles acabaram com a idolatria que os vossos papas ensinavam”

    LUTERO PAI DOS EVANGÉLICOS: Ao referir-se a Mt 1,25, observa: “Destas palavras não se pode concluir que, após o parto, Maria tenha tido consórcio conjugal. Não se deve crer nem dizer isto” (Obras de Lutero, edição Weimar, tomo 11, pg. 323).
    “O que são as servas, os servos, os senhores, as mulheres, os príncipes, os reis, os monarcas da terra, em comparação com a Virgem Maria, que, além de ter nascido de uma estirpe real, é também Mãe de Deus, a mulher mais importante da Terra? No meio de toda a Cristandade ela é a jóia mais preciosa depois de Cristo, a qual nunca pode ser suficientemente exaltada; a imperatriz e rainha mais digna, elevada acima de toda nobreza, sabedoria e santidade”.

    “É uma doce e piedosa crença esta de que a alma de Maria não possuía o pecado original; assim, sua alma estava completamente purificada do pecado original e embelezada com os dons de Deus, por ter recebido de Deus uma alma pura. Portanto, desde o primeiro momento de sua vida, ela estava livre de todo o pecado” (Martinho Lutero, “Sermão sobre o Dia da Conceição da Mãe de Deus”, 1527).

    CALVINO SEGUIDO PELA MAIORIA DAS DENOMINAÇÕES EVANGÉLICAS: “Não podemos reconhecer as bênçãos que nos trouxe Jesus, sem reconhecer ao mesmo tempo quão imensamente Deus honrou e enriqueceu Maria, ao escolhê-la para Mãe de Deus.” (Comm. Sur l’Harm. Evang.,20)

    “Proclamava uma tão grande dádiva de Deus, que não era lícito silenciá-la…Reconhecemos que este dom foi altamente honroso para Maria. De boa vontade, seguimo-la como mestra, e, obedecemos aos ensinamentos e preceitos da Virgem” ( Calvini Opera 45,38) ( Obra de Calvino 45,38)

    JOHN WESLEY: “Creio que Jesus foi feito homem, unindo a natureza humana à divina em uma só pessoa; sendo concebido pela obra singular do Espírito Santo, nascido da abençoada Virgem Maria que, tanto antes como depois de dá-lo à luz, continuou virgem pura e imaculada.”

    ZWINGLIO: “Firmemente creio, segundo as palavras do Evangelho, que Maria, como virgem pura, nos gerou o Filho de Deus e que, tanto no parto quanto após o parto, permaneceu virgem pura e íntegra.” (Zwinglio, em “Corpus Reformatorum”)

    Conclusão:

    Conforme já dissemos, o protestante evangélico será literal ou não de acordo com sua necessidade pessoal para construção de sua doutrina particular ou para atacar doutrina alheia.

    Por exemplo: O evangélico literal diz que Jesus tinha irmãos levando ao pé da letra que irmãos de Jesus só podem ser filhos de Maria com José.

    Entretanto, este mesmo evangélico literal não é tão literal assim quando sabe que não há uma só passagem bíblica que afirme que Maria teve outros filhos com José. Nesta hora, o literal literalíssimo não tem qualquer importância. Vale o que ele quiser. A verdade é irrelevante. Ele muda de critério de um momento para outro sem qualquer culpa.

    Assim como escolhem o que desejam seguir de cada reformador e de cada “profeta” protestante, não fazem diferente com relação a Bíblia. Os textos que lhes favorecem são usados para formular doutrinas e atacar a Igreja Católica e outros tantos que lhes condenam são descartados. Vale sempre o que cada crente quiser que seja aceito pelos demais como doutrina. Não por acaso, quando divergem, pois todos “tem razão”, logo surge uma nova denominação sob o comando de um novo “super mestre” “infalível” e “inspirado” pelo Espírito Santo.

    Maria filha amada de DEUS pai; Maria mãe de DEUS filho; Maria esposa do Espírito Santo.

    Você católico vacilante, ficará com os pais da igreja ou com os protestantes que defendem o aborto ?

    Você católico indeciso, formará fileiras ao lado das personagens bíblicas que estão na presença de DEUS ou será parceiro dos patrocinadores da prosperidade financeira ?

    Você católico que nada sabe da religião dos teus pais, desejará conhece-la mais profundamente ou prefere escutar aqueles que dizem que ajudar os pobres desvia recursos da “Igreja” ?

    Você que se diz católico, mas que ataca os dogmas da igreja ou o Papa ! O que você faz quando evangélicos ofendem a Virgem Maria na tua presença ? Você age com caridade e lhes mostra a verdade ou diz que o importante é curtir Jesus ?

    Você católico pretende ouvir a São Tomás de Aquino ou ao pregador da Unção da Vassoura ? Santo Agostinho ou o pregador da Unção da Galinha ou da vaca ? Santa Teresinha ou o pregador da unção do Chifre ? São Francisco ou aqueles que praticam “unções” da meia, do leão ou da lama ?

    Você católico irá preferir a Igreja dos Concílios ou as igrejas dos achismos onde cada um diz ter recebido uma revelação ?

    A quem você pretende escutar católico ? A Igreja dos 2.000 anos ou a seita da esquina de tua rua ?

    Você católico que não estuda, ficará com a Santíssima Trindade que exalta Maria ou com aqueles que a desprezam e lhe imputam filhos que não teve ?

    Não admitimos ataques contra a honra e dignidade das pessoas. O debate religioso deve ser limitado as questões de fé e doutrina.

    • william disse:

      Como é de conhecimento geral pela História – e a instituição religiosa romana é sua ré confessa -, a denominada “Igreja Católica Apostólica Romana” foi fundada pelo então Imperador Romano chamado Constantino, o qual reuniu aos 322 d.C. em Nicéia para um Concílio, as Nações pagãs, para dar continuidade à dominação do mundo e imposição, pela ignorância de um povo (isaías 45:20), às suas doutrinas pagãs. A tais nações pagãs são facilmente indentificas na Bíblia, quando observamos que a “igreja católica” professa as duas doutrinas, tais como paganismo (Batismo de criança não existe!), consagração de carne\pão\hóstia a demônios (I Conríntios 10:14-22), repetição de oração (Mateus 6:7), evocação dos mortos (Isaías 8:19), a idolatría à uma Rainha dos céus (Jeremias 7 : 18 – Jeremias 44 : 17 – Atos 19 : 35).

      Para darem à Maria poder e divindade que ela nunca teve, e elevá-la ao status de mãe de Deus, e, assim, darem vazão à evocação de outros deuses mortos, idolatria, enfim, os Romanos deram, indevidamente à Maria, o status de Assunta aos Ceús (coisa que só Deus pode – João 3:13) deturparam o verdadeiro significado de Ap. 12, que nada mais é do quê a testificação de Daniel 12. A mulher coroada, nada mais é do quê a noiva do cordeiro, a igreja, esta que é constituída por todos aqueles que, estando em santidade e fazendo a obra, recebem o Corpo de Cristo – representado pela carne E O SANGUE de Jesus – , e estando de pé em Pedro I e II.

      A instituição religiosa denominada de “CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA”, nunca foi sequer igreja, quanto mais a de Jesus! Igreja não é instituição religiosa, e a de Jesus está edificada em Pedro I e Pedro II, e não na Pessoa física de Pedro!

      Igreja é um edifício construído com blocos e cimento ou uma instituição religiosa? Não! É um edifício construído com pedras vivas. “Também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo”(1 Pedro 2:5).

      Estas pedras vivas são chamadas santos e são membros da família de Deus: “Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o FUNDAMENTO dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito” (Efésios 2:19-22).

      • william disse:

        Também deram à Maria, levianamente e a pretexto de lhe darem o posto de Mãe Imaculada de Deus e dos humanos, o status de virgem eterna, coisa que ela não é, conforme verifica-se nas diferentes versões bíblicas católicas abaixo:

        Versão Ave-Maria>>> Mateus 1:24-25 – ‘E José, tendo despertado do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu sua mulher;e não a conheceu enquanto ela não deu à luz um filho; e pôs-lhe o nome de JESUS.

        Versão da CNBB >>> 25. E, sem que ANTES tivessem mantido relações conjugais, ela deu à luz o filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.

        Versão Sagrada >>>> 25. e, sem ter relações com Ela, Maria deu à luz um Filho. E José deu-Lhe o nome de Jesus.

        Versão La Bíblia de Jerusalén >>>> 25. Y no la conocía HASTA que ella dio a luz un hijo, y le puso por nombre Jesús.

        Versão Bíblia on line http://www.jesus.com >>>> 25 Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus.

        Adão conheceu Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz Caim, e disse: “Possuí um homem com a ajuda do Senhor.” (Gênesis 4,1)

        Caim conheceu sua mulher. Ela concebeu e deu à luz Henoc. E construiu uma cidade, à qual pôs o nome de seu filho Henoc. (Gênesis 4,17)

        Adão conheceu outra vez sua mulher, e esta deu à luz um filho, ao qual pôs o nome de Set, dizendo: “Deus deu-me uma posteridade para substituir Abel, que Caim matou.” (Gênesis 4,25)

        Ano 803 – Foi criada a festa da Assunção de Virgem pelo Concílio de Mogúncia.
        Ano 1125 – Aparece a ideia da imaculada concepção de Maria.
        ( Maria só ficou virgem 1125 anos após o nascimento de Jesus)
        Ano 1317 – João XXII ordena a Ave-Maria.
        Ano 1854 – Pio IX proclama o dogma da imaculada concepção de Maria.
        Ano 1950 – O papa Pio XII proclama o dogma da Assunção da Virgem Maria ao Céu. ( Maria só subiu aos Céus em 1950 )

        • william disse:

          Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?

          Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu.
          João 3:12-13

          • EDMILSON disse:

            WILLIAM MARIA FOI VIRGEM E REPRESENTA A SERVA FIEL DO SENHOR
            AGORA AS SEITAS SATÂNICAS PROTESTANTES NÃO ACEITAM POR QUE OS HEREGES FALSIFICADORES PASTORES FIZERAM LAVAGEM CEREBRAL EM PESSOAS SIMPLES LEIGAS E SEM NENHUM CONHECIMENTO HISTÓRICO

            WILLIAM VOU TI MANDAR UMA CARTA DE SÃO MARCOS APÓSTOLO DE JESUS CRISTO
            ELE JÁ EXALTA MARIA COM CARINHO E HONRA

            APRENDA A DISTINGUIR AS COISAS FILHO DA PERDIÇÃO

  17. Renato disse:

    É triste mas é verdade, como dói ver um monte de comentários apoiando esse “fundamento” da assunção de Maria. São provas que não provam nada, sem referências, que apelam para o emocional tentando provar uma coisa que não aconteceu.

    Não se enganem, ser cristão não é ser católico, é ser servo de Jesus (Mateus 12,50)

    Não negociem vossa alma a troco de Tradição, a própria Maria estaria muito triste ao ver que pessoas usam o nome dela para criar uma heresia anti-biblica, pois a própria bíblia diz que só Jesus subiu ao céu.

    • FERNANDO disse:

      RENATO POBRE ALMA AMALDIÇOADA OLHA HEREGE ME MOSTRE TESTEMUNHAS OCULARES FATOS VERÍDICOS QUE CONTESTE QUE MARIA NÃO FOI ASSUNTA AO CÉU O QUE NÃO EXISTE É A SEITA MALDITA DE NOME PROTESTANTISMO QUE SÓ NO BRASIL JÁ PASSA 50 MIL DENOMINAÇÕES TEM ATÉ IGREJA EVANGÉLICA DE HOMOSSEXUAIS ACORDA RENATO HEREGE

      SANTO INÁCIO NASCIDO NO ANO 35 DA ERA CRISTÃ CONFIRMA MARIA

      CONHECE SÃO CLEMENTE ROMANO NASCIDO NO ANO 30 DA ERA CRISTÃ E QUE FOI O 4 PAPA DA IGREJA CATÓLICA TESTIFICA MARIA

      CONHECE SÃO DIONÍSIO DISCÍPULO DE SÃO PAULO MORTO NO ANO 96 DA ERA CRISTÃ TAMBÉM TESTIFICA EM SUA OBRA MARIA ASSUNTA AO CÉU E MAIS DO PRIMEIRO SÉCULO TEM UNS 20 TESTEMUNHOS AGORA ME MOSTRE UMA PROVA QUE DIZ O CONTRÁRIO POBRE ALMA HEREGE

      RENATO A SEITA PROTESTANTE TA SENDO DESMASCARADA FILHO DE LUTERO A PATRÍSTICA TA SENDO ENSINADA ADEUS FABULAS DE HISTORIADORES MALDITOS PROTESTANTES

      • FERNANDO disse:

        CORPO, ALMA E ESPÍRITO?

        “46. E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor, 47. meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador” (Lucas capítulo 1)
        Nessas belas palavras da Bem Aventurada por todas a geração, Maria mãe de Deus, conseguimos entender perfeitamente que um (SER) é constituído de CORPO + ALMA + ESPÍRITO, no caso dos Cristãos, somos constituídos pelo Espirito Santo de Deus, sendo assim, poderia acabar com essa doutrina maligna chamada (Mortalidade da Alma) com esses dois únicos versículos Bíblicos.
        Maria diz: Sua Alma (Grego PSUCHE e do Hebraico NEPHESH) engrandece ao Senhor, ou seja, está se referindo a algo que habita em seu corpo, sendo assim, Maria, a Bem Aventurada, não se referia a ela mesma como uma Alma, muito pelo contrario, Maria se referia a algo que habita em seu (SER), pois ela usa o termo “(MINHA)”, algo que Deus deu a ela.
        Depois Maria diz: Meu Espírito (Grego PNEUMA e do Hebraico RUACH) exulta de alegria, novamente vemos Maria, a Bem Aventurada, usando o termo “(MEU)”, ou seja, algos que pertence a ela e não a ela mesma, como sugere alguns “Judaizantes e TJs”.

        Bem meu irmãos Católicos, vocês devem estar se perguntando, qual é o objetivo desse artigo? Eu respondo: o objetivo desse artigo é acabar de uma vez por todas com uma nova ideologia protestante; ideologia que consiste na crença de que somos uma (ALMA) ao invés de possuirmos uma (ALMA). O que esses protestantes querem com essa ideologia? Isso é simples, pregando essa ideologia satânica, eles, protestantes, conseguem perseguir a crença na intercessão do (SANTOS), pois se somos uma (ALMA), ao morrer, acaba a existência dessa (ALMA).
        Essa nova ideologia maligna, prega o conceito de que não há existência de ALMA e ESPÍRITO sem um corpo físico, sendo assim, para esse herege, um corpo físico é animado pela respiração (que eles acreditam ser o Espírito) e se torna uma Alma, parando de respirar, esse corpo deixa de ser uma Alma.
        Meus irmãos, vocês conseguiram identificar a presença do maligno nessa ideologia?

        Os hereges acabaram com metade da Bíblia Sagrada por causa do seu ódio contra os (SANTOS) que hoje estão na casa de Deus; jogaram no lixo o livro do Apocalipse, a história do Rico e do Lázaro (que não é uma parábola como muitos diz, Jesus Cristo nunca afirmou que essa história seria uma parábola), o momento da transfiguração etc. Tudo isso para odiar os Santos homens de Deus.
        Infelizmente para esses hereges, Judaizante e Tjs, a própria Bíblia Sagrada os refuta, não é difícil acabar com essa doutrina maligna, volto a colocar o texto de São Lucas narrando o “Magnificat”.
        “46. E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor, 47. meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador” (Lucas capítulo 1)
        TEXTO GREGO:
        kai eipen mariam megalunei ê psuchê (ALMA) mou ton kurion kai êgalliasen to pneuma (ESPÍRITO) mou epi tô theô tô sôtêri mou.
        Maria diz: Sua Alma e seu Espírito, ou seja, algo que ela possui e não a algo material, isso segue ao mesmo parâmetro do que São Paulo escreve aos Tessalonicenses:
        “23. O Deus da paz vos conceda santidade perfeita. Que todo o vosso ser, espírito, alma e corpo, seja conservado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo!” (I Tessalonicenses capítulo 5)
        Um SER VIVO é constituído de: (Corpo, Alma e Espírito).
        Observem que São Paulo afirma que o (SER) possui uma Alma e um Espirito, em momento algum ele diz que o (SER) é uma Alma. Usando a astúcia de satanás, esses hereges adulteram em suas Escrituras o termo (ALMA) para o termo (VIDA), na tentativa desesperada de mudar o conceito teológico dos textos, parece brincadeira, mas é a pura verdade.
        Observem esses dois textos:
        “21. Estendeu-se em seguida sobre o menino por três vezes, invocando de novo o Senhor: Senhor, meu Deus, rogo-vos que a alma (NEPHESH) deste menino volte a ele. 22. O Senhor ouviu a oração de Elias: a alma (NEPHESH) do menino voltou a ele, e ele recuperou a vida” (I Reis capítulo 17)
        “9. Acontece que um moço, chamado Êutico, que estava sentado numa janela, foi tomado de profundo sono, enquanto Paulo ia prolongando seu discurso. Vencido pelo sono, caiu do terceiro andar abaixo, e foi levantado morto. 10. Paulo desceu, debruçou-se sobre ele, tomou-o nos braços e disse: Não vos perturbeis, porque a sua alma (PSUCHE)está nele” (Atos capítulo 20)
        No primeiro caso, o Profeta Elias ora para que Deus retome a vida de menino que havia falecido, no caso, o Profeta, pede para que a Alma (NEPHESH) desse menino retorne ao seu corpo físico, ou seja, é a Alma (NEPHESH) que da vida ao corpo físico, se essa Alma pode voltar ao corpo físico é porque ela saiu (ou deixou) esse corpo, o que contraria a tese de que a morte do corpo físico acaba com a existência da Alma.
        Já no caso de Atos dos Apostolo, São Paulo foi bem claro em afirmar que aquele rapaz no qual sofrera um acidente onde todos davam como morto; ainda estava vivo, pois sua Alma (PSUCHE) ainda estava nele, ou seja, sua morte só se daria no momento em que sua Alma não estivesse mais em seu corpo físico.
        O termo usado no texto do livro de Reis em Hebraico é: (NEPHESH).
        vayyithmodhêdh `al-hayyeledh shâlosh pe`âmiym vayyiqrâ”el-Adonay vayyo’mar Adonay ‘elohây tâshâbh nâ’ (nephesh)-hayyeledh hazzeh `al-qirbo vayyishma` Adonay beqol’êliyyâhu vattâshâbh (nephesh)-hayyeledh `al-qirbo vayyechiy
        O termo usado no texto do livro de Atos em Grego é: (PSUCHE)
        Katabas de o paulos epepesen autô kai sumperilabôn eipen mê thorubeisthe ê gar (psuchê) autou en autô estin
        Logicamente PSUCHE no Grego e NEPHESH no Hebraico tem o mesmo sentido, o mesmo significado e a mesma tradução, no caso desse dois texto, a tradução seria (ALMA). Agora veja a astúcia de satanás na tradução desses hereges:
        “Descendo, porém, PAULO inclinou-se sobre ele e, abraçando-o, disse: Não vos perturbeis, que a (VIDA) nele está” (Atos capítulo 20)
        “Então se estendeu sobre o menino três vezes, e clamou ao SENHOR, e disse: O SENHOR meu Deus, rogo-te que a (VIDA) deste menino torne a entrar nele. E o SENHOR ouviu a voz de Elias; e a (VIDA) do menino tornou a entrar nele, e reviveu. E Elias tomou o menino, e o trouxe do quarto à casa, e o deu a sua mãe; e disse Elias: Vês aí, teu filho vive. Então a mulher disse a Elias: Nisto conheço agora que tu és homem de Deus, e que a palavra do SENHOR na tua boca é verdade” (I Reis capítulo 17)
        Conseguiram localizar uma adulteração satânica nesses textos? Simples, os hereges trocaram o termo (ALMA) por (VIDA). Assim, eles deram a entender que a vida voltou ao menino ao invés de sua Alma.
        Eles (Hereges) poderiam estar corretos, se realmente o termo (Grego PSUCHE e do Hebraico NEPHESH) fosse mesmo traduzido como (VIDA) literalmente, porém, infelizmente, para esses hereges, esse termo é traduzido como (ALMA), observem o texto a seguir:
        “28. Não temais aqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma; temei antes aquele que pode precipitar a alma e o corpo na geena” (Mateus capítulo 10)
        No texto Jesus Cristo diz que os homens podem matar o corpo, mas não podem matar a (ALMA). Até porque não teria sentido Jesus Cristo dizer: “Podem matar o corpo, mas não podem matar a (VIDA).”
        OK, vamos então saber qual palavra o autor usou no Grego para definir (ALMA).
        TEXTO GREGO:
        mê ab=phobeisthe ts=phobêthête apo tôn a=apoktennontôn b=apoktenontôn ts=apokteinontôn to sôma tên de (psuchên) mê dunamenôn apokteinai a=phobeisthe tsb=phobêthête de mallon ton dunamenon kai b=[tên] (psuchên) kai b=[to] sôma apolesai en geennê
        Que coisa interessante! O autor usou o termo (PSUCHE) para se referir a Alma, esse termo é a tradução Grega de (NEPHESH), sendo assim, o texto de Reis e Atos usados pelos protestantes onde se ler (VIDA) ao invés de (ALMA), passou por uma adulteração satânica em um tentativa frustrada de mudar o sentido teológico do texto.
        O termo vida em Hebraico é escrito dessa forma: (Hayim).
        Obs.
        *Abaixo eu explicarei que (NEPHESH) pode ser usado como (VIDA), desde que a tradução não mude o sentido teológico do texto.
        Agora eu poderia criar uma verdadeira polêmica nesse assunto! Pois eu diria que em certas ocasião poderíamos sim traduzir (NEPHESH) como vida, então o protestante diria que eu estaria sendo contraditório. Pois bem, assim como em nossa gramática tudo tem suas exceções, também no Hebraico e no Grego possui suas exceções, desde que essas exceções não mude o sentido teológico do texto.
        Pensem comigo, nos textos de Atos e Reis, os autores deixam bem claro que o corpo retoma a vida depois que sua Alma retorna ao corpo, sendo assim, eu concluo que a Alma dá vida ao corpo, ou seja, Alma é a vida do corpo, em certos texto eu poderia sim traduzir Alma (NEPHESH) por vida. Como por Ex:
        “30. Se, para resgatar sua vida, lhe for imposta uma quitação, ele deverá dar todo o preço que lhe tiver sido imposto” (Êxodo capítulo 21)
        Observem esse texto, nele vemos o termo (VIDA) sendo usado como regaste ou uma retomada, porém, no Hebraico esse texto usar o termo (NEPHESH) onde vimos que a tradução literal é (ALMA), mas por que podermos traduzi-lo como Vida? Simples, se você mudar a palavra Vida para Alma não mudará o sentido teológico do texto, pois é a Alma que dá a Vida ao um corpo físico, ou seja, resgatar a (VIDA) ou a (ALMA) no texto daria o mesmo sentido. O importante é você ter a consciência de que a Alma dá Vida ao corpo físico, contrariando o que esse hereges pregam, pois eles dizem que a Vida transforma o corpo em uma Alma, mas isso entra em contradição com o que São Tiago afirma em sua carta. Observem o texto:
        “26. Assim como o corpo sem a alma é morto, assim também a fé sem obras é morta” (Tiago capítulo 2)
        Um simples verso acaba com toda essa ideologia satânica, São Tiago, Apóstolo de Jesus Cristo, diz que o (CORPO) sem (ALMA) é morto, ou seja, o corpo para ter vida necessita de uma Alma.
        Até ai ficou bem claro a todos, um corpo físico passa a ser animado quando ele obtêm uma Alma e animado pela Alma esse corpo se transforma em um (SER VIVO); sendo assim, a morte ocorre quando a Alma deixa esse corpo, da mesma forma, esse corpo em certas ocasiões retoma Vida com o retorno de sua Alma, sem nos esquecer que o termo Alma, pode até ser usado como Vida, desde que o texto deixe bem claro ao leitor que essa vida ocorre com a união dessa Alma ao corpo físico.
        Vamos passar a outro tema sobre esse assunto, o que seria o Espírito?
        O termo Espírito (PNEUMA) muitas vezes é confundido com o termo Alma, isso ocorre porque nas Escrituras Sagradas, muitas vezes os autores usam o termo Espírito no lugar de Alma. Então você me pergunta: O autor inspirado errou? Eu respondo: claro que não, para entender o porque isso ocorre, temos que entender o real significado teológico do termo Espírito.
        Literalmente Espírito significa: Respiração, os apologistas mais modernos, dizem que se trata do próprio oxigênio que respiramos, porém, existe um erro na exegese desses apologistas, pois o texto de Gênesis não fala de algo que respiramos e sim algo soprado em nós.
        “7. E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou ser vivente” (Gênesis capítulo 7)
        Esse fôlego de vida soprado nas narinas do homem, nada mais é, do que germe Divino que habita em nós, em todo o nosso ser, sendo assim, é o próprio Espirito Santo de Deus que hoje recebemos através do Batismo.
        Observem como após a ressurreição, Jesus Cristo recriando toda a humanidade sem o pecado original, faz o mesmo processo que Deus fez em Gênesis, Jesus Cristo sopra o Espirito Santo sobre os Apóstolo.
        “21. Disse-lhes outra vez: A paz esteja convosco! Como o Pai me enviou, assim também eu vos envio a vós. 22. Depois dessas palavras, soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo” (João capítulo 20)
        Bem, Alma e Espírito não são a mesma coisa, mas estão ligados um ao outro, ai entra a questão do porque alguns autores trocavam o termo Alma por Espírito. Eu costumo dizem, de uma forma figurada que Espírito é o adjetivo da Alma, lógico que isso é figurado, mas para dar um raciocínio literal ao Espírito podemos dizer que ele é a qualidade da sua Alma; pois o homem possui uma Alma que lhe dá vida e um Espírito, porém, esse Espírito nem sempre é o Espírito Santo de Deus, temos os Espíritos malignos que nos rondeiam. Qual a conclusão? Você tem uma Alma que te dá vida, mas pode ter um Espirito bom ou um Espirito ruim, Deus queria que todos fossem inspirados pelo Espirito Santo de Deus, mas não é isso que vemos por ai, inclusive dentro de Igrejas (Seitas). O que é lamentável.
        Voltando ao assunto, quando o autor usa o termo Espírito no lugar de Alma, geralmente ele se refere a um homem Santo, isto é, alguém revestido pelo Espirito Santo, ao dizer que o Espírito volta a Deus ele se refere aquela Alma revestida em todo o seu ser pelo Espírito Santo de Deus.
        Observem esse texto:
        “59. E apedrejavam Estêvão, que orava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito. 60. Posto de joelhos, exclamou em alta voz: Senhor, não lhes leves em conta este pecado… A estas palavras, expirou” (Atos capítulo 8)
        Quando Santo Estevão diz: (Receba o meu Espírito), ele se referia a sua Alma toda revestida pelo Espírito Santo de Deus, até porque o Espírito Santo é um só.
        Pode ser que um herege venha insinuar que eu estou inventando história para defender a Imortalidade da Alma; sendo assim, eu vou provar com outros textos Bíblicos onde nos ensinar a nos prepararmos para que Deus receba a nossa Alma e não apenas o Espírito.
        “18. E, se o justo se salva com dificuldade, que será do ímpio e do pecador? 19. Assim também aqueles que sofrem segundo a vontade de Deus encomendem as suas almas ao Criador fiel, praticando o bem” (I Pedro capítulo 4)
        São Pedro diz para encomendarmos nossas Almas ao Criador, será que Santo Estevão se esqueceu disso? Claro que não, ele encomendou toda sua Alma revestida pelo Espírito Santo de Deus.
        Nas mesma carta São Pedro diz:
        “6. Pois para isto foi o Evangelho pregado também aos mortos; para que, embora sejam condenados em sua humanidade de carne, vivam segundo Deus quanto ao espírito” (I Pedro capítulo 4)
        Nesse texto acaba essa heresia, São Pedro afirma que o Evangelho fora pregado para aqueles que estavam mortos, ou seja, o que quebra totalmente essa doutrina maligna de mortalidade da Alma. O mais interessante nesse texto é que mesmo depois de mortos, Jesus Cristo foi levar o Espirito Santo a esses mortos.
        Agora vamos ver um exemplo do (AT).
        “3. Agora, Senhor, toma a minha alma, porque me é melhor a morte que a vida” (Jonas capítulo 4)
        As palavras de Jonas, o profeta, são claras, ao preferir morrer ele diz ao Senhor: (Toma a minha Alma). Fica evidente que a morte física ocorre quando a Alma desencarna do corpo físico, ao contrario ele diria, Senhor MATE MINHA ALMA.
        Agora vamos colocar aquele famoso texto de Apocalipse:
        “9. Quando abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos homens imolados por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho de que eram depositários. 10. E clamavam em alta voz, dizendo: Até quando tu, que és o Senhor, o Santo, o Verdadeiro, ficarás sem fazer justiça e sem vingar o nosso sangue contra os habitantes da terra? 11. Foi então dada a cada um deles uma veste branca, e foi-lhes dito que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos companheiros de serviço e irmãos que estavam com eles para ser mortos” (Apocalipse capítulo 6)
        Bem, nesse artigo, eu nem quero entrar nas questões escatológica (Preterista e Futurista), pois não iria mudar nada na teologia desse texto, pois vemos as Almas dos Santos que foram martirizados e se encontravam no Reino dos Céus, ainda mais, esperavam seus irmão que ainda iriam passar pelo martírio, sendo preterista ou futurista, na escatologia do apocalipse esse evento ocorre antes da ressurreição dos morto, ou seja, essas Almas não dependeram de um corpo físico para sua existência.
        Para terminar essa parte do artigo, vou colocar o texto de Hebreus, onde o autor afirma que Alma e Espírito não são a mesma coisa e podem ser divididos um do outro.
        “12. Porque a palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do espírito, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração” (Hebreus capítulo 4)
        Aqui vemos claramente a afirmação que Alma pode ser dividida do Espírito, também diz que a Alma e Espírito podem ser divididos das juntas e medulas, ou seja, do copro físico.
        Vamos passar para o último tema a ser abordado, pois da mesma forma que eu afirmo que a Alma é Imortal, também posso afirma que existe a morte da Alma. Parece contradição, mas é a pura verdade, a Alma Imortal também morrer, isso é fato! O problema é identificar de que morte estamos nos referindo.
        Os textos mais usados pelos Mortalistas da Alma são esses:
        “20. saiba: aquele que fizer um pecador retroceder do seu erro, salvará sua alma da morte e fará desaparecer uma multidão de pecados” (Tiago capítulo 5)
        “4. Eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, também a alma do filho é minha; a alma que pecar, essa morrerá” (Ezequiel capítulo 28)
        Olhando para esses texto, conseguimos perceber perfeitamente que a Alma morre, ou seja, a Alma do pecador morre, porém, essa morte não é literal (deixar de existir), essa morte é Espiritual, ou seja, é uma perca de qualidade. Vou colocar um exemplo da linguagem popular:
        Quantas mulheres se sentem viúvas com seus maridos vivos?
        Filhos que se sentem órfãos de pais vivos?
        Vou citar um exemplo bíblico:
        “1. Ao anjo da igreja de Sardes, escreve: Eis o que diz aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete estrelas. Conheço as tuas obras: és considerado vivo, mas estás morto” (Apocalipse capítulo 3)
        Jesus Cristo fala de uma comunidade, ele diz: (és considerado vivo, mas estás morto).
        Como explicar uma situação dessas se não for algo Espiritual?
        Mas a própria Bíblia Sagrada explica o que seria essa morte da Alma Imortal, observem esses textos:
        “4. Pois se Deus não poupou os anjos que pecaram, mas os precipitou nos abismos tenebrosos do inferno onde os reserva para o julgamento” (II Pedro Capítulo 2)
        “6. Os anjos que não tinham guardado a dignidade de sua classe, mas abandonado os seus tronos, ele os guardou com laços eternos nas trevas para o julgamento do Grande Dia. 7. Da mesma forma Sodoma, Gomorra e as cidades circunvizinhas, que praticaram as mesmas impurezas e se entregaram a vícios contra a natureza, jazem lá como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno” (Judas capítulo 1)
        Os dois textos são parecidos, falam do mesmo fato, São Pedro e São Judas, afirmam que as Almas daqueles que morreram na iniquidade junto com os Anjos decaídos; fora jogadas no inferno para sofrerem os tormentos eternos até o Juízo.
        Essa é a primeira morte, ou seja, as Almas dos iníquos ficam aguardando o juízo nos tormentos do inferno, porém, temos a segunda morte para essas Almas, isso depois do juízo, nessa segunda morte o inferno todo será jogado em um tanque de fogo, haverá a separação total do bem e do mau e lá ficarão eternamente.
        “14. A morte e a morada subterrânea foram lançadas no tanque de fogo. A segunda morte é esta: o tanque de fogo. 15. Todo o que não foi encontrado inscrito no livro da vida foi lançado ao fogo”
        (Apocalipse capítulo 20)
        Mas o protestante pode me questionar com a seguinte pergunta: na segunda morte a Alma sim será destruída sendo jogada no lago de fogo? A resposta também é simples: se você pegar apenas esse texto do Apocalipse para forma a sua doutrina, podemos concluir que o tanque de fogo seria a destruição total da Alma, pois nesse texto não faz referencia aos tormentos eternos, porém, a Bíblia Sagrada possui (73) livros, onde cada livro está ligado ao outro, sendo assim, um livro completa as informações que faltam no outro. Vamos ler o que Jesus Cristo diz em Mateus sobre o mesmo assunto:
        “31. Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso. 32. Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33. Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda” (Mateus capítulo 25)
        Nesse texto Jesus Cristo diz que no juízo ele ira separar o justo do iníquo, colocando o justo a direita e o iníquo a esquerda, ou seja, separando o bem do mal. Vamos continuar o texto e entender o que acontecerá com o justo a direita:
        “34. Então o Rei dirá aos que estão à direita: – Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo” (Mateus capítulo 25)
        Opa! Que maravilha, os justos, as Almas que estavam debaixo do Altar de Deus em Apocalipse, agora após a ressurreição diante do juízo terão como recompensa O REINO. Agora vamos continuar o texto e entender o que acontecerá com o iníquo a esquerda:
        “41. Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: – Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos….46. E estes irão para o castigo eterno, e os justos, para a vida eterna” (Mateus capítulo 25)

        Nesse texto podemos entender claramente o que acontecerá com o iníquo jogados no tanque de fogo (segunda morte) e que estava no inferno aguardando o juízo. Esse iníquo continuará sofrendo, porém, agora julgado e colocado as claras o porque ele fora condenado.
        Observem como não é difícil o entendimento de Corpo, Alma e Espírito, o problema é querer formar doutrinas com textos pinçados isoladamente. Unindo todos os texto que se referem ao mesmo assunto, conseguimos uma exata conclusão.
        Mais um mentira protestante cai por terra, ou terminar com o texto de Flavio Josefo, judeu e escritor, ele sendo fariseu deixou escrito qual era a crença Judaica sobre esse assunto.
        “Não tememos aqueles que só podem matar o corpo, porque sabemos que tormentos eternos esperam num outro mundo os que não guardam seus mandamentos e nos devemos armar de uma firme resolução de obedecer à sua vontade, a fim de que, depois de nossa morte, Abraão, Isaque e Jacó, e nossos outros santos predecessores, nos recebam com alegria para participarmos de sua glória”
        (Flavio Josefo, livros único, capítulo XI)

        Segundo Flavio Josefo, o Seio de Abraão não era uma parábola, existia, era real e era crença entre os Santos e Profetas Hebreus, ou seja, ao morrer o Santo era recebido pelos patriarcas, já o ímpio era jogado nos tormentos eternos.
        POVO protestante, Jesus Cristo não mentiu na história do Rico e do Lázaro não, ok.

      • Renato disse:

        Poxa, estou até abismado com o amor demonstrado em suas palavras Fernando ( deve ser o Nascimento).

        A patrística não é nada mais do que os nicolaítas que queriam mandar na igreja e hierarquizá-la, mesmo que para isso inventassem coisas anti-bíblicas.

        Tirem o tapa-olho, vejam a verdade, pois quem subiu em corpo ao paraíso no céu, foi só Jesus, aquele que de lá veio” João 3,13

        Depois somos nós protestantes que acreditamos em fábulas,,,Lamentável…

        Mas ainda espero que vocês vejam unicamente a verdade da palavra de Deus para que possam ser salvos..

        • EDMILSON disse:

          PIADAS EM CIMAS DE PIADA CONTRADITÓRIO RENATO VEJA

          Renato disse:
          8 de novembro de 2012 às 8:23
          Poxa, estou até abismado com o amor demonstrado em suas palavras Fernando ( deve ser o Nascimento).

          A patrística não é nada mais do que os nicolaítas que queriam mandar na igreja e hierarquizá-la, mesmo que para isso inventassem coisas anti-bíblicas.

          CARA COMO VOCÊ É DOENTE A PATRÍSTICA NASCEU RENATO PARA COMBATER AS HERESIAS DE HOMENS AMALDIÇOADOS E DOENTES COMO VOCÊ

          EU IRIA TI PEDIR PROVAS TESTEMUNHAS OCULARES E FATOS VERÍDICOS DA ÉPOCA MAS SERIA JUDIAÇÃO COM VOCÊ POIS VOCÊ NÃO CONHECE A PATRÍSTICA VERDADEIRA

          VOCÊ CONHECE O QUE FALAM DA PATRÍSTICA VINDA DAS BOCAS DESSES PASTORES DE FUNDO DE QUINTAL CAI NA REAL PIADISTA RENATO

          • Francisco disse:

            como alguem que ofende com tanta ira a quem não compartilha da mesma opinião, pode dar algum testemunho de amor e graça? o senhor é apenas um falastrão vazio cheio de tradiçoes que não aceita que o que defende é obra humana e vazia. eu ainda defendo a igreja, porque ainda acredito que por meio dela, muitas pessoas encontrarão a verdade e por meio da verdade se aproximarão de deus, mas confesso que pessoas como o senhor e os evangelicos que a cada dia estão mais perdidos, me deixam um pouco desanimado. igrejas evangelicas se multiplicam cheias de falsidade e mentira, valorizando riqueza e subtraindo o dinheiro do povo como se vendesse graças, enquanto a igreja catolica parou no tempo dos papas e bispos dos seculos passados, onde os dogmas de maria sassiavam a sede do povo por mais historia, porque me parece que a historia do cristo e dos atos dos apostolos, não são suficientes para sustentar a fé. tem que criar dogmas e suposições sem base biblica.

            Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.
            Mateus 6:24

          • EDMILSON disse:

            FRANCISCO DEIXE DE HERESIAS E SOFISMAS
            OLHA MEU CARO

            RELIGIÃO SE DISCUTE AGORA PONTOS DE VISTA NÃO

            PRIMEIRO AQUELE QUE FALA CONTRA AS DOUTRINAS DE JESUS CRISTO
            É CHAMADO DE HEREGE

            FRANCISCO EU ESTOU NESSE SITE PARA DESMASCARÁ AS SEITAS PROTESTANTES
            E AS SAFADEZAS E MENTIRAS QUE ELES PREGAM CONTRA NÓS CATÓLICOS

            AMO A IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA

            ESTUDE A PATRÍSTICA A GEOLOGIA A HERMENÊUTICA ESTUDES OS IMPERADORES DOS PRIMEIRO SÉCULO ESTUDE A ARQUEOLOGIA DOS 4 PRIMEIRO SÉCULO

            ESTUDE A EXEGESE NAS FONTES E VERÁS QUE ESTOU CERTO

            AS SEITAS PROTESTANTES ESTÃO PERDENDO CREDIBILIDADE POR ISSO SÃO DIVIDAS EM DOUTRINAS CONTRADIÇÕES EM CIMA DE CONTRADIÇÕES

            TEM UM DITADO CERTO FRANCISCO NUNCA JOGA PEROLAS AOS PORCOS
            JOGAM LAVAGEM

            EU ESTOU NESSE SITE PARA DESMASCARÁ
            PEDIR PROVAS TESTEMUNHAS OCULARES

            AGORA SE VOCÊ ME DISSESSE QUE VOCÊ TEM UM PONTO DE VISTA SOBRE RELIGIÃO EU RESPEITARIA SUA OPINIÃO MAIS VOCÊ NÃO ME DISSE ISSO

            AGORA 5 MAIS 5 É IGUAL A 10

            SABE POR QUE FRANCISCO POR QUE RELIGIÃO SE DISCUTE

            AGORA PONTOS DE VISTA NÃO

          • EDMILSON disse:

            FRANCISCO VAZIO É AS SEITAS PROTESTANTES QUE CALUNIAM A IGREJA CATÓLICA COM FALSOS DOCUMENTOS

            VAZIO É VOCÊ COMO AS SEITAS PROTESTANTES
            QUE PEGAM A BÍBLIA A SEU BEL PRAZER

            E POR ISSO É DIVIDIDA SÓ AQUI NO BRASIL JÁ PASSA DE 50 MIL SEITAS TEM ATÉ IGREJAS DE HOMOSSEXUAIS

            FRANCISCO SE A SEITA PROTESTANTE FOSSE VERDADEIRA TERIA 2000 MIL ANOS

            VAI ESTUDAR FILHO DE LUTERO

            CONHEÇA PRIMEIRO QUEM FOI OS HISTORIADORES PROTESTANTES CONHEÇA O PODRE DELES VAI ESTUDAR PARA DEPOIS DEBATER COMIGO

          • Francisco disse:

            Meu caro Edmilson, se a Igreja catolica perde milhares de membros por ano é porque as pessoas estão conhecendo as escrituras.

            “Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor”, não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (…) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las.” John Stott.

            Meu caro, estude a Biblia, e depois voce estuda a arqueologia e patristica e geologia… voce não é defensor do evangelho, é apenas um obsecado pela religião catolica e é por isso que se esconde atras de tanta hipocrisia. enquanto os fundamentos da igreja catolica e os dogmas não condizerem com os evangelhos, vai continuar a surgir milhares de seitas, pois o povo clama por Deus.

    • GOMES disse:

      RENATO A SOLA SCRIPTURA ERA PROIBIDA DESDE NOÉ ATÉ OS TEMPOS DE JESUS SABE PORQUÊ?
      POR QUE A SOLA SCRIPTURA NAS MÃOS DE HOMENS COMO VOCÊ GERA HERESIAS MENTIRAS DIVISÕES

      RENATO NO TEMPO DE MOISÉS JÁ TINHA OS ESCRIBAS OS DOUTORES E MESTRES DA LEI E TINHA OS PROFETAS PARA ENSINAR A PALAVRA DE DEUS AO POVO HEREGE

      AGORA PARA CUIDAR DOS TEMPLOS QUE DEUS DEU ORDENS A MOISÉS QUE SOMENTE OS LEVITAS PODIAM CUIDAR DO SEU TEMPLO E QUAL QUER OUTRO QUE FOSSE CUIDAR DO TEMPLO E DA ARCA DA ALIANÇA ERA PROIBIDO

      RENATO HEREGE ELIAS SUBIU AO CÉU SEM ESPIREMENTAR A MORTE

      ENOQUE TAMBÉM SUBIU AO CÉU SEM ESPIREMENTAR A MORTE

      HEREGE TODOS OS ESCRITORES DA ÉPOCA DIZEM QUE TAMBÉM ELES NÃO ESPERIMENTARAM A MORTE

      AGORA SE VOCÊ RENATO OU OUTRO VIM AQUI ME DIZER QUE ISSO ERA SENTIDO FOGURADO NÃO PROVA NADA POIS NÃO EXISTE NENHUMA FONTE HISTÓRICA QUE DIGA O CONTRÁRIO
      A PRÓPRIA BÍBLIA CONFIRMA ISSO

      HEREGE OS PADRES DA IGREJA E OS ESCRITORES EXCLESIÁSTICOS DO PRIMEIRO E SEGUNDO SÉCULO DA ERA CRISTÃ TAMBÉM CONFIRMAM NOS SEUS LIVROS EPÍSTOLAS E CARTAS QUE MARIA FOI ASSUNTA AO CÉU

      AGORA RENATO HEREGE EU DESAFIO VOCÊ AMALDIÇOADO ME MOSTRE APENAS UM ESCRITOR DO PRIMEIRO SÉCULO QUE DIZ O CONTRÁRIO

      MENTIROSO FRAUDULENTO

      SAIBAS QUE A IGREJA CATÓLICA TEM 2000 MIL ANOS

      E O QUE A IGREJA LIGA NA TERRA TAMBÉM É LIGADO NO CÉU

      E MAIS HEREGE A IGREJA CATÓLICA COM OS SEUS BISPOS CELECIONOU A BÍBLIA NO ANO 297 DA ERA CRISTÃ

      E MAIS RENATO HEREGE FORAM OS BISPOS DA IGREJA QUE TIRARAM DA BÍBLIA DO NOVO TESTAMENTO MAS DE 100 LIVROS APÓCRIFOS

      COM TODA AURORIDADE

      DEIXA DE LOROTAS FILHO DO DEMÔNIO LUTERO A IGREJA CATÓLICA É BÍBLICA

      EU DESAFIO VOCÊ

      VAMOS DEBATER ME MOSTRE LIVROS AUTORES OBRAS TESTEMUNHAS OCULARES FATOS VERÍDICOS QUE SÃO APROVADO PELA ARQUEOLOGIA E GEOLOGIA

      EU APOSTO QUE VOCÊ VAI PASSAR VERGONHA COMO TODO FRAUDULENTE HISTORIADORES PROTESTANTES QUE TEM A SAFADEZA DE ADUTERAR ESCRITOS

      RENATO UMA SÓ FRASE VIRGULA TIRADA DE QUAL QUER ESCRITO A PRÓPRIA HISTÓRIA MOSTRA QUE ISSO ESTÁ ERRADO

      RENATO FALASTRÃO

      PONTOS DE VISTA É UMA COISA RACIONALISTA

      PROVAS ESCRITOS É OUTRA

    • EDMILSON disse:

      OLHA RENATO COMO A FARSA E AS HERESIAS DAS SEITAS PROTESTANTES ENTRAM EM CONTRADIÇÕES E SOFISMAS

      EU VOU MOSTRAR AQUI PRA VOCÊ RENATO O QUE ESCREVEU SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA MORTO NO ANO 96 DA ERA CRISTÃ

      E MAIS SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA FOI DISCÍPULO DO APÓSTOLO SÃO PAULO

      SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA FOI UM GRANDE JUIZ QUE SE ENCANTOU COM A SABEDORIA DE SÃO PAULO E SE CONVERTEU AO CRISTIANISMO

      E SÃO DIONÍSIO VOU UM GRANDE ESCIRTOR =E MAIS ELE ESCREVEU UMA CARTA QUE DIZ QUE MARIA FOI ASSUNTA AO CÉU

      AGORA SE ISSO QUE ELE ESCREVEU FOSSE ERRADO OU HERESIA COISA QUE NÃO É COM CERTEZA SÃO PAULO O ADVERTIRIA COISA QUE NÃO EXISTE

      E MAIS A BÍBLIA MOSTRA QUE ENOQUE SUBIU AO CÉU

      E MAIS A BÍBLIA MOSTRA E AFIRMA COMO TODA TRADIÇÃO DOS JUDEUS QUE ELIAIS TAMBÉM SUBIU AO CÉU SEM ESPERIMENTAR A MORTE

      RESUMINDO MARIA É A VIRGEM MÃE DE DEUS ENCARNADO ACABANDO COM AS LOROTAS PROTESTATES DE FUNDO DE QUINTAL VOU MOSTRAR AQUI UM ESCRITO DO PRIMEIRO SÉCULO ESCRITO PELO DISCÍPULO DE SÃO PAULO

      SÃO DIONÍSIO DE AREOPAGITA MORO NO ANO 96 DA ERA CRISTÃ

      VEJAM

      Esse é um dos textos mais antigo relatando a Assunção de Virgem Maria é o texto de Dionísio:

      Dionísio o Areopagita morto no ano 96 da era cristã, sobre a Dormição da Deípara

      Dionísio o Areopagita (+ 96dC), sobre a Dormição da Deípara:

      “Pois até mesmo entre os nossos hierarcas inspirados, quando, como tu sabes, nós juntamente com ele [um presbítero ateniense chamado Hierotheos] e muitos de nossos santos irmãos se reuniram para contemplar aquele corpo mortal [de Maria], Fonte da Vida, que recebeu o Deus encarnado, e Tiago, irmão de Deus [isto é, Tiago de Jerusalém] estava lá, e Pedro, o chefe maior dos escritores sagrados, e então, depois de terem contemplado isso, todos os hierarcas ali presentes celebraram, segundo o poder de cada um a bondade onipotente da fraqueza Divina [ou seja, que Deus se fizesse homem]”.

      “Naquela ocasião, eu digo, ele [isto é, Hierotheos] ultrapassou todos os Iniciados com exceção dos escritores divinos, sim, ele estava completamente transportado, completamente absorto, e ficou tão emocionado através da comunhão com aqueles mistérios que ele estava comemorando, que todos os que o ouviram, viram e conheceram (ou melhor, não o conheceram) considerou que ele foi arrebatado por Deus e um hinografo divino”.

      Fonte: Dionísio o Areopagita – Sobre os Nomes Divinos 3:2

      Os colchetes são para clarificar o texto, não fazem parte do original.

      O cenário é o dia da dormição de Maria quando os Apóstolos e primeiros hierarcas se reuniram para celebrar sua morte. Cada um sob inspiração entoava cânticos espirituais, sendo que Hierotheos deve ter ficado em êxtase e sob inspiração ou revelação entoou cânticos majestosos, por isso o titulo hinógrafo divino.

      Vejamos a passagem do livro de São João Domicini (1355, Florença), Santo de origem Italiana, sobre a Assunção da Bem-aventurada Virgem Maria:

      “E Pedro tendo no cantar do hino, todos os poderes dos céus respondiam com um Aleluia. E então o rosto da mãe do Senhor brilhou mais brilhante que a luz, e ela foi elevada para as alturas e abençoava cada um dos apóstolos com o própria mão, e todo deram glória a Deus; e o Senhor esticado adiante Suas mãos puras, e receberam sua alma e seu corpo inocente e sagrada. E com a partida de sua alma e corpo inocente o lugar foi enchido com perfume e luz inefável; e, vê, uma voz para fora do céu foi ouvida, dizendo: Tu és bendita entre as mulheres”.

      Todos esses maravilhosos textos só nos auxiliam cada vez mais na interpretação da Mulher revestida de Sol no Apocalipse 12.

      “1. Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas.
      2. Estava grávida e gritava de dores, sentindo as angústias de dar à luz”.

      MAS UMA VEZ CAI A FARSA PROTESTANTE

      AGORA VEJA UM POUCO DA BIOGRAFIA DE SÃO DIONÍSIO DE AREPAGITA MORTO NO ANO 96 DA ERA CRISTRÃ

      Irmão saibam que os cristãos sempre sofreram intensas perseguições, chacinas e saques durante o transcorrer dos séculos, principalmente no início da formação da Igreja. Tanto que muitos dos escritos foram queimados ou destruídos de outra forma. Por isso a memória da Igreja, às vezes, tem dados insuficientes sobre a vida e a obra de santos e mártires do seu passado mais remoto. Para que essas poucas evidências não se perdessem, ela se valeu das fontes mais fiéis da literatura mundial, que nada mais são do que as próprias narrações das antigas tradições orais cristãs preservadas pela humanidade.

      Interessante é o caso dos dois santos com o nome de Dionísio, venerados pelo cristianismo. A data de hoje é consagrada ao Areopagita, sendo o outro santo, o primeiro bispo de Paris, festejado no dia 9 deste mês.

      O Dionísio homenageado foi convertido pelo apóstolo Paulo (At 17,34) durante a sua pregação aos gregos no Areópago, daí ter sido agregado ao seu nome o apelido de Areopagita.

      O Areópago era o tribunal supremo de Atenas, na Grécia, onde eram decididas as leis e regras gerais de conduta do povo. Só pertenciam a ele cidadãos nascidos na cidade, com posses, cultura e prestígio na comunidade. Dionísio era um desses areopagitas.

      Nascido na Grécia, no seio de uma nobre família pagã, estudou filosofia e astronomia em Atenas. Em seguida, foi para o Egito finalizar os estudos da matemática. Ao regressar a Atenas, foi nomeado juiz. Até ele chegou o apóstolo Paulo, quando acusado ante o tribunal em que se encontrava Dionísio.

      Dionísio, ao assistir à eloqüente pregação de Paulo, foi o primeiro a converter-se. Por isso conseguiu para si inimigos poderosos entre a elite pagã que comandava a cidade. Foi então que são Paulo acolheu o areopagita entre seus primeiros discípulos.

      Logo em seguida, Dionísio foi consagrado pelo próprio apóstolo como bispo de Atenas. Nessa condição, ele fez muitas viagens a terras estrangeiras, para pregar e aprender a cultura dos outros povos. Segundo se narra, nessas jornadas teria conhecido pessoalmente são Pedro, são Tiago, são Lucas e outros apóstolos. Além de os registros antigos fazerem referência sobre ele na dormição e Assunção da Virgem Maria, a mãe do Filho de Deus.

      Em Atenas, seus opositores na política conseguiram sua condenação à morte pelo fogo, mas ele se salvou, viajando para encontrar-se com o papa em Roma. Depois, só temos a informação do Martirológio Romano, na qual consta que são Dionísio Areopagita morreu sob a perseguição contra os cristãos no ano 95.

    • Santana disse:

      1 Timóteo 6:16 o único (Jesus) que possui imortalidade, que habita em luz inacessível, a quem homem algum jamais viu, nem é capaz de ver. A ele honra e poder eterno. Amém!

      Jesus é o único que ressucitou e vivo está, não é a tradição ou qualquer outro homem de Deus que não tenha um livro no Cânon Sagrado, mas é a inerrante Biblia.

      Assim como muitos foram agraciados por Deus, nossa irmã Maria a mãe de Jesus (o homem e não Deus), tb teve a honra de pertencer á história da vida terrena do nosso Senhor e Salvador, mas posteriormente teve filhos e filhas como a própria Escritura diz , se corrompeu ao dar á luz os filhos de José.

      Não podemos compara-la a Jesus, e se há honra devido ter carne e sangue de Jesus, automaticamente seu filhos tb teriam o direito da plena santidade, ppois foram nascidos da mesma pessoa.

      Apocalipse 1:3 Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.

      • EDMILSON disse:

        SANTANA VOCÊ É OUTRO FILHO DE LUTERO DECORADOR DE VERSÍCULOS BÍBLICOS
        SANTANA É POR CAUSA DE HEREGES ANALFABETOS COMO VOCÊ QUE A SEITA PROTESTANTE NO BRASIL JÁ PASSA DE 50 MIL SEITAS TEM ATÉ IGREJAS EVANGÉLICAS DE HOMOSSEXUAIS

        SANTANA VOCÊ NÃO TEM NOÇÃO DAS BURRICES E CONTRADIÇÕES QUE VOCÊS FALAM E PREGAM

    • Santana disse:

      Irmão Renato, fique em paz.

      Lucas 9:5 E, se em qualquer cidade vos não receberem, saindo vós dali, sacudi o pó dos vossos pés, em testemunho contra eles.

      • EDMILSON disse:

        SANTANA QUAL DAS 50 MIL SEITAS NO BRASIL VOCÊ PERTENCE
        VOCÊ É UM FALSO PROFETA

        VOU TI DA EXEMPLOS SE EU TI FAZER 3 PERGUNTAS VOCÊ NÃO VAI ME RESPONDER

        CALA A BOCA SANTANA AS TEORIAS PROTESTANTES SÃO TÃO CONTRADITÓRIAS
        QUE O QUE SÓ CRESCE NO MUNDO ENTRE VOCÊS É O NEOLIBERALISMO CASAMENTOS ENTRE CASADOS SEPARADOS A BEL PRAZER E MILHARES DE OUTRAS HERESIAS DOS FINAIS DOS TEMPOS

  18. Salvatore disse:

    Queridos irmaos.Quando vejo comentarios de protestantes fico triste.Eles se acham os verdadeiros cristaos.Ma eu digo quando foi fundado o protestantismo?Em 1517.Quando foi fundada a Igreja Catolica?Em 29-30 d.c.Jesu disse”Eu estarei convosco todos os dias atè a consumaçao dos seculos”Mt 28,20.Isso implica que a Igreja de Deus deve estar presente no mundo desde a epoca de Cristo.Qual è a unica Igreja que existe desde a epoca de Cristo?A Igreja Catolica.Segundo a Igreja Catolica foi fundada por nosso Senhor Jesus sobre Pedro, mas as igreja protestantes por quem foram fundadas?Por homens.Sabem o que dizia Lutero da Igreja Catolica?”A Igreja Catolica è a coisa mais santa que existe na terra”.Todos sabem que o protestantismo foi criado pelos norteeuropeus para ter autonomia politica de Roma.Jesus disse que sua Igreja seria uma(Joao 17,11,21,22) os protestantes estao divididos em 7 correntes e em 38.000 Igrejas.Esta è obra do diabo que divide.Isso è o falso profeta.Se alguem vos pregar outro Evangelho seja anatema.Eu era protestante mas quando falei com os Catolicos li a Biblia sem preconceitos quando estudei a historia e pratiquei os Catolicos vi que è exatamente a Igreja Catolica a unica fundada por Deus.Eu sinto algo de milgroso quando vou em um lugar de apariçoes da Virgem Maria.Quando estava nos protestantes so via pessoas brigarem e cada um falar uma doutrina diferente da do outro da mesma ”igreja”.Igreja protestante sò existe para tirar dinheiro do povo.Igreja Catolica è o mair ente de caridade do mundo assiste muitas pessoas em todo mundo com hospitais,escolas,comidas etc…Nunca vi protestante fazer isso.Mostrem sua fè e eu vos monstrarei as minha obras como diz Sao Tiago.Os anglicanos estao voltando a Igreja Catolica e assim muitos protestante, os chefes do protestantes da Europa se converteu ao Catolicismo.Alias jà verifiquemos o nome.Igreja Catolica(Igreja Universal) e protestantismo.Protestantismo vem desde os Farisesu e os Saducesu que protestavam contra Deus eagora os protestantes herdeiros dos farisesu protestam contra Cristo e sua Igreja.Das arvores se ve o fruto.Por causa do protestantismo nasceram seitas como Testemunhas de Jeovà,Mormons,Adventistas etcc alem de 38.000 seitas protestantes.E nascem outras.Que nosso Senhor e nossa Mae Maria Santissima vos abençoes e que o Espirito de Cristo faça voltar para a sua Igreja os que foram separados por interesses de pessoas que odeiam a Cristo.

  19. Eduardo disse:

    Resumindo: Quem lê estuda a Bíblia e a história da igreja de verdade, acaba se tornando CATÓLICO.

    • EDMILSON disse:

      EDUARDO VOCÊ ESTÁ CERTINHO QUEM ESTUDA A PATRÍSTICA VIRA CATÓLICO SIM VEJA COMO É FANTÁSTICO A PERFEIÇÃO DA IGREJA CATÓLICA

      EDUARDO JÁ NOS DOIS PRIMEIROS SÉCULOS DO CRISTIANISMO

      OLHA AMIGO EDUARDO VOCÊ E EU E TODOS OS
      APOLOGISTAS CATÓLICOS PRECISAMOS URGENTEMENTE MOSTRAR ESSAS GRANDEZAS PARA TODAS FACULDADES E ESCOLAS DO BRASIL E DO MUNDO

      POIS VOCÊ SABE MUITO BEM QUE OS LIVROS DE HISTÓRIAS DE FACULDADES A MAIORIA SÃO HISTORIADORES AMERICANOS QUE TENTAM MANCHAR A TODO CUSTO A IMAGEM DA UNICA IGREJA VERDADEIRA

      EDUARDO VOCÊ SABE QUE ESSES LIVROS SÃO CHEIOS DE LOROTAS QUE FALAM SOBRE A INQUISIÇÃO CONTRA A IGREJA CATÓLICA

      É SAFADEZA MENTIRA E CALUNIA POIS VOCÊ SABE ESSES HISTORIADORES SEM NENHUMA FONTE HISTÓRICA DA ÉPOCA TENTAM MANCHAR A UNICA IGREJA DE CRISTO A TODO CUSTO

      E MAS AMIGO EDUARDO VOCÊ SABE QUE A IGREJA NÃO QUEIMOU JOANA DARK

      E SOBRE OS LIVROS DE HISTORIADORES PROTESTANTES AFIRMANDO TER EXISTIDO UMA PAPISA NA IGREJA E TANTAS OUTRAS ARMAÇÕES SÃO TUDO MENTIRAS FRACAS E AMADORAS QUE MUITOS LEIGOS CAEM INOCENTEMENTE

      EDUARDO VAMOS NOS UNIR PRECISAMOS MOSTRAR A VERDADE

      AGORA SOBRE A INQUISIÇÃO ESSA MATÉRIA É TÃO SIMPLES DE MOSTRAR A VERDADE

      VAMOS NOS UNIR AMIGA TEMOS QUE BUSCAR CONHECER PESSOAS FORTES E MOSTRAR AS MENTIRAS QUE OS LUNÁTICOS HEREGES FAZEM CONTRA A UNICA IGREJA VERDADEIRA

      AMIGO EDUARDO

      VEJA A GRANDEZA DA IGREJA CATÓLICA JÁ NO SEU COMEÇO ISSO É SÓ NOS DOIS PRIMEIRO SÉCULOS DA ERA CRISTÃ

      EDUARDO AGORA SIM ISSO É VERÍDICO POIS EXISTE FONTE HISTÓRICA E É COMPROVADO PELA GEOLOGIA E PELA ARQUEOLOGIA
      E PELAS TESTEMUNHAS OCULARES E MAS AINDA É COMPROVADO E TESTIFICADO COMO LEGITIMO E VERDADEIRO NOS ESCRITORES ECLESIÁSTICOS E NOS PADRES DA IGREJA DA ÉPOCA DOS DOIS PRIMEIRO SÉCULO

      VEJA EDUARDO QUE MARAVILHA

      História da Igreja Católica 20 – Símbolos, atas de martírio, epitáfios, literatura…

      Símbolos, atas de martírio, epitáfios, literatura…

      No Novo Testamento existem numerosas profissões de fé (cfr. At 8,37; 1Cor 12,13; Rm 10,9; Fl 2,11; 1Cor 15,3s; 1Cor 8,6; 2Cor 13,14; 1Cor 12,4) resumindo pontos essenciais do cristianismo. Os primeiros símbolos datados da metade do século II se inspiram no mandamento de Jesus acerca do batismo em nome da Santíssima Trindade (Mt 28,19). Antes do batismo os catecúmenos eram interrogados pelo ministro, fazendo sua profissão de fé no Pai, no Filho e no Espírito Santo.

      Inúmeras homilias e atas de martírios são conhecidas deste período. Destaques: a Homilia de Melitão sobre a Páscoa, o Martírio de Policarpo, a Carta das Igrejas de Viena e Lyon às igrejas da Ásia e da Frígia, as Atas dos mártires de Scili.

      O epitáfio de Abércio de Hierápolis, do final do século II, é o monumento de pedra mais antigo que se refere à eucaristia. Abércio tinha sido bispo de Hierápolis, na Frígia. Aos 72 anos de idade mandou fazer a inscrição, na qual fala, entre outras coisas, do seu envio a Roma pelo Pastor, encontrando por toda parte irmãos na fé, dos quais recebeu o “peixe” (ICHTHYS, em grego, abreviação de “Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador” – a iconografia cristã aproveitará esta simbologia), vinho misturado e pão. Atesta o costume cristão de se orar pelos mortos.

      O epitáfio de Pectório, para alguns do início do séc. II, para outros do séc. III ou IV, fala do batismo, “fonte imortal das águas divinas”, da eucaristia, “alimento melífluo do Redentor dos santos”, “peixe que sustentas nas mãos”. Pectório pede a seus pais falecidos que se recordem dele “na paz do peixe”.

      A quantidade de evangelhos e epístolas gnósticas que circulavam no segundo século é enorme: o Evangelho de Tomé, o Apocryphon de João, a carta de Tiago, o Evangelho de Maria, a Sabedoria de Jesus Cristo, os dois livros de Jeú, o Evangelho de Matias…

      Também o número de apócrifos não-gnósticos (livros não-canônicos) é elevado: O Testamento dos doze patriarcas, o Martírio e a ascensão de Isaías, os Oráculos sibilinos, o Evangelho dos Nazoreus, dos ebionitas, dos hebreus, dos egípcios, de Pedro, a epístola dos Apóstolos, o Proto-evangelho de Tiago, a Narração da infância de Jesus, por Tomé, o Kerygma de Pedro, os Atos de Pedro, os Atos de São Paulo, os Atos de André, o Apocalipse de Pedro…

      No meio de tantos livros, cada igreja possuía um esboço do que seria o cânone definitivo do Novo Testamento.

      EDUARDO ISSO SIM É HISTÓRIA VERDADEIRA AGORA SE ALGUM PROTESTANTE QUERER AINDA CONTESTAR ISSO QUE CONTESTEM SOBRE SEUS PONTOS DE VISTA BASEADOS NA SUA IGNORÂNCIA E NA SUA LAVAGEM CEREBRAL

      POIS SE ALGUM PROTESTANTE QUERER VIM AQUI REFUTAR ISSO QUE ME TRAGA ALGUM DOCUMENTO DA ÉPOCA OU ESCRITOS QUE PROVE O CONTRÁRIO COISA QUE JAMAIS VAI CONSEGUIR A NÃO SER LIVROS DE PADRES DA IGREJA QUE MUITOS MALDOSAMENTE ADULTERAM E TIRAM FRASES DO CONTEXTO POIS VOCÊ SABE AMIGO EDUARDO NESSE MEIO DO PROTESTANTISMO TEM DE TUDO TEM ATÉ AQUELES QUE DIZ QUE A IGREJA FOI CONSTRUÍDA POR CONSTANTINO ISSO É UMA PIADA

  20. Amarildo Moraes disse:

    Irmãos em cristo, a paz esteja com todos nós, Como dói ver milhôes enganados abdicando a luz para viver nas trevas do erro. Ele já nos tinha avisado no sermão da montanha.
    “Guardaivos dos falsos profetas. Eles vem a vôs com vestes de ovelhas, mas por dentro são lobos ferozes (Mt 7,15)
    Só Jesus tem o poder de fundar a Religião e a Igreja. Ele estabeleceu neste mundo a “sua Igreja” e não deu autorização ninguem fundar outra.
    É o caso de se perguntar. Será que alguns desses “iluminados” provou que era Deus, fez grandes milagres e morreu numa cruz para a salvação do homem, consta que alguns deles resussitou? consta que alguns deles provou a sua divindade? Será que Lutero, João Calvino, Edir Maacêdo, Reverendo Moon, R R Soares, Waldemiro Santiago, John Smith, Joseph Smit e outros doentes espirituais podem ser comparados a Jesus Cristo?
    “Então se alguem vos disser: Eis, aqui está o cristo! ou: Ei-lo acolá!, não creiais. Porque se levantarão falsos cistos e falsos profetas, que farão milagres a ponto de seduzir, se isso fosse possível, até mesmo os escolhidos. Eis que estais prevenidos. Se pois vos disserem: Vinde ele está no deserto, não saiais. Ou: Lá está ele em casa, não creiais. (mt 24,24-25).
    Sou católico graças a Deus, vivo minha fé em Jesus e Maria.
    Que a paz fique com todos

  21. Valmir disse:

    No antigo testamento é anunciado um povo que encontra o Seu Deus , mostra que desde daquele tempo o homem usava Deus para realizar os seus desejos . No novo testamento mostra um Deus que andou com seu povo , e mesmo ele se entregando na Cruz não foi compreendido , deixou seus apóstolos para que sua evangelização fosse postergada , continuando seus milagres e prodígios , e mesmo assim as pessoas não entenderam seu projeto de libertação , por isso todos sofrem pela incompreensão , como a palavra é usada por muitos para seu próprio prazer ou própria vontade. sou católico e digo que sofremos por falta de conhecimento pagamos o preço por uma evangelização errada , perdemos contato com a palavra e só após concilio vaticano II , tivemos contato com ela .Nossos irmãos protestantes se esquecem que Jesus trouxe uma nova lei , e vivem conforme o antigo testamento , não se corta cabelo , por exemplo . e se esquece do Batismo onde todas as leis são transformadas em uma só , não se vive de aparência , ma sim um modo de vida , em que o respeito se torna a maior das leis , perdemos tempo em discurções entre certos e errados , e deixamos Deus de lado por nos tornamos Deus .

  22. sylvio cardoso disse:

    Amados, boa tarde. Quero dizer que meu intuito não é polemico, mas simplesmente mostrar a perfeita suficiencia da Palavra de Deus para orientação ao ser humano que se submeta ao seu prumo perfeito.
    Concordo com o Teixeira quanto o trabalho primoroso dos santos que deram suas vidas na construção do material que hoje temos disponível a todo ser humano. E que a melhor e fiel tradução é sem dúvida a versão bilblia de estudos Jerusalem.
    Mas , na minha opinião, que faz coro com apostolo São Paulo. Perdemos muito tempo com debates inócuos,enquanto as almas estão se perdendo e indo para o inferno (eu creio na existencia do inferno como o Senhor afirma na sua Santa Palavra).
    Para contribuir de alguma forma,eu humildemente anexei alguns capitulos do novo testamento para nossa reflexão .

    2 Timóteo 2

    Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.

    E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.

    Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.

    Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.

    E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente.

    O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos.

    Considera o que digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo.

    Lembra-te de que Jesus Cristo, que é da descendência de Davi, ressuscitou dentre os mortos, segundo o meu evangelho;

    Por isso sofro trabalhos e até prisões, como um malfeitor; mas a palavra de Deus não está presa.

    Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna.

    Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos;

    Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará;

    Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.

    Traze estas coisas à memória, ordenando-lhes diante do Senhor que não tenham contendas de palavras, que para nada aproveitam e são para perversão dos ouvintes.

    Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.

    Mas evita os falatórios profanos, porque produzirão maior impiedade.

    E a palavra desses roerá como gangrena; entre os quais são Himeneu e Fileto;

    Os quais se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição era já feita, e perverteram a fé de alguns.

    Todavia o fundamento de Deus fica firme, tendo este selo: O Senhor conhece os que são seus, e qualquer que profere o nome de Cristo aparte-se da iniqüidade.

    Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra.

    De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra.

    Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor.

    E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas.

    E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor;

    Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade,

    E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos.

    2 Timóteo 3

    Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos.

    Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos,

    Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,

    Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus,

    Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.

    Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências;

    Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade.

    E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé.

    Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles.

    Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, amor, paciência,

    Perseguições e aflições tais quais me aconteceram em Antioquia, em Icônio, e em Listra; quantas perseguições sofri, e o Senhor de todas me livrou;

    E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições.

    Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados.

    Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido,

    E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.

    Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;

    Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.

    Efésios 3:16

    Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior;

    Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor,

    Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade,

    E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.
    Efésios 3:16-19

    • Edmilson disse:

      AMIGOS CATÓLICOS DESDE O PRIMEIRO SÉCULO DA ERA CRISTÃ OS SANTOS JÁ ERAM REFERENCIAS DA IGREJA CATÓLICA NÃO CAEM EM ARMADILHAS DE PROTESTANTES BESTAS DO APOCALIPSE VOU DA UM EXEMPLO CAMÕES E FERNANDO PESSOA EXISTEM IMAGENS DELES EM GRANDES FACULDADES DO SEU PAIS E O QUE ESSAS IMAGENS REPRESENTAM REPRESENTAM QUE ELES FORAM OS DOIS MAIORES POETAS DA LÍNGUA PORTUGUESE E DOS MAIORES UNIVERSAIS DENTRO DA FÍSICA BIOLOGIA ENTRE MILHARES DE HOMENS QUE FORAM GRANDES NAS FACULDADES DA EUROPA E DO MUNDO TEM SUAS ESTATUAS ESSAS ESTATUAS APENAS REPRESENTA O QUE ESSA PESSOA FOI NA SUA ÁREA ASSIM É OS SANTOS DA IGREJA CATÓLICA ELES SERVEM PARA SEREM SEGUIDO E COPIADO COMO SENDO MODELO DE FÉ E DE VIRTUDE
      EXISTE MILHARES DE MILHARES DE TESTEMUNHOS E ESCRITOS DO PRIMEIRO SECULO E SEGUNDO SÉCULO QUE TESTIFICAM ISSO

      VEJA O QUE DIZ

      São Policarpo de Esmirna

      Nascimento nascido no ano 69 da era cristã

      Como os católicos hoje, os cristãos dos primeiros séculos eram acusados de idolatria por venerarem os Santos. Mas, em vez dos grupos heréticos (que tanto se difundiram após o século XVI), quem propagava esta mentira era o rabinismo judaico, isto é, os judeus que não abraçaram a fé cristã.

      Talvez o primeiro texto que dá testemunho da veneração dos santos como ainda nós católicos praticamos hoje, com honra, homenagem, celebração dos heróis e modelos da fé, seja a Carta que a Igreja de Esmirna enviou à Igreja de Filomélio, narrando o Martírio de São Policarpo (Bispo de Esmirna e discípulo do Apóstolo São João). Este documento de meados do segundo século é o texto hagiográfico mais antigo que se tem notícia.

      A Carta nos dá testemunho que após o martírio de São Policarpo, os cristãos de Esmirna tentaram conseguir a posse de seu corpo, para dar ao mártir um sepultamento adequado. Mas, foram impedidos pelas autoridades que eram influenciadas pelos judeus rabínicos, que diziam que os cristãos queriam o corpo de São Policarpo para adorá-lo como faziam com Cristo.

      Na carta é interessante o comentário que os cristãos de Esmirna fazem por causa da ignorância que os judeus tinham sobre a diferença da adoração que os cristãos prestavam somente a Nosso Senhor Jesus Cristo e a veneração prestada aos Santos. Semelhantes a nós católicos dos últimos séculos, os católicos do passado escreveram:

      “Ignoravam eles que não poderíamos jamais abandonar Cristo, que sofreu pela salvação de todos aqueles que são salvos no mundo, como inocente em favor dos pecadores, nem prestamos culto a outro. Nós o adoramos porque é o Filho de Deus. Quanto aos mártires, nós os amamos justamente como discípulos e imitadores do Senhor, por causa da incomparável devoção que tinham para com seu rei e mestre. Pudéssemos nós também ser seus companheiros e condiscípulos!” (Martírio de Policarpo 17:2 +- 160 D.C).

      E mais adiante esta importantíssima prova da fé primitiva, dá testemunho do costume que a Igreja tinha em guardar uma data, para celebrar a memória dos Santos, como Ela faz até hoje:

      “Vendo a rixa suscitada pelos judeus, o centurião colocou o corpo no meio e o fez queimar, como era costume. Desse modo, pudemos mais tarde recolher seus ossos [de Policarpo], mais preciosos do que pedras preciosas e mais valiosos do que o ouro, para colocá-lo em lugar conveniente. Quando possível, é aí que o Senhor nos permitirá reunir-nos, na alegria e contentamento, para celebrar o aniversário de seu martírio, em memória daqueles que combateram antes de nós, e para exercitar e preparar aqueles que deverão combater no futuro.” (Martírio de Policarpo 18 +- 160 D.C)

      Portanto, a Veneração dos Santos, não é idolatria e sim uma legítima e piedosa doutrina cristã que tem berço na Tradição da Igreja nascente.

  23. Adriano disse:

    Muito bem observado, Teixeira! E só pra reforçar, lembremos o que nos disse São Pedro, o primeiro papa de nossa santa igreja:

    “Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal.” II São Pedro 1,20

  24. Luciana disse:

    Caros irmãos, no mesmo lugar da biblia que esta escrito que devemos honrar pai e mãe, também esta escrito que não devemos fazer imagens de escultura do que há em cima dos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra, nem a elas se encurvar, nem a elas servir, e ainda não terá outro deuses além de mim, êxodo 20, se precisar achar.

  25. Sueli disse:

    Amai ao próximo como a ti mesmo…parem de atirar pedra na igreja católica e vão viver a sua verdadeira santidade. Muitos de vcs com certeza não estudaram a nossa igreja, pois se tivessem estudado com certeza não seriam protestantes…

    Teixeira ótima msg…

  26. Gustavo disse:

    Perfeito. É isso mesmo. Bendita a Sagrada Tradiçao da Santa Igreja.

    Engraçado essa protestaiada, sempre vomitando as mesmas besteiras. A menina chega a dizer: leiam a bíblia e interpretem do seu jeito, da forma que lhe apraz, Deus que se adapte a sua interpretação, e não serão enganados. Mal sabe ela que ela já foi enganada.

  27. eliza nascimento disse:

    O que acho interessante é que pegam a palavra de Deus que foi montada pela Santa Igreja Católica , e depois dizem que somos ignorantes bíblicos .Provavelmente nunca leram Gn3,15 e nem Ap12 . Acho mesmo que são da descendência de Satanás .

    • selena disse:

      Quando as escrituras está dizendo da mulher em G.3.12, não se tratava de maria e sim de Eva e nós somos descendentes de Eva e Adão só quem não é humano que não tem esse privilégio. E quem pisou na cabeça da serpente foi o Senhor Jesus quando venceu a morte. e Ap. 12. se refere a jerusalém pq se não fosse assim teria uma grande mentira a se esclarecer pq a mulher citada não foi para o céu e sim para o deserto então “onde está a verdade que dizem que ela foi assendida ao céu? Nós não devemos nos deixear enganar pq o Senhor Jesus disse que quem não tá com ele é contra ele. Pois eu só tenho uma coisa a dizer vamos ler as escrituras e pedindo a Deus sabedoria pra entender o que ele quer nos dizer com certeza não seremos enganados pq Deus não vai permitir tal coisa.

  28. Eder disse:

    Pura conversa fiada!!! Lenda católico-romana !!! Bíblia Sagrada que é bom nada!!! Não citam nada da Palavra de Deus, até mesmo porque ela refuta tal mentira!!!Só conseguem enganar quem é analfabeto biblicamente!!!

    • teixeira disse:

      Caro amigo Eder, se o senhor tem uma bíblia em suas mãos,agradeça a igreja de Nosso Senhor Jesus,que só pode ser uma somente,não 38.000,como são as protestantes.Nós compilamos a biblia,organizamos os evangelhos,e a traduzimos na versão santificada da Vulgata,sobre a vigilância do Espirito Santo de Deus,com São Jerônimo,ou vc acha que todas as interpretações protestantes o ESpirito Santo estava presente?? onde está na biblia a previsão da divisão em 38.000 igrejas? onde está na bíblia que qualquer cidadão pode interpreta-la??? onde a bíblia afirma quais são os evangelhos inspirados por Deus???Se bíblia que o senhor lê e interpreta como quiser,como pode ser esta Sagrada???Onde está previsto na bíblia cada pastor fundar uma igreja e pregar do jeito qu lhe convém??? Como o senhor pode obervar,ne ma ignorante Solo Fide vcs praticam mais….tudo é fato!Tudo com Jesus, Nada Sem Maria!!!

      • Luciano pain disse:

        E mais a biblia só foi traduzida pelos protestantes martin lutero!
        Se dependesse da igreja catolica as missas ate hoje eram selebradas em latin

        • alex disse:

          santa ignorância meu irmão… os protestantes são sempre assim, cospem pra cima, e ainda e ainda se acham os escolhidos por Deus… Acredito que uma das maiores tristezas de Deus e ver a promessa do Demonio se cumprir, quando ele consguiu dividir a sua igreja e colocar todos um contra o outro. Até quando os protestantes vão enxergar que são enganados por falsos profetas? como se pode dizer que são de Deus, que aceitaram jesus etc.. se só fazem a vontade do pai pela metade? como pode um cristão amar Jesus que é o “centro” de tudo, é a “cabeça da igreja”, e não amar seu corpo? como o saldoso padre Paulo Ricardo sempre diz: os protestantes soltam beijos para a cabeça de Jesus, e enfiam a faca no “bucho”, na barriga que somos todos nos igreja, todos os santos, todos os cristão….

          Mesmo assim, muitos protestantes quando tiram as travas dos olhos e passam verdadeiramente a enxergar o que é ser um cristão verdadeiro, o que é está na barca de pedro, o que significa está com cristo desde o principio da sua igreja… Passam a entender que o que eles pregavam eram, contra a igreja de cristo..

          o mais interessante é que, muitos pastores tem se convertido a igreja católica, quer dizer, os que buscam a fundo a origem do cristianismo, ai, passam a compreender que estão do outro lado do muro, está do lado de fora, e tornam-se católicos verdadeiros, mas, existem muitos que sabem da verdade, mesmo assim continuam no erro, pqw n querem viver o amor e sofrer como cristão, querem visar o lucro que as suas “igrejas” dão.

          Pobre rebanho alienado, que acha que a bíblia caiu do céu de ziper e tudo, e se encaichou perfeitamente bem debaixo do braço dele.

          a paz de Jesus e o amor de Maria.

          • Pedro Nicacio disse:

            “a paz de Jesus e o amor de Maria.” Quem pregou o amor? foi Jesus ou maria, foi Jesus é claro, então para vc se o amor é de Maria, então pregou Jesus sobre maria? engraçado isso, em todo o velho testamento prega a vinda do Messias e não de Maria, querem até tirar o amor de Jesus e da a bem aventurada Maria. Se ela estivesse conciente estava querendo era dar umas palmadas em vcs Pela heresia de vcs.
            Novamente vão me descer o sarrafo nos comentários.

Deixe seu comentário