“Eu matei Castro – assinado: Deus”

| 29 de novembro de 2016 | 4 Comentários
Daniel Martins

fidel_castro2Morre em Havana, aos 90 anos, o ditador comunista Fidel Castro. Perto de um século de tirania, de chantagem ao mundo Ocidental, de perseguição e matança de tantos e tantos que pereceram no seu paredón bradando “Viva Cristo Rei”.

Sua morte faz lembrar a frase do ímpio filósofo Nietsche, cujos seguidores inscreveram em seu túmulo, logo após sua morte: “Eu matei Deus – ass. Nietsche”. Dias depois, um fiel católico, não sem uma saborosa pitada de ironia, escreveu, bem ao lado, um epitáfio irrefutável e muito mais apropriado: “Eu matei Nietsche – ass. Deus”. Contra fatos, não há argumentos… Naquele lugar, jazia o cadáver de alguém que julgava ter matado, na mente dos homens, a idéia de um Deus transcendente e todo-poderoso.

Desejamos de todo o coração que, vencidas as convulsões que nos ameaçam de todas as partes, a Revolução, na qual Castro teve um infame papel, morra de uma vez por todas. É o que desejamos, e pelo o que lutamos, tendo a Deus de nosso lado.

 

*  *  *

Acrescentamos um interessante trecho do noticiário (OESP, 26/11/16)

“Cerca de meia hora após o anúncio da morte pelo presidente Raúl Castro, podia-se ouvir festejos vindos da região de Miami conhecida como “Little Havana” (do inglês “Pequena Havana”). Milhares de pessoas batiam em panelas e carregavam bandeiras cubanas gritando: “Cuba, sim! Castro, não!”. 

“Me sinto estranho”, disse Gabriel Morales, um executivo de 40 anos em Miami cujos pais deixaram Cuba depois que Castro chegou ao poder no país. “Esperei para ouvir isso durante toda a minha vida, parece irreal”, afirmou.”

email

Tags: , , ,

Categoria: Comunismo e socialismo, Sociologia e Política

Comentários (4)

Trackback URL | Feed RSS de Comentários

  1. Ary disse:

    Um homem ímpio que fez tanto mal às pessoas que, ao menos, tenha tido tempo e coragem de se arrepender de sua multidão de pecados e confessá-los. Que Deus tenha misericórdia dele e que abencôe o povo cubano com melhores dias.

  2. Horácio Pena disse:

    Ainda Fidel…
    Como é possível que subsistam no seio(?) da Igreja católica movimentos, vozes e articulistas que destilem venenosas insinuações a respeito de, seja quem for. Ainda por cima, “metendo” Deus no caso. Uma vergonha inconfessável de lesa divindade para a Igreja que assim o permite sem uma pública e universal reprimenda. São estas vozes cardinalícias (barretícias) que se dignam afrontar o novo Papa, arremessando-çhe uma teologia caduca, divorciada do cristianismo e das realidades sociais e humanas da nossa contemporaneidade? Uma vergonha para o Catolicismo, sempre tão pressuroso em criticar os avanços culturais e as conquistas sociais da Humanidade (que se lhe não devem, como é claro!), sempre omisso quando seria imperioso (e cristão!) colocarem-se na vanguarda do progresso e da civilização (ou ao menos a par) permitem-se agora insinuar que Deus matou Fidel. Vergonha. Os católicos que o sejam realmente devem demarcar-se, decididamente, desta postura nefanda, própria de inescrupulosos, sem remissão. Estou verdadeiramente impressionado. Não por se tratar de Fidel. Esta gentalha que passeia fragância de naftalina no voajar das sua indumentária anacrónica, de cabeça oca, dirá isto de todo aquele se lhe oponha. Estou em choque. Tenham vergonha na cara.

    • Gonçalo disse:

      E uma palavra paraas vítimas do Fidel?…

    • Italo disse:

      Caro Horácio,
      Gostaria que o sr. Me esclarecesse em alguns pontos de seu comentário, pois na tentativa de requintar sua linguagem, o sr. Embaralhou suas ideias, dificultando a compreensão das mesmas e deixando inteligível seu texto. Sugiro que o sr. Estude um pouco sobre coerência e coesão, poderá ajudar nos seus próximos comentários.
      Apesar do esforço para decodificar seu emaranhado de ideias, foi possível compreender alguns pontos principais, e sobre eles gostaria de expor minhas dúvidas, caso eu tenha mal compreendido-os, corrija-me por favor.

      “Como é possível que subsistam no seio(?) da Igreja católica movimentos, vozes e articulistas que destilem venenosas insinuações a respeito de, seja quem for.”
      Por favor esclareça-me quais são essas acusações venenosas, o sr acusa porém deixa no ar a acusação feita ao escritor: não fundamenta ela, não diz qual é a insinuação e nem diz porque é venenosa. Caso esteja ela no texto mostre e prove que é venenosa, pois, o argumento dado gratuitamente é negado gratuitamente.
      “São estas vozes cardinalícias (barretícias) que se dignam afrontar o novo Papa, arremessando-çhe uma teologia caduca, divorciada do cristianismo e das realidades sociais e humanas da nossa contemporaneidade?”
      Neste segundo ponto, mais uma vez o sr. Deixa em aberto a acusação.
      Com teologia caduca, divorciada do cristianismo, o sr se refere a Doutrina Imutável da Igreja? Seu comentário é que é algo de “lesa divindade” para a Igreja, sem contar que é um ultraje ao próprio Cristo pois, é ele o fundador de tal Doutrina: “Em verdade, em verdade vos digo os céus e terra passarão, porém minhas palavras continuarão a mesma” São Mat. 5:18. Divorciada do Cristianismo ela não é, pois como já visto foi o próprio Deus que a fundou.
      Sendo as “realidades sociais e humanas da nossa contemporaneidade” todas elas fundadas sobre os princípios ateus e revolucionários da Revolução Francesa, é essencial que a Doutrina Católica permaneça imutável e que não se deixe infiltrar por tais.
      “Se eu mesmo ou um anjo vier pregar uma outra doutrina diferente daquela que recebestes, seja anátema” Gálatas 1:8

      “Uma vergonha para o Catolicismo, sempre tão pressuroso em criticar os avanços culturais e as conquistas sociais da Humanidade (que se lhe não devem, como é claro!), sempre omisso quando seria imperioso (e cristão!) colocarem-se na vanguarda do progresso e da civilização (ou ao menos a par) permitem-se agora insinuar que Deus matou Fidel. Vergonha.”
      Avanços? Desde quando, uma humanidade que caminha cada vez mais para a aceitação de práticas antinaturais como o aborto, o homossexualismo, a eutanásia, está avançando? Avanço para o abismo, só se for. Esse tipo de avanço tem que ser combatido, e não apoiado.
      Agora, quanto ao legítimo progresso a Igreja sempre apoiou e até contribuiu, como nos deixa claro, o escrito Thommas Woods, em seu livro: “Como Igreja Católica construiu a civilização Ocidental”

      “Os católicos que o sejam realmente devem demarcar-se, decididamente, desta postura nefanda, própria de inescrupulosos, sem remissão. Estou verdadeiramente impressionado. Não por se tratar de Fidel. Esta gentalha que passeia fragância de naftalina no voajar das sua indumentária anacrónica, de cabeça oca, dirá isto de todo aquele se lhe oponha. Estou em choque. Tenham vergonha na cara.”
      Com qual autoridade o sr. recomenda a nós católicos, demarcar-se de tal postura?
      O sr. é teólogo? O sr. é bispo? O sr. é padre? Com certeza não, pois a quantidade de erros encontrados no seu artigo é característica de alguém sem conhecimento em áreas doutrinárias e teológicas.
      Inescrupulosos? Quem é o inescrupuloso da história?
      O sr. vem neste artigo comenta um monte de coisas sem nexo e nem fundamento, faz ultrajes a Deus, toma a defesa de Fidel e ainda diz que quem é católico tem que seguir. Sabe quantas vítimas esse homem fez? A morte desse mostro se deve a Deus com certeza.
      Com “ gentalha que passeia fragância de naftalina no voajar das sua indumentária anacrónica” o sr se refere a ele e a outros ditadores do mesmo cunho dele, como Hitler, por exemplo, e aquelas fardas de ditador que ele sempre usaram?

Deixe seu comentário